quinta-feira, 23 de julho de 2015

Evento multimídia encerra comemorações dos 50 anos do Vila

-->
Orelhão Multimídia no Pelourinho. Foto: Sora Maia

O Teatro Vila Velha rompeu os muros do Passeio Público ao completar 50 anos: foi às ruas de Salvador em forma de orelhões-multimídia. Em apenas uma semana em janeiro deste ano, o projeto colheu 780 depoimentos de todo tipo de gente. Dos registros foram produzidos um documentário e uma instalação multimídia, que serão apresentados no Passeio Público, na sexta-feira, 31 de julho, a partir das 17h30min.

O projeto “Eu, Por Exemplo” surgiu para provocar. E conseguiu. Os orelhões multimídia, equipados com tablets, chamaram a atenção do público. Com um design personalizado, criado pelo artista plástico Ray Vianna, os orelhões do Vila marcaram a cena urbana de Salvador durante os dias 23 e 29 de janeiro, chamando a atenção para o significado do Vila e sua história de resistência cultural e política.

O Projeto tem patrocínio da Oi e apoio cultural do Oi Futuro, através do Programa Fazcultura, das secretarias da Cultura e da Fazenda do Governo do Estado da Bahia. Para finalizar em grande estilo, a fachada do Teatro Vila Velha estará tomado por uma instalação videográfica que será realizada pelo videomaker Caetano Britto. Em seguida, a apresentação do documentário vai coroar o encerramento das comemorações pelos 50 anos do Vila.

Para o idealizador e coordenador do projeto, o jornalista Kau Rocha, o “Eu, Por Exemplo” cumpriu seu papel. O projeto atuou em duas frentes: levou para a rua a história do Vila e enriqueceu o acervo do centro de documentação do Teatro. ”Acredito que estas gravações já se constituem como um marco histórico da preservação da memória viva das artes cênicas do Brasil e, principalmente, da Bahia”, disse Kau Rocha.

Dos depoimentos, destacam-se os de Clarindo Silva (proprietário da Cantina da Lua), Ana Dumas (criadora do carrinho multimídia), Tuzé de Abreu (músico e compositor), Zito Moura (músico) e Jacques de Beauvoir (jornalista). Entre os depoentes, um fato em comum: todos têm algo a dizer sobre o Vila.

Registros - Em uma semana de produção, o “Eu, Por Exemplo” colheu e publicou no site www.faledovila.com, cerca de 780 depoimentos, todos espontâneos e que foram assistidos não só no Brasil, mas em dezenas de países ao redor do mundo. Até a última atualização, o número de vídeos baixados ultrapassava a casa dos 17 mil.

Memórias relembradas, histórias até então secretas, muitas saudações e mensagens de carinho revelaram a significativa presença do Vila na vida dos soteropolitanos. Gilberto Gil afirmou, certa vez, que o Vila é a pia batismal dos artistas baianos. Os depoimentos captados através dos orelhões são a demonstração cabal da importância cultural do lugar. Talvez, se fosse possível entrevistar o Vila, certamente, ele diria: a vida começa aos cinqüenta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário