sexta-feira, 29 de junho de 2012

Atividade Dramaturgia & Tecnologia (Pesquisa PET CINEMA)


Neste final de semana, os alunos e professores do grupo de pesquisa PET Cinema, da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) – Cachoeira, estarão no Teatro Vila Velha realizando a atividade Dramaturgia & Tecnologia. Com o tema Cinema Expandido, os alunos irão assistir ao espetáculo “O Olho de Deus – O Avesso dos retalhos”, nos dias 30/06 e 1°/07, e, ao final do espetáculo do domingo, participarão de um bate papo com o diretor Marcio Meirelles sobre dramaturgia e tecnologia. Além de assistir a montagem, os alunos irão participar de outras duas atividades na Sala 2 do Vila. 

Os alunos fazem parte dos grupos de estudos dos professores Rita Lima, Guilherme Sarmiento e Adriano Oliveira (Cinema), e Carolina Fialho e Fernando Rabello (Artes Visuais) do Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL). As temáticas de discussão girarão em torno de dramaturgia e tecnologia e também sobre o texto de Lev Manovich sobre estética de banco de dados, cinema e narrativa.

PET Cinema


O PET Cinema é um projeto de tutoria dos alunos do Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Recôncavo Baiano, que tem como objetivo principal promover a cultura acadêmica, dentro de padrões de excelência articulando ações de ensino, extensão e pesquisa. Nosso programa tem uma vocação interdisciplinar, conjugando interesses de várias áreas do Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL), através da realização de ações envolvendo professores e alunos dos cursos de Cinema, Ciências Sociais, Artes Visuais e Serviço Social.


O Olho de Deus


O espetáculo de Marcio Meirelles e texto de Sonia Robatto, com colaboração de Marcio, usa e abusa da tecnologia na sua composição utilizando, pela primeira vez, os dois espaços do Teatro Vila Velha com recursos tecnológicos que criam duas visões de um mesmo espetáculo. A ação central do espetáculo é conduzida por duas senhoras muito religiosas Sinhá e Dos Anjos (Sonia Robatto e Chica Carelli), que estão num mundo fantasioso. O irmão João (Fernando Fulco), companheiro de memórias delas, é um senhor que esconde uma forte preocupação social. A realidade é apresentada no confronto dos personagens Calu (Neyde Moura), uma mulher madura que toma conta de tudo e de todos, e Maria (Anita Bueno), mulher jovem, politicamente revoltada. A personagem Filú (Marisia Motta) representa os outros, a sociedade, os vizinhos, o disse-me-disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário