quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Manutenção do Vila

Todo fim de ano é a mesma coisa. A gente dá uma pausa nas apresentações dos espetáculos para cuidar da casa. A equipe toda fica envolvida. 

Nada fica de fora. A equipe limpa os refletores, faz a manutenção dos equipamentos e uma outra turma chega pra cuidar do palco. É feita uma raspagem de 2 em 2 anos e depois aplica-se um óleo de linhaça pra finalizar. 



Tudo pra gente oferecer sempre um espaço completo!

Em 2012, vem pro Vila!

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Destaques de 2011

Cristina Castro


O IBahia vem divulgando uma série de listas com retrospectivas das ações que mais se destacaram na área cultural da Bahia. O Vila aparece, de alguma forma, em todas elas.
Nas artes cênicas destaque para o espetáculo do Núcleo Viladança "Da ponta da língua à ponta do pé". Dirigido por Cristina Castro, o espetáculo é direcionado ao público infanto-juvenil, mas pode e deve ser visto por todos. A lista traz ainda as apresentações dos espetáculos "One nine four seven" e "Tango a Deus", os dois foram apresentados no VIVADANÇA Festival Internacional. "Namíbia, não!", espetáculo que tem direção de Lázaro Ramos, foi apresentado aqui e "Pólvora e Poesia", direção de Fernando Guerreiro, será apresentado no Amostrão Vila Verão 2012.
Já na lista dos Festivais de Música, destaque para o Festival de Música Instrumental, que pela primeira vez aconteceu no Teatro Vila Velha.
E a lista das personalidades responsáveis por movimentar positivamente a cultura no Estado traz Cristina Castro, diretora do Núcleo Viladança e do VIVADANÇA Festival Internacional.



terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Promoção Oficinas Vila Verão 2012



O verão tá chegando e o Vila preparou uma programação intensa de oficinas! São ao todo 21 divididas em música, teatro, dança, pro corpo e audiovisuais que acontecerão nos meses de janeiro e fevereiro de 2012.  

Vamos sortear uma bolsa integral da Oficina de Condicionamento Vocal com o fonoaudiólogo, especialista em voz, Ivan Alexandre. A oficina visa capacitar os profissionais da voz, promovendo o condicionamento vocal com garantia de saúde, resistência, flexibilidade, versatilidade, qualidade e potencia da voz para atender as diversas demandas vocais profissionais, com máximo de rendimento e mínimo de esforço.

O sorteio será realizado no dia 22/12 (quinta), às 17h, último dia para fazer inscrições com 10% de desconto.

Para participar, é necessário ser seguidor do @TeatroVilaVelha no Twitter e dar RT (retweet) na seguinte mensagem:

Tem desconto até quinta nas Oficinas do Vila e vou ganhar uma bolsa para Condicionamento Vocal #OficinasVilaVerão2012  http://kingo.to/W8q

Sobre o RT:

- Vale qualquer tipo (copiando/colando, RT pelo botão, RT por comentário), desde que não modifiquem a mensagem e o link!

Regulamento:

1. A participação é voluntária e gratuita. Qualquer pessoa física residente no Brasil pode participar desde que tenha uma conta no Twitter e a mesma não seja protegida.

2. O participante deve ser seguidor do @TeatroVilaVelha e também deve dar RT (retweet) na mensagem com o link da promoção. (Não edite!)

3. O vencedor será escolhido por meio de sorteio realizado pelo Sorteie.me. E o resultado será anunciado no Twitter do Vila.

4. Divulgado o resultado, o vencedor será contactado via DM (Mensagem Direta) no Twitter. Caso não responda até as 11hs do dia 23/12 (quarta) perderá o prêmio.

Atenção: Em promoções anteriores, algumas pessoas têm dado RT na frase da promoção com o link errado. É imprescindível que para concorrer aos ingressos você dê RT na frase com o link correto.

Boa Sorte!

Oficinas Vila Verão 2012 com desconto até esta quinta

As inscrições para as Oficinas Vila Verão 2012 estão com 10% de desconto para quem se inscrever até o dia 22 de dezembro, das 10h às 19h, no foyer do Vila. Após esta data, o valor será integral, retornando as inscrições a partir de 02 de janeiro de 2012. Durante dois meses o Teatro Vila Velha vai oferecer 21 oficinas que tem valores de R$ 120 a R$ 280 e foram divididas por temas para melhor atender às demandas. São oficinas de teatro, para o corpo, de música e audiovisuais com profissionais que se destacam no mercado. Maurice Durozier, Chica Cerelli, Marcio Meirelles, Zebrinha, A Outra Cia de Teatro, AC Costa, Marcelo Jardim e Gal Sarkis são alguns dos nomes que estarão à frente das oficinas.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Último Encontro de Compositores do ano!

O evento musical reúne grandes artistas para sua última apresentação de 2011.

Encerrando o ano em grande estilo, o time fixo de compositores recebe nesta quinta dois convidados de peso! Lazzo Matumbi e Celo Costa se apresentam junto com Jarbas, Arnaldo, Manuela, Sandra, Ronei, Dão, Pietro, Thiago e Carlinhos num show que celebra a mais pura música popular brasileira, às 20h, no Cabaré dos Novos.

Com mais de 30 anos de carreira, Lazzo Matumbi é um dos ícones do reggae brasileiro. Iniciou a carreira como atração do ousado Ilê Aiyê e arrastou multidões de baianos e turistas seduzidos pela sua forma de cantar com a alma, dotada de swing, tal qual os cantores americanos de blues.

Celo Costa é cantor, instrumentista, compositor, ator e poeta. Formou-se em música pela Universidade Federal Bahia, enriquecendo, ainda mais, os conhecimentos adquiridos em sua trajetória artística. Hoje coleciona mais de 300 composições.

O Encontro
A configuração do espaço, que deixa os compositores espalhados pelo Cabaré dos Novos, permite uma integração entre público e artista e sempre traz algum convidado. Os artistas têm a liberdade de explicar a origem de suas composições, contar sobre suas estórias, amores perdidos, questionamentos sobre a vida e por aí vai.

