sexta-feira, 10 de agosto de 2007

Deu no jornal....



Paixões e desventuras na floresta mágica
Publicado na última sexta, no Jornal A Tarde - Caderno2

EDUARDA UZÊDA

Depois de uma série de encontros e desencontros, dois jovens casais apaixonados, mas com os pares trocados, vão parar numa floresta onde seres encantados, que possuem uma estranha poção do amor, auxiliam os pares certos a ficarem juntos. Este é o enredo da comédia Sonho de Uma Noite de Verão, clássico d William Shakespeare, que volta a cartaz no Teatro Vila Velha,
neste domingo, às 19 horas.

A montagem, que tem direção de Marcio Meirelles, traz ao palco o Bando de Teatro Olodum, grupo residente no Teatro Vila Velha, com elenco formado por 22 atores e atrizes negros. Prêmio Braskem de Teatro 2006, na categoria Melhor Espetáculo, a montagem baiana teve boa acolhida por parte do público e elogios da crítica especializada.

Chica Carelli, que é uma das fundadoras do Bando do Teatro Olodum, frisa que “Sonho de Uma Noite de Verão é um espetáculo que trouxe uma versão muito baiana ao clássico de Shakespeare “Para ela, o sucesso da peça, além do texto, direção e elenco, está na estética. ” A gente devolveu a Shakespeare características populares da dramaturgia dele. O Bando conseguiu imprimir o
popular no espetáculo e isso agrada ao público, que se identifica“, acrescenta.

SERES LÚDICOS – A trama, cheia de elementos fantásticos, traz um tema que agrada e faz sucesso: as dificuldades dos amantes em concretizar seus amores. Os amantes, para ficar juntos, têm que driblar empecilhos que são colocados, não somente pelo pai da jovem (comum em diversos dramas), mas pela própria natureza à volta dos amantes, com suas fadas e seres lúdicos, luxuriosos e brincalhões, que não se cansam de aprontar mil estripulias, que deixam os
amantes em maus lençóis.

Um dos destaques da montagem do Bando de Teatro Olodum é a bela movimentação do elenco – coreografias de Zebrinha –, que fez um trabalho primoroso com os atores, principalmente em relação aos três intérpretes que representam os Pucks: Roquildes Júnior, Dailton José e Ridson Reis. Os três também apresentam excelente desempenho e são, sem dúvidas, três dos grandes acertos da peça.

O figurino colorido de Marcio Meirelles, que explora tecidos e texturas africanas e a música de Jarbas Bittencourt, que remete aos sons produzidos pela Bahia, são também destaques na montagem, que estreou em 13 de outubro do ano passado em Salvador, seguindo, no mesmo mês, para apresentações na Alemanha. Chica Carelli lembra que o espetáculo também foi
para Brasília, com boa receptividade de público.

ARROCHA – O diretor musical Jarbas Bittencourt foi buscar nos ritmos populares a identidade festiva do verão da Bahia. Ritmos da cultura de massa, como o arrocha e axé são mostrados no espetáculo, mas nunca como uma forma apelativa ou depreciativa. A intenção do Bando é mostrar que diversos ritmos são incorporados, digeridos e transformados pelo grupo. Em Sonho de Uma Noite de Verão, o próprio elenco compõe a banda, com o auxílio de dois músicos convidados.

3 comentários:

  1. Amor, to com saudades


    beijos

    ResponderExcluir
  2. Sabia que veria uma peça de impacto dramático, como as outras que vi (Cabaré (S. Cristóvão e no Vila) e Ó Pai, ó (Vila e cinema). Mas não esperava que fosse tão lindo. Estou comovida até agora, e ainda mais depois de ler o catálogo.
    É isso aí, grito agora o que deveria ter feito ontem, VCS SÃO LINDOS!

    ResponderExcluir
  3. no ultimo dia vai ter bacalhau, como teve em � pa� �????

    ResponderExcluir