sexta-feira, 10 de abril de 2015

VIVADANÇA Festival Internacional reúne na Bahia artistas e grupos de Dança de dez países

Pela primeira vez em nova anos, o festival ganha as ruas e espaços alternativos, apresentando  cerca de 30 espetáculos, performances, intervenções urbanas, mostras, oficinas, networking, mesas-redondas e uma série de outras ações e eventos.



Considerado um dos mais importantes festivais do país, o VIVADANÇA Festival Internacional chega à nona edição, se consolidando, cada vez mais, como um espaço de diversidade, formação, mercado, intercâmbio, diálogo e produção artística - reunindo um conjunto de atividades que busca fortalecer a cadeia produtiva e criativa da arte do movimento.

Em 2015, a programação começa no dia 10/04 e segue até o dia 29/04 (data em que se comemora o Dia Internacional da Dança), se espalhando por mais de 10 espaços, entre teatros, centros culturais, praças e ruas de Salvador e Camaçari. 

No Teatro Vila Velha, a programação é aberta com o bailarino e coreógrafo japonês Tadashi Endo sempre encanta o público pela maestria dos seus trabalhos solos. O artista chega à capital baiana com “Fukushima Mon Amour”, solo que tem como mote o desastre causado por um tsunami, que fez explodir a Central Nuclear de Fukushima. Embora japonês, Endo reside na Alemanha desde a década de 1980, e é um grande admirador da cultura baiana. Vale lembrar que ele já ministrou  workshops por aqui (a convite do festival)  e dirigiu o Bando de Teatro Olodum, em “DÔ” (2012); espetáculo que teve como base o Butoh. Na última semana, o bailarino realizou oficina com a Universidade LIVRE de Teatro Vila Velha e selecionou outro atores para a próxima montagem que realiza no âmbito do Vila.

No Teatro Vila Velha, o VIVADANÇA apresenta ainda “Malemolência”, espetáculo que integra a MOSTRA BAIANA DE DANÇA CONTEMPORÂNEA, além de "Illuminated  Manuscript", montagem da companhia estadunidense Antics, e de "Gibi", espetáculo infantil que se aventura pelo mundo das histórias em quadrinhos, por meio das peripécias e descobertas de quatro palhaços. 

Um dos destaques da programação do festival no Vila é o  Internationales Solo Tanz-Theater Festival - ou apenas Solos de Stuttgart – como ficou conhecido, presença marcante no VIVADANÇA há 5 anos consecutivos.  O projeto (coordenado pelo diretor artístico fluminense Marcelo Santos, há quase duas décadas) premia anualmente bailarinos e coreógrafos  contemporâneos de todos os continentes.   A programação para 2015 inclui solos de intérpretes de 5 países: Anna Réti (Hungria), em  Inside Out; Maya Roest (Holanda), em  The Beginning; Tom Weinberger (Israel)em Nemek; Hemabharathi Palani (Índia) , em Trikonanga; e Christina Medina (Canadá) – no solo “am I am”. 

Outra atração esperada é a Mostra Hip Hop em Movimento - VIVADANÇA, que traz, pela oitava vez, a famosa Batalha Break – Evolução Hip Hop, no dia 19 de abril. A programação ocupa o Passeio Público do Teatro Vila Velha e conta com aula pública de dança de rua, mutirão de Grafitti com artistas locais, feira Hip Hop, mesa-redonda sobre “empreendedorismo” , além da transmissão ao vivo,  do programa Evolução Hip Hop (Rádio Educadora FM – 107.5). O primeiro dia de programação da mostra será encerrada com a apresentação do espetáculo “Illuminated Manuscript”.



Nenhum comentário:

Postar um comentário