quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Homenagem a Alexandre e Sílvio Robatto é destaque do Vila em dezembro

A família Robatto é referência das artes na Bahia. O documentarista Alexandre Robatto Filho, pioneiro do cinema baiano, e seu filho, o fotógrafo e arquiteto Sílvio Robatto, serão homenageados em grande estilo numa programação que envolve mostra de filmes, exposição fotográfica e lançamento de livro. As homenagens começam no dia 17, com a abertura da Mostra Alexandre e Sílvio Robatto, que segue até o dia 21 de dezembro no Teatro Vila Velha. Para Sônia Robatto, filha de Alexandre e uma das fundadoras do Vila, essa será uma oportunidade de apresentar o legado de seu pai e de seu irmão para a sociedade soteropolitana. 


"Vadiação" (1954), de Alexandre Robatto Filho, é um dos filmes exibidos

“O pioneirismo de Alexandre Robatto encontra-se no fato de que, com ele, foi lançada a pedra inaugural do fazer cinema autêntico na Bahia”, afirmaram André Setaro e José Umberto no livro Alexandre Robatto Filho, um pioneiro do cinema baiano. Nove filmes de Alexandre Robatto Filho foram restaurados em São Paulo, sob a supervisão de Petrus Pires, filho do cineasta Roberto Pires e também diretor cinematográfico. Os documentários restaurados foram filmados originamente em 16 mm, preto e branco. Na homenagem serão exibidos os clássicos Vadiação e Entre o Mar e o Tendal. Outro documentário, muito especial, Os filmes que eu não fiz, dirigido por Petrus Pires, com roteiro de Márcio Meirelles, estará presente na mostra. Durante a Mostra, será distribuído ao público o DVD Filma, Robatto!, com nove filmes restaurados de Alexandre Robatto e o documentário de Petrus Pires.


"Senegalongo", de Sílvio Robatto, registra a sua passagem pelo Senegal

“Se é verdade que a fotografia é a arte da luz, Silvio Robatto foi a luz das artes na Bahia do século XX”, afirmou o historiador Ubiratan de Castro Araújo. Ícone da fotografia artística da Bahia, Sílvio participou de inúmeras exposições individuais no Brasil e no exterior. Durante os cinco dias de homenagens, estarão expostas cerca de 100 fotos de Sílvio Robatto resgatando o panorama de sua obra. “Estarão expostas desde as primeiras fotos de Sílvio até suas últimas realizações em que desenvolveu um minucioso trabalho de intervenção digital em antigas películas”, explica Lia Robatto, esposa do artista, que faleceu em 2008. Uma das homenagens virá em forma de livro. A biografia de Sílvio Robatto, escrita por Symona Gropper e publicada pela Assembléia Legislativa da Bahia, será lançada no dia 17 de dezembro na abertura das homenagens. 

Mostra Alexandre e Sílvio Robatto
17 a 21/12 | ter a sáb
19h: Exposição "Memórias longas - cantos de rua e mar", com fotografias de Sílvio Robatto 20h: Exibição dos filmes Vadiação (8 min) e Entre o Mar e o Tendal (22 min), de Alexandre Robatto Filho, e Os filmes que não fiz (26 min), de Petrus Pires


Lançamento do Livro “Sílvio Robatto, um Homem Feliz”, de Symona Gropper
17/12 | ter | 19h

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Inscrições abertas para as Oficinas Vila Verão 2014



O Teatro Vila Velha abre inscrições para as tradicionais Oficinas Vila Verão. No período de 6 a 26 de janeiro de 2014, o público vai poder participar de diversos cursos que envolvem teatro, dança, música, yoga, pilates, capoeira, acervo bibliográfico, fotografia e vídeo.


As inscrições já estão abertas e acontecem presencialmente, das 13 às 18h, no Teatro Vila Velha. Quem se inscrever até o dia 20 de dezembro, ou estiver inscrito em mais de uma oficina, ganha desconto de 10% no valor do curso. 

Você pode conferir a grade completa das oficinas, com preços e horários aqui. Ou ligar para 3083 4619 e 3083 4620 para mais informações.

Espetáculo Os Cegos em cartaz no Vila




Em cartaz no Teatro Vila Velha, o espetáculo Os Cegos provoca o público através de uma estética que mistura símbolos e efeitos sensoriais. Criada a partir da obra do dramaturgo belga Maurice Maeterlinck, com direção de Vinícius Lírio, a peça é considerada um dos marcos do teatro simbolista. um grupo de cegos perdidos numa floresta, à espera de seu guia, sem saber que o mesmo está morto entre eles. A encenação possibilita que deficientes visuais apreciem a montagem sem o uso de acessórios.

O trabalho foi desenvolvido como parte do Programa de Residências Artísticas do Teatro Vila Velha, feito pelo COLE – Coletivo Livre de Espetáculos (“Propriedade Condenada”; “Trançados de Memória de uma Atriz-Brincante”). Em seu terceiro trabalho, o coletivo expande as possibilidades de apreciação para o Teatro Contemporâneo. Por meio de metáforas, a obra questiona a cegueira e a incapacidade de compreender/definir a morte, assim como outras problemáticas relacionadas às interações entre os homens.
“A encenação desse texto surgiu como reflexo de um interesse artístico e sociocultural de criação no e para o Teatro Contemporâneo, expandido os limites das convenções, numa proposta de ‘vivência cênica’, na qual os espectadores, mais que assistir, irão compartilhar uma experiência”, afirma Vinícius.

A montagem proporciona um ambiente cênico na qual atuantes e espectadores possam partilhar o estado de “estar cegos”, experimentando sensações, construindo imagens, potencializando sentidos. Para criação de um atmosfera sensorial, entrecruzou-se técnicas, procedimentos e princípios da Biomecânica Teatral de Meierhold, do trabalho pré-expressivo proposto por Eugênio Barba e dos pensamentos e práticas do Butô. O resultado é uma cena multifocal, multissensorial e multirreferencial, que busca possibilitar outras vias sensitivas de apreciação do teatro, que não somente a ocular.

Para realizar o trabalho, foi estabelecida uma parceria com o Instituto de Cegos da Bahia, por meio da qual os artistas envolvidos puderam vivenciar, debater e apreender questões e comportamentos do cotidiano do deficientes visuais, que acompanharam o processo de criação como expectadores e colaboradores.

A montagem reúne os atores: Bira Freitas ("Deus Danado", "As rimas de Catarina"), Uerla Cardoso ("Propriedade Condenada", "Gota D’Água"), Ana Tereza Mendes (“O Jardim secreto”, “Antígona”), Érica Ribeiro ("Áfricas", "O Contêiner"), Luiz Antônio Jr. ("Mar me quer", "Remendo Remendó"), que também assina a produção do espetáculo, e Agamenon de Abreu (“A Ave”, “Vira lona, Lona vira”), que também desenvolveu a concepção de cenário, figurino e maquiagem. Ainda, na equipe, Sandro Souza desenvolve assistência de encenação, Pedro Dultra assina a iluminação e Roquildes Junior assume a Direção Musical.

04 a 15/12 | qua a sáb: 20h | dom: 19h
R$ 20 e 10 | sala principal

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Comissão da Verdade alimenta-se no Vila


No intervalo das Audiências Públicas da Comissão Estadual da Verdade, realizadas nesta terça-feira na reitoria da UFBA, que ouviu depoimentos de vítimas da ditadura militar, membros da Comissão reuniram-se no Teatro Vila Velha para um almoço.

Nos dois dias de Audiências, a Comissão ouviu dez vítimas de violações de direitos durante a ditadura militar, como Theodomiro Romeiro dos Santos, que entrou para a história do Brasil como o primeiro condenado à morte durante a República, além de Virgildásio de Senna, prefeito de Salvador deposto pelo golpe militar de 1964, e Eliana Rolemberg, socióloga, presa, torturada e exilada na década de 70.

“Queremos levantar tudo o que existir de verdade sobre os fatos, as torturas, as perseguições, as mortes, no período de 1964 a 1985. Mas temos também um papel importantíssimo que é o pedagógico, de informar sobre o que aconteceu de uma forma a prevenir que aconteça de novo, em qualquer área”, afirmou a advogada Vera Leonelli, integrante da Comissão da Verdade, durante o encontro no Vila.

Desde a sua inauguração, três meses após o golpe militar, em 1964, o Vila tem um forte papel na luta pela liberdade. “O Teatro Vila Velha se tornou um grande centro de encontro depois do golpe militar de 64. O próprio João Augusto [um dos fundadores do teatro], em 1968, acolheu muitos estudantes que resistiam à ditadura”, destacou a professora Dulce Aquino, integrante da Comissão da Verdade, durante o almoço.

Outros eventos importantes ligam o Teatro Vila Velha à luta pela democracia. Em 2010, o Vila foi escolhido para abrigar o julgamento do pedido de anistia política do cineasta Glauber Rocha, realizado pela Comissão de Anistia do Ministério da Justiça. Em 2011, também no Teatro Vila Velha, a 53ª Caravana pela Anistia, promovida pelo Ministério da Justiça, realizou uma sessão para pedir perdão à família do ex-deputado estadual baiano pelo PCdoB e militante comunista Carlos Marighella.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

JORGE WASHINGTON E BANDO DE TEATRO OLODUM NO SARAU BEM BLACK

Nesta quarta-feira, 4 de dezembro, o Sarau Bem Black receberá a especialíssima participação do Bando de Teatro Olodum. O Bando fará uma compilação de textos de espetáculos do grupo, a exemplo de “Bença” e do clássico “Cabaré da RRRaça”, além de textos de autores negros como Jonatas Conceição e José Carlos Limeira. A performance trará ainda uma interpretação inédita do texto “Gritaram-me Negra”, de Victoria Santa Cruz. A exibição será dirigida por Jorge Washington, ator e fundador do Bando, em sua primeira experiência como diretor de elenco, e conta ainda com direção musical de Jarbas Bittencourt e expressão corporal de Zebrinha.

Realizado semanalmente, o Sarau Bem Black é um evento poético e tem a apresentação de Nelson Maca, Álvaro Réu, Mil Santos e Mc Coscarque, além de contar com a participação das poetas juvenis Lucinha Black Power e Luiza Gata e da discotecagem do DJ Joe, que nesta edição, para dialogar com o Bando e incendiar os presentes, toca clássicos do Bloco Afro Olodum.

Bando de Teatro Olodum


Com 20 anos ininterruptos de atuação, o Bando de Teatro Olodum já faz parte da história do teatro baiano. Nascido no Pelourinho, Centro Histórico de Salvador, a companhia, formada por atores exclusivamente negros, é considerada a mais consolidada do atual cenário teatral baiano. É uma das poucas a manter um corpo estável, com elenco, diretores e técnicos. Em sua trajetória, o Bando construiu e consolidou uma dramaturgia e estética próprias, tendo o negro e sua tradição sociocultural como matéria-prima de seus espetáculos.

O quê: Sarau Bem Black recebe o Bando de Teatro Olodum
Quando: 04/12/13
Horário: 19h
Onde: Sankofa African Bar, Pelourinho

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Núcleo Viladança apresenta Mostra da Oficina de Dança para Crianças


Neste sábado (30), o Núcleo Viladança – núcleo de dança do Teatro Vila Velha – promove a Mostra Final com resultados da sua Oficina de Dança para Crianças. A Mostra será realizada no palco Principal do Teatro Vila Velha e envolverá cerca de 50 meninas e meninos que participaram, desde agosto, das aulas com a professora Janahina Santos. Inspirado no balé O Lago dos Cisnes, o resultado trará uma leitura das crianças sobre a história, com movimentos criados em conjunto pela professora e alunos, a partir de improvisações e técnicas aprendidas. Para esta e outras atividades, o Núcleo Viladança conta com o patrocínio da Petrobras.

Mostra Final da Oficina de Dança para Crianças
Data: 30 de Novembro de 2013
Horário: 11h
Local: Teatro Vila Velha
Valor: Gratuito, mediante apresentação de pré-convite
Maiores informações: 3022-1158 (Bergson Nunes, coordenador do projeto)

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Professor Zecarlos de Andrade ministra palestra no Vila


Nesta sexta-feira, às 17h, o professor Zecarlos de Andrade, doutor em Artes Cênicas - ECA/USP e coordenador da Escola Paulista de Artes, ministra palestra com o tema "Personagens da Commedia Dell'Arte e seus correspondentes no Circo-Teatro e no Melodrama". O evento acontece no Cabaré dos Novos do Teatro Vila Velha e é uma realização do Grupo Dramatis (UFBA) em parceria com a universidade LIVRE de teatro vila velha.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Destinatário Desconhecido faz últimas apresentações neste fim de semana



O espetáculo Destinatário Desconhecido faz últimas apresentações neste fim de semana, no Teatro Vila Velha. Com direção de Zeca de Abreu, a montagem traz os atores Carlos Betão e Claudio Machado, que interpretam dois amigos alemães que se comunicam através de cartas no período em que Hitler começa a ganhar espaço na Alemanha.

A ascensão do nazismo vai, aos poucos, transformando a amizade de Martin, que é seduzido pelas ideias de Hitler, e o judeu Max. O desfecho se dá às vésperas da eleição que levou ao poder o líder nazista.

Da obra da norteamericana Kathrine Kressmann Taylor, com versão para o teatro assinada por Gil Vicente Tavares, a montagem ganha um toque especial com as músicas feitas pelo autor em parceria com Jarbas Bittencourt, diretor musical do espetáculo. Outro destaque é a configuração do palco, que coloca o público entre os dois personagens, no meio do espaço cênico.

Destinatário Desconhecido fica em cartaz apenas até este fim de semana: na sexta e sábado, às 20h, e no domingo, às 19h, no Teatro Vila Velha. Na sexta-feira o ingresso tem preço promocional, R$ 10 e 5, e nos demais dias a entrada custa R$ 20 e 10.

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Marcelo Rezende, diretor do MAM, visita o Teatro Vila Velha



O diretor do Museu de Arte Moderna da Bahia, Marcelo Rezende, visitou nesta segunda-feira o Teatro Vila Velha. Rezende se reuniu com Marcio Meirelles, diretor artístico, e Ângela Andrade, diretora geral do Teatro Vila Velha, para iniciar as conversas sobre a participação do Vila na 3ª Bienal da Bahia, que acontece em 2014. Aguardem novidades!

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Ação conjunta pretende revitalizar o Passeio Público



Revitalizar o Passeio Público de Salvador, esse foi o objetivo de uma reunião realizada no Teatro Vila Velha, na manhã desta quarta-feira. No encontro estavam presentes representantes dos poderes públicos estadual e municipal, além da diretoria do Teatro Vila Velha.

Entre as instituições envolvidas no projeto de revitalização do Passeio Público destaca-se a Secretaria de Cultura, a Secretaria de Governo, a Polícia Militar e o IPAC, no âmbito do governo estadual, e a Fundação Gregório de Mattos, vinculada à prefeitura.

Na reunião, o IPAC apresentou projeto elaborado em 2012, pelo arquiteto e urbanista, Joaquim Gonçalves. Rômulo Cravo, da Secult, comprometeu-se a atuar junto ao IPAC com vistas a ajustar o orçamento e buscar acelerar o cronograma de execução. “Esta é uma área viva da cidade e tem de estar aberta ao público, vejo um projeto conjugado: a requalificação do Palácio, do Passeio e do entorno”, afirmou Cravo. 

Ele destacou a importância que tem o Teatro Vila Velha na preservação e revitalização da área.
Os diretores do Teatro, Márcio Meirelles e Ângela Andrade, esperam comemorar os 50 anos do Vila, em julho de 2014, já com o Passeio Público renovado.

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Jardim das Folhas Sagradas é exibido neste domingo no Teatro Castro Alves


Neste domingo, às 11h, o filme Jardim das Folhas Sagradas, de Pola Ribeiro, é exibido em sessão especial do projeto Domingo no TCA em homenagem ao Mês da Consciência Negra. O longa conta com direção de atores de Marcio Meirelles e tem no elenco todo o Bando de Teatro Olodum, com destaque para Érico Brás, que interpreta o jornalista Bará, e para a imortal atriz Auristela Sá, que faz o papel da arquiteta Cora.
O filme conta a história de Bonfim, negro baiano que tem sua vida virada pelo avesso com a revelação de que precisa abrir um terreiro de candomblé. Distante da tradição e questionando fundamentos como o sacrifício de animais, Bonfim cria um terreiro modernizado e descaracterizado, o que lhe traz graves conseqüências.

Os ingressos para a exibição custam um real e podem ser adquiridos com uma hora de antecedência, no Teatro Castro Alves.

Destinatário Desconhecido, que estreia nesta sexta no Vila, é capa do Carderno 2





O espetáculo Destinatário Desconhecido, que estreia nesta sexta-feira, às 20h, no Teatro Vila Velha, é capa do Caderno 2 desta quinta-feira, no jornal A Tarde. A montagem é dirigida por Zeca de Abreu e tem no elenco os atores Carlos Betão e Claudio Machado. Inspirada no livro homônimo da norteamericana Kathrine Kressmann Taylor, com versão teatral de Gil Vicente Tavares, a peça aborda o nazismo através da relação de amizade entre dois alemães.


Os personagens Martin Schulse e Max Eisenstein são amigos que deixaram a Alemanha para fugir da crise que arruinou o país depois da Primeira Guerra Mundial. A história é contada através da troca de cartas entre os dois a partir do momento em que Martin decide voltar a viver na Alemanha. A amizade sofre então uma série de reviravoltas, que acontecem paralelamente à ascensão de Hitler no país.

O espetáculo fica em cartaz no Teatro Vila Velha de 15 de novembro a 1º de dezembro, sempre de sexta a domingo. O projeto é uma realização da MSJA Produções e 3 Baías Filmes e foi contemplado pelo edital de Demanda Espontânea 2011, do Fundo de Cultura.

Clique aqui e leia a versão virtual da matéria no site do Jornal A Tarde.

15/11 a 01/12 | sex e sáb: 20h | dom: 19h
sex: R$ 10 e 5 | sáb e dom: R$ 20 e 10
sala principal






Érico Brás apresenta Grande Prêmio do Cinema Brasileiro



Na noite desta quarta-feira, o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro premiou os melhores do ano de 2012 e teve, como um dos apresentadores, o ator Érico Brás, ex-integrante do Bando de Teatro Olodum. O prêmio destacou a importância das comédias para o cinema nacional. Ao lado  Brás, que interpretou Grande Otelo, conduziram o evento a atriz Letícia Isnard, que representou Dercy Gonçalves e Antônio Fragoso, que homenagou Oscarito.

O grande destaque da noite foi o longa “Gonzaga – De Pai para Filho”, que, de 15 indicações, ganhou cinco prêmios: Melhor Som, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Diretor, Melhor Ator e  Melhor Longa-Metragem. O longa “Heleno” levou quatro prêmios, seguido por “2 Coelhos”, “Raul – O início, o fim e o meio”, e “Febre do Rato”,que levaram três Troféus Grande Otelo.

O prêmio de melhor atriz foi para Dira Paes por “À Beira do Caminho” e de melhor ator para Julio Andrade, por “Gonzaga – De Pai para Filho”, ambos dirigidos por Breno Silveira. Outro destaque foi o baiano João Miguel, que foi considerado o melhor  ator coadjuvante pelo longa em homenagem a Gonzagão.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Espelho para Cegos faz últimas apresentações


Quem ainda não assistiu ao espetáculo Espelho para Cegos tem as últimas chances neste fim de semana. A peça faz duas apresentações, nos dias 8, sábado, às 20h, e no dia 9, domingo, às 19h. A montagem é dirigida por Márcio Meirelles com texto do dramaturgo romeno Matéi Visniec, que na semana passada esteve em Salvador a convite do Vila e gostou muito do que viu. “A montagem incorporou muito bem o espírito do texto”, afirmou Visniec, que disse ter ficado impressionado com a utilização do espaço na encenação.

Reconhecido pela crítica mundial, traduzido em mais de 30 países, Visniec traz à tona a decomposição das relações humanas, a solidão, o controle social, o aprisionamento, a subserviência, dentre outros desafios contemporâneos. As metáforas apresentadas exigem aguçada percepção e abre diversas possibilidades interpretativas.

O elenco de Espelho para Cegos une atores da Compahia Teatro dos Novos e membros da universidade LIVRE de teatro vila velha. O espetáculo entra na reta final dessa segunda temporada. Espelho para Cegos é uma das poucas montagens da obra do dramaturgo Matéi Visniec no Brasil, até agora. O público pode esperar muita poesia, humor, além de alto teor filosófico e politico. Vale à pena conferir.

ESPELHO PARA CEGOS

Sala principal do Teatro Vila Velha

9 e 10 de novembro
Sábado 20h / Domingo 19h
Entrada: R$ 30 e R$ 15
Lista amiga aqui.

Lauro Góes ministra palestra no Vila

Nesta sexta-feira, 8 de novembro, às 10h, o ator, diretor e professor em literatura dramática Lauro Góes ministra palestra com o tema "Dramaturgia na TV hoje". O evento é uma promoção do Grupo Dramatis, da UFBA, em parceria com a universidade LIVRE de teatro vila velha. 


Palestra com Lauro Góes
8/11 | sex | 10h

evento gratuito | cabaré dos novos

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Chica Carelli e a dramaturgia negra

No último dia 25 de outubro, a diretora e atriz Chica Carelli, participou de uma mesa de discussão sobre Dramaturgia Negra, como parte da programação do FAN - Festival de Arte Negra, em Belo Horizonte. Apesar de estar em sua sétima edição o Festival já existe há 20 anos e reúne artistas de vários lugares do país em torno de discussões artística e étnicas.

Para Chica Carelli, fundadora do Bando de Teatro Olodum, é muito importante colocar no centro das discussões o processo criativo de autores negros, bem como a temática negra. "Quando falamos em dramaturgia negra não significa que exista uma fórmula, é sempre uma polêmica e ao mesmo tempo retroalimenta os produtores pondo em questão a dimensão racial e étnica que é central na sociedade brasileira", explica Chica.

Participaram também da discussão a Companhia dos Comuns, do Rio de Janeiro e o diretor Adyr Assunção que trabalhou com o Bando em Medéia Material. Além de discussões e debates, o Festival apresenta espetáculos em diversos lugares de Belo Horizonte.

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Chica Carelli participa do 7º Festival de Arte Negra em Belo Horizonte




A atriz e diretora Chica Carelli está em Belo Horizonte para participar do 7º Festival de Arte Negra. Chica faz hoje uma apresentação sobre o trabalho do Bando de Teatro Olodum e participa de uma mesa de debate com o tema "A produção de arte negra no Brasil". 



Com 23 anos de estrada, o Bando é uma companhia de atores negros que sempre levantou a bandeira contra o racismo através do teatro. O grupo foi criado em 1990 por Chica Carelli junto ao diretor Marcio Meirelles. Entre os trabalhos realizados, merecem destaque os espetáculos Cabaré da RRRRRaça, Ó paí, ó!, Áfricas, Bença e Sonhos de uma Noite de Verão.

Matéi Visniec participa de programação intensa no Vila

A matei espelho
O dramaturgo romeno Matéi Visniec, autor do texto Teatro Decomposto ou O Homem-Lixo, que gerou a peça Espelho para Cegos com direção de Márcio Meirelles, está em Salvador desde terça-feira. Visniec veio ao Brasil a convite do Teatro Vila Velha, é a primeira vez que ele visita o país e está com uma agenda intensa de atividades.

Na quinta-feira, Matéi assitiu pela primeira vez à montagem Espelho para Cegos. Sobre o que viu, Visniec disse que a liberdade dada por ele em sua dramaturgia foi muito bem utilizada e que "a encenação representa bem o espírito do texto". O autor destacou ainda as intervenções em vídeo, utilizadas ao longo do espetáculo. Hoje, ele vem novamente ao Vila acompanhar a peça com a presença ilustre da Embaixadora da Romênia no Brasil, Diana Radu.


Na terra de todos os santos, o dramaturgo assistiu ainda à leitura dramática de Por Que Hecuba, de sua autoria e inédito no Brasil. Na ocasião, satisfeito com o que viu e já liberou os direitos para a montagem baiana do espetáculo. Marcio Meirelles já anuncia para janeiro a estreia da encenação que foi feita sob encomenda para uma companhia teatral japonesa.

Na quarta-feira, Visniec proferiu palestra no Cabaré dos Novos do Teatro Vila Velha. O espaço do Cabaré ficou lotado para ouvi-lo falar sobre Teatro e Política. Para ele, o teatro é a linguagem ideal para fazer-se as críticas necessárias à sociedade contemporânea. Matéi, que vive na França desde meados da década de 80, revelou que ao chegar no ocidente se deparou com um adversário mais complexo e difuso do que a ditadura socialista do seu país natal, a Romênia.


No ocidente, a praga do consumismo e os mecanismos de manipulação capitalista e os meandros da alma humana transformaram-se em dezenas de textos teatrais críticos, a maioria já publicados no Brasil pela editora É Realizações. Foi numa livraria que Meirelles descobriu esse escritor, ainda pouco conhecido no Brasil, e de pronto resolveu encená-lo. “Compreendi que aquilo era urgente, e na cara e na coragem montamos o espetáculo Espelho para Cegos com a união da Companhia Teatro dos Novos e membros da universidade LIVRE de teatro vila velha.

Matéi volta para a França no sábado e até lá participa mais algumas atividades, além do roteiro turístico, que também faz parte dessa visita.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Espelho para Cegos é destaque na coluna Tempo Presente, do A Tarde


O jornalista Levi Vasconcelos destacou, nesta quarta-feira, o espetáculo Espelho para Cegos e a vinda do romeno Matéi Visniec ao Teatro Vila Velha. Visniec assistiu ontem à leitura dramática de Por que Hécuba, obra inédita de sua autoria, e hoje, às 19h, ministra palestra com o tema Teatro e Política. Na quinta e na sexta o dramaturgo assiste ao espetáculo Espelho para Cegos, dirigido por Marcio Meirelles, no último dia acompanhado pela embaixadora da Romênia no Brasil, Diana Radu.

