quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Tragédia Ambiental


Não à implantação de usinas termoelétricas no Recôncavo Baiano.

Extremamente poluentes, usinas termoelétricas movidas a óleo pesado OCB1, como as que querem implantar no município de Sapeaçu, vão na contramão de toda política ambiental mundial. A expectativa do Movimento Termoelétricas Jamais é que o tema seja divulgado para amplo debate na sociedade.

A votação no CEPRAM (Conselho Estadual do Meio Ambiente), prevista para o último dia 02/10, foi adiada para o dia 29/10, quinta-feira, às 9h da manhã.

Envio links, textos informativos e, em anexo, um artigo enviado pelo Prof. Sivanildo Borges, pós-doutor em química pela USP, natural de Sapeaçu e residente no município. Dr. Sivanildo é professor na UFRB - Universidade Federal do Recôncavo Baiano.

É importantíssima a participação de todos. Divulguem e estejam presentes no dia 29. Essas duas termoelétricas, previstas para Sapeaçu, são apenas as primeiras de um total de 16 na Bahia, 9 delas no Recôncavo.

A poluição gerada por esse tipo de queima causa gravíssimos prejuízos à natureza e à saúde da população.

Iara Colina.
(71) 8728-9099

VAMOS LÁ:

O QUÊ: Votação sobre implantação de termoelétricas movidas a óleo pesado no Recôncavo Baiano – município de Sapeaçu.

QUANDO: 29 de outubro - quinta-feira - às 9h da manhã.

ONDE: Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração - Centro Administrativo de Salvador. (Reunião do CEPRAM – Conselho Estadual do Meio Ambiente)

ENDEREÇO: Auditório da SICM (Secretaria da Indústria, Comércio e Mineração) - 4ª avenida, 415, sala 106, 1º andar - Centro Administrativo de Salvador-BA.
***************************************************************************************
Mais informações:
No dia 02/10, na reunião em que seria votada a implantação das usinas, o CEPRAM alterou a ordem da pauta da reunião e tratou do tema das termoelétricas (previsto para ser o último ítem da reunião) logo pela manhã. Já havia chegado lá um dos ônibus vindos do recôncavo com pessoas dispostas a protestar contra a implantação das usinas na região.

No entanto, mais tarde (no horário previsto para a votação divulgado pelo CEPRAM), chegaram mais 3 ônibus da região e também Dr. Sivanildo Borges, pós-doutor em química pela USP e uma das lideranças do movimento Termoelétricas Jamais, que, portanto, não teve a oportunidade de ser ouvido na reunião do CEPRAM.

Por volta das 16h, os integrantes do Movimento interromperam por cerca de meia hora a Av. Paralela, sentido Iguatemi, com grandes faixas e banners, no intuito de dar maior visibilidade à questão, que não têm recebido ampla cobertura da imprensa. Na ocasião, estiveram registrando o acontecimento repórteres de um jornal de grande circulação no estado e de uma tv, também com excelente amplitude de audiência.

Apesar da cobertura mencionada, o evento não foi divulgado nem através do jornal, nem da emissora de tv.

Vocês podem conferir nos links abaixo as fotos que foram publicadas na Agência Globo.

http://www.agenciaoglobo.com.br/ui/fotosDia/Print.aspx?id=71183

http://www.agenciaoglobo.com.br/ui/fotosDia/Print.aspx?id=71184

*************************************************

Notícia do Estadão e ainda outras informações:

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20090406/not_imp350554,0.php

Na Veja Amazônia deste mês tem uma matéria intitulada “O pulmão intoxicado pelo diesel”, que começa assim:

As 260 termelétricas da Amazônia emitem o dobro dos poluentes produzidos pela frota de veículos da cidade de São Paulo.” O texto está transcrito no www.brasilagro.com.br/noticias.php?id=20924

Ali se fala de termoelétrica a diesel, e o óleo pesado é muitas vezes mais poluente que o diesel.

