terça-feira, 30 de outubro de 2007

‘Teatro por todos os lados’



A Cooperativa Baiana de Teatro vai promover o FESTIVAL NACIONAL DE TEATRO. O principal intuito desse festival é fazer um intercâmbio entre os diversos grupos dos apaixonados pelos palcos que existem no Brasil.
Em Salvador, diversos espetáculos serão exibidos em vários espaços da cidade, seis deles vão ser apresentados aqui no Vila, que também está apoiando o evento, de 02 a 07 de novembro! Desses, três montagens são dos nossos grupos residentes: Ciranda do Medo (02/11), da Cia Novos Novos, que foi sucesso entre a garotada no Vilerê - o mês da criança no Vila.; Áfricas (03/11), o primeiro infantil do Bando de Teatro Olodum, que fica em cartaz também nos dias 03, 10 e 11 de novembro;



Canteiros de rosa. Foto: Márcio Lima


Canteiros de Rosa - Uma Homenagem a Guimarães (04/11), do grupo Vilavox. A peça fica em cartaz no Vila em curta temporada de 02 a 04 de novembro. O texto foi criado por Gordo Neto e inspirado livremente em três contos de Guimarães Rosa - Darandina, A menina de lá e Sorôco, sua mãe, sua filha - extraídos do livro Primeiras Estórias. Nessas ‘estórias’, transpostas para o palco, buscam-se realçar elementos musicais muito presentes na obra do escritor mineiro: ora traduzindo livremente um dos contos em versos de métrica semelhante ao cordel, ora sugerindo grandes movimentos de coro em silêncios ou murmúrios.

Dos grupos de fora que enriquecerão os palcos do nosso Vila Velha estão as montagens: Desconcerto, Diário de um louco e Mulher Popular Brasileira.
Desconcerto (05/11), encenação sobre a obra de Diana Raznovich, é encenado pelo Grupo Gente de fora Vem, com a direção de Juliana Ferrari.
A peça Diário de um Louco (06/11), que é baseada no conto russo de Nicolai Gogol e encenada pelo Grupo de Teatro Bigorna da Paraíba.
E pra finalizar, Mulher Popular Brasileira (07/11), um espetáculo que homenageia as musas da música popular brasileira, encenado pela É?!. Cia de Teatro.



Diário de um louco. Foto: Divulgação

Todas essas montagens são motivos para que as pessoas venham não só para o Vila, mas para todos os teatros em geral, além de poderem conhecer peças de outros estados! Fique ligado na programação que o Festival Nacional de Teatro vai até o dia 10 de novembro. Mais informações: www.cooperativabaianadeteatro.com.br/festival.



Serviço

O que: Festival Nacional de Teatro da Bahia
Espetáculos: Ciranda do Medo (02/11, 16h), Áfricas (03/11, 16h), Canteiros de Rosa (04/11, 20h), Desconcerto (05/11, 20h30), Diário de um louco (06/11, 20h), Mulher Brasileira (07/11, 20h)
Onde: Palco principal do Teatro Vila Velha (Somente Mulher Popular Brasileira será exibida no Cabaré dos Novos)
Ingressos: R$ 8 (inteira) e R$ 4 (meia)

Ponto de Cultura

Os alunos da oficina de Iniciação à Técnica Teatral, que termina amanhã, mandaram ver! Confira um dos projetos de cenografia de “O Pagador de Promessas” feito pelo aluno Yoshi Aguiar. A oficina integra o projeto Vila Ponto de Cultura, coordenado por Fábio Espírito Santo e Vinicio de Oliveira.

No Vila também tem



segunda-feira, 29 de outubro de 2007

PRÓXIMA REUNIÃO GERAL DO FÓRUM DE DANÇA DA BAHIA

Dia: 31 de outubro
Hora: 12h30
Local: Escola de Dança da UFBA.

Pauta:
Continuidade do planejamento do Fórum de Dança da Bahia para o período de novembro de 2007-dezembro de 2008;
Encaminhamento dos trabalhos em andamento;
O que ocorrer.

Participe!

AMIGOS DO VILA – PARTE II



Continuando a saga dos AMIGOS DO VILA – equipe de empresas que apóiam nosso teatro - apresentamos essa semana a ISOTHERM, companhia especializada em instalação e manutenção de ar-condicionado.

Criada em 1991, a principal missão da ISOTHERM é oferecer serviços de engenharia especializada em instalações térmicas e manutenção. A empresa está presente em diversos projetos importantes, em segmentos como shoppings centers, hospitais, indústrias, prédios comerciais, hotéis e supermercados, dentre outros. Além disso, ajuda a manter a temperatura agradável aqui no Vila, cuidando da manutenção do nosso ar-condicionado.

O verão está chegando... Se tiver muito calor aí, já sabe quem procurar.


ISOTHERM
Endereço: Rua Dalmiro São Pedro, IAPI, nº 58, Cep 40.330-000
Telefone: (71) 3183-3000

Amigos do Vila - http://www.teatrovilavelha.com.br/amigos2.htm

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

O Vilerê está chegando ao final...


A terceira edição do projeto Vilerê – o mês da criança no Vila, com patrocínio do Prêmio Funarte Myriam Muniz, está chegando ao último final de semana. Para fechar com chave de ouro, o projeto traz o espetáculo Da Ponta da Língua à ponta do pé, no palco principal do Teatro Vila Velha, e uma Mostra Cênica das oficinas do Vilerê, aberta, no Passeio Público. A exposição Aprendendo com Energia, mantida pelo Centro de Eficiência Energética da Bahia, também chega ao fim.


Da Ponta da Língua à Ponta do Pé. Foto: Márcio Lima.

