segunda-feira, 29 de julho de 2013

Diário de Bordo: sexto dia de oficina com o diretor teatral Marcio Meirelles em São Tomé

Convidado pela “Cena Lusófona”, Associação Portuguesa para o Intercâmbio Teatral, o artista conduz na África, juntamente com António Augusto Barros (diretor da associação), uma seleção de atores para a montagem de um espetáculo com estreia em Portugal. 



dia 6

mudamos de espaço
de manhã fomos eduardo pinto (produtor) e eu
ao liceu tentar local mais amplo pra nossos encontros
a sala da casa da cultura é mto pequena
falamos c o diretor 
e conseguimos pq a cenalusófona já tinha mandado uma carta há uma semana ou mais solicitando 
e todas essas formalidades epistolares parecem fazer parte dos ritos locais
são levadas muito a sério
n sei se para retardar ações ou se pela sacralização das instituições
para q elas tenham valor e sentido
de outra forma q valor tem uma instituição se vc pode resolver as coisas pessoalmente?
fomos então um pouco antes da hora do ensaio
para a casa da cultura a princípio para trabalhar lá mesmo
mas decidimos ir para o liceu
mesmo pq a chave da sala onde ensaiamos está na mão de alguém q n se acha
e hj tem um seminário sobre direitos de propriedade intelectual
organizada até onde pude entender por uma organização internacional
faz parte do festival gravana
e mtos ligados à cultura oficial estão envolvidos nele
no liceu
a sala ampla e empoeirada
foi arrumada 
temos 24 atores hj
o número varia entre 24 e 31 a cada dia
mais para o fim do ensaio chegam mais 3 e participam como observadores
no início 
depois do aquecimento em q caminhamos respiramos
reconstruímos personagens
fazemos uma grande roda e um ator vai até o centro e apresenta o seu
outro ator vai até lá e contracena c ele
o primeiro sai e chama outro q vem e contracena c o q ficou
assim vão aparecendo relações
basicamente contam trechos de coisas q viveram em outros exercícios
é a proposta
apresentam o personagem agora a partir n só da imaginação
mas tb de experiências q ele teve com outros personagens feitos pelos outros
depois escolho seis atores q contaram experiências 
q podem gerar discursos e peço q escolham seu time
assim formamos 6 grupos de 4 atores
peço q improvisem uma cena coletivamente
e começamos a criar as 6 cenas c as quais trabalharemos
eles apresentam as cenas em cima de um pequeno palco q existe na sala
estar um palco foi um diferencial
pedi q

escrevam sobre o personagem
tragam canções q lembrem o personagem ou a cena
tragam textos q quueiram ler e tenha a ver c os personagens ou cenas
escrevam as cenas

22(26)/07/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário