quarta-feira, 25 de julho de 2012

Grupo Magiluth apresenta “1 Torto” e “O canto de Gregório” no Vila




O grupo pernambucano Magiluth apresentou os espetáculos 1 Torto e O canto de Gregório ontem à noite, no Teatro Vila Velha, dentro do projeto Habite-se. Com texto e atuação de Giordano Castro, sonoplastia de Pedro Vilela e direção de Pedro Wagner, o monólogo 1 Torto revela o ser humano com suas manias, costumes, erros e acertos. Durante todo o espetáculo, vê-se um homem se mostrando e pedindo a ajuda da plateia, como se quisesse se entender. Sendo uma espécie de jogo dramático que, como todo jogo, exige a participação das pessoas, a peça é uma brincadeira do fazer teatral. O ator explica o cenário, as marcações, a função dos objetos cênicos e repete o texto, como se estivesse num ensaio. Abre precedente também para dizer que está nervoso e que vai precisar muito da plateia, o que sinaliza o caráter interativo da montagem. 1 Torto mostra o ser humano tal qual ele é: inquieto, inseguro, cheio de defeitos, carente  de atenção e que, por tudo isso, é um torto. “O intuito do espetáculo é o de entender os sentimentos e mensurar aquilo que se sente. Tenho certeza que as pessoas se identificaram com muita coisa que foi colocada aqui”, afirmou Giordano Castro, 26 anos.

Questões filosóficas

O canto de Gregório traz discussões filosóficas sobre o que é a bondade e apresenta um homem lutando com a própria consciência para entender por que assassinou um cidadão. Escrito por Paulo Santoro e com elenco formado por Everaldo Oliveira, Giordano Castro, Lucas Torres e Pedro Wagner (Gregório), o espetáculo do Grupo Magiluth surpreende pela técnica e pela interpretação dos atores. Pedro Vilela assina a direção, a iluminação e a trilha sonora.  O grupo utiliza brinquedos como objetos cênicos e os espectadores participam das ações. Com texto bastante hermético, é preciso ter atenção redobrada ao assistir à peça.  “É uma história fechada, abstrata e subjetiva. Retrata as confusões de uma pessoa e o ator que faz Gregório consegue mostrar isso muito bem, já que tem uma boa expressão facial e corporal. O espetáculo faz refletir muito sobre o que é a bondade”, opina o professor da Faculdade Vasco da Gama, Rodrigo Ferreira, 25 anos. Tanto 1 Torto quanto O canto de Gregório podem ser conferidos hoje, mais uma vez, no Teatro Vila Velha1 Torto, às 18h e O canto de Gregório, às 20h. O ingresso custa R$ 10 (meia) e R$ 20 (inteira). As reservas podem ser feitas através do telefone 3083-4600. Mais informações sobre o projeto Habite-se estão no site www.teatrovilavelha.com.br.
Por que MAGILUTH


O nome do grupo pernambucano nasceu de uma situação inusitada, como conta Giordano: “Em 2004, quando a gente surgiu, participamos de um festival de teatro e tivemos que escolher um nome para o grupo na hora da inscrição. Daí, pegamos as primeiras sílabas dos nomes dos componentes e o batizamos de Magiluth. MA (de Marcelo), GI (de Giordano), LU (de Luciano) e TH (de Thiago)”. Marcelo Oliveira e Thiago Liberdade não fazem mais parte do grupo, mas os meninos decidiram manter o nome. O Magiluth aindaconta com Mário Sérgio Cabral no elenco.


Texto: Raulino Júnior

Nenhum comentário:

Postar um comentário