segunda-feira, 15 de julho de 2013

Universidade Livre resenha

Patrícia de Carvalho, integrante da Universidade Livre de Teatro Vila Velha, lança um olhar sobre "O Diário de Genet", espetáculo da companhia ATeliê VoadOR. 


Patrícia de Carvalho
O espetáculo reúne muita coisa boa e interessante. Reúne uma história, uma ideologia comum em torno dessa mesma história (de preconceitos e das "prisões" em que vivemos todos os dias), a que somos induzidos sem sequer notar, muitas vezes, que talvez sejamos parte disso. O espetáculo traz uma outra visão da homossexualidade, das formas de ver e de explorar isso, dos dogmas impostos pela sociedade, desconstruindo toda essa visão estigmatizada, e que na maioria das vezes nos prende a conceitos incoerentes e desnecessários. 


Hoje, na maioria das vezes, isso se resume apenas a uma figura construída pelos preconceitos sobre os desejos, mas o indivíduo é muito mais que apenas os seus desejos. A peça mostra a necessidade de transformar, reformular nossas ideias, já que nós vivemos numa sociedade onde tudo é muito quadrado... E falando sobre a visão do ator, o que vi no palco foi um espetáculo com muito corpo, sintonia de trabalho, concentração, prontidão, experiências que também vivenciamos no trabalho da Universidade Livre de Teatro Vila Velha. Me chamou a atenção a improvisação que os atores exploram ao máximo no palco e o uso das mais diversas formas do corpo; essa ferramenta do ator, com forma, tamanho... Um espetáculo de palavras rebuscadas, muito texto, um trabalho lindo. Adorei o Diário de Genet.




Nenhum comentário:

Postar um comentário