segunda-feira, 7 de abril de 2008

Recados de Mestres


Olá Cristina,

Passaram-se 48 horas e eu ainda continuo tocado pelo conjundo da sua obra... Aroeira é tudo de bom!!

A Musica, Milton dispensa comentarios. Ah" se ele tirasse mais frequentemente "do arco da velha" pérolas como aquela.

O figurino como uma segunda pele. Lá está, sem interferir em nada, mas pronto pra desmpenhar seu papel. com uma sutileza e funcionalidade nos seus minimos detalhes.

A Luz, traduz todas as cores de uma alma lavada. Lavada com sensibilidade, com simplicidade, traduzindo imagens indiziveis... Linda.

A Sua Dança nos deixa em estado de suspensão, esperando sempre o inesperado. Assisti Aroeira três vezes e fui surpreendido trezentas.

O Cenário - S-I-M-P-L-E-S-M-E-N-T-E...

E os Dançarinos... é como se fossem um só corpo, um só coração pulsando e respirando juntos, prontos, respondendo a estimulos com uma enorme dignidade e profundeza. Fora do comum... precisão, tão simples assim.

Obrigado por compartilhar tanta beleza, obrigado por seres daqui, obrigado pela generosidade.

Paz,

Elisio Pitta


**************************************************************

A Dança é energia, que passa pela criatura humana, tornando-a capaz de criar, manter ou destruir. Com inteligência podemos lidar com essas fases aproveitando o que de melhor ela nos ensina. É importante que tenhamos um tempo dedicado a isso como o mês da dança, para que possamos dar margem a um desenvolvimento mental, emocional e físico em relação aquilo que em certo momento se tornou paixão.

Carlos Morais

Nenhum comentário:

Postar um comentário