Chica Carelli brilha em Leitura Dramática de Por Que Hecuba



O público que compareceu ontem à noite ao Teatro Vila Velha acompanhou a leitura dramática de Por Que Hecuba, texto do dramaturgo romeno Matei Visniec, inédito no Brasil. Visniec estava misturado ao público e demonstrou muito interesse em cada detalhe da apresentação dirigida por Márcio Meirelles. Visniec revelou que, para ele, o espetáculo já está pronto e liberou os direitos para a montagem na Bahia. O espaço do Teatro Vila Velha impressionou o dramaturgo.


Entretanto, o destaque da noite ficou por conta da atriz e diretora Chica Carelli. No centro da encenação, Carelli assumiu o papel de Hecuba, e contagiou o público com uma leitura densa e espirituosa do texto. Um show de interpretação. Os membros da universidade LIVRE de teatro vila velha comemoraram, ao final do espetáculo, felizes com o resultado e com a presença do autor ao vivo e em cores. Visniec brindou a todos com bombons de chocolate belga.


sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Confira a lista de selecionados para a Oficina Arte + Tecnologia

O Teatro Vila Velha divulga a lista de selecionados para a Oficina Arte + Tecnologia, com o VJ Pixel. O curso acontece a partir de 21/10, próxima segunda-feira, até o dia 31, sempre das 14 às 19h. A Oficina acontece no Teatro Vila Velha.

Para detalhes sobre o curso, clique aqui.
Lista de selecionados:
Adson Coelho
Alan Santos Reis
Ana Geisa Lima
Arthur França Bastos
Breno Alexandre Valverde de Oliveira Peixinho
Caetano Britto
Cleber Ferreira Fraga
Daniela Furrer
Fábio Bruno Guimarães Barbosa
Flávio Fernando Ferreira Lopes
Flavio Roberto Nascimento Couto
Guido Araujo
Helderlei São José de Almeida
Jadson Silva dos Santos
João Linno
Josemira Silva Reis
Juliano Valdir de Souza
Karina Moreira Menezes
Leandro de Jesus Gomes
Luiz Henrique Silva Souza
Murilo Santos de Lima
Osmagno Braga
Otávio Batista De Oliveira Martins Pereira
Paula Beatriz Carneiro da Silva Dias
Pedro dos Santos Silva
Saionara Amaral Vianna
Salete de Fátima Noro Cordeiro
Tais Silva Do Amparo
Yasmin de Freitas Nogueira
Yuri Torres Paes Tripodi

Bando de Teatro Olodum reúne-se com Luiz Alberto no Vila


O Bando de Teatro Olodum reuniu-se, na tarde de hoje, com o deputado federal Luiz Alberto (PT). Durante o encontro, no Cabaré dos Novos do Teatro Vila Velha,  foram discutidos assuntos referentes à política pública de cultura e a elaboração de emenda no sentido de apoiar uma nova produção do Bando, “Outras Áfricas”.


Luiz Alberto, militante histórico do movimento negro, sempre foi um parceiro do Bando de Teatro Olodum e neste encontro reafirmou seu apoio às produções que tenham como fundamento o resgate cultural das raízes do povo brasileiro e suas tradições. 

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Matéi Visniec vem ao Brasil para reestreia do espetáculo Espelho para Cegos

O escritor e dramaturgo romeno vem pela primeira vez ao Brasil a convite do Teatro Vila Velha. Além de assistir à montagem, Visniec ministra palestra sobre Teatro e Política.




O dramaturgo romeno Matéi Visniec vem a Salvador para a nova temporada do espetáculo Espelho para Cegos, no Teatro Vila Velha. A embaixadora da Romênia no Brasil, Diana Anca Radu, também chega à cidade para assistir à montagem. A peça, dirigida por Marcio Meirelles e codirigida por Bertho Filho, é inspirada no livro Teatro Decomposto ou O Homem-Lixo, de Visniec, e fica em cartaz a partir do dia 18 de outubro, próxima sexta-feira, até 10 de novembro.

A montagem expõe temas como a decomposição das relações humanas, a solidão, o controle social, o aprisionamento e outros entraves contemporâneos. O elenco conta com as atrizes Sonia Robatto, Anita Bueno e Zeca de Abreu, da Companhia Teatro dos Novos, além dos jovens atores da universidade LIVRE de teatro vila velha. O público pode esperar muita poesia, humor, além de alto teor filosófico e político. Espelho para Cegos é uma das poucas montagens da obra do dramaturgo no Brasil, até agora.

Visniec fica em Salvador entre os dias 22 e 26 de outubro, em uma programação intensa que envolve ainda a leitura dramática de Por que Hécuba (22, 19h), texto de sua autoria, inédito no Brasil. No dia 23 de outubro, 19h, Visniec ministra uma palestra sobre Teatro e Política na sala principal do Vila. 

O autor tem obras traduzidas em mais de 20 idiomas e teve, no último ano, 15 peças publicadas no Brasil pela editora É Realizações.


Programação Matéi Visniec no Vila

POR QUE HÉCUBA, DE MATÉI VISNIEC
22/10 | TER | 19H | R$ 10 e 5 |  SALA PRINCIPAL
LEITURA DRAMÁTICA – Texto inédito no Brasil

PALESTRA SOBRE TEATRO E POLÍTICA, COM MATÉI VISNIEC 
23/10 | QUA | 19H | R$ 10 e 5 | SALA PRINCIPAL

ESPELHO PARA CEGOS
18/10 A 10/11  | SEX, SAB: 19H | DOM: 20H | R$ 30 e 15 | SALA PRINCIPAL 

As Orações de Mansata, coprodução do Vila, estreia hoje em Portugal



Hoje estreia o espetáculo “As Orações de Mansata”, do guineense Abdulai Sila, em Coimbra, Portugal. A peça, dirigida por António Augusto Barros, é uma coprodução do Teatro Vila Velha com a Cena Lusófona, a Escola da Noite e a Companhia de Teatro de Braga. A montagem tem no elenco os atores Ridson Reis e Elane Nascimento, do Bando de Teatro Olodum. Os atores começaram a ensaiar o espetáculo em agosto, em São Tomé e Príncipe, junto a intérpretes de outros cinco países de língua portuguesa. Jarbas Bittencourt e Zebrinha completam o time do Vila no espetáculo, assinando a música e a coreografia do espetáculo, respectivamente.

“As Orações de Mansata” é o primeiro texto dramático impresso da literatura guineense. Inspirado em “Macbeth”, de Shakespeare, a peça faz um retrato da corrupção, da luta pelo poder e da violência extrema que caracterizam diversos regimes políticos em todo o mundo e têm marcado, de forma trágica, a realidade da Guiné-Bissau nas últimas décadas. A realidade de uma certa África contemporânea é retratada ainda retratada por meio das tensões entre as culturas ancestrais e o crescente impacto da globalização e das novas tecnologias.

Além de Ridson e Elane, estão no elenco três atores portugueses, um moçambicano e sete atores de Angola, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe, selecionados a partir de três oficinas de interpretação realizadas nos respetivos países e dirigidas, respetivamente, pelos encenadores Rui Madeira (Portugal), Cándido Pazó (Galiza) e Marcio Meirelles, diretor artístico do Teatro Vila Velha.


Em 2014 o espetáculo vem até Salvador, para apresentação no Teatro Vila Velha, e passa ainda pela Galícia, por Guiné-Bissau e por Angola.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Estreia da turnê nacional do disco TRIZ é destaque de A Tarde

Nesta quarta-feira, 20h, os músicos Sérgio Santos, André Mehmari e Chico Pinheiro estreiam a turnê nacional do disco Triz no Teatro Vila Velha. O show foi destaque do jornal A Tarde desta terça. Veja a matéria.


quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Marcio Meirelles participa de bate-papo na rádio Bandnews


Nesta segunda-feira, o diretor teatral Marcio Meirelles foi o convidado do programa Frequência Baiana, da rádio Bandnews. Marcio falou sobre o espetáculo Espelho para Cegos, que reestreia no dia 18 de outubro, e sobre a vinda do dramaturgo romeno Matéi Visniec ao Teatro Vila Velha. A conversa passeou ainda pela relação entre teatro e política, pelo Bando de Teatro Olodum e pela universidade LIVRE de teatro vila velha. Ouça aqui a entrevista.

Estão abertas as inscrições para a Oficina de Arte + Tecnologia

Estão abertas, até 16 de outubro, as inscrições para a Oficina de Arte + Tecnologia, ministrada pelo VJ Pixel, no Teatro Vila Velha. O curso introduz a utilização de mídias instáveis em projetos artísticos, capacitando os participantes na utilização de diversas tecnologias. Entre os temas abordados estão visual jocking, tecnologia em espetáculos de teatro, realidade aumentada, computação física, instalações interativas e impressão em 3D (utilizando uma MetaMáquina 2).

A oficina é gratuita e acontece entre os dias 21 e 31 de outubro, de segunda a quinta, sempre das 14 às 19h. As vagas são limitadas ao número de 15 pessoas. As inscrições devem ser feitas no site do Teatro Vila Velha: http://www.teatrovilavelha.com.br/oficinas-workshops

Sobre o VJ Pixel:
Pixel iniciou sua carreira como VJ em 2002. Além de performances audiovisuais, desenvolve obras multimídia que questionam a relação das pessoas com tecnologias digitais, através da utilização de tecnologias livres e/ou pervasivas, onde o público assume papel de autor. Realizou trabalhos em mais de 15 estados brasileiros e em outros cinco países. Entre seus projetos mais recentes estão a pesquisa Criaturas Afetivas, onde utiliza modelos matemáticos para compreensão do amor, e Jandig, onde artistas, desenvolvedores, curadores e público misturam suas funções na criação de TAZes em realidade aumentada. Pixel é fundador do memeLab.

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Vilerê: Vila tem programação especial no mês das crianças

O Teatro Vila Velha está com uma rica programação voltada ao público infanto-juvenil neste outubro. O Vilerê chegou. Há oito anos, o Vilerê agita a cena cultural soteropolitana com atividades, espetáculos, feirinhas, dentre outras surpresas dentro do Teatro Vila Velha com o objetivo de atrair os mais jovens para o universo das artes cênicas.

Dentro do universo do Teatro Vila Velha sempre houve um espaço significativo para espetáculos e oficinas voltadas ao público infanto-juvenil. Como afirma Marcio Meirelles, “ninguém gosta do que não conhece”. Portanto, a propósito do mês da criança, teremos uma intensa programação reunindo espetáculos para e com crianças e adolescentes, que só reforçam o compromisso cultural, social e político do Vila.

Alem dos espetáculos, duas feirinhas estarão abertas ao público, uma de livros (de 7 a 13 de outubro no cabaré dos Novos) e a outra de artesanato (de 7 a 13 de outubro no Passeio Público) sempre das 9h às 18h.

ÁFRICAS
De 5 a 13/10, Sábados e Domingos às 16h
Sala Principal / Ingressos RS 40,00 e R$ 20,00

O primeiro espetáculo que entra em cartaz, no Vilerê, é a montagem do Bando de Teatro Olodum, Áfricas, com direção de Chica Carelli. O resgate do universo encantado das lendas e contos africanos é de extrema importância para sedimentar o legado histórico da formação da sociedade brasileira. O espetáculo traz à tona as narrativas dos griôs, ancestrais detentores da sabedoria e da linguagem oral.

“O objetivo é despertar em crianças e adultos o desejo de conhecer mais sobre este continente complexo e diverso que tanto contribuiu para a cultura brasileira, em especial, para o povo baiano”, afirma a diretora Chica Carelli.

Com o talento do Bando de Teatro Olodum, Áfricas cria uma ambiência musical e cenográfica com muitas cores e expressão corporal. Enfim, de forma lúdica todos acabam envolvidos no universo encantador desse continente cheio de história, cultura e tradição.

 FALA VILINHA – Papinho Filosófico
12/10, Sábado 10h
Cabaré dos Novos / Ingressos R$ 20,00 e R$ 10,00*
*paga meia quem levar um livro para ser doado

É um espaço de bate-papo interativo entre as crianças, com música ao vivo de Larissa Lacerda e a participação da atriz Sônia Robatto. Sônia é uma referência da literatura infantil nacional. 
Em 1969, Robatto, apresentou seu original, História da Sapa Cristina, à Editora Abril, acabou selecionada para criar e ser a editora da Revista Recreio na sua primeira fase. Além das histórias, teve o mérito de propôr exercícios que desenvolviam a motricidade, baseados nas idéias do biólogo e educador Jean Piaget. 
Nos anos 80, a escritora tornou-se responsável pelo projeto da Para esta publicação, Robatto criou, entre outras histórias: O Vaqueiro Misterioso, O Bicho Folhagem, A Ratinha Ritinha e Marte Invade a Terra. Em sua carreira de escritora, escreveu e publicou em revistas, fascículos e livros, mais de 400 histórias infantis.
Em 2001, sua obra mais importante, Pé de Guerra, foi adaptada para o teatro por Márcio Meirelles. Encenada em Salvador, acabou recebendo o prêmio Copene de melhor montagem em 2001. 


IMAGINA SÓ – AVENTURAS DO FAZER
13, 20 e 27/10, Domingos 11h
Cabaré dos Novos / Ingressos R$ 30,00 e R$ 15,00

Dirigida por Débora Landim, com texto de Edson Rodrigues, a montagem infanto-juvenil marcou o início prático da Companhia Novos Novos. Imagina só... Aventura do fazer, peça ganhadora do Bahia Aplaude como melhor espetáculo infanto-juvenil (2001), está de volta como parte da programação do Vilerê 2013.

Imagina só... Aventura do fazer tem texto elaborado a partir de pesquisas e leituras que possibilitaram às crianças o contato com várias obras. Além de passagens aproveitadas de improvisações do próprio grupo, no texto também estão citações ao dramaturgo italiano Luigi Pirandello e inspirações nascidas a partir de ensaios da pensadora brasileira Fanny Abramovich e de outros jovens pesquisadores que desenvolvem trabalhos a respeito da construção da cultura infantil.

Também compõem Imagina só... Aventura do fazer histórias inspiradas em crônicas e poemas de Carlos Drummond de Andrade e Hélder Pinheiro, além de idéias nascidas das leituras de tiras como as do fantástico Kalvin (criação do norte-americano Bill Watterson) e da menina Mafalda (do argentino Quino). 

Imagina só... Aventura do fazer conta com músicas criadas especialmente para o espetáculo. Uma banda interpreta ao vivo as canções especialmente feitas para a montagem pelo músico e compositor Ray Gouveia. A montagem também traz coreografias, criadas pela coreógrafa e dançarina Lulu Pugliese e interpretadas pelo elenco, o que acaba por tornar Imagina só... Aventura do fazer um espetáculo múltiplo que transita pelas diversas possibilidades cênicas do teatro.

Universidade LIVRE apresenta Experimento 5

Nesta quinta-feira, 20h, a universidade LIVRE de teatro vila velha abre ao público, pela quinta vez, o processo de criação da montagem Frankenstein. O Experimento 5 se debruça sobre os cinco capítulos iniciais da obra e tem como temas centrais a criação da criatura e a personagem Elizabeth. 

O trabalho tem direção de Marcio Meirelles e colaboração dos diretores Bertho Filho e Martin Domeq. No quinto experimento, o grupo apresenta ainda cenas que resultaram de uma oficina de criação com a diretora e iluminadora Cibele Forjaz, em sua passagem por Salvador. Também são incorporados à cena os berimbaus e as alfaias construídos pelos integrantes da LIVRE em oficinas de extensão. Como em todo experimento, a LIVRE também abre o microfone e propõe um espaço de diálogo entre ator e público.


Veja algumas fotos dos ensaios:











03/10 | qui | 20h
R$ 15 | sala principal

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

A participante da LIVRE Julie Zacheu fala sobre o espetáculo Pequena Coleção de Todas as Coisas



O espetáculo Pequena Coleção de Todas as Coisas, da Cia Dani Lima, leva o espectador ao mundo das coisas, através de uma movimentação baseada em ações do cotidiano. Objetos como aspirador, capacete, vasilha plástica e guarda-chuva são explorados de diversas maneiras em brincadeiras que ampliam seus significados. Imagens como os kits para ir à lua ou para sobreviver no deserto colocam os objetos em posições inusitadas, momentos em que os objetos escolhidos protagonizam as situações imaginadas pelo espectador.

Ao longo da do espetáculo, as coisas também são classificados por cor e por letra inicial preferida. Os verbos de ação conduzem os atores/bailarinos em movimentos cotidianos que têm em si uma natureza orgânica. A verbalização das ações e dos gestos referente a elas fazem do espaço cênico um lugar para a poesia concreta. Mãos ao alto! Levantar de acenar, levantar o ar, levantar uma multidão, levantar para dançar, levantar uma velhinha. Pular carnaval, pular amarelinha, pular corda, pular sete ondinhas no reveillon.

Não fosse suficiente a delicada forma como os atores/bailarinos brincam com os elementos, eles ainda nos presenteiam com uma linda e minimalista dança de mãos e objetos. Em uma festa de família de escovas com a visita de conchas de mar, histórias de amor entre palitos de fósforo e caixinhas de chiclete, o grupo envolve e surpreende o espectador com um fim nada convencional. 

Julie Zacheu, participante da Universidade LIVRE de Teatro Vila Velha.

Pequena Coleção de Todas as Coisas | FIAC
26/09 | qua e qui | 16h
R$ 12 e 6 | sala principal

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Marcio Meirelles realiza palestra na Fundação Joaquim Nabuco

O diretor artístico do Teatro Vila Velha, Marcio Meirelles, segue para Recife, na próxima sexta-feira, para participar da I Conferência Livre sobre Gestão Cultural, promovida pela Fundação Joaquim Nabuco.

Quatro eixos temáticos serão abordados na Conferência Livre: arquitetura do Sistema Nacional de Cultura; legislação em matéria de cultura; qualificação da gestão cultural; e financiamento da cultura.

Além de Meirelles, participam como palestrantes e debatedores da Conferência, Paulo Rubem Santiago, deputado federal pelo PDT/PE; Paulo Linhares, gestor cultural do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (CE); João Ribeiro, ex-secretário de Cultura do Maranhão.

Mais informações aqui

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Universidade LIVRE recebe o ator Carlos Simioni

Na manhã desta segunda-feira, o ator Carlos Simioni, do LUME Teatro, se encontrou com os integrantes da universidade LIVRE de teatro vila velha para um bate-papo.




Além de conhecer mais sobre a LIVRE e conversar sobre a sua trajetória no LUME, o ator presenteou os participantes com uma demonstração técnica de seu trabalho. O encontro também teve a participação do grupo Teatro Base.


Durante a demonstração, Simioni abordou a experiência no Grupo Internacional Ponte dos Ventos, da Dinamarca, onde é orientado por Iben Nagel Rasmussen, atriz do Odin Teatret. O ator passou também pelo trabalho com a diretora japonesa Natsu Nakajima e falou sobre a sua relação com Luís Otávio Burnier, com quem fundou o LUME.

O LUME Teatro apresenta hoje, 20h, no Teatro Vila Velha, o espetáculo Os Bem-Intencionados, que integra a programação do FIAC.

Fotos: Marcia Ribeiro

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Estudantes participam de visita guiada pelo Teatro Vila Velha

Na tarde desta quarta-feira, estudantes do Colégio Gregor Mendel vieram ao Vila para uma animada visita guiada. Cerca de oitenta alunos do nono ano puderam conhecer os diversos espaços do teatro e o seu funcionamento. Além disso, escutaram atentos à história do Teatro Vila Velha contada pela atriz fundadora Sônia Robatto. 

 

A visita contou ainda com um bate-papo com participantes da Universidade LIVRE de Teatro Vila Velha, que mataram algumas curiosidades dos jovens sobre o projeto. Aproveitando o diálogo, os integrantes da LIVRE convidaram a turma a assistir ao Experimento 5, que acontece no dia 3 de outubro, e também ao espetáculo Espelho para Cegos, que volta a cartaz a partir do dia 18 do próximo mês.


Ao final da visita, um jogo de improvisação foi proposto aos alunos pela atriz da casa Zeca de Abreu. Um grupo de dez estudantes abandonou o lugar de espectador e foi ao palco.

 A brincadeira consistia em reagir a cenas de um filme imaginário, que oscilava entre momentos de comédia, drama, romance e terror. Depois das improvisações e de muita risada, foi feito um sorteio de camisas e ingressos entre os estudantes, que aplaudiram animados a visita.


terça-feira, 17 de setembro de 2013

Universidade LIVRE revitaliza acervo de figurino do Vila

O acervo de figurino e adereços do Teatro Vila Velha vem ganhando tratamento especial de participantes da Universidade LIVRE. O projeto de catalogação, conservação e revitalização das peças vai resultar em uma exposição, com previsão de lançamento para o final deste ano. Confira mais fotos do trabalho no flickr do projeto.





segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Cristina Castro participa da VII Mostra do Fomento à Dança

A diretora do Núcleo Viladança, Cristina Castro, participou no último sábado (14), em São Paulo, da Mesa de Discussão – Panorama da Dança em Outros Estados Brasileiros, dentro da VII Mostra do Fomento à Dança. A discussão foi mediada pela jornalista e produtora de eventos de dança, Ana Francisca Ponzio, criadora do website Conectedance.

Esta mesa de discussão teve o intuito de trazer relatos, apresentar um pouco do universo da dança produzida fora da cidade de São Paulo e estabelecer pontes entre diferentes lugares do país. Na mesa de discussão, além da participação de Cristina Castro, estiveram presentes Diana Fontes e Paula Maracajá.

Cristina Castro é professora de dança contemporânea, coreógrafa, membro do CID – Conselho Internacional de Dança (UNESCO) e do colegiado de programação e Gestão do Teatro Vila Velha, além de ter criado o VIVADANÇA Festival Internacional.

Diana Fontes é responsável pelo Encontro Nacional de Dança Contemporânea, que busca fundamentar a discussão sobre a dança contemporânea e contribuir com o desenvolvimento cultural potiguar, além de coordenar o Projeto Conexão RENDA –Rede Nordeste de Dança.

A bailarina Paula Maracajá, por sua vez, atua em processos colaborativos, integra a Staccato Companhia de Dança Contemporânea e desenvolve no presídio feminino Talavera Bruce atividades em dança. É membro participante do ‘Reage Artista’, território livre para reflexão e diálogo sobre arte e Políticas Públicas de Cultura.

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Novidade no Vila: conheça o Estande Cultural


A partir de agora, quem vier ao Vila poderá visitar um estande com vários livros sobre artes cênicas, além de camisetas do Teatro Vila Velha. Obras como "Shakespeare: Teatro da Inveja", de René Girard, "Mister Paradise e outras peças em um ato", de Tenesse Williams, e "A peça de Samuel Becket", de Eugene Webb, estão entre as edições disponíveis. Há ainda o livro "Bença", do fotógrafo João Milet Meirelles, que traz registros do espetáculo homônimo do Bando de Teatro Olodum.
 
O destaque da lojinha são as obras do dramaturgo romeno Matéi Visniec. Aclamado pela crítica mundial, Visniec teve 15 peças traduzidas e publicadas recentemente no Brasil. É dele o livro "Teatro Decomposto ou o Homem-Lixo", que inspirou o espetáculo Espelho para Cegos. A peça, dirigida por Marcio Meirelles, volta a cartaz em outubro, no Teatro Vila Velha. Na montagem, as atrizes Sônia Robatto, Anita Bueno e Zeca de Abreu, da Companhia Teatro dos Novos, dividem o palco com os jovens atores da universidade LIVRE para falar sobre a decomposição das relações humanas, a solidão, o controle social e vários entraves contemporâneos.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Vila recebe mais uma edição do FIAC


Coletivo LUME apresenta no Vila o espetáculo Os Bem-Intencionados


A partir de 21 de setembro, o Teatro Vila Velha recebe espetáculos do Festival Internacional de Artes Cênicas da Bahia (FIAC). O primeiro grupo a se apresentar no palco do Vila é o coletivo LUME (SP), com a esperada peça Os Bem-Intencionados. Na montagem, o palco é transformado em um bar, onde atores e público dividem o mesmo espaço cênico. De forma irreverente, os personagens vasculham suas vidas à procura dos motivos que os levaram a querer ser artistas.

Em seguida é a vez da Cia Dani Lima (RJ), de dança, com o infantil Pequena Coleção de Todas as Coisas e o espetáculo adulto 100 Gestos. O primeiro é uma adaptação para crianças do espetáculo Pequeno Inventário de Lugares-Comuns. Nele, é proposto um olhar poético para as banalidades cotidianas e se inventam novas categorias para agrupar uma centena de objetos que habitam o palco. Em 100 Gestos, é feito um mapeamento de movimentos corporais emblemáticos que construíram o século 20, desde os requebros de quadris do rock dos anos 50 à comunhão eletrônica das raves.

A Companhia de Teatro da Casa (BA) apresenta o espetáculo Dissidente. A peça aborda a relação entre mãe e filho, fragilizada depois que o jovem de 17 anos se envolve com drogas e crimes.

Para detalhes sobre a programação, acesse: http://www.teatrovilavelha.com.br/programacao.


segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Universidade LIVRE e Maracatu Encanto da Sereia realizam oficina de construção de alfaias

Participantes da universidade LIVRE de teatro vila velha iniciaram, na tarde desta segunda-feira, uma oficina de construção de alfaias. O projeto é fruto de uma parceria com o Encanto da Sereia, grupo feminino de Maracatu criado em março deste ano, aqui em Salvador. A oficina tem duração de duas semanas e vai resultar na construção de cinco tambores. Os instrumentos vão ser usados no processo de construção do espetáculo Frankenstein. A montagem está sendo ensaiada pela LIVRE, com direção de Marcio Meirelles, e tem previsão de estreia para janeiro de 2014.




Para saber mais sobre o Maracatu Encanto da Sereia, acesse: http://www.encantodasereia.blogspot.com.br/.