O evento musical ganhou força, relevância e desdobramentos. Em janeiro e fevereiro todas as quintas foram ocupadas com o Encontro e como resposta o Vila teve casa cheia em todas as noites. A partir de maio, todas as quintas passaram a ser dedicadas a música e em julho e agosto apostamos no Vila do Rock, uma programação semanal que deu espaço para artistas da cena baiana. Uma turma de Feira de Santana viu, gostou e agora fazem o seu Encontro de Compositores uma vez por mês também. A partir de setembro foi a vez do Vila da Música trazer aos palcos do Vila artistas e bandas de todos os estilos, se tornando um espaço de celebração da música popular brasileira.
Confira a página especial do Facebook sobre o Encontro de Compositores:

Lista Amiga: basta enviar um e-mail para viladamusica@teatrovilavelha.com.br, colocando no assunto “Vila da Música”, com o nome completo, e assim, poderá pagar meia-entrada em todos os shows do mês! Só precisa mandar o nome uma vez, pois faremos uma única lista e o nome estará disponível em qualquer um dos shows. Os nomes serão aceitos até às 17h do dia de cada show.

15/12 | qui | 20h
R$ 20 e 10
Cabaré dos Novos

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Magary é sucesso!
















O Teatro Vila Velha serviu de palco para a gravação do primeiro DVD do cantor Magary Lorde, na noite deste sábado, 10. O Vila estava lotado e os presentes puderam conferir um repertório já consagrado pelo público. Composições de Magary como "Joelho", gravada pelo Araketu, "Circulou", por Saulo Fernandes, e "Pessoal Particular", interpretada por Seu Jorge, balançaram o show.
A festa também contou com a participação da cantora Margareth Menezes, que não resistiu ao ritmo e se entregou ao Black Semba. Larissa Luz, do Araketu, foi a segunda convidada do cantor e também caiu na dança.

Durante a gravação, a filha de Magary, Kalindy, subiu ao palco para cantar com o pai a canção "Estranho". Entre os convidados estavam os atores do Bando de Teatro Olodum.

Fotos: Uran Rodrigues/Divulgação

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Magary Lord grava DVD aqui no Vila neste sábado


Foto divulgação

No próximo sábado (10) o criador do Black Semba na Bahia e grande revelação musical, Magary Lord, vai gravar seu primeiro DVD no Teatro Vila Velha, ás 21h, em Salvador.

No repertório as músicas dos Cds anteriores do artista, “Magary Black SembaBahia” e “Escutando Magary”, além do sucesso “Circulou” da autoria de Magary Lord, FábioAlcântara e Leonardo Reis, e que já é uma das mais executadas nas rádios de todo o país, na interpretação da Banda Eva.

“Eu sempre tive um carinho enorme pelo Teatro Vila Velha, onde começaram as carreiras de grandes nomes da nossa música. Quando vi que havia a possibilidade de fazer esse registro nesse palco da maior importância, não pensei duas vezes. São quase 50 anos de história a serviço de todas as expressões artísticas da Bahia”. Diz Magary Lord sobre a escolha do espaço.

O show terá como participação especial a cantora Margareth Menezes, uma das grandes incentivadoras da carreira do artista baiano. Magary sobe no palco acompanhado dos músicos Fábio Alcântara(guitarra e direção musical), Codó Lima (violão), Gustavo Carybé (contrabaixo),Ted Santana (bateria) Marcos Paulo Copque e Binho Aranha (percussão), Tuka Ramos e Karine Rosselle (backing vocal) e as dançarinas Ágata Matos e Deise Gabriele.

Os ingressos custam R$ 60,00 (inteira) e R$ 30,00(meia)
Informações retiradas daqui

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Anistia de Marighella

Teatro Vila Velha lotado

Foi declarada a anistia política do comunista baiano Carlos Marighella na tarde de segunda-feira (5), no Teatro Vila Velha, em Salvador.

Se fosse vivo, o comunista assassinado pelo Regime Militar completaria cem anos hoje. Muito emocionada durante a cerimônia, a companheira de Marighella, Clara Charf, falou da importância da anistia para ela e a família. "Ele sempre deu a vida para mudar a situação do país. Acho que isso é um reconhecimento do povo baiano", disse.

O ex-deputado do Partido Comunista do Brasil e um dos principais opositores da ditadura militar brasileira, Carlos Marighella, é o homenageado da 53ª Caravana da Anistia, projeto do Ministério da Justiça. "É um testemunho de reconhecimento. Estamos muito felizes, honrados, por tudo o que nos dedicamos como familiares, é fruto de persistência", conta o filho, Carlos Augusto Marighella.

Atores do Bando de Teatro Olodum e d'A Outra Cia de Teatro

A apresentação contou com a participação de atores do Bando de Teatro Olodum e d'A Outra Cia de Teatro.


Veja mais aqui

Direto do Centro de Documentação e Memória: Auto do Nascimento

Espetáculo Auto do Nascimento

Em 1959, o Teatro dos Novos estreou o espetáculo “Auto do Nascimento”, uma adaptação feita por Sônia Robatto do texto “Della Nativitá”, escrito no séc. XIII por autor anônimo e um dos mais antigos exemplos de texto dramático. A peça teve direção de João Augusto e foi apresentada em cidades do interior da Bahia, como Itabuna, Ilhéus e Pojuca. Em seu elenco, contava com nomes como Othon Bastos, Mário Gadelha, Echio Reis, Carmem Bittencourt e a própria Sônia Robatto.

O Cartaz do espetáculo é a imagem de destaque na nossa divulgação de dezembro. Confira na agenda do Vila e no totem da Avenida Sete.

Teatro Vila Velha inaugura o Nós, Por Exemplo - Centro de Documentação e Memória

Foi inaugurado na manhã de hoje o "Nós, Por Exemplo - Centro de Documentação e Memória", que guarda um rico acervo do Vila em fotos, documentos, material gráfico e audiovisual, dos grupos e artistas que fazem parte da história do Teatro.

Estiveram presentes artistas, funcionários da casa, patrocinadores e amigos do Vila. O diretor artístico Marcio Meirelles, juntamente com Gina Leite, coordenadora geral do TVV, falaram sobre a importância desse projeto. Quem também esteve presente para falar sobre a implantação do acervo foi Vinicio Oliveira, um dos responsáveis pelo projeto e ex-diretor do Teatro, e Griselda Klüppel, coordenadora técnica do projeto. Ana Zalcbergas, representante da Caixa Cultural, falou sobre o patrocínio que o Vila recebeu da Caixa para montagem e informatização do arquivo documental e fotográfico.

O Nós, Por Exemplo guarda uma parte da história da cultura baiana e tem em seus arquivos um pouco da trajetória de artistas como João Augusto, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Bethânia, Martha Overbeck, Sônia Robatto, Maria Francisca (Tereza Sá), Maria Manuela, Wilson Mello, Lázaro Ramos, Carlos Petrovich, e outros.

