segunda-feira, 20 de agosto de 2007

Fala Vila com Reinaldo Maia

Hoje à noite o Vila abre espaço para a classe artística soteropolitana receber o dramaturgo e diretor teatral Reinaldo Maia (foto), membro do Conselho Nacional Redemoinho, diretor do grupo Folias d’Arte (SP) e articulador do Movimento Arte Contra a Barbárie, em São Paulo. Reinaldo, que foi um dos principais redatores da Lei de Fomento do Município de São Paulo, chega a Salvador através da articulação entre a FUNCEB, o Vila, o SATED e o Movimento Redemoinho. O bate-papo com o público irá partir de temas como o teatro de grupo, políticas culturais, a lei de fomento de São Paulo e a experiência com o Arte Contra a Barbárie.

Formado em Filosofia pela Universidade de São Paulo –USP, Reinaldo Maia é um homem que, como poucos, concilia ativismo político e cultural. Sua trajetória é marcada por um pensamento de esquerda radical e intelectualizado, de posicionamento franco e aguçadamente crítico, como pode ser visto no blog Matraca Cultural, mantido por ele com comentários acerca de diversos fatos políticos e culturais brasileiros.

Seu olhar político, aliado à experiência em diferentes funções no ofício teatral levaram Reinaldo Maia a ser um dos principais redatores da Lei de Fomento da Cidade de São Paulo, outorgada em 2002 pela prefeita Marta Suplicy. Considerado como um modelo de política pública cultural no Brasil, o Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo apóia a manutenção e criação de projetos de trabalho continuado de pesquisa e produção teatral visando o desenvolvimento do teatro e o melhor acesso da população ao mesmo.

Fala Vila com Reinaldo Maia
Onde: Palco principal do Teatro Vila Velha
Horário: 19h
Data: 20/08/2007 (segunda)
Gratuito


Para saber mais sobre nosso convidado: Reinaldo Maia é autor, diretor e ator teatral, fundador da Companhia Folias d´Arte, grupo que atua há dez anos e se destaca no cenário artístico de São Paulo. Fundador também do Movimento Arte Contra a Barbárie, em São Paulo. Membro do Júri do Premio Casa Das Américas de Cuba no ano de 2005.

Com um vasto currículo de obras teatrais, destacam-se peças de modernistas brasileiros, tragédias clássicas gregas e de Shakespeare, diversas obras autorais à frente do Folias D’Arte, como Pavilhão 5 (2001). Seu trabalho mais recente, é com a dramaturgia de Orestéia, trilogia de Esquilo, atualmente em cartaz na cidade de São Paulo.

Livros Publicados: “Uai, Why Not!” (ficção), “O Ator Criador” (Ensaio sobre representação teatral), “Brecht Visto da Rua” (Ensaio sobre o Pensamento de Bertolt Brecht sobre Teatro).

Nenhum comentário:

Postar um comentário