sexta-feira, 24 de abril de 2015

Bando de Teatro Olodum inicia celebraçõesdos seus 25 anos

Festa na Praça Tereza Batista, Pelourinho, no próximo dia 3, marca o início das comemorações, que seguem com temporada dos espetáculos Bença e Áfricas no Teatro Vila Velha, durante todo o mês de maio



O Bando de Teatro Olodum. Foto: Thiago Carvalho


O Bando de Teatro Olodum é referência nas artes cênicas e nas ações afirmativas em todo o país. Nascido no Pelourinho, Centro Histórico de Salvador, e residente há duas décadas no Teatro Vila Velha, o grupo celebra 25 anos de história, marcadas por mais de 20 montagens, 3 mil apresentações, atuação no cinema, televisão e turnês por diversos continentes. Não à toa, a comemoração começa no berço, o Pelourinho, com festa no Largo Tereza Batista, que reúne em 3 de maio, domingo, às 13h, shows do Ilê Aiyê e da banda Negros de Fé, com participações especiais do Olodum e de Juliana Ribeiro, além de desfile de moda com diversos estilistas e personalidades. A partir do dia 8, os festejos seguem no Teatro Vila Velha, a casa do grupo, com temporada dos espetáculos Bença eÁfricas, que mobilizam o espaço de sexta a domingo, durante todo o mês de maio.

Bodas de Prata

Nascido em uma cidade na qual a raça negra ocupa cerca de 80% de sua população, o elenco baiano do Bando de Teatro Olodum tem como proposta uma linguagem cênica contemporânea, comprometida com um teatro engajado. Em suas Bodas de Prata, o grupo celebra o reconhecimento, atestado pelo público e por instituições como o Ministério da Cultura e o Itamaraty, mas luta por patrocínio para seus novos projetos - que incluem apresentação de repertório, nova montagem teatral, circulação de espetáculos, exposição comemorativa e oficinas de formação. Para as temporadas de Bença e Áfricas, que já acontecem em maio, no Teatro Vila Velha, o investimento virá dos fundos obtidos com o evento que acontece no Pelourinho.

A Festa

A abertura dos festejos, que acontece no Largo Tereza Batista, em 13/05, 13h, será um grande encontro de artistas, parceiros e público do Bando de Teatro Olodum, com espaço aberto, é claro, para aqueles que desejem conhecer o grupo. A animação da festa fica por conta dos shows do Ilê Aiyê e do samba partido-alto da banda Negros de Fé, com participações especiais do Olodum e de Juliana Ribeiro.

Além de música, na festa tem espaço ainda para a moda. O Bando convidou estilistas baianos para criar roupas exclusivas para personalidades da cena cultural soteropolitana, que vão desfilar no evento. Os looks são assinados por Mônica Anjos, Ismael Soudam, Madá Negrif, Goya Lopes, Cássio Caiazzo, Saraí (Ifá Veste), Najara Black, Levite Bahia e Claudia Di Moura. Entre os modelos da noite, estão os cantores Lazzo Matumbi, Dão e Tonho Matéria; a promoter Marta Góes; a jornalista Rita Batista; a atriz Sonia Robatto; a escritora Makota Valdina; as apresentadoras Wanda Chase e Lise Oliveira; Alaíde do Feijão; a escritora Vanda Machado; a gestora Arany Santana; a Miss Bahia Priscilla Santiago; o vereador Moisés Rocha; os militantes Hamilton Borges e Andréia Beatriz (Campanha Reaja); a cantora Inaicyra Falcão; a cabeleireira Negra Jhô e o presidente do Olodum João Jorge.

As crianças também têm seu espaço na festa, que contará com área especial para os pequenos, com pula-pula, piscina de bolinhas e muita brincadeira.

Bença: Peça-Ícone de volta aos palcos

Bença é, sem dúvidas, uma das peças mais marcantes do Bando de Teatro Olodum. A montagem, que estreou em 2010 comemorando os 20 anos do grupo, trata do respeito aos mais velhos e homenageia o tempo, a memória cultural do povo negro e a sua ancestralidade. Tudo isso com um sofisticado sistema tecnológico, que permite a manipulação de câmeras, mixers e computadores, em cena, pelos 20 atores.
Os intérpretes contracenam entre si e com imagens em vídeo, projetadas em três telas: aparecem Bule-Bule, Cacau do Pandeiro, D. Denir, Ebomi Cici, Makota Valdina e mãe Hilza - figuras emblemáticas, e guardiãs da cultura afro-brasileira, que dão depoimentos sobre os temas da peça. Os movimentos vêm de rituais afro brasileiros e a música trava um diálogo entre ritmos sagrados de tambores, vozes humanas e sons sampleados e manipulados digitalmente. Dirigido por Marcio Meirelles, o espetáculo volta à cena e permanece em cartaz apenas de 8 a 31 de maio, às sextas e sábados, 20h, e aos domingos, às 19h, no Teatro Vila Velha.

Áfricas: o Bando para crianças

Primeiro espetáculo infanto-juvenil do grupo, com direção de Chica Carelli, Áfricas traz à cena o continente africano através do seus contos, seu povo, seus mitos e religiosidade. Assim, os atores, como griôs, contam histórias em narrativas permeadas de dança e música e resgatam de forma lúdica e poética o orgulho da ascendência africana no imaginário infanto-juvenil. Do Senegal, trazem Abdu, caçador de crocodilos, do Mali, duas irmãs e um feiticeiro, e da mitologia afro-brasileira a criação do mundo e histórias de Oxumarê e Omolu. A peça permanece em cartaz no Teatro Vila Velha de 9 a 31 de maio, sempre aos sábados e domingos, às 16h.

SERVIÇO

BODAS DO BANDO
Shows do Ilê Aiyê e de Negros de Fé
Participação do Olodum e de Juliana Ribeiro
3 de maio / domingo / 13h
Largo Tereza Batista / Pelourinho
Ingressos: R$ 20


BENÇA
estreia: 8 de maio
sextas e sábados: 20h / domingos: 19h
Sala Principal / Teatro Vila Velha
Ingressos: R$ 30 e R$ 15

ÁFRICAS 
estreia: 9 de maio
sábados e domingos / 16h
Sala Principal / Teatro Vila Velha
Ingressos: R$ 30 e R$ 15

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Cine Vila apresenta leitura dramática do roteiro "A Matriarca", de Lula Oliveira



Cena do filme "Na Terra do Sol", de Lula Oliveira. Crédito: João Carlos Sampaio

Nesta segunda-feira, 20 de abril, às 19h, o cineclube do Teatro Vila Velha realiza ação inédita: apresenta ao público a leitura dramática do roteiro cinematográfico intitulado "A Matriarca", escrito por Lula Oliveira. O texto tem como ponto de partida a morte de uma matriarca que faz com que seus nove filhos se reúnam, depois de quase 20 anos da diáspora, para o enterro da anciã. Os 25 personagens, presentes no roteiro, serão interpretados por atores da Universidade LIVRE de Teatro Vila Velha, sob direção de Marcio Meirelles.

Além da leitura, o público assiste ao curta-metragem "Na Terra do Sol", dirigido por Lula Oliveira. Inspirado em "Os Sertões", obra clássica de Euclides da Cunha, o filme conta a saga dos últimos sobreviventes da guerra de Canudos. Lançado em 2006, o curta tem no elenco nomes como Carlos Petrovich, Agnaldo Lopes, Berto Filho, Dody Só, Pisit Mota e Rose Lima. Ao final da sessão e da leitura, o diretor Lula Oliveira participa de bate-papo com o público presente.

O Cine Vila acontece semanalmente, sempre às segundas-feiras, 19h, no Cabaré dos Novos do Teatro Vila Velha. Não são cobrados ingressos para as sessões, mas o público pode investir no projeto pagando quanto quiser.

Sobre "A Matriarca"

O roteiro cinematográfico "A Matriarca" tem como cenário o Baixo Sul da Bahia e teve a sua construção fundamentada sobre fatos reais da família do autor e diretor. Na obra, realidade e ficção se misturam através de índices palpáveis como o diário de Arlete, tia de Lula Oliveira, mantido por ela até a sua morte. Uma etapa importante para o desenvolvimento do roteiro foi a fase de entrevistas com todos os personagens vivos da família de Oliveira e outras figuras da cidade de Valença, partícipes dessa história. Nesse processo, a personalidade de cada um e, sobretudo, a figura da matriarca Matilde revelam-se a caminho da narrativa fílmica.

Serviço

Cine Vila
Leitura dramática do roteiro "A Matriarca"
Exibição do curta-metragem "Na Terra do Sol"
20/04 // segunda-feira // 19h
cabaré dos novos // teatro vila velha // pague quanto quiser

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Cine Vila celebra a dança com a exibição de três filmes

Hoje, 13 de abril, às 19h, o Cine Vila realiza a segunda sessão especial em comemoração ao mês da Dança, com três exibições e bate-papo. Serão projetados Pina, longa documental sobre a coreógrafa alemã Pina Bausch, e dois curtas baianos: 666, vídeo-dança de Marcondes Dourado, e Fora D'Água, vídeo arte do NADAcoletivo, dirigido por Tiago Lins. Após a sessão, acontece debate com Marcondes Dourado, Tiago Lins, Talis Castro e Lis Schwabacher.

O Cine Vila acontece semanalmente, às segundas-feiras, 19h, no Cabaré dos Novos do Teatro Vila Velha. Não são cobrados ingressos, mais o público pode investir no projeto pagando quanto quiser.

Confira, abaixo, a programação desta sessão:
 


PINA (documentário, 2012, 103')
Direção: Win Wenders


Um espetáculo de dança e teatro inspirado pelo trabalho da coreógrafa alemã Pina Bausch, ressaltado em seus detalhes, formas e cores. O espetáculo é estrelado por dançarinos da cidade de Wuppertal e seu entorno, local de origem de Pina e por ela considerado como sua força criativa.




666 (vídeo-dança, 1996, 5')
Direção: Marcondes Dourado

 
I Prêmio na XXVIII Jornada Internacional de Cinema da Bahia, I Prêmio do concurso Imagem em 5 Minutos e II Festival de Vídeo Dança de Buenos Aires


Fora D'Água (vídeo-arte, 2012, 7')
Direção: Tiago Lins



Solidão, depressão, individualismo, multidão, vazio, afeto...forad'dágua é a primeira Intervenção.VideoArte do NADAcoletivo, realizada no dia 08/11/12 - Rio Vermelho, Salvador, Bahia, Brasil. A obra tem direção, câmera, fotografia, edição e color de Tiago Lins; câmera e web de Peu Ribeiro; atuação, figurino e produção de Lis Schwabacher e Talis Castro, sendo o último também responsável pelo argumento.

13/04 // segunda // 19h
cabaré dos novos // pague quanto quiser

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Ministro Juca Ferreira participa de encontro no Teatro Vila Velha




O ministro da Cultura, Juca Ferreira, estará em Salvador nos próximos dias 13 e 14 com a terceira edição da Caravana da Cultura. O objetivo da ação é estreitar relações com a sociedade e conhecer nos estados as principais demandas de artistas, gestores, produtores e fazedores de cultura do Brasil. Ainda compõem a Caravana do Ministério da Cultura (MinC) o presidente da Fundação Cultural Palmares, Hilton Cobra, e os secretários de Articulações Institucionais, Vinícius Wu, de Fomento e Incentivo à Cultura, Carlos Paiva, e do Audiovisual, Pola Ribeiro.

Entre as atividade da Caravana em Salvador, está uma roda de conversa no Teatro Vila Velha, na terça-feira, dia 14, às 10h.  No Vila, o ministro se reúne com o secretário de Cultura da Bahia, Jorge Portugal, e com gestores culturais e representantes da sociedade civil.

Antes, na segunda, dia 13, às 10h, a Caravana realiza a edição Nordeste do Diálogos em Rede (roda de conversa sobre participação social no ministério) que acontece no teatro do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia (IRDEB) - onde participam os secretários do MinC, além do professor e pesquisador de Comunicação e Política, Wilson Gomes da Universidade Federal da Bahia (UFBA); o professor doutor da UFBA, Ernani Coelho Neto; a coordenadora pedagógica do Ponto de Cultura Bankoma, Eliana Sousa; e Maria Fulgência, do Ponto de Cultura Odu Odara. A conversa será intermediada por Doris Pinheiro, assessora de Comunicação do IRDEB.

Na passagem por Salvador, o ministro da Cultura  Juca Ferreira participa ainda do VIVADANÇA Festival Internacional, além de visitar o Terreiro Ilê Opô Afonjá (Mãe Stella de Oxossi), o Museu Nacional da Cultura Afro-Brasileira (MunCAB) e  o Teatro Castro Alves.

Conheça a programação detalhada da Caravana da Cultura clicando aqui.

VIVADANÇA Festival Internacional reúne na Bahia artistas e grupos de Dança de dez países

Pela primeira vez em nova anos, o festival ganha as ruas e espaços alternativos, apresentando  cerca de 30 espetáculos, performances, intervenções urbanas, mostras, oficinas, networking, mesas-redondas e uma série de outras ações e eventos.



Considerado um dos mais importantes festivais do país, o VIVADANÇA Festival Internacional chega à nona edição, se consolidando, cada vez mais, como um espaço de diversidade, formação, mercado, intercâmbio, diálogo e produção artística - reunindo um conjunto de atividades que busca fortalecer a cadeia produtiva e criativa da arte do movimento.

Em 2015, a programação começa no dia 10/04 e segue até o dia 29/04 (data em que se comemora o Dia Internacional da Dança), se espalhando por mais de 10 espaços, entre teatros, centros culturais, praças e ruas de Salvador e Camaçari. 

No Teatro Vila Velha, a programação é aberta com o bailarino e coreógrafo japonês Tadashi Endo sempre encanta o público pela maestria dos seus trabalhos solos. O artista chega à capital baiana com “Fukushima Mon Amour”, solo que tem como mote o desastre causado por um tsunami, que fez explodir a Central Nuclear de Fukushima. Embora japonês, Endo reside na Alemanha desde a década de 1980, e é um grande admirador da cultura baiana. Vale lembrar que ele já ministrou  workshops por aqui (a convite do festival)  e dirigiu o Bando de Teatro Olodum, em “DÔ” (2012); espetáculo que teve como base o Butoh. Na última semana, o bailarino realizou oficina com a Universidade LIVRE de Teatro Vila Velha e selecionou outro atores para a próxima montagem que realiza no âmbito do Vila.

No Teatro Vila Velha, o VIVADANÇA apresenta ainda “Malemolência”, espetáculo que integra a MOSTRA BAIANA DE DANÇA CONTEMPORÂNEA, além de "Illuminated  Manuscript", montagem da companhia estadunidense Antics, e de "Gibi", espetáculo infantil que se aventura pelo mundo das histórias em quadrinhos, por meio das peripécias e descobertas de quatro palhaços. 

Um dos destaques da programação do festival no Vila é o  Internationales Solo Tanz-Theater Festival - ou apenas Solos de Stuttgart – como ficou conhecido, presença marcante no VIVADANÇA há 5 anos consecutivos.  O projeto (coordenado pelo diretor artístico fluminense Marcelo Santos, há quase duas décadas) premia anualmente bailarinos e coreógrafos  contemporâneos de todos os continentes.   A programação para 2015 inclui solos de intérpretes de 5 países: Anna Réti (Hungria), em  Inside Out; Maya Roest (Holanda), em  The Beginning; Tom Weinberger (Israel)em Nemek; Hemabharathi Palani (Índia) , em Trikonanga; e Christina Medina (Canadá) – no solo “am I am”. 

