segunda-feira, 29 de julho de 2013

Diário de Bordo: quinto dia de oficina com o diretor teatral Marcio Meirelles em São Tomé

Convidado pela “Cena Lusófona”, Associação Portuguesa para o Intercâmbio Teatral, o artista conduz na África, juntamente com António Augusto Barros (diretor da associação), uma seleção de atores para a montagem de um espetáculo com estreia em Portugal. 


dia 5

hj n tem encontro na oficina
tem abertura do festival gravana
gravana é a estação seca q dura dois meses depois das chuvas
e corresponde a julho/agosto
é um festival de cultura q envolve os fazeres das ilhas
quatro participantes da oficina se apresentam num grupo de dança tradicional
por isso discutimos ontem como seria
houve consenso em suspendermos a oficina
abertura oficial c o ministro da educação cultura e formação 
o diretor de cultura o de turismo e outra coisa q esqueci
o diretor da cst telefônica q tem o monopólio dos celulares e internet
e q cobra um absurdo pelo serviço
mas q está patrocinando o evento
com muitas discussões sobre isso
principalmente por causa da assinatura da cst
no banner do festival
coisa q no brasil nem se questiona mais
nem se percebe
nem se vê
mas há uma disputa acirrada entre criadores de material gráfico
produtores e agentes do patrocinador
tb na mesa o presidente da cenalusófona
falas música 
qdo vai começar a dança falta luz
esperamos
falta gasóleo [disel] no gerador
volta a luz
dançam um pouco visivelmente constrangidos
os atores q trabalham conosco na oficina
falta luz
há já gasóleo liga-se o gerador
fim da abertura oficial
perguntas
pra quem foi aquela abertura?
q público se espera para o festival?
quais são os critérios de seleção das apresentações?
temos discutido mto isso de público e políticas culturais.
o fato é q hj n temos encontro para a oficina
mas este encontro aqui c a cultura sãotomense e c a política do setor no país
valeram como um aprendizado
como colocar isso no palco
no experimento q faremos?
logo ao sair do arquivo histórico nacional onde o festival foi aberto
deparamos com um outro festival de rua de rap hip hop onde jovens de atitude ao som de djs dançam e fazem rimas
repistas dão seu recado put your hands up put your hands up
no duplo sentido da frase estadounidense mas universal
mostram a indignação em relação ao mundo e nos manda colocar as mãos ao ar
como dizíamos qdo eu era criança e brincava de polícia e ladrão
quem são os ladrões?

19/07/2013_27/07/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário