quarta-feira, 8 de agosto de 2007

O retorno do Sonho


FOTOS DE MÁRCIO LIMA

Neste fim-de-semana, o Bando de Teatro Olodum estréia nova temporada de Sonho de Uma Noite de Verão, texto de William Shakespeare, com direção de Márcio Meirelles, que venceu o Prêmio Braskem de Teatro 2006 na categoria Melhor Espetáculo Adulto. A montagem negra e baiana do Bando encantou platéias de Salvador à Alemanha, pela beleza plástica e pelo talento dos atores e atrizes ao aproximarem o maior dramaturgo da história do Teatro para a cultura baiana, com suas cores e seu ritmo. A peça fica em cartaz de sexta a domingo até o dia 26 de agosto.

Depois de uma bela estréia no teatro infantil – Áfricas, que encerrou temporada com ingressos esgotados no último final e semana – o Bando segue em cartaz, agora com um espetáculo adulto. Sonho de Uma Noite de Verão, que estreou ano passado com sucesso de crítica e público, retorna a cartaz com o prestígio do Prêmio Braskem de Melhor Espetáculo Adulto, o primeiro prêmio do grupo em 17 anos de carreira.

A PEÇA

O elenco formado por 22 atrizes e atores negros (sendo seis convidados) enfrentou o desafio de reafirmar a identidade do grupo em meio aos versos decassílabos utilizados pelo dramaturgo para narrar uma história que se passa em uma noite na floresta, com fadas, duendes, magia, seres encantados e, como não poderia deixar de ser, o popular, através da vida de artesãos e humanos apaixonados.

Nada mais popular que a Paixão e suas desventuras. Shakespeare constrói uma narrativa cheia de elementos fantásticos, para retornar a um tema no qual se tornou mestre: as dificuldades dos amantes em concretizar seus amores. Porém neste caso, os empecilhos são colocados, não somente pelo pai da jovem (comum em diversos dramas), mas pela própria natureza à volta dos amantes, com suas fadas e seres lúdicos, luxuriosos e brincalhões que deixam seus conflitos mágicos interferirem no amor, supostamente real do casal apaixonado.

A dinâmica desta noite de verão, passada em uma floresta, é representada na montagem do Bando de Teatro Olodum pela movimentação do elenco nas coreografias de Zebrinha, pelas cores e formas do figurino de Márcio Meirelles, que explora tecidos e texturas africanas, na música de Jarbas Bittencourt, sempre atento aos sons produzidos pela Bahia e, é claro, nas interpretações impactantes do Bando, um grupo que aprendeu a utilizar o palco para a expressão de suas inquietações com o mundo.

A música, que foi em grande parte composta durante os ensaios, traz elementos do universo sonoro da Bahia. Assim, a trilha apóia a narrativa, compondo a caracterização dos personagens e aproximando contextos aparentemente díspares entre o mundo do ‘Sonho’ e a suposta ‘realidade’.

A utilização de ritmos de grande sucesso da cultura de massa, como o Arrocha, não é feita como forma apelativa ou depreciativa, mas sim na intenção de buscar ressaltar detalhes pouco valorizados nestes gêneros musicais. Desta forma, não há uma incorporação aleatória de diversos ritmos, mas a busca da sonoridade certa, incorporada e digerida pelo Bando. Em Sonho de Uma noite de Verão, o próprio elenco compõe a banda, com o auxílio de dois músicos convidados. O resultado então é uma criação híbrida, baseada na reestruturação dos códigos da música popular para a dramaturgia musical.

*PONHA EM SUA AGENDA*

SONHO DE UMA NOITE DE VERÃO
Horários: sexta e sábado - 20h, domingo – 19h
Onde: Palco Principal do Teatro Vila Velha
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)

Nenhum comentário:

Postar um comentário