Ana Zalcbergas, Gina Leite, Marcio Meirelles, Griselda Klüppel e Vinicio Oliveira



Sônia Robatto, Ana Zalcbergas e Marcio Meirelles

Marcio no Centro de Documentação e Memória "Nós, Por Exemplo"

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Resumo da programação - de 05/12 a 11/12

Espetáculo Flutuações

seg | Anistia Marighella | Caravana da Anistia | Ministério da Justiça | 05/12 | 15h | Gratuito | Sala Principal

ter e qua | Flutuações | Grupo Contadores de Estórias (RJ) | XI Mercado Cultural | 06 e 07/12 | 18 e 20h | R$ 10 e 5 | Sala Principal

qui | Manuela Rodrigues | Vila da Música | 08/12 | 20h | R$ 20 e 10 | Sala Principal

sáb e dom | Imagina só... Aventura do fazer | Teatro Infanto-Juvenil | Cia Novos Novos | 10 e 11/12 | 16h | R$ 20 e 10 | Sala Principal

Informações de bilheteria: (71) 3083-4600 (14 às 18 hs).

Acesse a programação completa: http://www.teatrovilavelha.com.br/programacao

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Encontro de Investigação Coreográfica (EIC) no Teatro Vila Velha

Começa hoje, às 20h, a 2ª edição do EIC - Encontro de Investigação Coreográfica composta por criações inéditas de cinco integrantes do Núcleo Viladança: Jorge Oliveira, Sérgio Diaz, Bárbara Barbará, Leandro de Oliveira e Janahina Cavalcante. As coreografias serão apresentadas todos os dias até o domingo (04/12) na Sala Principal do Teatro Vila Velha.

O EIC, idealizado pela diretora Cristina Castro e lançado em 2007, tem como objetivo central incentivar e produzir novas pesquisas coreográficas, aquecendo o mercado da dança contemporânea com uma nova safra de criações baianas. Na sua primeira edição, reuniu seis coreografias: “Xposições” (Sérgio Diaz), “O Mas no Entendido” (Leandro de Oliveira), “Esperar ou... Aguarde sua Vez” (Janahina Cavalcante), “Partida” e “Um Minuto para Não Pensar” (Bárbara Barbará) e “Despedidas.” (Ricardo Fagundes), e consolidou o projeto como referência de atividade dentro do próprio Núcleo Viladança.

O resultado final das pesquisas é apresentado em conjunto, em três noites de espetáculo, com obras de até 15 minutos de duração, entre elas solos, duos ou trabalho em grupo.

“Alice tem a ver com isso...” (Jorge Oliveira)
...um pedaço de grama com um iluminado específico.
Uma floresta de ruídos, cinco corpos produzindo imagens soltas e em uníssono. Um recorte na realidade... O 1° momento de acordar do sono! Momentâneo, passageiro, recortado. De quem assiste. A dança... 12 minutos e 08 segundos, a procura de algo?! O movimento! Alice tem a ver com isso...

“Vamos criar lagartas” (Janahina Cavalcante)

“O corpo é o lugar fantástico onde mora, adormecido, um universo inteiro.” Rubem Alves

A metamorfose de uma lagarta em borboleta é de exemplar riqueza poética e estética. A lagarta se arrasta sobre seu próprio abdômen, a borboleta voa livre, a lagarta se oculta, a borboleta domina o cenário com sua presença. A lagarta e a borboleta não têm opção. Uma não pode deixar de evoluir e a outra não pode regredir. No entanto, podemos eleger para si mesmo a fortuna da lagarta de tecer transformações e, desta maneira, compreender o sentido das mudanças da vida para conseguir exaltar a possível borboleta que existe em nós.

"De onde pra onde..." (Bárbara Barbará)

Inspirado na música de Arnaldo Antunes “No fundo” trata-se da posição na qual nos encontramos no espaço-tempo e a relação com os outros a partir desta. Os encontros e desencontros que se estabelecem; os caminhos que se traçam; as direções para a qual nos leva.

“O Tic Tac” (Sérgio Diaz)

A coreografia foi inspirada no poeminha “tic tac” de Millôr Fernandes, onde brincamos com os tempos das pessoas e seus movimentos universais. A figura feminina realça essa simbologia “Tempo". O tempo de acordar, de se conectar, de se duvidar, de se amar, de se gastar... Esse "TEMPO" muitas vezes atemporal, surreal está ai. Então vivamos os tempos, pois como já disse alguém: "O TEMPO É DE NINGUÉM".

“Web Cam 01 – sexo, som e imagem” (Leandro de Oliveira)
A relação se estabelece num espaço virtual, não mensurável, não tangível, que rompe com as denominações antigas de “dentro” e “fora”. Um estado paradoxal no qual estando dentro, seguro, em casa, se está também fora, receoso, num mundo frágil e desconhecido. Uma relação sem toque, sem cheiro, onde a imagem, o ângulo, o recorte definem a relação e o grau de intimidade. O desejo de mostrar-se em partes, com ou sem rosto, oculto ou camuflado num outro modo de interagir com o mundo. O corpo em pedaços, desfragmentado, recortado em lances de si mesmo. A cada fragmento uma expectativa, uma vontade que alarga o desejo e abre espaço para projetar e fantasiar. O encontro com alguém que não é ninguém, que pode ser sentido sendo mal visto mesmo que bem visto, sem ser tocado ou cheirado. Em “Web Cam 01 – sexo, som e imagem” mergulhamos nesse universo impregnado por um desejo oculto, que não cabe no mundo real, social, entendido, permitido e discutido.

02 a 04/12 | sex a dom | 20h
R$ 10 e 5
Sala Principal

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

"Nós, Por Exemplo"

No dia 07 de dezembro de 2011 será inaugurado o "Nós, Por Exemplo" - Centro de Documentação e Memória do Teatro Vila Velha. O acervo do Vila recebeu este nome como uma homenagem ao show de inauguração do teatro que contou com artistas como Caetano Veloso, Maria Betânia, Gal Costa, Tom Zé e Gilberto Gil.

Em entrevista publicada ontem no Outras Mídias, Gil conta um pouco sobre esse show:

"O seu primeiro contato com a produção cultural? Como você começou a dirigir os próprios shows?

Primeiro não foram os meus, não. Eu fui me encontrando com a produção artística na Bahia, na interface teatro-música. Tomei o primeiro contato com a produção a partir do pessoal do Teatro dos Novos em Salvador [companhia de teatro que fundou em 1964 o Teatro Vila Velha], junto com Caetano Veloso, Maria Betânia, Gal Costa, Tom Zé.

Foi esse primeiro grupo no qual atuávamos como músicos e compositores. Já me armei um pouco como designer nesse sentido. Acompanhava o que todos iam cantar, como fariam, qual seria o tema, que canções diziam respeito a esse tema que a gente poderia desenvolver.

Essas ideias de conceito para o show e da questão cênica envolviam todo um mundo que eu não conhecia: iluminação, cenografia, figurino, todas estas coisas. Foi o primeiro contato com estas várias produções artísticas. E foi ali em Salvador, exatamente a partir da formação deste grupo, que fui requisitado a fazer alguma coisa. Era inauguração do Teatro Vila Velha, da Sociedade Teatro dos Novos. O diretor da companhia Teatro dos Novos era amigo de vários de nós e pediu que fizéssemos um show como parte da programação dessa inauguração. Foi o Nós, por Exemplo, em 1964 [espetáculo que teve a direção geral de João Augusto e a direção musical de Gil e Roberto Santana]".

O acervo do Vila guarda em fotos, documentos, material gráfico e audiovisual, os grupos e artistas que fazem parte da história do Teatro, como João Augusto, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Bethânia, Martha Overbeck, Sônia Robatto, Maria Francisca (Tereza Sá), Maria Manuela, Wilson Mello, Lázaro Ramos, Carlos Petrovich, e outros.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Memorial Brasil de Artes Cênicas no ar!


Já está no ar o site do Memorial Brasil de Artes Cênicas, um espaço virtual criado pel'A Outra Companhia de Teatro para o registro e a memória das artes cênicas no Brasil.

A partir de entrevistas e encontros com artistas, técnicos, produtores, grupos e gestores culturais de reconhecido mérito em seu estado e região, serão criados perfis contando sua trajetória artística com fotos, vídeos, resumo histórico, recortes de material gráfico e/ou jornalístico.

Com o patrocínio do Banco do Nordeste, em parceria com o BNDES, através do Prêmio BNB de Cultura 2011, A Outra Companhia se debruça sobre a Cena Nordestina, contatando profissionais da região. Ao final deste primeiro período, serão construídos 60 perfis, com pessoas e grupos de todos os estados do Nordeste.

O espaço também é para publicação e reflexão sobre o fazer artístico e os acontecimentos culturais brasileiros, para difusão de peças e roteiros cênicos, e, para a troca de histórias e a conexão de idéias que fomentem a documentação e a difusão das artes cênicas no Brasil.

O projeto é uma realização d´A Outra Cia de Teatro e do Teatro Vila Velha.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Resumo da programação - de 28/11 a 04/12

Amêsa - foto: Divulgação

seg | Vila do Choro | Grupo Novato | 28/11 | 18h | R$ 10 e 5 | Cabaré dos Novos

ter | Cabaré da Rrrrraça | Teatro | Bando de Teatro Olodum | A Cena Tá Preta | 29/11 | 20h | R$ 30 e 15 | Sala Principal

qua | Amêsa | Teatro | A Cena Tá Preta | 30/11 | 20h | R$ 20 e 10 | Cabaré dos Novos

qui | Maira Lins canta Clara Nunes | Vila da Música | 1°/12 | 20h | R$ 20 e 10 | Cabaré dos Novos

sex a dom | EIC - Encontro de Investigação Coreográfica | Dança | Núcleo Viladança | 02 a 04/12 | 20h | R$ 10 e 5 | Sala Principal

sáb e dom | Imagina só... Aventura do fazer | Teatro Infanto-Juvenil | Cia Novos Novos | 03 e 04/12 | 16h | R$ 20 e 10 | Sala Principal

Informações de bilheteria: (71) 3083-4600 (14 às 18 hs).

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Últimos dias de Alugo Minha Língua, Remendo Remendó e Cabaré da Rrrrraça


O Núcleo Supernova Teatro, A Outra Cia de Teatro e o Bando de Teatro Olodum, grupos residentes do Teatro Vila Velha, encerram nos próximos dias as temporadas dos espetáculos “Alugo Minha Língua”, “Remendo Remendó” e "Cabaré da Rrrrraça"!

Com direção de Fernando Guerreiro, “Alugo Minha Língua” está em cartaz desde setembro e se despede do palco do Teatro Vila Velha nos próximos dias. Durante duas temporadas, o espetáculo instigou o público a repensar a normalidade, a liberdade e as perversões sexuais das relações humanas. Como sempre se dá com a direção de Guerreiro, a peça foi várias vezes redesenhada a partir do diálogo com o público. Os encontros promovidos pela série ‘Línguas em Debate’ deram o tom das novas inserções.

Nesta temporada, os debates contaram com a participação da sexóloga Gilda Fucs e do psicanalista Rui Diamantino. O último será com Marcello Ladeia, psicólogo formado pela UFBA, Gestalt Terapeuta, especialista em atenção ao usuário de álcool e outras drogas, com graduação pela DEP (Dinâmica Energética do Psiquismo). Os cinco atores - Ciro Sales, Luisa Proserpio, Marinho Gonçalves, Vanessa Mello e Will Brandão-, alojados em cubículos existenciais, expressaram a solidão decorrente da espetacularização da sexualidade e das relações fugazes e superficiais da contemporaneidade. “Alugo Minha Língua” fica em cartaz de sexta a sábado, às 20h, na Sala Principal.

Após passagem por diversos festivais pelo Brasil, “Remendo Remendó” faz suas últimas apresentações neste sábado e domingo, às 16h, também na Sala Principal. Já no ano que vem, A Outra Cia de Teatro tem programado uma série de apresentações, a maioria fora de Salvador, começando por Valença, onde estreará o circuito do interior da Temporada de Verão Cênico - promovida pela FUNCEB. Em janeiro, o espetáculo retorna a cartaz no Amostrão Vila Verão 2012, participa de um Festival em Araçuaí (MG) e na sequência segue numa circulação por mais 10 cidades remendando o interior do estado da Bahia.

Já na próxima terça (29/11), será a vez de "Cabaré da Rrrrraça" encerrar a temporada de 2011. Dirigida por Marcio Meirelles, a peça levanta discussões bem humoradas sobre negritude, racismo e a participação do negro no mercado de consumo, por meio de personagens que já caíram no gosto popular, como o “Patrocinado”, a cantora “Flávia Karine” e o “Super Negão”. Criado em 97, o espetáculo é um dos maiores sucessos do grupo e discute a questão racial com inteligência, humor, música e dança.