No espetáculo Da Ponta da Língua à Ponta do Pé, que será apresentado AMANHÃ E DOMINGO (27 e 28 de outubro, 16h), o Viladança reúne música, teatro e dança para contar um pouco da história da Dança a crianças e adolescentes. Zé, um skatista radical, faz de tudo para conquistar o amor de Isadora, uma garota de sua escola que é muito independente, culta e... dançarina. Zé então embarca numa viagem pelo mundo do conhecimento com a ajuda da professora Lúcia e outros simpáticos personagens, que vão despertar sua curiosidade pelo universo da Dança, para que ele possa vencer desafios e finalmente descobrir a importância da Arte. O espetáculo recebeu, por dois anos consecutivos, reconhecimento da UNESCO por sua importância cultural enquanto estratégia de formação de platéia entre o público jovem.


Oficina de Dança. Foto: João Meirelles

A Mostra cênica das oficinas do Vilerê será aberta e acontece no DOMINGO (28 de Outubro), às 10h, no Passeio Público . A criançada vai apresentar o resultado do que rolou nas oficinas de Teatro com Artes Plásticas, promovida pela Cia. Novos Novos; Ballet, coordenada pela Cia. Viladança; Percussão, do Bando de Teatro Olodum, e Técnicas Circenses, da Cia Vilavox. A mostra terá formato de aula aberta, com entrada gratuita.

Corre que ainda dá tempo! Se não aproveitar agora, só no ano que vem!

Tchau, Vilerê! Foto: João Meirelles.

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

HOJE!



O Teatro Castro Alves e o TCA.Núcleo, tem o prazer de convidá-los para
Uma Viagem para a Luz com MAX KELLER

Data: 25/10/07
Horário: 19h
Local: Sala do Coro
Entrada: Franca até a lotação da sala.

Max Keller é referência de grande relevância na criação da iluminação teatral. Apresenta-se como um mágico da luz artificial e seu trabalho têm transformado grandes produções teatrais através da Europa e Estados Unidos numa trajetória que percorre famosos teatros de todo o mundo. Ele esteve no Brasil uma única vez, em São Paulo, ministrando um curso para iluminadores, tendo inclusive feito o projeto de iluminação do espetáculo Paraíso Zona Norte, dirigido por Antunes Filho.

Além de designer de luz, Max Keller é também um consultor largamente procurado para as produções internacionais de palcos. Em adição ao seu trabalho, também leciona em colégios, academias e realiza com bastante freqüência publicações em revistas e jornais. É autor de "Light Fantastic", obra que engloba vasto conhecimento histórico e atual acerca da aplicação conceitual e prática na elaboração da luz.

Seu trabalho não é somente referenciado no interior de teatros, mas é também realizado a partir da criação de instalações de propósito arquitetônico e conceitos de iluminação para indústria. Ao longo de sua carreira, o artista desenvolveu uma grande obra relacionada ao conhecimento próprio da iluminação e suas metodologias utilizadas para a aplicação, manuseio e criação de um desenho de luz detentor de elevado nível. Hoje Max Keller aproveita uma estadia curta na Bahia para apresentar sua obra ao público baiano.

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Conferência discute prioridades para cultura

Por Lenina Uzêda

Depois dos Encontros Territoriais e Municipais, que chegaram a contabilizar mais de 35 mil pessoas, segundo dados da Secult, e do encerramento do Encontro Territorial na cidade do Salvador, na semana passada, a II Conferência Estadual de Cultura começa AMANHÃ, 25, e vai até o dia 28 de outubro, onde representantes de todo o estado vão se reunir para importantes debates.

Feira de Santana foi a cidade escolhida para sediar a Conferência, onde as propostas dos 26 territórios baianos serão discutidos para a construção do Plano Estadual de Cultura. Na cidade, serão 4 dias de debates sobre as políticas públicas para a cultura.

O evento contará com a presença do ministro da cultura, Gilberto Gil, do governador Jaques Wagner, do Secretário Estadual de Cultura, Márcio Meirelles, além de representantes das comunidades quilombolas, dos povos indígenas e dos movimentos sociais ligados à terra.

O encontro, que vai acontecer na Universidade Estadual de Feira de Santana, UEFS, também celebra as culturas populares, através de apresentações de grupos artísticos durante toda a programação. Tom Zé, Elomar, Zé Celso Martinez, filarmônicas, repentistas, cordelistas, corais e outros estão com presença confirmada na II Conferência Estadual de Cultura.

Aberto ao público, a programação inteira do evento está disponível no site da Secretaria da Cultura (Secult).
http://www.cultura.ba.gov.br/

Com a corda toda


Parece mesmo que o Vilavox está com novo gás. Ficamos de escrever alguma coisa pro blog, já que há muito não dávamos notícias, aí, olha só o que rolou: Jacyan, mesmo enlouquecida com sua tese, escreveu seu texto; e Daniel, surpreendentemente, me aparece também com o seu, num tom mais jovial, bem característico! Viva! Pra que tava sem nada, tome-lhe logo dois!

Gordo Neto
Grupo Vilavox


De Daniel Farias:

Surfando nesse blog, o Vilavox procurava posts sobre o grupo. Foi com a barra de rolagem até o fim da página e nada... arquivos de setembro... e nada. Íamos já tristes pelo mês de agosto quando vimos o balanço final de nossa turnê pelo nordeste! E quanta coisa já aconteceu de lá pra cá! Já tava mais do que na hora de contar.

Bem, encerrada a maratona de viagens, o grupo precisava fazer o bom e velho fechamento para balanço interno. E agora? Quem somos? De onde vimos? Pra onde vamos? Entre decisões e indecisões, idas e vindas, agora temos um novo integrante, com vocês: Bruno Guimarães. Pupilo da nossa oficina do ano passado (Engenharia do Riso), Bruno já não é tão figurinha nova aqui pelo teatro, afinal de contas já integrou o elenco da última temporada de Primeiro de Abril e nos interessou bastante trazendo aquele gás novo e cheio de iniciativa que todo grupo gosta!

