quarta-feira, 4 de junho de 2014

Teatro Vila Velha participa da abertura da 3a Bienal da Bahia

Na última quinta-feira, o Teatro Vila Velha deu as boas vindas a 3ª Bienal da Bahia. Por volta das 20h, a universidade LIVRE de teatro vila velha recebeu o cortejo-performance "Homens Invisíveis", encabeçado pela artista portuguesa Luisa Mota, ao som da música Teatro (Dom Quixote), feita por Tom Zé para a reinauguração do Vila, em 1998. 


Foto: Gillian Villa/Bienal


Durante a fala de abertura, nas vozes do ator Franklin Albuquerque, o Vila saudou a retomada da Bienal da Bahia e ressaltou a sua importância política, ao reivindicar o reconhecimento do passado, das duas primeiras bienais, a última delas interditada pelo regime militar.

Em seguida, atores da LIVRE apresentaram para cerca de 500 pessoas o trailer do espetáculo Jango, dirigido por Marcio Meirelles, peça que vai comemorar os 50 anos do Vila. Com estreia marcada para 31 de julho, data de inauguração do Teatro Vila Velha, Jango é o único texto para teatro escrito pelo cineasta Glauber Rocha, e narra o presidente João Goulart em seu exílio, após ser deposto pelo golpe militar.


Foto: Gillian Villa/Bienal

Foto: Gillian Villa/Bienal


A programação de abertura da Bienal prosseguiu com o bloco de rua De Hoje a Oito, a banda de forró Ceguêra de Nó e show de transformistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário