segunda-feira, 16 de julho de 2007

Marcio Meirelles responde à classe artística em entrevista exclusiva

Publicado no Jornal A Tarde - Caderno2, em 14/07/2007

NÃO CHEGUEI PARA DETONAR. MINHA VIDA É DE CONSTRUÇÃO

Era mais um dia normal de Marcio Meirelles à frente da Secretaria da Cultura. O dramaturgo e diretor de teatro já estava no batente desde as 7h30, e, às 8h30, quando recebeu a repórter Ceci Alves para conceder a entrevista exclusiva de balanço dos seus seis meses de pasta, não havia nem tomado café. Mal sabia ele o que o esperava: num dia chuvoso de início de inverno, o dramaturgo, que agora está "no papel de secretário da Cultura", teve de responder a uma longa sabatina, com perguntas feitas por vários membros da classe artística sobre a sua gestão e os caminhos que ela tomaria nesses próximos três anos e meio. Bem-humorado, apesar da empreitada enorme que se apresentou a ele, Marcio deu, logo de saída, uma das respostas que ele adora, quando é indagado sobre a responsabilidade de 'estar secretário da Cultura da Bahia': "O que estou fazendo, como secretário, é exatamente a mesma coisa que faço como artista. E, às vezes, eu fico usando metáforas de personagem, figurino, arrumar elenco, mas é exatamente igual, é o problema da montagem de um espetáculo. Tem uma série de atores, situações, circunstâncias, limitações concretas, práticas, financeiras, de talentos,série de coisas que é exatamente como a montagem de um espetáculo", metaforiza ele. E, sobre o espetáculo que pretende fazer na cultura baiana, ele falou em duas páginas inteiras, num fôlego incansável, tentando responder às inquietações de seus pares, os operários da cultura no Estado.

Baixe aqui o arquivo para ler a entrevista na íntegra.

3 comentários:

  1. Sem puxassaquismo, porque nosso Secretário não precisa disso, mas eu continuo fã desse cara! Com calma e com jeito, muita coisa vai ser mudada pra melhor. Uma pena que as pessoas só prestam atenção ao "mega", e muitas vezes esquece que o que estava por trás causava um retrocesso enorme a cultura do estado e lesava nosso patrimônio. Até por isso, nosso interior ficava esquecido.

    ResponderExcluir
  2. Sou alagoana, moro em Maceió e durante um periodo de férias em janeiro fiz um curso com Marcio Meirelles. Primeiro gostaria de parabenizá-lo pelo cargo e tenho a certeza que mais do que nunca essa secretaria irá funcionar, porque acredito que quem gosta de arte e faz com que as pessoas gostem, com certeza vai melhorar a culrura do estado.

    FELICIDADES!!!!

    ResponderExcluir
  3. Que bom ler essa entrevista!
    Tô em outras praias agora, conhecendo outra realidade, mas sem perder nunca o foco, o interesse pela cultura na Bahia.
    Tenho completa confiança nessa nova gestão da secult!

    ResponderExcluir