Uma das propostas à qual o grupo já acatou de cara, foi um processo de"vivência", realizado nas tardes dos últimos dias 21 e 22 de outubro aqui no teatro. Foi aquela coisa: lavamos roupa sujas, desencardimos algumas outras, gratas surpresas começaram a se revelar, definimos até pra nós mesmos nossos papéis, o que gostamos, o que queremos...estabelecemos cronogramas, planejamentos, estratégias... enfim: ânimo novo no Vilavox!

E é justamente nesse período bacana de reencontro consigo mesmo que o grupo volta a ficar em cartaz em Salvador, com o espetáculo que percorreu 5 estados e 6 cidades do Nordeste no primeiro semestre do ano. Canteiros de Rosa volta em curtíssima temporada, motivado pela seleção na excelente iniciativa da cooperativa baiana de teatro: o festival nacional de teatro. Ficamos em cartaz somente nos dias 2, 3 e4(neste dia pelo Festival) de novembro, sempre às 20h!

Então fica o recado: oportunidade única pra quem quer (re)ver o premiado e indicado espetáculo do grupo, com elenco novo e com empolgação até o talo!


De Jacyan Castilho:

Há quanto tempo o Vilavox não dava as caras neste blog?

Pois é. Depois da caravana que nos carregou por seis cidades no primeiro semestre desse ano com nosso Canteiros de Rosa, ficamos um tanto sumidos, quietinhos, em off.

Mas não parados, porque quem descansa cria barriga... Vai daí que, entre as rotinas de arrumação de armário e baú, reuniões do colegiado do teatro, tese de doutorado, aulas de canto e muitos, muitos editais e projetos para escrever e se inscrever, nós seguimos em trabalho interno, trabalhinho que quase ninguém de fora de teatro toma conhecimento, mas quem faz teatro de grupo conhece muito bem: relatórios, reuniões, prestação de contas, produção disso e daquilo, e muita, muita conversa pra traçar os novos rumos.

Uma dessas atividades foi cumprida no último fim de semana, e foi totalmente nova pra nós. Bruno, nosso novo integrante – é, tem isso, também é tempo de acolher novos integrantes – se dispôs a nos transformar num grupo totalmente ISO 9000. Fez conosco um trabalho de "avaliação e perspectivas", cheio de organogramas, metas, planejamentos e cronogramas, uma coisa de louco. Falando assim, parece tecnocrata, no sentido pejorativo. Mas foi óóóótimo. Porque funciona!

Foi ótimo desenhar quatro colunas, com os itens: "o que já fizemos","o que deixamos de fazer", "o que fazemos agora", "o que poderíamos fazer". Tudo se esclarece! Sem contar que nos demos conta, pela primeira vez, que em cinco anos fizemos coisa à beça.

E não é que, além de útil, é divertido? Teve jogo da verdade (ai ai ai), exercícios de integração, "acolhimento", confecção de painel individual e coletivo, e, é claro, um pouco de teatro, que ninguém é de ferro. Ah, e lanches coletivos deliciosos ao fim do dia. Conclusão, conclusão mesmo, a gente não tirou nenhuma, como era de se esperar. Mas conseguimos traçar um monte de planos e metas pro ano que vem, e estratégias pra tentar chegar lá. O time finalmente conseguiu bolar um esquema tático: que venha o novo espetáculo, as leituras de textos comentadas, a coletânea de artigos sobre teatro e música e as oficinas. E, enquanto 2008 não chega, o Vilavox fecha a tampa de seu Canteiros de Rosa – uma homenagem a Guimarães, participando com muito prazer do Festival de Teatro da Bahia, na Mostra Oficial. Dias 2, 3 e 4 (neste dia pelo Festival) de novembro, só um fim de semana. É correr pra conferir este espetáculo que teve as indicações ao Prêmio Braskem desse ano de Jarbas Bittencourt pela concepção musical e Jacyan Castilho pela direção.

A outra



terça-feira, 23 de outubro de 2007

Se vira nos 30....


Se vida de ator já não é nada fácil, imagine aí como deve ser fazer um espetáculo atrás do outro? Sair de um personagem e logo entrar em um novo, no mesmo dia? Loucura! Pois tem uma galerinha aqui no Vila que não dispensa trabalho e tá bombando em várias peças. Que o digam Ricardo Fagundes e Camilo Fróes. Os meninos marcaram presença nos espetáculos infantis do Vilerê – o mês da criança no Vila.

Ricardo é ator da Cia Viladança e foi convidado pela Companhia Teatro dos Novos para atuar em Rerembelde, que rolou semana passada aqui no Vila. O ator também integra o elenco de Da ponta da língua à ponta do pé, da Viladança, que volta a cartaz nos próximos dias 27 e 28 de outubro.

Já Camilo, d’A Outra Companhia de Teatro, atuou ao mesmo tempo em Rerembelde, onde fez o papagaio Verdinho, e em Arlequim – o servidor de dois patrões, que encerra temporada no próximo dia 28 de outubro. Em Da ponta da língua à ponta do pé, Camilo faz a voz de um dos locutores da Rádio Umbigo.

Confira uma pocket entrevista de duas perguntas que o blog TVV fez com os rapazes:





Blog TVV – Como você chegou ao Vila?

Ricardo- Durante o primeiro Amostrão Vila Verão, em 1997, fiz uma oficina de interpretação para iniciantes com Hebe Alves. No final das aulas, Marcio Meirelles convidou os alunos para atuarem em Um tal de Dom Quixote. Foi a minha primeira peça profissional. Neste período, abandonei a faculdade de Publicidade para fazer Teatro e passei em primeiro lugar no vestibular. Na universidade, fiz uma pesquisa científica em dança e teatro durante seis anos e, desde então, essa tem sido a minha vida. No ano passado, Cristina Castro me convidou para integrar a Cia. Viladança. Meus amigos me chamam de “atorino” - um misto de ator com dançarino - e é bem assim que eu me sinto.

Camilo – Minha mãe me obrigou a fazer aula de teatro na escola. Depois, por vontade própria, fui fazer as oficinas para iniciantes no Vila Velha, com Chica Carelli. Gostei tanto que fiz de novo umas quatro vezes seguidas. Virei público cativo do teatro: fazia as oficinas e assistia às peças. Em 2001, na véspera do vestibular, fui ao Vila assistir uma peça. Neste dia, Marcio Meirelles me convidou para substituir o baterista do espetáculo na noite seguinte. De manhã fui fazer o vestibular e depois passei a tarde toda ensaiando. Em 2002, fiz Imagina só... aventura do fazer, pela Cia Novos Novos. Neste mesmo ano, fui contratado para ser o menino do computador do Vila. Em 2003, Vinicio de Oliveira precisou de um substituto para A Pena e a Lei e eu me ofereci. Em 2004, fundamos juntos A Outra Companhia de Teatro. Se você perguntar qual é a minha profissão, eu vou dizer que sou (na ordem) ator, produtor, arte grafista, web designer, compositor e agora DJ.




Blog TVV – Quais os próximos planos?

Ricardo - Além de Da ponta da língua à ponta do pé, que volta a cartaz nos dias 27 e 28 de outubro, estou me preparando para o EIC – Encontro de Investigação Coreográfica, projeto de novos coreógrafos organizado pela Viladança. O evento vai acontecer de 31/11 a 02/12 no Vila. Coreografei uma das peças que serão exibidas e danço em outras três.

Camilo – Quando acabar a temporada de Arlequim, neste final de semana, A Outra Companhia de Teatro vai se reunir para montar o texto O pique dos índios ou a espingarda de Caramuru, que ganhou o Prêmio Funarte Myriam Muniz. O espetáculo deve estrear em março do ano que vem.


Fotos: João Meirelles e Ricardo Borges.

O Vila agora é Hotspot!



Tá pensando que só shoppings, restaurantes, hotéis ou aeroportos podem? Nada disso! Aqui no Vila a gente também acompanha as mudanças tecnológicas contemporâneas, pensando no nosso público. Instalamos hoje um roteador wirelles no Cabaré dos Novos e com isso qualquer computador portátil (preparado para se comunicar em uma rede sem fio do tipo Wi-Fi) pode se conectar à internet no local. Agora dá pra usar o laptop ou o palm top aqui no Vila e, de quebra, tomar um café. Por isso que a gente não cansa de dizer: vem pro Vila, velho! :)

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

AMIGOS DO VILA



É bom ter amigos, né? Bom, o Teatro Vila Velha tem muitos! Tem um grupo, inclusive, que ajuda, das mais variadas formas, a fazer com que a arte aconteça por aqui. São os AMIGOS DO VILA, formado por 10 empresas parceiras do teatro, que a gente apresenta a partir de agora aqui no Blog TVV.

Pra começar, você sabia que busdoor é a mídia exterior que mais cresce no mercado? A gente também não sabia não, mas a MÍDIA BUS, uma das nossas amigas, contou que uma pesquisa do Ipsos Marplan constatou pelo sexto ano consecutivo que anunciar em buzú é o que há.

A Mídia Bus se tornou a maior empresa de publicidade em ônibus da Bahia e disponibiliza ao mercado um total de 2.200 ônibus em 20 empresas de transporte, oferecendo cerca de 400 roteiros. Ela também representa com exclusividade a Rota Mídia Exterior, empresa exploradora da mídia busdoor em todo o Nordeste e em Manaus.

Quem nunca viu um busdoor com a famosa frase “Vá ao Vila, velho”?!


MÍDIA BUS
Endereço: Av Tancredo Neves, nº 1189, Edf. Guimarães Trade, sala 1414
Telefone: (71) 3342-1999
E-mail: midiabus@midiabus.com
Site: http://www.midiabus.com/

Amigos do Vila - http://www.teatrovilavelha.com.br/amigos2.htm

Áfricas e Erês

Peça do Bando de Teatro Olodum integra Projeto Vilerê que, em parceria com a Fundação Pedro Calmon, promove atividades no Passeio Público.




Neste sábado e domingo, às 16h, o Bando de Teatro Olodum apresenta o espetáculo infanto-juvenil Áfricas, dentro do Projeto Vilerê. A peça revela o continente africano, através de suas cores, músicas e mitos. Áfricas é dirigida por Chica Carelli, com coreografia de Zebrinha, direção musical de Jarbas Bittencourt, iluminação de Fábio Espírito Santo e Rivaldo Rio e figurinos e adereços de Zuarte Jr. A peça aborda o universo mítico africano em uma tentativa de suprir a escassez de referenciais africanos no imaginário infantil, povoado de fábulas e personagens eurocêntricos. As histórias imortalizadas pela tradição oral dos ‘griôs’ revelam o modo de viver do povo africano, suas crença e sua relação com o sagrado, e a herança transmitida ao povo brasileiro.

ERÊS - Uma extensa programação movimentará o Passeio Público e o Cabaré dos Novos, neste sábado, dia 20. É o Projeto “Era uma vez Erês”, uma parceria do Teatro Vila Velha com a Fundação Pedro Calmon, da Secretaria de Cultura do Estado. Estão programadas oficinas de brinquedos, contação de história, recital de poesias e uma mesa de discussões com especialistas sobre a presença negra na literatura infanto-juvenil. Todas as atividades são gratuitas e antecedem à apresentação do espetáculo Áfricas, que vem atraindo adultos e crianças em uma viagem ao continente negro e sua contribuição para a formação do Brasil.

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Mostra do Beje Eró





Domingo passado (14/10), rolou a VI Mostra do Beje Eró aqui no Vila. A turma da instituição teve como convidados os Grupos da Fundac, da Case- SSA, do Grucon e do Grupo Cultural Jogo do Ifá.


O evento foi uma verdadeira festa, com apresentações de teatro, música e dança. O Beje Eró, que funciona na Vila Viver Melhor/Ogunjá, é coordenado pelos artistas e educadores Anativo Oliveira e Rejane Maia.

Mais informações sobre o Beje Eró: (71) 9105 1657/ bejeero@bol.com.br.

E ele continua atrapalhado...



Continua em cartaz no Teatro Vila Velha, as sextas e sábados às 20h e domingos às 19h, o espetáculo Arlequim - o servidor de dois patrões. Após dois anos da última apresentação, o espetáculo voltou cheio de novidades no último dia 05.


Além dos aspectos técnicos como o novo cenário, de Lorena Torres Peixoto, os figurinos e maquiagens, de Luiz Santana, o espetáculo mudou também parte do elenco e está cheio de novas piadas. Nesta remontagem, A Outra Companhia partiu da idéia de abrasileirar a peça, dando aos personagens origens da geografia brasileira. Ou seja, o Arlequim Bardalo, de Bérgamo, na nossa versão é de Feira de Santana.


O público tem aprovado as mudanças e se divertido com as peripécias do nosso Arlequim. O espetáculo fica em cartaz até dia 28 de outubro. Os ingressos custam 20,00 R$ (inteira) e 10,00 R$ (meia).

Venha se divertir com as trapalhadas de Arlequim!!!

Foto: Márcio Lima

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Ó Paí ó em Ilhéus


Foto: Renata Dias

A convite do Grupo de Teatro Popular de Ilhéus, os atores Jorge Washington, Cássia Vale, Valdinéia Soriano e Érico Brás, representaram o Bando de Teatro Olodum no projeto Tabuleiro Cultural, neste final-de-semana, em Ilhéus, sul da Bahia. A iniciativa reuniu artistas e grupos culturais em prol da reabertura da Casa dos Artistas da cidade. Os conterrâneos de Gabriela, famosa personagem de Jorge Amado, puderem conferir esquetes do espetáculo Ó Paí ó, sucesso do Bando de Teatro Olodum, desde a sua estréia em 1993 e popularizada nacionalmente graças ao filme de Monique Gardemberg, estrelado por Lázaro Ramos e Bando de Teatro Olodum.

Que cultura, Bahia?


A Secretaria de Cultura da Bahia (Secult) convoca artistas, produtores, gestores culturais e toda a sociedade para o Encontro Territorial – Região Metropolitana de Salvador, que acontece HOJE E AMANHÃ (17 e 18 de outubro), em diversos espaços do Centro Histórico, com entrada aberta ao público. O encontro já aconteceu em cidades do interior do Estado, envolvendo mais de 35 mil pessoas, que discutiram as prioridades para a cultura na Bahia. O evento em Salvador encerra a maratona de encontros territoriais que antecedem a II Conferência Estadual de Cultura ( 25 a 28 de outubro – Feira de Santana), quando as propostas dos 26 territórios baianos serão debatidas na perspectiva de construção do Plano Estadual de Cultura. Mais informações: www.cultura.ba.gov.br/conferencia

Fala Vilinha!


O Vilerê – o mês da criança no Vila, com patrocínio do Prêmio Funarte Myriam Muniz, apresenta o Fala Vilinha, no próximo dia 20 de outubro (sábado), às 10h, no Cabaré dos Novos. O encontro traz um tema instigante: a literatura que trata da cultura negra, voltada para crianças e adolescentes. O seminário, batizado de Era Uma Vez Erês, será promovido por especialistas da Fundação Pedro Calmon – Centro de Memória e Arquivo Público da Bahia e propõe, através de uma linguagem acessível, um debate sobre as representações da cultura negra na literatura infanto-juvenil, tendo em vista a aplicação da lei 10.639/03, que institui o ensino de história e cultura africanas nas escolas. O evento é direcionado a crianças e jovens, educadores, escritores, bibliotecários e aos responsáveis pela cadeia produtiva do livro. Paralelamente ao seminário, o Núcleo do Livro, Leitura e Literatura da Fundação Pedro Calmon realiza a Jornada de Literatura Infanto-Juvenil, das 9h às 17h, no Passeio Público.

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Ô, menino!


Outubro é das crianças e não tem pra ninguém! A garotada está curtindo ao máximo o mês dedicado a elas. O projeto Vilerê – mês da criança no Vila, que conta com o patrocínio do Prêmio Funarte Myriam Muniz, tem trazido um monte de crianças diariamente ao teatro pra aproveitar o que tem de bom por aqui.


Foto: Cristina Castro

Durante a semana, alunos de escolas públicas têm vindo assistir a espetáculos como Rerembelde (semana passada) e Da ponta da língua à ponta do pé (a partir de amanhã). A ação integra o Projeto Escola, que busca formar platéia para o teatro. De quebra, os meninos e meninas ainda visitam a exposição Aprendendo com Energia.


Foto: Inácio Deus

Aos sábados, a galerinha tem participado das oficinas de Teatro com artes plásticas, Ballet, Percussão e Técnicas circenses. O que a gurizada anda aprontando vai ser conhecido no dia 28 de outubro, quando acontece uma mostra cênica, aberta ao público, com o resultado do que rolou nos encontros.


Fotos: João Meirelles

Vá discutir cultura, velho!


Atenção você que lida com cultura: a Fundação Gregório de Mattos (FGM) está convocando as lideranças comunitárias da cidade para a II Conferência Municipal de Cultura de Salvador, HOJE E AMANHÃ (15 e 16 de outubro), no Centro Cultural da Câmara Municipal e na Fundação Pedro Calmon. O objetivo do evento é discutir propostas de políticas públicas para a vida cultural nos bairros. Se você não é liderança comunitária, mas também está interessado em opinar sobre a cultura na nossa cidade, participe! Mais informações: (71) 3322-1486 ou fatimafroes@salvador.ba.gov.br.

PROGRAMAÇÃO
Tema de discussão: A cidade se articula

Dia 15

8h30
Local: Centro Cultural da Câmara Municipal
Mesa 1: Península e Comércio
Local: Fundação Pedro Calmon
Mesa 2: Subúrbio

14h
Local: Centro Cultural da Câmara Municipal
Mesa 3: Centro Histórico
Local: Fundação Pedro Calmon
Mesa 4: Orla Atlântica

Dia 16

8h30
Local: Centro Cultural da Câmara Municipal
Mesa 5: Brotas
Local: Fundação Pedro Calmon
Mesa 6: Federação

14h
Local: Centro Cultural da Câmara Municipal
Mesa 7: Miolo Central
Local: Fundação Pedro Calmon
Mesa 8: Liberdade

17h
Plenária
Local: Teatro Gregório de Mattos

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Rumo a Rerembelde!


Lucas e sua trupe. Foto: Márcio Lima.

Lucas é um menino sonhador que pretende chegar ao Rerembelde, um lugar onde as pedrinhas da rua são balas e a água da torneira é suco! O principal obstáculo de Lucas é convencer seus pais que Rerembelde existe, porque ninguém acredita no garotinho.

Não desistindo de seu sonho, nem de conhecer sua amiga Aninha, que mora em Rerembelde, numa casa de chocolate, ele decide juntar uma graninha pra conseguir viajar.

E aí a confusão está armada! Aprontando todas, desde shows de rock a venda de frutas na feira, Lucas e Verdinho, seu amigo papagaio falante e companheiro de aventuras, não vão desistir de conhecer o lugar recheado de guloseimas.

Porém, não será fácil chegar ao seu destino. Ele ainda precisa ajudar Aninha, que enfrenta problemas, driblar a cobrança cerrada de sua mãe e se desvencilhar da chateação de sua amiguinha Lari Lari.

Músicas e figurinos que encantam a criançada e os atores se desdobram muito bem para viver mais de um personagem no palco!

Então, neste feriadão o destino será Rerembelde!
A montagem infantil fica em cartaz no palco principal do Teatro Vila Velha,
Nos dias 12, 13 e 14 de outubro, sempre às 16 horas.
Ingressos: 16,00 (inteira) e 8,00 (meia).

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Jorge Washington no Irohin



Entrevista com Jorge Washington, do Bando de Teatro Olodum

A trajetória do ator Jorge Washington, natural de Salvador, “nascido e criado no bairro da Liberdade”, é inseparável do caminho vitorioso percorrido pelo Bando de Teatro Olodum. Desde o início no Calabar, a arte da representação está nele associada aos vínculos identitários e comunitários, que se foram ampliando com o passar do tempo. A montagem de “Áfricas”, dirigida por Chica Carelli, revela a maturidade do grupo que pode agora dialogar com todas as idades. O cinema, a televisão, chega enfim o reconhecimento - “mas estamos com os pés no chão”, disse Jorge.


Ìrohìn - Jorge, como começa sua história no teatro, você fez UFBa., foi aluno da Escola de Teatro, como foi?

Jorge Washington – Eu tenho segundo grau completo e comecei a fazer teatro no Calabar. A minha história com o teatro é engraçada. Fernando Conceição, hoje professor da UFBa., que era na época presidente da Associação de Moradores do Calabar, recorria ao teatro como arma de resistência para fortalecer a luta pela moradia. Fui assistir à montagem de “Negra Resistência”, um texto que eles fizeram sobre a revolta dos Malês, e me encantei com a peça. Comecei a seguir o grupo. Onde o grupo ia, eu ia atrás. Era o Grupo de Teatro do Calabar. Daí comecei a namorar uma das atrizes do grupo. Certo dia, Ney, um dos atores, saiu e Fernando virou pra mim e disse: Jorge, você pode substituir Ney. Mas nunca fiz teatro, eu disse. E ele falou: aqui ninguém nunca fez, aqui todo mundo faz por intuição. Aí eu disse: se é assim, faço. Aí entrei no Grupo de Teatro do Calabar e não parei mais.

terça-feira, 9 de outubro de 2007

O Fórum de Dança da Bahia convida...


... para reunião no próximo dia 19 de outubro, das 16h às 20h, na Escola de Dança da UFBA. A proposta do encontro é organizar as demandas apresentadas pelos diferentes segmentos da classe em Grupos de Trabalho (GTs). O objetivo é proporcionar ao fórum uma atuação mais objetiva, eficaz e democrática, já que, organizando a demanda em diferentes focos de atuação/intervenção, será possível agilizar os procedimentos. Participe!

Assessorando

Assessoria de imprensa para grupos artísticos foi o tema da oficina orientada pela jornalista Juliana Protásio, durante os sábados, de 15 de setembro a 06 de outubro, dentro do projeto Teatro Vila Velha - Ponto de Cultura. A demanda foi tanta que se precisou abrir uma turma além da que era prevista.

Os participantes puderam ver de perto como é feita a atividade de assessoria de imprensa, como elaboração de releases, atualização do mailling e tudo o que faz parte da rotina de um assessor. Para finalizar sua primeira experiência como oficineira, Juliana trouxe, no último sábado (06/10), comunicadores da área de cultura com visões diferenciadas do assunto para dialogar com os alunos.

Participaram do debate Cláudio Manoel, professor de duas faculdades de jornalismo, produtor cultural e DJ; Ana Paula Vargas, assessora de imprensa da Fundação Cultural do Estado da Bahia; e Pedro Fernandes, repórter do Caderno Dez! (Jornal A Tarde).


Os convidados e a oficineira. Foto: Lenina Uzêda

O bate-papo mostrou principalmente como é a relação entre o assessor de imprensa e o repórter de jornal. Os dois profissionais são jornalistas, com formação em comunicação, mas os interesses de ambos mudam e podem vir a se confrontar dependendo da situação. “Não sei por que assessor de imprensa enrola tanto o repórter”, começou Pedro, com o embate assessor versus repórter, inflamando os presentes que estavam ali justamente para aprender como assessorar sem ser inconveniente. “Demoramos quando não temos a resposta do nosso cliente”, rebateu Ana Paula, afirmando que o assessor é o intermediário entre o cliente e a imprensa.

Nem só de pequenos confrontos vivem os assessores. Para Cláudio Manoel, é muito importante estar antenado com tudo, além de sempre atualizar o material de trabalho. Sobre o envio de releases para a imprensa, ele lembra que, antes de tudo, vale fazer a perguntinha básica: ‘Tem interesse público?’.


A galera tava prestando atenção. Foto: Lenina Uzêda.

“O curso acendeu uma 'luzinha' em mim, despertou ainda mais minha vontade de fazer comunicação”, disse Michele Maia, uma das participantes, que atualmente faz curso de produção cultural no bairro de Tancredo Neves. Várias visões puderam se encontrar no curso, como a da estudante de jornalismo Jocymara Coelho. “O melhor é que tudo foi direcionado para a prática da assessoria. Gostei muito!”, disse.

Para Anativo Oliveira, outro participante, que faz parte do Ponto de Cultura do Beje Eró, a oficina foi fantástica. “Porém poderia ter sido mais longa, não é?”, termina ele com cara de quero mais.

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Tem carnaval no Teatro!

Não, fevereiro ainda não chegou por aqui. É que pesquisadores, jornalistas, intelectuais, artistas e “fazedores” do carnaval estarão aqui no Vila de hoje (8/10) até 11 de outubro, das das 19h às 21h30, para discutir teoria e prática da maior festa popular do mundo.
O projeto Carnaval do Brasil é organizado pela Fundição Progresso, com apoio do programa Cultura e Pensamento, do Ministério da Cultura, e já aconteceu no Rio de Janeiro. A versão baiana dos debates tem curadoria geral de Perfeito Fortuna, Adriana Schneider e Paulo Miguez. Participarão das mesas de debates nomes baianos como Póla Ribeiro, Ray Vianna, Alberto Pitta, Roberto Albergaria, Goli Guerreiro, Joaquim Nery e Paulo Henrique Almeida, além de estudiosos de outros estados, como Pará, Alagoas, Sergipe, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Brasília, Rio Grande do Sul, e até de fora do país, que é o caso do antropólogo da Bolívia Gonzalo Araoz. A entrada no evento é gratuita.

sexta-feira, 5 de outubro de 2007

Bate-papo com jornalistas

Atenção, povo do Vila! Amanhã (06/10), às 10h30, vai rolar um bate-papo com jornalistas sobre assessoria de comunicação e jornalismo cultural no Cabaré nos Novos. Participarão do encontro Cláudio Manoel (Professor de jornalismo das Faculdades Jorge Amado), Ana Paula Vargas (Assessora de Comunicação da Fundação Cultural do Estado da Bahia) e Pedro Fernandes (Repórter do Caderno Dez! do Jornal A Tarde). O encontro marca o final da oficina de Assessoria de Imprensa para Grupos Artísticos do Vila Ponto de Cultura, ministrada por Juliana Protásio. Juju, que é amiga do Vila, convida toda a equipe do teatro pra participar junto com os alunos. Imperdível!

Os novinhos invadiram o Vila, velho!


Outubro chegou e a criançada já pode se animar: começou o Vilerê – mês da criança no Vila! A gente não comemorou o dia de São Cosme e Damião, mas, para festejar o projeto em homenagem aos erês, os grupos residentes do Vila vão se reunir amanhã (06/10), às 17h, pra comer um delicioso caruru!

A programação do Vilerê é extensa e traz muita diversão! No foyer do teatro, a garotada pode visitar, até 28 de outubro, a exposição Aprendendo com Energia, organizada pelo Centro de Eficiência Energética da COELBA, composta por brinquedos, jogos temáticos, maquetes e experimentos que utilizam eletricidade e eletromagnetismo.


Exposição Aprendendo com energia. Foto: Tito Ferradans.

Quem já aprovou a exposição foram os alunos de escolas públicas, que estão vindo ao Vila assistir a espetáculos durante a semana. A ação integra o Projeto Escola, de formação de platéia do teatro.


Crianças do Projeto Escola. Foto: João Meirelles.

Neste final de semana (06 e 07 de outubro), todos os pequeninos vão poder conferir a peça Ciranda do Medo, que encerra com chave de ouro sua temporada no Vila. Uma montagem que mexe com os novos bichos-papões que vêm azucrinando a turma jovem, da Cia Novos Novos.

Ciranda se despede, mas as peças infanto-juvenis não param! Ao longo do mês, a galerinha ainda vai assistir a Rerembelde, espetáculo que mostra as aventuras do menino Lucas, num divertido passeio pelo mundo do faz-de-conta das crianças. Rerembelde, da Cia. Teatro dos Novos fica em cartaz nos dias 12, 13 e 14 de outubro e mostra para a meninada a importância de dar vazão à criatividade.


Rerembelde, da Cia. Teatro dos Novos. Foto: Márcio Lima

Áfricas, do Bando de Teatro Olodum, será apresentada nos dias 20 e 21, traz para o palco danças, cores e músicas. O objetivo é despertar em crianças e adultos o desejo de conhecer mais sobre este continente complexo e diverso que tanto contribuiu para a cultura brasileira.

Pra finalizar, a peça Da ponta da língua à ponta do pé, onde a Cia. Viladança reúne música, teatro e dança para contar um pouco da história da dança a crianças e adolescentes. Da ponta da língua fica em cartaz nos dias 27 e 28 de outubro.

Antes dos espetáculos, vão rolar desenhos animados produzidos por baianos e no dia 20 de outubro, haverá o Fala Vilinha, uma conversa sobre a literatura infanto-juvenil africana e afro-brasileira.

As inscrições para as oficinas de teatro, ballet, percussão e técnicas circenses, que vão acontecer aos sábados deste mês, já se esgotaram! A procura foi grande e os pequenos correram para participar!

Quer mais? Só vindo pro Vila, velhinho!


