sexta-feira, 8 de março de 2013

Sai o resultado do Prêmio VIVADANÇA


Uma versão contemporânea e bem original da heroína Giselle, protagonista do balé homônimo e mundialmente famoso. A proposta do jovem coreógrafo e dançarino Eberth Vinícius foi a vencedora do 4º Prêmio VIVADANÇA para a criação de um espetáculo baiano inédito. 

O solo XL - Uma releitura queer do ballet Giselle vai discutir questões de gênero e sexualidade no mundo atual. Com a premiação, Eberth, que já vinha realizando performances nas quais recriava a clássica coreografia, vai ter a oportunidade de levar XL para o palco. O espetáculo integrará a programação de 2013 do VIVADANÇA Festival Internacional e realizará seis apresentações no Teatro do Goethe-Institut (ICBA), de 17 a 19 e de 24 a 26 de abril. 

O projeto Cascas, proposto por Isabel Carvalho de Souza e com direção de Carmen Paternostro, ficou como suplente. Este ano, o edital recebeu 18 inscrições, avaliadas pela comissão julgadora composta por Cristina Castro (diretora e curadora do festival), Luiz Antônio Jr. (diretor de produção do festival), Leandro Oliveira (coreógrafo e dançarino) e Joceval Santana (jornalista e critico de dança).

Veja mais no site do VIVADANÇA Festival Internacional

Nenhum comentário:

Postar um comentário