terça-feira, 22 de julho de 2014

Vilavox comemora 13 anos com série de atividades no Teatro Vila Velha

Espetáculo O Segredo da Arca de Trancoso | Foto Alessandra Novais


Eduarda Uzêda / Jornal A Tarde*

O Grupo Vilavox, que começou como um coro performático de música e hoje é reconhecido pelos espetáculos que têm foco na pesquisa, comemora 13 anos de atividade artística refletindo sobre o fazer teatral.

Nesta quarta-feira, 23, a partir das 14 horas, no Teatro Vila Velha (sede onde nasceu o grupo que durante nove anos atuou como residente do espaço), várias atividades estão agendadas para que a data seja festejada e não passe em branco.

Além do lançamento de box de seis DVDs dos espetáculos da trupe baiana, será lançada, também, a segunda edição da Revista Vox da Cena, com artigos de especialistas sobre teatro. E mais: o grupo coordena um seminário sobre história da Bahia, intitulado "Dos Ávilas aos Magalhães", com a participação de pesquisadores.

Próxima montagem

O diretor do Vilavox, Gordo Neto, afirma que o seminário, que acontece das 14 à 18 horas, vai colaborar na pesquisa do grupo para a montagem de seu próximo espetáculo, "O Castelo da Torre", que tem previsão de estrear em 2015. Especialistas na área de Ciências Humanas vão falar sobre o tema.

A partir das 19 horas, acontece o lançamento da revista e - a cereja do bolo - das seis montagens que compõem o box dos seis DVDs do Vilavox.

Os DVDs registram apresentações das montagens "Trilhas do Vila" (2012), "Almanaque da Lua" (2003), "Primeiro de Abril" (2004), "Canteiros de Rosa" (2006), "Labirintos" (2008) e "O Segredo da Arca de Trancoso" (2012), que consolida o trabalho do Vilavox.

Estreia na Alemanha

"O Segredo...", que teve estreia internacional em Frankfurt (Alemanha) e nacional no Festival Latino Americano de Teatro - FILTE ano V, foi ainda contemplado com o Prêmio Braskem de Teatro 2012 na categoria espetáculo Infantojuvenil.

O diretor, que deu entrevista de Caetité, distante 757 quilômetros de Salvador e onde a peça foi apresentada, conta que esta foi selecionado no Edital Setorial de Teatro para apresentação em seis cidades do interior baiano.

A montagem também faz parte da programação do Palco Giratório 2014, realizado pelo Sesc, que passará por 30 cidades este ano. O calendário de apresentações vai até novembro.

"Com o lançamento de DVDs, o Vilavox apresenta às novas gerações o repertório teatral do grupo e preserva a memória", ressalta Gordo, que diz que o Teatro Vila Velha foi fundamental na formação do grupo.

Gordo conta que, a partir de 2010, entretanto, o Vilavox saiu do Vila Velha para sede própria: A Casa Preta, localizada no Largo Dois de Julho, Centro.

"Saímos como um adolescente sai da casa dos pais, querendo uma atuação mais autônoma e desejosos de ampliar nossos horizontes cada vez mais", frisa o encenador, que acredita que o Vilavox persistiu na cena porque sempre acreditou no fazer teatral e no teatro de grupo"

Depoimentos


O ator Claudio Machado, que está com o Vilavox desde a sua formação e dirige "O Segredo...", disse que entrou no grupo pela possibilidade de encontrar artistas de diferentes áreas e porque a proposta musical também o atraiu.

Já Márcia Lima acrescenta que, quando optou pelo teatro, pensava em brilhar na TV: "Não tinha ideia do que era trabalho coletivo. Comecei então a perceber um outro lado de fazer teatro e me encantei. Hoje pesquiso sobre a voz no teatro".

* Clique aqui e acesse a versão original da matéria 





sexta-feira, 18 de julho de 2014

Yoga na preparação do elenco de JANGO: UMA TRAGEDYA

 

Além de muito ensaio, os atores de Jango: Uma Tragedya preparam-se para o espetáculo praticando Yoga. A colaboradora da universidade LIVRE de teatro vila velha, Anita Bueno, trabalha com o grupo deste setembro do ano passado, e utiliza as técnicas de Yoga para melhorar o desempenho dos atores no palco. 

"O Yoga contribui profundamente com o ator, porque trabalha a parte física, fortalece o corpo com as técnicas corporais e  amplia a respiração, que é fundamental para voz. Para falar o texto, para cantar, o ator precisa da respiração correta. Além disso, trabalhamos também com a técnica de relaxamento e de meditação", conta Anita, que, além de professora de Yoga, é atriz da Companhia Teatro dos Novos, grupo fundador do Vila. "O yoga trabalha muito a concentração e o autoconhecimento. Yoga significa união consigo mesmo", complementa.

Jango: Uma Tragedya estreia em 31 de julho, 20h, em comemoração aos 50 anos do Teatro Vila Velha. A peça, único texto para teatro do cineasta Glauber Rocha, tem encenação de Marcio Meirelles e marca também os 50 anos do Golpe Militar. 



universidade LIVRE de teatro vila velha abre inscrições para Oficina




A universidade LIVRE de teatro vila velha abre inscrições para a seleção de sua Oficina. Durante três dias, os candidatos irão participar de um trabalho que reunirá as múltiplas linguagens que a LIVRE utiliza em seus processos criativos no Teatro Vila Velha, localizado no Passeio Público – Av. Sete de Setembro, Campo Grande.


Os candidatos que forem aprovados na seleção, seguem para oficina que é parte das atividades de extensão do programa e prevê a apresentação de dois experimentos cênicos durante o período de três meses. Os encontros acontecerão de segunda a sexta, das 14h às 18h, divididos da seguinte forma:


1 - Segundas, quartas e sextas para os encontros com os colaboradores da oficina;

2 - Terças e quintas para a realização de oficinas técnicas.



A LIVRE tem um ano e meio de atividades, sob a coordenação do encenador Márcio Meirelles, e constitui-se numa iniciativa pioneira que visa proporcionar aos seus participantes uma formação abrangente nas artes cênicas. Na LIVRE, todos têm a oportunidade de exercer atividades em vários setores do teatro, desde a produção artística até as demandas dos setores técnico, administrativo e operacional do Vila.



ETAPA 1 – Inscrição para seleção da oficina

Datas: De 21 de julho a 22 de agosto, das 14h às 18h

Valor: R$ 50 até o dia 15 de agosto, R$ 70 após essa data



ETAPA 2 – Seleção da oficina com Marcio Meirelles

Datas: 25, 26 e 27 de agosto, das 14h às 18h



ETAPA 3 – Inscrição na Oficina da LIVRE

Data: 28 ou 29 de agosto, das 14h às 18h

Valor: O participante poderá escolher entre as seguintes opções de pagamento:

1 - R$ 680,00 à vista (pagamento em dinheiro, cheque ou depósito bancário);

2 - Parcelado, em 3 vezes (1 entrada no ato da inscrição no valor de R$ 250,00 + 2 parcelas de R$ 300,00, com os prazos de 30 e 60 dias).



ETAPA 4 – Oficina da LIVRE

Datas: De 1 de Setembro a 30 de Novembro, de segunda a sexta, das 14h às 18h



Mais informações pelo telefone (71) 3083 4600 ou pelo grupo "universidade LIVRE de teatro vilavelha" no Facebook.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Atores da LIVRE apresentam Experimento 2.4

Será realizada leitura dramática do clássico Hamlet, de William Shakespeare



Neste domingo, 19h, a universidade LIVRE de teatro vila velha apresenta a leitura dramática de Hamlet. O Experimento 2.4 integra o segundo arco do projeto de formação de atores do Teatro Vila Velha, que investiga a obra do dramaturgo inglês William Shakespeare.

A leitura é resultado de duas semanas de trabalho com o diretor Hayaldo Copque. No entanto, desde março o grupo tem se debruçado sobre os clássicos Hamlet e Macbeth, de Shakespeare através de oficina de ritmo e métrica com o grupo Oficcina Multimedia, de Belo Horizonte, debates com o historiador Moreno Pacheco sobre o contexto histórico das obras, e trabalhos de interpretação com os diretores Bertho Filho, Chica Carelli, Martin Domecq, além do encenador Marcio Meirelles, diretor da universidade LIVRE de teatro vila velha.

Hamlet é a peça mais montada de William Shakespeare. Escrita entre 1599 e 1601, a tragédia se passa na Dinamarca e reconta a história de como o Príncipe Hamlet tenta vingar a morte de seu pai Hamlet, o rei, executando seu tio Cláudio, que o envenenou e em seguida tomou o trono casando-se com a mãe de Hamlet. A peça traça um mapa do curso de vida na loucura real e na loucura fingida — do sofrimento opressivo à raiva fervorosa — e explora temas como a traição, vingança, incesto, corrupção e moralidade.

Experimento 2.4 | Leitura dramática de Hamlet

20/07 | domingo | 19h
Cabaré dos Novos | Teatro Vila Velha
Ingresso pós-pago (o público escolhe o valor)

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Espetáculo dirigido por Marcio Meirelles é destaque em jornal de Cabo Verde

Nesta segunda-feira, estreou na cidade de Mindelo, em Cabo Verde, o espetáculo "Em defesa das causas perdidas - Uma Carta para D. Quixote", dirigido pelo encenador Marcio Meirelles como parte do projeto de intercâmbio lusófono K Cena. Durante cerca de um mês, o diretor trabalhou com 16 jovens atores caboverdianos, tendo como referências as obras "Em defesa das causas perdidas", do filósofo esloveno Slavoj Zizek, e Dom Quixote de La Mancha, clássico do espanhol Miguel de Cervantes, além de textos de autores como Mia Couto (Murar o Medo), José Régio (Cântico Negro), José Mario Branco (Mudar de Vida) e entrevista do primeiro-ministro de Cabo Verde a um jornal da região.

A peça transforma a cidade de Mindelo em "La Mancha", chamando atenção para problemas sociais enfrentados no país e em todo o mundo. O assunto foi destaque do caderno Etc., do jornal A Nação, de Cabo Verde. Acesse a matéria clicando aqui.

http://issuu.com/teatrovilavelha/docs/mate__ria_kcena/0 

Abaixo, veja algumas fotos do espetáculo.






Espetáculo dirigido por Marcio Meirelles é destaque em jornal de Cabo Verd

Nesta segunda-feira, estreou na cidade de Mindelo, em Cabo Verde, o espetáculo "Em defesa das causas perdidas - Uma Carta para D. Quixote", dirigido pelo encenador Marcio Meirelles como parte do projeto de intercâmbio lusófono K Cena. Durante cerca de um mês, o diretor trabalhou com 16 jovens atores caboverdianos, tendo como referências as obras "Em defesa das causas perdidas", do filósofo esloveno Slavoj Zizek, e Dom Quixote de La Mancha, clássico do espanhol Miguel de Cervantes, além de textos de autores como Mia Couto (Murar o Medo), José Régio (Cântico Negro), José Mario Branco (Mudar de Vida) e entrevista do primeiro-ministro de Cabo Verde a um jornal da região.

A peça transforma a cidade de Mindelo em "La Mancha", chamando atenção para problemas sociais enfrentados no país e em todo o mundo. O assunto foi destaque do caderno Etc., do jornal A Nação, de Cabo Verde. Acesse a matéria clicando aqui.
http://issuu.com/teatrovilavelha/docs/mate__ria_kcena/0 
Abaixo, veja algumas fotos do espetáculo.






