terça-feira, 19 de junho de 2012

Erudito e popular se encontram em novos livros de Paulo Costa Lima

"Para entrar numa canção é preciso pedir licença. É preciso reconhecer que se está diante de um espaço diferenciado, um experimento de imaginação". É dessa forma, fazendo uma espécie de análise do imaginário, que o compositor e escritor Paulo Costa Lima mergulha nas construções rítmicas e semânticas de Águas de Março, de Tom Jobim, em um dos capítulos da obra "Música Popular e Outras Adjacências", a ser lançada no próximo dia 21 de junho, às 19h, no Teatro Vila Velha.

Para Paulo, “as canções são um desafio, pois nelas pretendo conjugar uma análise técnica da estrutura com a significação cultural". Ele acredita que o compositor compõe quando faz música e escreve textos, dimensões inerentes  ao ofício de inventar. Além de análise musical, a obra também oferece ao leitor, em linguagem simples e bem-humorada, crônicas e contos sobre aspectos da vida cultural, como o shopping, a indústria dos casamentos, os vícios na pós-modernidade, a violência e o machismo.


Teoria de prática do compor I
Ao mesmo tempo, Paulo Costa Lima também estará lançando o livro "Teoria e Prática do Compor I", no qual ele reflete sobre a invenção de música em nossos dias e analisa as contribuições de compositores baianos como Lindembergue Cardoso, Fernando Cerqueira e Jamary Oliveira, tanto para a música quanto para o ensino de composição. Outro aspecto contemplado na obra é a filosofia do compor e aspectos históricos da Escola de Música da Ufba (EMUS).

Atrações musicais
O lançamento, promovido pela Editora da Universidade Federal da Bahia (EDUFBA) e Oficina de Composição Agora (OCA), é aberto ao público e será seguido de apresentação do Duo Sacramento, composto pelo instrumentista e professor da Escola de Música da Ufba, Jorge Sacramento, e seu filho  - também é instrumentista - Akim Sacramento. Na oportunidade, os músicos vão executar o duo virtuosístico para percussão, Januário, composto por Paulo Costa Lima, que reencena os passos da canção de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira. Em seguida, o Núcleo de Percussão da Ufba (obras para voz e percussão) encerra a noite tocando canções de compositores baianos, tais como Paulo Rios Filho, Alex Pochat e Guillherme Bertissolo.

Música de Agora na Bahia (MAB)
O evento faz parte das atividades do Música de Agora na Bahia (MAB), que vai realizar mais 40 eventos, entre palestras, seminários e intervenções urbanas até o mês de dezembro, como uma realização da Oficina de Composição Agora (OCA), com patrocínio do Fundo de Cultura da Bahia. “Estou muito feliz pelo fato de o lançamento de meus livros acontecer em meio a este grande evento organizado por alunos e amigos, atuais ativistas da música contemporânea na Bahia”, conta Paulo Costa Lima.

Sobre Paulo Costa Lima - Compositor, escritor e professor da Escola da Música da Ufba, onde leciona Composição, Teoria, Análise e Metodologia da Pesquisa em Música. Bacharel em Composição pela University of Illinois at Champaign-Urbana (USA), onde também concluiu o Mestrado em Educação Musical. É Doutor em Educação pela Universidade Federal da Bahia e em Artes pela Universidade de São Paulo. Membro da Academia de Letras da Bahia, Diretor/criador da Pós-Graduação em Música da Ufba. Criador da Revista Art. Membro fundador da Oficina de Composição Agora (OCA).

Trabalhou com os compositores Herbert Brün e Ben Johnston, e os educadores Richard Colwell e Charles Leonard. Catálogo com cerca de 90 obras e aproximadamente 350 performances em mais de 15 países, incluindo apresentações em festivais no Carnegie Hall (1996), no Lincoln Center (2001), em Seattle (Orquestra Sinfônica de Seattle), na sala Rode Pompe (Bélgica), na KonzertHaus de Berlim (2004), em Campos de Jordão, na Sala Cecilia Meireles, Sala São Paulo, Teatro Brás Cubas (Santos), tendo merecido crítica do New York Times (Alex Ross) e do Deutscher Zeitung e verbete do Grove Dictionary of Music and Musicians (2001), a maior enciclopédia musical da atualidade.

Foi distinguido diversas vezes por prêmios e comissionamento de obras, a exemplo da Bolsa Vitae (1995) e da Série Criadores do Brasil-OSESP (2000). Já publicou 6 livros, 10 partituras, 20 gravações de obras e 30 artigos em periódicos nacionais e internacionais.

21/06 | qui | 19h
Entrada franca
Cabaré dos Novos

Nenhum comentário:

Postar um comentário