segunda-feira, 18 de maio de 2015

Bando de Teatro Olodum reestreia Bença e Áfricas e inicia celebração dos seus 25 anos nos palcos

Bença. Foto: Davi Arteac/Labfoto

A partir de 8 de maio, o público soteropolitano vai poder assistir a dois grandes sucessos do Bando de Teatro Olodum, grupo de atores negros que celebra 25 anos de história em 2015, marcados por mais de 20 montagens, 3 mil apresentações, atuação no cinema, televisão e turnês por diversos continentes. Serão reapresentados no palco do Teatro Vila Velha os espetáculos Bença, que permanece em cartaz às sextas e sábados, às 20h, e domingos, 19h; e o infanto-juvenil Áfricas, aos sábados e domingos, sempre às 16h. As duas peças seguem em temporada até 14 de junho.

"Escolhemos começar as comemorações com Bença pois foi com ela que celebramos nossos 20 anos. É uma peça que fala de ancestralidade, do tempo, e é um espetáculo que a gente apresentou muito pouco", conta o ator Jorge Washington, que lembra que, além de Salvador, a peça já esteve em Minas Gerais e Rio de Janeiro. Ao lado de Bença, o Bando escolheu apresentar o primeiro espetáculo infanto-juvenil do grupo: "Áfricas é um espetáculo necessário, pois educa adultos e crianças. A Lei 10.639 está aí", comenta o ator, em referência à lei de 2003 que tornou obrigatório o ensino de História e Cultura Africana e Afro-Brasileira nas escolas de Ensino Fundamental e Médio.

Áfricas. Foto: Caíque Bouzas/Labfoto

Este é apenas o início das comemorações do Bando, que já confirmou que vai ocupar o Teatro Vila Velha com programação especial durante todo o ano. "Todo mês teremos uma novidade para o público no palco do Vila, que é nossa casa há 20 anos", conta a atriz Valdineia Soriano. Entre as atividades previstas para o ano de celebrações, está a remontagem de Ó Paí, Ó - peça que ganhou versões no cinema e televisão -, exposição comemorativa, oficinas de formação e nova montagem, que estreia em novembro com texto da escritora Ana Maria Gonçalves (Um Defeito de Cor) e direção de Lázaro Ramos, uma das crias do Bando de Teatro Olodum. Para o projeto de celebrações, já aprovado em Lei Rouanet (mecanismo de incentivo fiscal), o grupo busca patrocinadores, mas afirma que realizará com ousem patrocínio.

Sobre Bença

Bença, que estreou em 2010 comemorando os 20 anos do grupo, trata do respeito aos mais velhos e homenageia o tempo, a memória cultural do povo negro e a sua ancestralidade.. Tudo isso com um sofisticado sistema tecnológico, que permite a manipulação de câmeras, mixers e computadores, em cena, pelos 20 atores. Com linguagem contemporânea e não linear, o espetáculo trata a passagem do tempo como algo construtivo e enriquecedor. Não um tempo cronológico que simplesmente passa, mas o tempo das coisas, ou seja, ele é circular e traz benefícios.

Os intérpretes contracenam entre si e com imagens em vídeo, projetadas em três telas: aparecem Bule-Bule, Cacau do Pandeiro, D. Denir, Ebomi Cici, Makota Valdina e mãe Hilza - figuras emblemáticas, e guardiãs da cultura afro-brasileira, que dão depoimentos sobre os temas da peça. Os movimentos vêm de rituais afro brasileiros e a música trava um diálogo entre ritmos sagrados de tambores, vozes humanas e sons sampleados e manipulados digitalmente. A direção do espetáculo é de Marcio Meirelles, coreografia de Zebrinha, direção musical de Jarbas Bittencourt e figurinos de Zuarte Júnior.

Sobre Áfricas

Primeiro espetáculo infanto-juvenil do grupo, com direção de Chica Carelli, Áfricastraz à cena o continente africano através do seus contos, seu povo, seus mitos e religiosidade. Assim, os atores, como griôs, contam histórias em narrativas permeadas de dança e música e resgatam de forma lúdica e poética o orgulho da ascendência africana no imaginário infanto-juvenil. Do Senegal, trazem Abdu, caçador de crocodilos, do Mali, duas irmãs e um feiticeiro, e da mitologia afro-brasileira a criação do mundo e histórias de Oxumarê e Omolu. A peça permanece em cartaz no Teatro Vila Velha de 9 de maio 14 de junho, sempre aos sábados e domingos, às 16h.

SERVIÇO

BENÇA

08/05 a 14/06 / sextas e sábados: 20h / domingos: 19h
Sala Principal / Teatro Vila Velha
Ingressos: R$ 30 e R$ 15

ÁFRICAS
09/05 a 14/06 / sábados e domingos / 16h
Sala Principal / Teatro Vila Velha
Ingressos: R$ 30 e R$ 15

Nenhum comentário:

Postar um comentário