Cine Vila exibe os filmes "Ser Tão Cinzento" e "Futuro do Pretérito: Tropicalismo Now"



 

Na próxima segunda-feira, 14 de julho, às 19h, acontece a segunda edição do Cine Vila. Desta vez, o cineclube do Teatro Vila Velha, lançado em junho, em parceria com a 3a Bienal da Bahia, recebe o diretor Henrique Dantas para um bate-papo após a exibição do filme Ser Tão Cinzento (2011), de sua autoria. O documentário, premiado no festival de internacional de documentários É Tudo Verdade e no Festival de Brasília, recria a memória do filme Manhã Cinzenta, do cineasta Olney São Paulo, sobre o período da ditadura militar. O curta une imagens originais de Manhã Cinzenta com diferentes memórias nas vozes dos entrevistados que assistem ao filme 40 anos depois de sua realização.

Será exibido ainda Futuro do Pretérito: Tropicalismo Now (2012), de Ninho Moraes e Francisco Cesar Filho, que apresenta um novo olhar sobre um dos movimentos mais importantes da história da cultura brasileira, o Tropicalismo. A entrada é gratuita. 


Sobre Ser Tão Cinzento

Ser Tão Cinzento, curta premiado no É Tudo Verdade e no Festival de Brasília em 2011, conta a história da perseguição política, por parte da Ditadura Militar no Brasil, contra Olney São Paulo, a quem Glauber Rocha chamava de “mártir do cinema brasileiro. A partir da projeção de Manhã Cinzenta (1969), uma das mais marcantes obras de Olney, nas paredes de uma construção em ruínas com elementos do cenário que remetem à tortura, o filme traz depoimentos de Orlando Senna, Silvio Tendler, José Carlos Avellar e Luis Paulino dos Santos, entre vários outros entrevistados, que falam sobre as filmagens de Manhã Cinzenta e sobre as circustâncias em que Olney foi perseguido, preso e torturado, vindo a falecer em 1978, vítima de um longo processo de abusos perpetrados pelo regime ditatorial civil/militar que vigorou por mais de 20 anos no Brasil.

Sobre Futuro do Pretérito: Tropicalismo Now


Documentário lítero-musical, que mixa entrevistas, shows, intervenções artísticas e atores em pequenos esquetes. No emblemático Teatro Oficina, o músico André Abujamra promove uma releitura das músicas do Tropicalismo intercaladas com depoimentos de Gilberto Gil, José Miguel Wisnik, Laymert Garcia dos Santos, Claudio Prado, Celso Favaretto e Marcelo Ridenti. Uma visão a partir da era digital para as ousadas propostas dos artistas que revolucionaram a arte e a cultura brasileira no final dos anos 1960 e que influenciou gerações no Brasil e no mundo.

terça-feira, 1 de julho de 2014

Espetáculo dirigido por Marcio Meirelles estreia em Cabo Verde


No dia 7 de julho, próxima segunda-feira, estreia na cidade de Mindelo, Cabo Verde, o espetáculo Em Defesa das Causas Perdidas. Dirigida pelo encenador Marcio Meirelles, diretor artístico do Teatro Vila Velha, a montagem faz um diálogo entre a obra homônima do esloveno Slavoj Zizek e o clássico Dom Quixote de la Mancha, do espanhol Miguel de Cervantes.

"É uma peça sem ação aparente, com personagens, mas sem desenvolvimento de uma fábula q conduza o discurso - é o discurso em si, coisa q sempre quis fazer e não consegui, talvez só com BENÇA mais ou menos e nos experimentos da LIVRE. D Quixote aparece quase sampleado sem um contexto aparente", comenta o diretor Marcio Meirelles, que optou por usar na peça ritmos de Cabo Verde, com o objetivo de "iluminar os discursos".

É a terceira vez que Marcio Meirelles dirige espetáculo fora do país. O diretor já montou a peça “Zumbi” (1995), em Londres, e “Sempre em frente até amanhecer” (2013) em Viseu, Portugal. O espetáculo é parte do projeto de intercâmbio lusófono K Cena, iniciativa do Teatro Viriato (Viseu, Portugal), em parceria com Teatro Vila Velha e com o Centro Cultural Português (Mindelo).