Alugo Minha Língua
25 a 27/11 | sex à dom | 20h
R$ 30 e 15
Sala Principal

Remendo Remendó
26 e 27/11 | sáb e dom | 16h
R$ 20 e 10
Sala Principal

Cabaré da Rrrraça
29/11| ter | 20h
R$ 30 e 15
Sala Principal

Ian Cardoso participa do Encontro de Compositores desta quinta

Nesta quinta (24/11), o Encontro de Compositores recebe o instrumentista e compositor baiano Ian Cardoso para se juntar ao time fixo de compositores no Cabaré dos Novos, a partir das 20h. O show, que faz parte do projeto Vila da Música, promete trazer a união de elementos da música brasileira, como o baião e a chula, mas sem abandonar a raiz metropolitana da música de Ian Cardoso.

Ian faz parte do grupo Pirombeira, anfitrião do projeto Som de Zilda, que acontece quinzenalmente há dois anos no Bar Tenda da Deusa, em São Lázaro. Já dividiu o palco com artistas como Borega Melo, Luciano Aguiar, Roberto Mendes, Cláudia Cunha, Rita Tavares, Cássio Nobre, Grupo Barlavento, dentre outros. Utiliza-se de algo da antropofagia cultural preconizada no tropicalismo, passeando também por nuances do jazz e do blues.

O Encontro

A configuração do espaço, que deixa os compositores espalhados pelo Cabaré dos Novos, permite uma integração entre público e artista e sempre traz algum convidado. Os artistas têm a liberdade de explicar a origem de suas composições, contar sobre suas estórias, amores perdidos, questionamentos sobre a vida e por aí vai. Fazem parte do time fixo: Jarbas Bittencourt, Arnaldo de Almeida, Manuela Rodrigues, Sandra Simões, Ronei Jorge, Dão, Pietro Leal, Thiago Kalu, Carlinhos Cor das Águas e Deco Simões.

O evento musical do Vila ganhou força, relevância e desdobramentos. Em janeiro e fevereiro todas as quintas foram ocupadas com o Encontro e como resposta o Vila teve casa cheia em todas as noites. A partir de maio, todas as quintas passaram a ser dedicadas a música e em julho e agosto apostamos no Vila do Rock, uma programação semanal que deu espaço para artistas da cena baiana. Uma turma de Feira de Santana viu, gostou e agora fazem o seu Encontro de Compositores uma vez por mês também. A partir de setembro foi a vez do Vila da Música trazer aos palcos do Vila artistas e bandas de todos os estilos, se tornando um espaço de celebração da música popular brasileira.
Confira a página especial do Facebook sobre o Encontro de Compositores:

Lista Amiga: basta enviar um e-mail para viladamusica@teatrovilavelha.com.br, colocando no assunto “Vila da Música”, com o nome completo, e assim, poderá pagar meia-entrada em todos os shows do mês! Só precisa mandar o nome uma vez, pois faremos uma única lista e o nome estará disponível em qualquer um dos shows. Os nomes serão aceitos até as 17h do dia de cada show.

24/11 | qui | 20h30
R$ 20 e 10
Cabaré dos Novos

Aprovada por unanimidade a Lei Orgânica da Cultura da Bahia

“A cultura sofre porque tem políticas instáveis”, diz Albino Rubim.
Bancada de governo e da oposição indicaram a votação a favor pelo projeto.

Foi aprovada por unanimidade na tarde da última terça-feira (22) a Lei Orgânica da Cultura, que tem como um dos destaques, a implantação do Sistema Nacional de Cultura além da regulamentação do Plano Estadual de Cultura. “A cultura sofre porque tem políticas instáveis. Com o plano, teremos a previsão de políticas para 10 anos e isso ajuda bastante a criadores e para a sociedade em modo geral”, explica o secretário de cultura do estado da Bahia, Albino Rubim. Representantes da bancada de governo e da oposição indicaram a votação a favor pelo projeto.

O secretário explicou que para o desenvolvimento da cultura é necessário que a União, o Estado e os municípios interajam entre si para poder fomentar a atividade. “Com o sistema de Cultura, teremos como facilitação de tramitação de recursos, assim como acontece com outras secretarias, como a saúde”, diz.

Encaminhado para avaliação do Legislativo pelo governador Jaques Wagner no dia 14 de outubro, o projeto de lei foi elaborado pela Secretaria de Cultura do Estado após ampla discussão com a sociedade e a comunidade cultural. A Lei foi um dos principais destaques da III Conferência Estadual da Cultura, realizada em 2009 e que posteriormente passou por consulta pública.

A presidente da associação dos Dirigentes Municipais de Cultura da Bahia, Normelita Oliveira, destaca a importância da Lei Orgânica. “A Lei Orgânica vai garantir o Sistema Nacional de Cultura. A Bahia é um estado que está se organizando em termos de construção de políticas para a cultura. É um estado que há cinco anos começou a se destacar em políticas culturais. Todo esse trabalho envolve 417 municípios e bis leva a pensar nessa lei que vai garantir a implantação do nosso sistema”, revela.

O presidente do sindicato dos artistas e técnicos em espetáculos de diversão do estado da Bahia – Sated, Fernando Marinho, também é um dos favoráveis a implementação da Lei. “A Lei de Cultura é um resultado, já que ela repensa o sistema de cultura do Estado. Ela revê ainda o Fundo de Cultura e o Fazcultura, ambos, incentivos culturais. A Lei dará um novo formato para cultura. A maior dificuldade em trabalhar sem um sistema de cultura é ter dificuldade nos três níveis de gestão. Quando temos um sistema definido, temos possibilidades de articulação, principalmente facilitando o repasse de recurso”.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

O Bando debate as “Políticas Públicas para o Teatro Negro”

Nesta quarta (21/11), acontece a mesa redonda "Políticas Públicas para o Teatro Negro", onde serão apresentadas as principais diretrizes de políticas emanadas do Ministério da Cultura e os instrumentos financeiros criados para viabilizá-las. A mesa acontecerá no Cabaré dos Novos, a partir das 19h e com entrada franca.

