quarta-feira, 12 de março de 2014

Um ano sem Auristela

A atriz Auristela Sá em cena

No dia 12 de março do ano passado, o teatro baiano deu o último adeus a atriz Auristela Sá, do Bando de Teatro Olodum. “Até hoje lembramos do bom humor de Auristela e pensamos muitas vezes o que ela diria sobre assuntos atuais”, afirmou Chica Carelli, após um ano de morte da atriz, “ela continua presente entre nós”.

Carelli destacou a capacidade de observação de Auristela e sua fina sensibilidade. Ela participou desde o início da criação de Cabaré da Rrrrraça e deu vida à cantora Flávia Karine na peça. Esse ano aconteceu a primeira temporada de Cabaré da Rrrrraça sem a presença de Auristela. A responsabilidade de substituir Auristela coube a atriz Elaine Nascimento que com maestria desenvolveu muito bem o papel, mas sentiu uma emoção forte em assumir o papel antes desempenhado por Auristela.

O Teatro Vila Velha, em plena comemoração do seu cinqüentenário, rememora a trajetória da artista. Ela foi responsável pelo sucesso de Carmem, lavadeira em "Ó Pai Ó" (1992), no teatro, no cinema e na televisão. Participou também do filme Jardim das Folhas Sagradas, do diretor Pola Ribeiro.

"Auristela foi uma voz engajada na luta contra o racismo e se destacou com graça e sensualidade em espetáculos como Ó Paí, Ó! e Cabaré da Rrrrrraça. Uma luz se apaga e deixa um imenso vazio na cena local", declarou, à época, o jornalista Marcos Uzel.

Baiana de Alagoinhas, Auristela Sá iniciou sua carreira no Bando de Teatro Olodum, em 1994, no espetáculo "Bai Bai Pelô", atuou também em peças como "Bença" (2010), "Áfricas" (2007), na remontagem de "Sonho de uma noite de verão” (2006), da obra de William Shakespeare, dentre outros espetáculos.

Todos que trabalham no Teatro Vila Velha, e tiveram a oportunidade de conviver com Auristela, relembram com muito carinho dela e de seu carisma contagiante. O músico Jarbas Bittencourt criou, no ano passado, alguns versos em homenagem a Auristela: Onde é que deságua essa correnteza? Onde é que essa vida ainda quer me levar? Onde é que essa mágoa desata em beleza? Onde houver samba hoje eu quero é sambar! Ah, Lagoinha, vou pra lá! Ah, Lagoinha, vou pra lá!


O programa Soterópolis da TVE, fez uma homenagem a Auristela, no ano passado. Assista em: https://www.youtube.com/watch?v=hv3Vu8JpkcQ

Nenhum comentário:

Postar um comentário