· O líder do movimento Termoelétricas Jamais é o professor Sivanildo Borges, da UFRB, com pós-doutorado em Química pela USP (um dos pós-doutores mais jovens do mundo), que não tem vínculo partidário. Ele é de Sapeaçu e já foi carregador de caminhão, agricultor, borracheiro e fabricante de farinha. Coloquem no Google “Sivanildo da Silva Borges” e vejam o currículo Lattes dele, e quantos trabalhos publicados em língua estrangeira ele tem, e depois “Sivanildo Borges” e vejam outras informações.

· Na internet tem muitas matérias sobre o tema, como esta:

Sapeaçu vai ter duas termoelétricas movidas a óleo pesado (OCB1)

Postado em 29 junho 2009 por Coordenador

A empresa Multiner pretende implantar na cidade de Sapeaçu, a 12 Km de Cruz das Almas, no Recôncavo, duas termoelétricas. Segundo Professor Sivanildo Borges, da UFRB, que é morador da cidade de Sapeaçu, esse óleo é altamente poluidor, pois é a fração do petróleo próxima ao àquela usado para pavimentação de vias.
Ele está na organização de uma manifestação para esclarecer a população sobre esse tipo de geração de energia. ‘A manifestação se justifica uma vez que as termoelétricas deverão gerar cerca de 300 mW de energia elétrica com a queima de cerca de 59 toneladas por hora do óleo pesado da Petrobrás. Isto significa uma contaminação ambiental atmosférica sem precedentes para o Território do Recôncavo da Bahia. O alcance das substâncias emitidas pelas termoelétricas serão de, no mínimo, 40 Km (palavras dos representantes da Multiner). Mas, acredito que deverá alcançar uma distância muito maior’, Sivanildo afirma.
E acrescenta : ‘A incidência de muitas doenças respiratórias está relacionada com o aumento da poluição atmosférica. Os hospitais da nossa região não estão preparados para tratar dos casos decorrentes desta poluição’.

A manifestação será realizada no dia 02 de julho (quinta-feira), a partir das 08h30min, na Praça da Matriz da cidade de Sapeaçu – BA.

(http://www.ufrb.edu.br/linkreconcavo/2009/06/29/sapeacu-vai-ter-duas-termoeletricas-movidas-a-oleo-pesado-ocb1/)

E esta:

Professor alerta para risco de doenças respiratórias com isntalação de termoeletrica em Sapeaçú



Convém esclarecer que esta manifestação se justifica uma vez que as termoelétricas deverão gerar cerca de 290 mW de energia elétrica com a queima de cerca de 59 toneladas do óleo pesado da Petrobrás, segundo Ata 326º do CEPRAM para transferência das usinas de Eunápolis para Sapeaçu lavrada em 30 de janeiro de 2009 http://www.semarh.ba.gov.br/cepram/326ata_2009.pdf) to significa uma contaminação ambiental atmosférica sem precedentes para o Território do Recôncavo da Bahia. O alcance das substâncias emitidas pelas termoelétricas serão de, no mínimo, 40 Km. Mas, acredito que deverá alcançar uma distância muito maior. Pois, os contaminantes oriundos da queima bem como do transporte do combustível, deverão alcançar corpos d´água e serem carreados.
A incidência de muitas doenças respiratórias está relacionada com o aumento da poluição atmosférica. Muitos relatos tem sido disponibilizados em artigos científicos sobre as repercussões clinicas da poluição atmosférica (http://www.scielo.br/pdf/jbpneu/v32s1/a02v32s1.pdf) tais como conjuntivites, bronquites, agravamento de asmas, pneumonias e muitas outras enfermidades respiratórias. Adicionalmente, há ocorrências de anomalias congênitas e incidência de fetos sem cérebro (http://www.conjur.com.br/2005-set-06...medir_poluicao). No sistema público de saúde não está apto para tratar dos casos decorrentes da eminente catástrofe ambiental anunciada.

Prof. Sivanildo da Silva Borges
Pós-doutor em Química pelo Centro de Energia Nuclear na Agricultura – USP.


Nenhum comentário:

Postar um comentário