sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Nós do Vila


Nome: Tiago Basto Cardoso
Idade: 27 anos

Morador do Itaigara, Tiago vem normalmente de carro, mas tem 15 dias que vem de ônibus por que o carro quebrou. “Eu até acho bacana vir de ônibus. Ter uma pessoa dirigindo pra mim, sem precisar me preocupar com estacionamento. O problema está no sistema público que não consegue atender a demanda, além de ser uma perda de tempo, por conta dos engarrafamentos e das paradas nos pontos”.

Tiago trabalha há um ano aqui no Vila, completado agora em agosto. Já trabalhou aqui como coordenador administrativo financeiro e hoje trabalha como assessor pessoal de Marcio Meirelles, diretor do Teatro Vila Velha.

Gosta muito de ouvir música e de ler. Escuta um pouco de tudo, do rock ao MPB, passando pela surf music e músicas dos anos 50 e 60 e atualmente está lendo “A voz do silêncio”, de Helena Blavatsky. Também gosta de cinema, apesar de não ir com freqüência e, principalmente, de encontrar com os amigos para falar bobagens e de ir jogar o babá.

Uma das coisas que menos gosta é de poluição sonora. “Barulho e confusão me incomodam muito e me deixam bem irritado”. Tiago também não de gosta de desrespeito. “Na verdade é a falta de cuidado com os outros que me incomoda, aquela coisa de ultrapassar o limite”, diz.

Com relação à programação do Teatro, Tiago diz freqüentar menos do que gostaria, por conta da falta de tempo mesmo. “Gosto muito de “Cabaré da Rrrrraça e também de “Bença” e achei a estética de “Essa febre que não passa” muito bonita”, conta.

Tiago adora estrogonofe de frango e torta de limão. Tem como projeto para a vida trabalhar com a questão do empoderamento das pessoas. “Quero muito trabalhar com a educação, fazer com que as pessoas se desenvolvam. Acho que a cultura tem um pouco disso”, conclui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário