quarta-feira, 18 de abril de 2007

Fala Dança

Qualquer iniciativa, como bem diz a etimologia, é um início. Deste ciclo Fala Vila sobre dança, fui pra dois dos três. Fica aqui a provocação de que isso seja um embrião para se discutir arte de forma mais sistemática, numa cidade onde a palavra discussão foge – por falta de inteligência ou coragem, não sei – dos meios possíveis para que ela se concretize como uma ferramenta de evolução da arte.

Leda Muhana e Rossana Alves apenas abriram possibilidades de discussão. Com um tempo curto para as duas, ficou no ar a vontade de debater, mais a fundo, questões sobre improvisação, tema principal de Rossana, e processos criativos, a base da apresentação de Leda.

Falando da experiência pessoal à frente de processos de improviso, Rossana nos mostrou – através de imagens e de sua fala – sua percepção da improvisação bem como sua contribuição acadêmica e criativa à frente de experimentos profissionais.

E foi sobre criatividade que Leda falou, trazendo toda sua experiência que a levou a um pós-doutorado. Desde o ensino coreográfico até os diferentes processos criativos e suas abordagens processuais, Leda Muhana mostrou uma ínfima parte de seu conhecimento e do que pode vir a ser um futuro debate sólido sobre a arte contemporânea (com direito a imagens do processo e do resultado de seu recente trabalho à frente do GDC).

Espero que possamos ter este espaço de forma mais ampla e regular. E por falar em ampla... Pensei que encontraria um Cabaré insuportavelmente cheio de bailarinos, pensei até que seria no palcão... Semana que vem é a última chance pra lotar o Vila e mostrar que queremos e precisamos discutir.

Gil Vicente Tavares

Nenhum comentário:

Postar um comentário