quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Solo “Remedeia” explora limites da ficção e realidade a partir de mito grego

Espetáculo de Lara Duarte integra a programação do 14º Amostrão Vila Verão com apresentações nos dias 13 e 20 de janeiro, no Teatro Vila Velha



A atriz Lara Duarte leva ao palco do Teatro Vila Velha, nos dias 13 e 20 de janeiro, sextas-feiras, às 20h, o solo “Remedeia”, que integra a 14ª edição do Amostrão Vila Verão, festival que movimenta a cena cultural baiana durante os meses de janeiro e fevereiro com 50 apresentações de teatro, dança e música. A atriz revisita o mito de Medeia, da tragédia grega de Eurípedes, a partir de diálogo e interação com o público. 

O espetáculo integra a pesquisa artística "Tem Drama! Construções dramatúrgicas de uma realidade ficcionada", iniciada pela artista no grupo Teatro Base. “O trabalho propõe, em linhas gerais, o estudo teórico e prático do diálogo ficção-realidade. Adensa o estudo sobre a narrativa do mito, que até então serviu de pano de fundo e justificativa ficcional. Ou seja, dar sentido a uma história que perdeu o sentido”, explica Lara. Na encenação, é estabelecido um pacto com o público: por uma hora, todos são mães da atriz em cena, e a recepção desse público de mães é apaixonada-patológica tal qual as apresentações escolares. Acordo feito, a narrativa do mito é trabalhada por meio de dispositivos previamente estabelecidos e tudo acontece com base nessa troca. Em cena outros artistas criam luz, som, adereços e imagens a partir das proposições do público. 

A pesquisa iniciou-se através do Teatro Base, grupo de pesquisa sobre o método da atriz, e teve como primeiros resultados o experimento cênico “Medeia” – realizado na Casa de Iemanjá, em Salvador; a revista “A Letra M” -  Onde mulheres descreveram sua relação com o arquétipo MÃE, abordando temas como maternidade, aborto, ausência, ser filha, entre outros;  e o solo “Como Medéia Para Minha Mãe” – Realizado no Espaço Cultural da Barroquinha, em Salvador, em que a mãe da atriz-performer também estava em cena criando um paralelo entre o mito de Medéia e a trajetória biográfica mãe-filha de quem se separou ainda na infância. O solo “Como Medéia Para Minha Mãe” levantou questões acerca dos entendimentos sobre presença, performance, ancestralidade, recepção do público, acontecimentos e feminismos. Novas questões e interações surgem em “Remedeia”.


Fizemos algumas perguntas a Lara sobre este novo trabalho:

 
De que fala REMEDEIA?


- Reavaliar, recontar, remontar, rever o mito de medeia (tanto as ações que integram a peça de Eurípedes como o antes e o depois) e abrir um espaço de dialogo com o público a cerca da heroína trágica...


- Explorar as interações performer-público através da presença, da troca, do “em aberto” e repensar o espaço teatral enquanto um corpo capaz de propor novas realidades

- Colocar em foco a recepção e a performance do público e suas narrativas pessoais

O que há de novo ou de repetição em relação ao "Como medeia para minha mãe"?


É um processo de pesquisa continuada...  A partir da pesquisa “tem drama” outras formas de pensar dramaturgia me foram reveladas, formas que construíram também Oroboro e a Bunda de Simone, ganhando um caráter mais formal e objetivo em Como Medeia Para Minha Mãe... Uma dramaturgia que flerte com a realidade e a teatralidade ao mesmo tempo, sem definir muito bem onde começa um e termina o outro. Em “como medeia” tinha-se o recorte ficcional: o mito, e o recorte biográfico-real: minha história com minha mãe... Existe um lugar em que medeia e minha mãe se encontram num dialogo tão potente que eu só posso é dar passagem...

Na ficção me interessa a possibilidade de criar novas interações, novas realidades de propor dramaturgias que são ditas todo dia por aí e a gente nem vê.

- Por que mamãe te disse que remake é tendência?


Pergunta pra ela!



Ficha Técnica “REMEDEIA”


Criação e Performance: Lara Duarte e grande elenco
Colaboração artística: Olga Lamas e Daniel Guerra
Visualidades: Diego Alcântara
Sonorização: Mirela Gonzalez, Gleise Reis, Fábio Lima e Giovani Cidreira
Assistência sonora: Gustavo Carvalho
Dramaturgia: Lara Duarte
Voz em Off: Emanuel  Coutinho Lopes Junior
Iluminação: Pedro Dultra
Cartaz: Bruna Nolasco
Foto: Diego Tavares
 
Serviço

Amostrão Vila Verão
7 de janeiro e 18 de fevereiro de 2017 no Teatro Vila Velha
Programação completa e venda de ingressos no site www.teatrovilavelha.com.br

REMEDEIA | Lara Duarte
13 e 20/01// sextas-feiras // 20h
R$ 40 e 20 (lote promocional R$30 e 15 até 12/01)
Teatro Vila Velha

Nenhum comentário:

Postar um comentário