Projeto Escola. Foto: João Meirelles.

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

O Outro Arlequim!!!



Fotos: Márcio Lima

Depois do Troca-Troca no Nordeste, A Outra Companhia de Teatro estréia nesta sexta-feira, dia 05 de outubro, às 20:00 horas, no palco principal do Teatro Vila Velha, um outro Arlequim – servidor de dois patrões.

Esta montagem, apesar de ser uma volta à gênese da companhia, traz uma série de novidades que prometem encantar e divertir o público.
O cenário de Lorena Torres Peixoto está totalmente novo. As velhas portas de madeira deram lugar a novíssimas portas de metalon que dão maior velocidade e dinâmica nas coreografias. Além disso, o cenário também será composto por nove painéis inspirados na antiga Salvador.

O figurino também está zero quilômetro. Com a assinatura de Luiz Santana, a indumentária é baseada nos trajes nobres da Veneza do séc. XVIII.



Em cena, junto com AC Costa, Roquildes Junior, Camilo Fróes, Eddy Veríssimo, Luiz Buranga, Inácio D’eus, Luiz Antônio Jr., compõem o elenco: Camila Sarno (As bruxas de Salém), Jerferson Dantas (Murucutu), Dailton José (Sonho de uma noite de verão) e Manuela Santiago.

No mais, tudo continua igual. Os desencontros de Florindo e Beatriz, a paixão de Sílvio e Clarice e as trapalhadas de Esmeraldina e Arlequim. O espetáculo fica em cartaz até o dia 28 de outubro sempre as sextas, sábados às 20:00 horas e domingo às 19:00 horas.

Viladança e Gyrokinesis

Fotos: Cristina Castro

Das 14h as 15h30, o pessoal do Viladança sua a camisa nas aulas de condicionamento e conscientização postural. Além da dança contemporânea, ballet e pilates, o grupo também se exercita em aulas de Gyrotonics ministrada pela professora Carol Azevedo. Formada pela UFBA, Carol tem na bagagem vários cursos com especialistas da área de Gyrokinesis e Pilates , com experiência de intercâmbio internacional, já tendo trabalhado como instrutora por um ano na Ásia - Cingapura.

E para quem deseja saber um pouco mais sobre a aula de Carol, ai vai um breve resumo:

GYROKINESIS®

O primeiro nível de Gyrokinesis® "the Essencial of Body Kinectics™", é a base de toda a metodologia. A aula se inicia com uma auto massagem e exercícios de respiração, visando despertar o corpo para a integração postural. Em seguida, evolui-se para os exercícios de mobilização gradativa da coluna, através de seus sete elementos naturais de movimentação, que são: flexão e extensão, flexão lateral para a direita e para a esquerda, rotação para a direita e para a esquerda e circular. Os exercícios enfatizam o sinergismo do movimento com a respiração, criando um fluxo energético que atinge não só a musculatura e as articulações, mas também os órgãos internos do corpo. Essa movimentação rítmica da coluna possibilita o aumento da circulação, promove o aumento do espaço e da mobilidade articular e o alinhamento da estrutura óssea, levando a uma melhor postura e total equilíbrio.
Estes movimentos são praticados com mais fluidez, circularidade e continuidade do que em posições estáticas ou sustentadas por um longo tempo, produzindo movimentos ritmados como uma dança. As contínuas transições de uma postura para outra, integradas com a respiração, provocam uma suave ou vigorosa estimulação cardiovascular – aeróbica e promovem o rejuvenescimento neuromuscular. O trabalho que se inicia na posição sentada (num banquinho) é também praticado em posições deitadas e em pé.



Parabéns, Carol, suas aulas são bárbaras!!!!

Vale a pena lembrar que o Viladança abre todo mês 05 vagas gratuitas para os profissionais da área. Os interessados devem fazer inscrição pela tarde no Vila.

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Retrilhando a ponta da língua



Foto: Lenina Uzêda


O super diretor musical Jarbas Bittencourt está no estúdio fazendo um upgrade na trilha do espetáculo Da Ponta da Língua à Ponta do Pé. A peça da Cia Vilandaça faz curta temporada no Vila (27 e 28 de outubro), dentro da programação do Vilerê - mês da criança no Vila. O público que conferir o espetáculo vai ouvir novos arranjos de guitarra e baixo, além da nova canção "A Hora da Estréia".

O dono do medo chegou, o dono do medo chegou...


Com remédios 'baratissímos', que prometem acabar com o medo de água fria, do escuro e até do próprio sentir medo, o dono do medo, que se parece muito com aqueles roqueiros rebeldes da década de 70, percorre o imaginário da criançada, disseminando o terror entre os pequenos. Todos viram reféns dele e a ciranda está formada, é um ciclo, onde os piores pesadelos rodam o universo lúdico.


No desenrolar da história, o ambiente de pavor toma conta da vida dos pequeninos, que passam a comprar vários produtos para terminarem com esse sentimento, mas ele nunca acaba e o dono do medo sempre tem fórmulas novas para vender. O ‘medo’, que se veste todo de amarelo e o seu dono, que sempre está acompanhado de uma fiel escudeira, só não contavam com a inteligência de uma ratinha, ‘não é minha gente?’. Ela, atenta a tudo, descobre porque os pequeninos estão tão apavorados e resolve libertar seus coleguinhas da prisão do dono do medo.

Um espetáculo com música ao vivo, os atores cantam, dançam, conversam com a platéia. Uma verdadeira lição para o público mirim, que demonstra as mais diversas reações, uns choram, outros se acabam na risada, porém muitos olhares atentos que não desgrudam do palco nem dos personagens.



Ciranda do medo de Débora Landim, fica em cartaz até o próximo final de semana!
Sábado e Dimingo, sempre às 16 horas, ingressos: R$ 16,00 (inteira) e R$ 8,00 (meia)
dentro da programação do Vilerê, o mês da criança no Vila!

Tragam seus filhotes!