Mediada por Vilma Reis, socióloga e ativista do Movimento de Mulheres Negras, a mesa visa debater as iniciativas que podem contribuir para a visibilidade do negro nas artes cênicas. O ator e produtor cultural, Francisco Pellé, do Grupo Harém (Teresina - PI) fará parte da mesa, juntamente com Elias Sampaio, Secretário de Promoção da Igualdade Racial (SEPROMI), e o diretor e dramaturgo Elísio Lopes Jr., representante da Secult-BA.

A mesa é organizada pelo Bando de Teatro Olodum e Tetro Vila Velha em comemoração ao mês da Consciência Negra. O objetivo é abrir os espaços do Vila para dar visibilidade às artes cênicas de matriz afrodescendente com uma programação dedicada ao debate sobre o Teatro Negro no Brasil.
A mesa será transmitida, ao vivo, através da TV Vila (http://www.livestream.com/teatrovilavelha), ampliando o alcance do público que poderá participar presencialmente ou enviando perguntas online. A entrada será gratuita.

23/11 | qua | 19h
Gratuito
Cabaré dos Novos

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Resumo da programação - de 21 a 27/11

Encontro de Compositores - foto: Vinicio de Oliveira Oliveira

seg | Memorial Brasil de Artes Cênicas - Circuito de Entrevistas | A Outra Cia de Teatro entrevista o Bando de Teatro Olodum | A Cena Tá Preta | 21/11 | 19h | Gratuito | Cabaré dos Novos

ter | Cabaré da Rrrrraça | Teatro | Bando de Teatro Olodum | A Cena Tá Preta | 22/11 | 20h | R$ 30 e 15 | Sala Principal

qua | Políticas Públicas para o Teatro Negro | Mesa redonda | Bando de Teatro Olodum | A Cena Tá Preta | 19h | 23/11 | Gratuito | Cabaré dos Novos

qui | Encontro de Compositores | Vila da Música | A Cena Tá Preta | 24/11 | 20h | R$ 20 e 10 | Cabaré dos Novos

sex a dom | Alugo Minha Língua | Teatro | Núcleo Supernova Teatro | 25 a 27/11 | 20h | R$ 30 e 15 | Sala Principal

sáb e dom | Remendo Remendó | Teatro Infanto-Juvenil | A Outra Cia de Teatro | 26 e 27/11 | 16h | R$ 20 e 10 | Sala Principal

Informações de bilheteria: (71) 3083-4600 (14 às 18 hs).

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Mário Gusmão: um dos maiores atores contemporâneos da Bahia


Primeiro negro a se formar na Faculdade de Teatro da UFBA, Mário Gusmão tem em seu currículo dezenas de peças de teatro, novelas, seriados e filmes, além de inúmeros espetáculos de dança.

Um dos maiores atores contemporâneos da Bahia, Mário integrou o grupo Teatro dos Novos e participou da estreia do Vila atuando no espetáculo "Eles Não Usam Bleque Tai" (1964), com direção de João Augusto.

Por aqui, Mário ainda participou de outros espetáculos como “O Noviço” e “Stopem-Stopem”. Os registros desses espetáculos podem ser encontrados no Acervo do Vila.

O Bando apresenta "Áfricas" em Recife

O Bando de Teatro Olodum está em Recife para participar do 16º Festival Recife de Teatro Nacional com o espetáculo "Áfricas". A primeira montagem infanto-juvenil do grupo, estreado em 2007, traz à cena o continente africano por meio de suas histórias, seus povos, seus mitos e religiosidades. O Bando se apresenta hoje e amanhã no Teatro de Santa Isabel.

Festival
Durante 13 dias, de 16 a 28 de novembro, grupos de teatro de seis estados brasileiros se apresentam nos palcos do Recife. São 16 espetáculos e 36 apresentações distribuídos nos teatros Hermilo Borba Filho, Santa Isabel, Apolo, Luiz Mendonça, Marco Camarotti e Barreto Júnior. Os ingressos custarão R$ 5.

O evento é realizado pela Prefeitura do Recife, com curadoria do jornalista Valmir Santos. A homenagem deste ano vai para a trupe Vivencial Diversiones, que atuou em Pernambuco entre as décadas de 1970 e 80 com bastante irreverência e transgressão. Eles são tema de um livro que será lançado no festival e sua história também inspirou o longa-metragem Tatuagem, de Hilton Lacerda, cujas filmagens estão em andamento.

Espetáculo: Áfricas / Bando de Teatro Olodum (BA)
Local: Teatro de Santa Isabel
Dias: 18 e 19/11 (sexta-feira e sábado)
Horários: às 19h no dia 18 e às 16h30 no dia 19

Votação para Lei Orgânica da Cultura foi adiada

Divulgamos aqui que haveria a votação para Lei Orgânica da Cultura na quarta-feira (16/11), mas não houve quorum no dia. A votação está prevista para dia 22, terça-feira.

Veja mais:
O retorno às atividades na Assembleia Legislativa, pós-feriado da Proclamação da República, foi movimentado, porém não resultou em êxitos para o governo que tinha a expectativa de iniciar ontem a força-tarefa para apreciar projetos importantes, a começar pela Lei Orgânica da Cultura, que organiza e planeja em longo prazo a política cultural do estado, bastante reivindicada pela categoria.

Apesar dos apelos e da articulação do líder da bancada do governo, deputado Zé Neto (PT), que enviou comunicado aos parlamentares da base para que estivessem presentes em plenário, 18 deputados faltaram à sessão.

A falta de quorum – segundo o regimento, seria preciso 32 deputados – impediu a apreciação da matéria e, conforme avaliação de bastidores, expôs a fragilidade da base, composta por 45 deputados. A votação teria sido comungada pelo líder governista e da oposição, Reinaldo Braga (PR), havendo dispensa de formalidades.

No entanto, apesar do acordo, o líder oposicionista teria alertado em discurso a condição para o acerto que seria exigir a presença por parte do governo. “Nós concordamos com o projeto e achamos bom para o Estado.

Acordamos, pois se tratava de uma matéria que não estava na pauta, mas deixamos claro que não iríamos abrir mão do quorum que é uma questão regimental e constitucional”, afirmou, justificando o que já havia dito em discurso. A verificação de quorum teria sido solicitada pelo deputado Leur Lomanto Jr. (PMDB), que em pronunciamento sinalizou haver um clima de insatisfação na base.

Fonte: http://www.tribunadabahia.com.br/news.php?idAtual=98643


quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Negro Olhar: aberto edital de seleção para atores e diretores


Em sua terceira edição, o projeto Negro Olhar apresenta Solos Negros, um espaço para novos talentos apresentarem, ao lado de nomes consagrados, o que de novo está sendo feito na dramaturgia negra do continente americano.

Nesta edição, o foco estará nos monólogos visando valorizar o intérprete. Serão selecionados atores e diretores que farão leituras/direção dramatizadas de textos de novos e consagrados dramaturgos no período de 18 a 22 de janeiro de 2012 no Centro Cultural dos Correios - RJ.

Maiores informações: http://negroolhar.blogspot.com/


quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Viladança prepara mostra de ballet com crianças

Na próxima semana encerram-se as aulas da Oficina de Ballet para crianças oferecidas pelo Núcleo Viladança.

Este ano foram duas turmas formadas por meninas com idade entre 08 e 11 anos, algumas iniciantes e outras com mais experiências. Foram dois semestres de convivência, acompanhando o crescimento de cada uma delas, para agora ao final de tudo, apresentarmos uma mostra de resultados com um "quê" a mais de espetacularidade!

E elas ja estão se preparando! Olha só:



E não são só as crianças que ficam nervosas, não. As mães que acompanham o dia-a-dia das meninas acabam tecendo amizades e juntas vão se emaranhando no nervoso do dia da mostra... é a saia que querem ver se está do jeito que pensaram, são os ingressos para os convidados que trarão... até a confraternização de fim de ano, que já aconteceu no fim da tarde de hoje com direito a bolo, empada, sonho, brigadeiro, frango desfiado e muito mais...


E a mostra acontecerá no dia 26/11, as 11h, aqui no Teatro Vila Velha. A entrada é franca, mas é bom chegar cedo, hein?! Fica a dica!

terça-feira, 15 de novembro de 2011

A quem não interessar os ataques ao Teatro Vila Velha

A Coluna abaixo foi publicada no jornal A Tarde de 15 de novembro de 2011

O Teatro Vila Velha, fundado em 1964 pela Sociedade Teatro dos Novos, funciona há 47 anos e se consolidou mais do que como casa de espetáculos, como uma usina cultural e artística. A contribuição do teatro para o Brasil é inquestionável, aqui surgiram Bethânia, Gil, Gal, Tom Zé, Caetano, os Novos Baianos, Lázaro Ramos, Virgínia Rodrigues, Othon Bastos, o Teatro de Cordel, foi sede da Anistia internacional. Mas não só foi, continua formando novos artistas, consolidando carreiras e é uma referência internacional de espaço de inovação, criação e produção. Tendo sido condecorado com a Ordem do Mérito Cultural do Brasil, em 2009.

O Teatro Vila Velha, desde 1995, recebe recursos do Estado, assim como outras instituições culturais. Diferentes gestões assumiram o governo da Bahia e todas mantiveram o apoio a elas. Essa ação foi ordenada em 2010 pela Secretaria de Cultura, com edital elaborado em parceria com a Procuradoria Geral do Estado, que teve critérios de avaliação e pontuação objetivos, para que a escolha das instituições apoiadas não fosse um ato apenas do secretário, para democratizar o acesso de outras instituições aos recursos e para definir patamares de valores para cada uma. O Vila concorreu, teve sua proposta aprovada e o valor do convênio definido por comissão formada por pessoas da sociedade civil e do governo.

Vale ressaltar que hoje 14 instituições estão no programa. No mesmo patamar de valor que o Vila, em torno de 450 mil reais anuais, estão o Theatro XIII e o Museu da Misericórdia.

Para receber esses recursos o Teatro Vila Velha e as outras instituições precisam prestar contas corretamente dos seus pagamentos e atividades, com metas e ações trimestrais previstas em suas propostas. O Vila ultrapassa suas metas.

Só em 2010 tivemos 444 apresentações para um público de 55.214 pessoas e para isso a Sol Movimento da Cena, entidade que gerencia o Vila Velha e sua programação, tem 33 funcionários contratados.

Os recursos que o teatro recebe do Estado são para que possa apoiar sua programação e subsidiar o valor dos ingressos e correspondem apenas a 33% do seu orçamento mensal, que consome R$115 mil para gerar empregos diretos e indiretos e beneficiar público e artistas com acesso a bens produzidos e meios de produção.

São custos para manter o teatro apenas, não para produzir seus conteúdos. Os grupos, que desenvolvem seus projetos no Vila, buscam recursos de outras fontes: em editais, apoios, patrocínios e também na bilheteria de seus espetáculos ou nas inscrições para as oficinas que promovem. O público é levado em conta no Teatro Vila Velha, e a necessidade que a sociedade tem do que é oferecido também se traduz no retorno de bilheteria, cujo rateio para o teatro corresponde à 17% de suas despesas. Outros 27% vêm de patrocínio da Petrobras, desde 2004.

Qualquer um que saiba matemática percebe que há um déficit nesta conta. Entretanto, o Vila não fecha nem ameaça fechar suas portas por isso, porque convive com essa luta desde sua construção.

Buscamos os 23% restantes de forma criativa, promovendo atividades de formação, eventos, criando e vendendo produtos e muito mais. Sem deixar de lado a busca por mais uma cota de patrocínio que resolva a equação.

Os grupos residentes e em residência são fundamentais neste afã. Uns vieram já prontos como o Bando de Teatro Olodum (24 artistas), o Nata (6), o Teatro da Queda (11), o Pivô (2) e oSupernova (3), outros se formaram aqui, como o Núcleo Viladança (13) a Outra Companhia de Teatro (5) e a Cia Novos Novos (35), e Sonia Robatto, fundadora e integrante da Cia Teatro dos Novos, que construiu o Teatro Vila Velha, sua política, sua estética e sua ética, pautado numa luta incessante por mudanças que tornem a sociedade mais justa.

Todos os dados numéricos citados neste artigo encontram-se detalhados no site www.teatrovilavelha.com.br, assim como seu dia a dia está registrado no blogdovila.blogspot.com

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Deputados Estaduais votam lei Orgânica de Cultura no dia 16 de novembro

No próximo dia 16 de novembro, quarta-feira, às 14h, no Plenário da Assembléia Legislativa da Bahia, os deputados baianos podem decidir pela aprovação da Lei que garante a institucionalização e o desenvolvimento da cultura da Bahia. A Lei Orgânica da Cultura dispõe sobre a Política Estadual de Cultura, buscando criar referências normativas e instrumentos que garantam a organização e o planejamento a longo prazo e de Estado da cultura da Bahia, para além de governos e gestões.

Um dos destaques do projeto de Lei é a proposta de criação do Plano Estadual de Cultura. Com a aprovação pelo Congresso Federal do Plano Nacional de Cultura em 2010, todos os estados brasileiros deverão implantar planos estaduais. Deste modo, a lei responde a uma demanda legal. Além disso, a Lei institui o Sistema Estadual de Cultura, que visa criar mecanismos que promovam uma maior articulação entre diferentes entes de governo, como a possibilidade de repasses de recursos fundo a fundo para os municípios, por exemplo. Além disso, a Lei introduz mudanças no Conselho Estadual de Cultura, objetivando sua democratização.

Encaminhado para avaliação do Legislativo pelo governador Jaques Wagner no dia 14 de outubro, o projeto de Lei foi elaborado pela Secretaria de Cultura do Estado na gestão de Márcio Meirelles após ampla discussão com a sociedade e a comunidade cultural. Ele foi um dos principais produtos da III Conferência Estadual de Cultura, realizada em 2009, e, posteriormente, passou ainda por consulta pública.

Resumo da semana – de 14 a 20/11

Banda Sinfônica Infanto-Juvenil do Guri

seg | Banda Sinfônica Infanto-Juvenil do Guri | Música | 14/11 | 20h | Gratuito | Sala Principal

ter | Cabaré da Rrrrraça | Teatro | Bando de Teatro Olodum | A Cena Tá Preta | 15/11 | 20h | R$ 30 e 15 | Sala Principal

qua | O Teatro de Grupos Negros e sua Produção | Mesa redonda | Bando de Teatro Olodum | A Cena Tá Preta | 19h | R$ 20 e 10 | Cabaré dos Novos

qui | Mestre Lourinbau | Vila da Música | A Cena Tá Preta | 17/11 | 20h | R$ 20 e 10 | Cabaré dos Novos

sex a dom | Alugo Minha Língua | Teatro | Núcleo Supernova Teatro | 18 a 20/11 | 20h | R$ 30 e 15 | Sala Principal

sáb e dom | Remendo Remendó | Teatro Infanto-Juvenil | A Outra Cia de Teatro | 19 e 20/11 | 16h | R$ 20 e 10 | Sala Principal

Informações de bilheteria: (71) 3083-4600 (14 às 18 hs).


quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Marcio Meirelles ministra oficina no Rio de Janeiro

O diretor do Teatro Vila Velha e do Bando de Teatro Olodum, Marcio Meirelles, está no Rio de Janeiro para ministrar a Oficina de Movimento e Interpretação, dentro da programação do Oi Futuro em Ipanema, entre os dias 10 e 13 de novembro, em comemoração ao mês da Consciência Negra. Pela sua trajetória na direção do Bando de Teatro Olodum, Marcio apresenta a linguagem cênica contemporânea que consagrou o grupo, referência de um teatro comprometido, engajado e atento à alegria do palco. Além da palavra, os atores utilizarão a dança e a música, tendo como ponto de referência a cultura afro-brasileira. A Oficina tem entrada franca e é direcionada a atores e diretores.

O Bando na escola

O espetáculo Áfricas, do Bando de Teatro Olodum, vai virar DVD. O grupo está reunido no Teatro Vila Velha para as filmagens.

A ideia é lançar o DVD ainda este ano. Serão mil cópias. Duzentas delas vão para as salas de aula de escolas públicas baianas.

A direção é assinada por Fábio Espírito Santo e Chica Carelli. “O projeto tem apoio do Fundo Nacional de Cultura”, conta Chica Carelli, diretora do espetáculo e coordenadora do Bando.

Línguas em debate!

Criado por Fernando Guerreiro e pela assistente de direção Hilda Nascimento, foi instalada uma série de bate-papos que a equipe promoveu junto ao público após a sessão da sexta-feira. A proposta, muito bem aceita pela plateia, foi um sucesso e contou com forte participação popular. Pode-se perceber o quanto as pessoas estão dispostas a repensar os códigos que validam sua expressão sexual e afetiva na atualidade.

Para a segunda temporada, as línguas afiadas e livres de tabus voltarão ao tema que, por si só, nunca se esgota. Alguns dos nomes convidados para a 2a edição são: Rui Diamantino (psicólogo, psicanalista e doutorando em Psicologia pela Ufba), Dra Gilda Fucs (professora Titular de Psicopatologia Sexual da Ufba, terapeuta sexual em clínica privada e educadora sexual com mais de 500 palestras realizadas no Brasil e no exterior), Rita Batista (radialista e apresentadora de TV) e Marcelo Ladeia (psicólogo formado pela Ufba, especialista em atenção ao usuário de álcool e outras drogas, gestalterapeuta graduado pela DEP).

A primeira edição contou com a presença de convidados especiais, como o psicanalista Alessandro Marimpietri, o educador Jose Teixeira Neto (Zelão), o psicanalista Cláudio Carvalho, o psicanalista Alessandro Marimpietri, o psicólogo Julio Hoenisch, as jornalistas Malu Fontes e Aline Castelo Branco, o professor Antônio Dias e o radialista André Simões.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Siré Obá - A festa do Rei n´A Cena Tá Preta!




A Cia de Teatro Nata realiza mais duas apresentações do Siré Obá - A festa do Rei n´A Cena Tá Preta, evento idealizado e realizado pelo Bando de Teatro Olodum e que está em sua terceira edição. Nos dias 12 e 13/11, sábado e domingo, às 18h, o espetáculo volta ao palco do Cabaré dos Novos para celebrar a força e a beleza dos Orixás.

Para além da divulgação do espetáculo, a Cia de Teatro Nata quer também falar da importância deste evento que vem se firmando no cenário teatral soteropolitano como um espaço de divulgação e legitimação da performance negra.

A Cena Tá Preta! é um espaço privilegiado para divulgar a quantidade e a qualidade do Teatro Negro feito dentro e fora do estado. O Teatro Vila Velha e o Bando de Teatro Olodum colaboram de forma efetiva para a afirmação de uma parcela de artistas que ainda não são absorvidos pela grande mídia, por abordarem temas, formas e ritos ligados a cultura afro descendente ainda tão discriminada neste país.

A Cena Tá Preta!
E nós vamos empretecê-la ainda mais!
Venham!!! Compareçam!!! Esperamos todos!!!!!

Cia de Teatro Nata



Siré Obá - A festa do Rei
12 e 13/11 | sáb e dom | 18h
R$ 20 e 10
Cabaré dos Novos