sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Sobre cancelar Cabaré da Rrrraça

     Foto Márcio Lima
Gostaríamos de explicar as razões que nos levam a cancelar a apresentação de hoje do espetáculo Cabaré da Rrrrraça.
        
A normalidade quase completamente restabelecida no centro da cidade não é sentida por muitos daqueles que residem em bairros distantes do centro, como alguns dos integrantes do Bando de Teatro Olodum. Permanece ainda a sensação de insegurança.

Não é novidade que a periferia desta cidade partida vive de maneira amplificada os altos níveis de tensão social a que estamos submetidos cotidianamente. Em nome da segurança dos nossos artistas , técnicos e público decidimos não entrar em cena esta noite.

Para o Bando, o palco vazio de logo mais estará repleto em nós de sentimentos, ideias e reflexões sobre esses dias... 

Dias que nos fazem lembrar dos reflexos da paralisação da força policial em 2001, que nos conduziram a montagem do espetáculo “Relato de Uma Guerra que Não Acabou”. Nesta montagem, retratamos a “normalidade” da vida da periferia de Salvador antes, durante e depois de uma greve desta natureza.

Dias que nos fazem refletir sobre o frágil equilíbrio social mantido equivocadamente pela militarização da segurança pública e sobre “Qual a paz que eu não quero conservar para tentar ser feliz?”.

Dias que nos fazem pensar nas palavras do geógrafo Milton Santos ao afirmar que “ou implantaríamos um projeto político capaz de conduzir o Brasil de forma planejada a um modelo mais digno de sociedade ou cairíamos nos caos da convulsão generalizada provocada pela cruel desigualdade social que sustentamos”.

Dias que nos fazem querer trabalhar por dias de paz! Mas paz com voz, pois “paz sem voz, não é paz é medo”!

Nenhum comentário:

Postar um comentário