Outra atração esperada é a Mostra Hip Hop em Movimento - VIVADANÇA, que traz, pela oitava vez, a famosa Batalha Break – Evolução Hip Hop, no dia 19 de abril. A programação ocupa o Passeio Público do Teatro Vila Velha e conta com aula pública de dança de rua, mutirão de Grafitti com artistas locais, feira Hip Hop, mesa-redonda sobre “empreendedorismo” , além da transmissão ao vivo,  do programa Evolução Hip Hop (Rádio Educadora FM – 107.5). O primeiro dia de programação da mostra será encerrada com a apresentação do espetáculo “Illuminated Manuscript”.



segunda-feira, 6 de abril de 2015

Tropical Selvagem lança EP no Teatro Vila Velha

Lia Cunha, João Meirelles e Ronei Jorge formam o Tropical Selvagem


O Tropical Selvagem lança seu primeiro EP nesta quinta-feira, dia 9, às 20h, em show no Cabaré dos Novos do Teatro Vila Velha. Formado a partir da união do compositor e músico Ronei Jorge; do produtor musical, arranjador e compositor João Meirelles e da artista visual e diretora de arte Lia Cunha, o grupo apresenta a materialização deste encontro multilinguístico que se iniciou há dois anos: um disco que reúne cinco canções de Ronei com arranjos de João e arte assinada por Lia. O produto marca também a estreia de selo próprio do trio, o Agricultura Celeste. 

O EP tem tiragem de apenas 200 exemplares enumerados, cada um com encarte feito artesanalmente por Lia Cunha, com ilustrações impressas em serigrafia. Entre as faixas presentes no disco estão Eu não sei de nada, Encabulando os Convidados e Quem dera um dia fosse - a última delas tem participação da cantora Rebeca Matta. Todo o disco conta com as guitarras - gravadas e arranjadas - de Junix (Juninho Costa). Os dois artistas participam também do show de lançamento, que conta a ainda com a presença de Manuela Rodrigues e Carla Suzart. Quem ficou curioso já pode escutar e fazer download gratuito das faixas do EP através do endereço www.soundcloud.com/tropicalselvagem

Tropical Selvagem
Show de lançamento do EP Tropical Selvagem 
Participações especiais: Junix, Rebeca Matta, Manuela Rodrigues e Carla Suzart
9 de abril, quinta-feira, 20h
Cabaré dos Novos, Teatro Vila Velha
Pague quanto quiser

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Cine Vila exibe "Hanami - Cerejeiras em Flor" com a presença do dançarino japonês Tadashi Endo

A sessão acontece na próxima segunda (6), às 19h, e inaugura programação especial do cineclube para o mês da dança

Cena do filme "Hanami - Cerejeiras em Flor"


Nesta segunda-feira, 6 de abril, às 19h, o Cine Vila realiza sessão especial do filme "Hanami - Cerejeiras em Flor", longa-metragem alemão dirigido por Doris Dorrie, indicado ao Urso de Ouro no Festival de Berlim de 2008. Quem participa de bate-papo após a exibição é Tadashi Endo, dançarino e mestre do Butoh japonês que atuou e cuidou da preparação de dança do filme.

O longa narra a história de um homem que perde a esposa subitamente e decide fazer uma viagem ao Japão, sua terra de origem, para prestar-lhe uma última homenagem. O Butoh, dança que surgiu no Japão pós-guerra e ganhou o mundo na década de 1970, permeia toda a narrativa e acaba funcionando como uma importante metáfora no filme - que promove reflexões sobre a morte, a solidão e sobre a conexão com o interior.

A sessão especial é realizada pelo Cine Vila em parceria com o VIVADANÇA Festival Internacional, que traz Tadashi Endo ao Brasil para apresentar na programação do evento o espetáculo solo Fukushima Mon Amour, com sessões em 11 de abril, sábado, às 20h, e no dia 12, domingo, às 19h, no Teatro Vila Velha.

Sinopse:

Quando Trudi (Hannelore Elsner) descobre que seu marido Rudi (Elma Wepper) tem uma doença grave, ela sugere que ambos visitem os filhos em Berlim, sem contar a eles sobre o estado de saúde do pai. Como Franzi (Nadja Uhl) e Karl (Maximilian Brückner) não dão muita atenção aos pais, eles resolvem partir para o mar Báltico. É quando, subitamente, Trudi morre. A partir de então, Rudi resolve viajar ao Japão para realizar os desejos da esposa.

Serviço:

Cine Vila -  Exibição de "Hanami: Cerejeiras em Flor" com Tadashi Endo
Data: 06/04, segunda-feira, 19h
Local: Cabaré dos Novos, Teatro Vila Velha
Valor: Pague quanto quiser