quinta-feira, 4 de maio de 2017

Mostra Casa Aberta completa 10 anos no palco do Teatro Vila Velha

Além de oportunizar a apresentação de mais de 30 trabalhos coreográficos de grupos, academias, companhias, coletivos e artistas independentes, a mostra promove este ano 10 oficinas de diversos estilos
 
 Apresentação da Mostra Casa Aberta no VIVADANÇA 2016. Carolina Pereira / Labfoto

Integrando a programação do VIVADANÇA Festival Internacional há 10 anos, a Mostra Casa Aberta celebra a diversidade da dança na Bahia, em diferentes formatos - solos, duos e grupos - com o objetivo de promover uma grande confraternização de variados estilos, despertar o sentimento de classe, a consciência de mercado e estabelecer um espaço democrático; agregando grupos, academias, companhias, coletivos e artistas independentes da Dança. Para essa edição, 37 obras foram selecionadas, com cerca de 400 intérpretes, do ballet à dança contemporânea, da performance ao hip hop, dança de salão, entre muitas outras. As apresentações acontecem nos dias 04 e 05/05, 20h, no Teatro Vila Velha.

"A mostra comemora 10 anos. Nasceu no Vila e, ao longo de sua história, passeou por outros espaços. Nesta edição, ela retorna ao Vila com quase 400 artistas em cena. É a maior mostra do festival, reúne a diversidade e celebra a dança de forma única", comenta a diretora geral do VIVADANÇA, Cristina Castro.

Inscrições abertas para as Oficinas Mostra Casa Aberta

Neste ano, a Mostra Casa Aberta e o festival trazem à tona a importância do ensino, da qualificação e do aprimoramento profissional do dançarino, promovendo dois dias inteiros de oficinas variadas: Balé Clássico, Dança de Salão, Dança Moderna, Breaking/Dança de Rua, Stilleto, Dança Tribal, Hip Hop Dance, Danças e Ritmos Tradicionais Brasileiros e Jazz. Teatro Castro Alves. Dias 06 e 07/05, das 9h às 17h30. R$ 30,00 cada oficina.

Descontos progressivos de acordo com o número de oficinas, além da opção por pacotes diários.  Os artistas participantes da Mostra Casa Aberta têm desconto.  Inscrições e a programação completo você vê no site www.festivalvivadanca.com.br    

O VIVADANÇA Festival Internacional tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia. É uma realização da Baobá Produções.

Programação completa abaixo

BALLET CLÁSSICO - JOFFRE SANTOS (BA)
A oficina tem o objetivo de pensar os movimentos da técnica clássica do ballet através das articulações, respeitando as possibilidades físicas de cada bailarino. Serão três momentos: aquecimento, barra e centro prático.

DANÇA DE SALÃO - YVES LORRHAN (BA)
Utilizando as técnicas da dança de salão, a oficina busca proporcionar ao aluno uma viagem rítmica e cultural pelos mais tradicionais ritmos do estilo. Os participantes terão contato com a suavidade do bolero, o gingado do samba de gafieira, entre outros ritmos.

DANÇA MODERNA - GUILHERME FRAGA (BA)
A oficina tem o objetivo de introduzir alguns princípios da dança moderna por meio de sequências de movimento e frases coreográficas. O conteúdo abordado privilegia fundamentos como isolamento, transferência de peso, queda e recuperação. Trata-se de uma vivência direcionada a pessoas que têm interesse em conhecer algumas das bases técnicas que compõem a dança moderna.

BREAKING/DANÇA DE RUA - VIOLA LUBA (BA)
A oficina traz uma introdução aos princípios técnicos, rítmicos e criativos do breaking. Com a preparação corporal adequada e cédulas coreográficas que abordam três elementos fundamentais – o Top Rock, o Foot Work e o Freeze/Stance, os integrantes poderão investigar a movimentação dando um toque individual à sua dança.

STILETTO CLASS - ELIVAN NASCIMENTO (BA)
A oficina trabalha a prática do Stilleto, estilo de dança cujos passos são realizados com o uso do salto alto, com ênfase na feminilidade, sensualidade e elegância destacando toda a beleza do gênero feminino.

DANÇA TRIBAL - JOLINE ANDRADE (BA)
A oficina traz conhecimentos e práticas da Dança Tribal. O estilo é popularmente chamado de dança étnica de "fusão", é uma linguagem que, tendo como referência a dança do ventre, mescla conceitos e movimentos de danças étnicas como o flamenco, a dança indiana e danças da cultura Hip Hop, ou seja, danças de diferentes culturas e regiões do mundo.

HIP-HOP DANCE - DAVID BARROS (BA)
A oficina hip-hop dance trabalha diversas técnicas e conceitos desse universo, percorrendo pelas variações musicais e transformações no modo de dançar que ocorreram ao longo do tempo. Será uma oportunidade de vivenciar como foi o hip-hop no seu início até os dias atuais. Para assimilação das técnicas, serão propostas experimentações de pequenas células coreográficas, utilização dos movimentos com deslocamentos espaciais e de improvisação.

DANÇAS E RITMOS TRADICIONAIS BRASILEIROS: MARACATU E CÔCO  - SOIANE GOMES (BA)

Visando o estímulo ao pertencimento da identidade cultural brasileira, a atividade abordará a vivência prática de cantigas, músicas e danças da nossa cultura, com abordagem histórica e filosófica. O foco da oficina será os movimentos básicos dos ritmos maracatu e côco, no intuito de ampliar o repertório de movimentos dos participantes.

JAZZ DANCE - LUCIENE MUNEKATA (BA)
A oficina apresenta propostas de sequências coreografadas, visando proporcionar ao dançarino o contato com a movimentação que caracteriza a técnica do Jazz, ampliando seu potencial técnico e artístico. O Jazz Dance é uma das mais importantes formas de expressão artística se caracteriza por movimentos marcantes com variações de dinâmicas pontuadas pelo ritmo e exploração do espaço, associada a elementos do ballet clássico e da dança moderna.

DANÇA MODERNA - RAMON MOURA (BA)
Com influência de algumas técnicas de dança moderna e com base nas suas ações, a oficina se desenvolve num processo de condicionamento e consciência corporal e na prática para a performance em cena. É uma busca de possibilidades de movimento, onde cada corpo é único e é parte de um todo, onde outros corpos estão inseridos, com suas diferenças e similitudes, criando um diálogo entre eles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário