segunda-feira, 29 de julho de 2013

Diário de Bordo: sétimo dia de oficina com o diretor teatral Marcio Meirelles em São Tomé

Convidado pela “Cena Lusófona”, Associação Portuguesa para o Intercâmbio Teatral, o artista conduz na África, juntamente com António Augusto Barros (diretor da associação), uma seleção de atores para a montagem de um espetáculo com estreia em Portugal. 


dia 7

mudo a configuração do espaço
crio um corredor com espectadores dos dois lados
e isso deve ser levado em conta
retomamos as cenas
cada grupo apresenta de novo o q fez
agora mais estruturado
menos improvisado
uma certa e primeira consolidação
ou edição do q fizeram no dia anterior
depois de apresentarem sentam e escutam as perguntas e questões
dos outros atores q devem
falar sobre o q viram e n sobre o q gostariam de ter visto
falar sobre o q foi feito e n sobre o q fariam
dizer as dúvidas q surgiram
fazer perguntas q tentem elucidar aspectos dúbios ou pouco claros da cena e das relações entre os personagens
falar sobre as relações e objetivos dos personagens q lhe sugerem as ações apresentadas
fazer uma crítica n de valor mas de pertinência do apresentado no sentido de o q vi foi isso e me escaparam mtas coisas pq…….
apresentar um espelho para q o grupo q apresentou possa ver o q foi feito através dos olhos dos outros
o grupo q apresentou n fala nada
escuta e vai procurar responder reformulando a cena
ou clareando a narrativa das ações
o trabalho acabou bem tarde e n pudemos fazer a roda final
poucos trouxeram o q pedi ontem
textos canções cenas escritas

23(26)/07/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário