quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Espetáculo de dança “Tirania das Cores” apresenta resultado de residência artística


Núcleo Viladança promove ação que visa estimular intercâmbios e a profissionalização da dança na Bahia. Asier Zabaleta (Espanha) conduziu a segunda fase das atividades. 

Tirania das Cores. Foto: Milena de Abreu
 
Entre os dias 3 e 5 de setembro, o Teatro Vila Velha sedia as apresentações do espetáculo de dança “Tirania das Cores”, fruto da segunda residência artística promovida pelo Núcleo Viladança neste ano em Salvador. O projeto selecionou cinco artistas baianos para participar de um processo de criação sob a orientação de Asier Zabaleta, coreógrafo da Cia Ertza, Espanha. A mostra terá na abertura o espetáculo convidado “Demolições - La petite mort”, com Thiago Cohen.

“Tirania das Cores” é uma viagem cromática dançada, na qual se põe em evidência a influência que as cores têm e sempre tiveram em nossas vidas. Cores que muitas vezes serviram para unir, mas que em muitas outras foram usadas para dividir e semar o ódio. Cores com as quais se pintam as bandeiras que nos diferenciam dos nossos vizinhos. Cores que são deificadas ou satanizadas como o branco e o preto. Cores como o vermelho do sangue, que nos lembram que por dentro somos todos iguais. Cores que, afinal de contas, nos sirvam de pretexto para falar de “pessoas”.

Os intérpretes-criadores são os cinco profissionais selecionados para realizar a residência artística: Ariel Oliveira, Carolina Miranda, Flávia Rodrigues, Guilherme Silva, Rafael Alexandre. Asier Zabaleta trabalhou como intérprete em várias companhias espanholas de dança-teatro e de 1999 a 2005 integrou a companhia suíça Alias, com a qual participou da criação de sete espetáculos de dança-teatro e realizou várias turnês mundiais. Em 2004, fundou a Companhia ERTZA, com a qual criou 10 espetáculos para palco e oito para espaços ao ar livre; e colocou em marcha diferente projetos paralelos, como oficinas, residências artísticas e projetos de sensibilização. Maiores informações: www.ertza.com

Demolições - La Petite Mort

O primeiro desdobramento da estadia de Asier Zabaleta em Salvador por conta do programa de residências do Núcleo Viladança foi a montagem “Demolições (La Petite Mort)”, dirigida pelo mesmo com interpretação de Thiago Cohen. A partir do encontro no processo de seleção para a Residência #02, Asier conviou Thiago para trabalhar em paralelo ao programa promovido pelo Viladança. Resultado deste projeto, “Demolições” fala dos momentos da vida em que é preciso romper para construir, acabar algo para começar de novo. Desta forma, é também uma reflexão sobre o tempo: destruir em um segundo o que levou anos para ser construído, mas que já não serve. Passar por cima da nostalgia do velho e enfrentar de cara o medo do novo. O espetáculo será apresentado como abertura da mostra “Tirania das Cores”. 

 
 Thiago Cohen em "Demolições" - Foto: Milena de Abreu

 
Viladança em residência
As residências - ações propositivas que se consolidaram a partir dos anos 1980 em cidades da Europa, Estados Unidos e Japão -, têm como foco a convivência e ganham espaço cada vez maior nas artes contemporâneas. Com esta ação, o Núcleo Viladança busca consolidar um espaço de residências artísticas em dança na Bahia, abrindo novas possibilidades de criação e remuneração para a classe de dança no estado e aquecendo o mercado local. Nessa ação, os dançarinos selecionados são contratados e remunerados com uma bolsa para acompanhar toda a residência e realizar as apresentações.

O programa de residências artísticas teve sua primeira fase em abril e maio de 2015, com os coreógrafos da Cia Los INnato, da Costa Rica. O projeto tem o patrocínio da Lei de Incentivo à Cultura, O Boticário na Dança, através da Lei Rouanet e é realizado pela Manga Rosa Produções, pelo Ministério da Cultura e Governo Federal - Pátria Educadora. Para a manutenção das suas atividades, o Núcleo Viladança conta com o patrocínio da Petrobras e apoio institucional do Teatro Vila Velha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário