quarta-feira, 18 de junho de 2014

Companhia de dança brasiliense apresenta espetáculo Cidade em Plano e realiza atividades formativas no Teatro Vila Velha

Espetáculo Cidade em Plano. Foto: Isabela Cardoso.


Depois de passar por Curitiba e Recife, em sua turnê nacional, a Anti Status Quo Companhia de Dança (DF) chega a Salvador para apresentar nos próximos dias 20, 21 e 22 de Junho, no Teatro Vila Velha, o espetáculo Cidade em Plano, seu oitavo trabalho de dança contemporânea com direção da coreógrafa Luciana Lara. Os ingressos custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

Além das apresentações, a Companhia de Brasília promove atividades formativas e de intercâmbio de ideias. No dia 21, a coreógrafa Luciana Lara lança o livro “Arqueologia de um Processo Criativo – Um Livro Coreográfico”, às 17 h, na Sala Principal do Teatro Vila Velha, em evento aberto ao público. Na ocasião, será realizada uma mesa redonda sobre o tema “Processos Criativos em Dança” com a participação de Lia Robatto e Cristina Castro.

As coreógrafas Luciana Lara, Lia Robatto e Cristina Castro discutem “Processos Criativos em Dança”

Além disso, no mesmo dia 21 de junho (sábado), Luciana Lara ministra o workshop "Camadas de significado na dramaturgia do movimento", de manhã, das 9 às 12 horas, na Sala Principal do Teatro Vila Velha, com entrada gratuita. Logo à noite, após a apresentação do espetáculo, também no sábado, haverá um debate com o público.

Todas as atividades promovidas em Salvador fazem parte do Projeto de Circulação Nacional do espetáculo Cidade em Plano patrocinado pelo Fundo de Apoio à Cultura do DF (FAC) de 2013.

Sobre o espetáculo

Misto de dança contemporânea com artes visuais, performance e teatro, o espetáculo Cidade em Plano surgiu da investigação da relação do corpo com a cidade de Brasília. Quatro bailarinos em cena dançam ao som de uma trilha especialmente criada para o espetáculo que constrói um cenário sonoro a partir de sons da própria cidade. A concepção da cenografia é minimalista e o figurino é feito de cartões-postais. A coreografia, às vezes, é um convite à contemplação visual, outras vezes à reflexão crítica e ao mergulho em imagens e sons.

“A incursão neste tema veio da necessidade de refletir sobre a relação do corpo com o espaço da cidade e sua influência na formação da identidade de um indivíduo”, reflete a coreógrafa Luciana Lara. A Companhia partiu do pressuposto que o espaço urbano é uma manifestação concreta da natureza dos homens, e, dessa forma, a cidade seria um vestígio de seus desejos, ambições, ideário e contradições. Brasília marcou a história do Brasil com a sua invenção, é símbolo da ambição do país de ser moderno e, construída para ser a capital do Brasil, espelha os paradoxos de nossa cultura. A pesquisa coreográfica acabou tocando, assim, em questões sobre a identidade brasileira, a política e a relação do corpo com a arquitetura e o urbanismo de Brasília.

O espetáculo estreou em 2006 na Mostra de Dança XYZ em Brasília-DF e desde então tem sido apresentado em vários festivais de artes cênicas como Cena Contemporânea - Festival Internacional de Teatro de Brasília-DF, Bienal SESC de Dança de Santos-SP, Festival Brasileiro de Teatro - Cena Distrito Federal em Campo Grande-MS, Festival Expande Dança em São Paulo-SP, etc. A Companhia acaba de voltar do FITAZ – Festival Internacional de Teatro de La Paz - Bolívia.

O elenco em cena é formado pelos bailarinos João Lima, Luara Learth, Valéria Rocha e Vinícius Santana. A trilha foi composta especialmente para o espetáculo por Valéria Lehmann, Paulucci Araújo e Pablo Patrick com colaboração do DJ Chico Aquino. O trabalho do sound designer Antonio Serralvo tornou possível a ideia de fazer da trilha um cenário sonoro. A trilha criada originalmente quadrifônica, permite que o público perceba o som se deslocando no espaço, vindo de várias direções. O cenário e o figurino minimalistas foram idealizados por Luciana Lara e Marconi Valadares. A iluminação é de Marcelo Augusto. A operação da luz é de James Fensterseifer. Concepção, coreografia e dramaturgia foram realizadas sob a direção de Luciana Lara com colaboração dos bailarinos Carolina Carret, Cláudia Duarte, Marcela Brasil, Gigliola Mendes, Aline Maria, Karla Freire, Rafael Villa, Robson Castro, Juliana Sá, Breno Metre, Paula Queiroz e Leandro Menezes.

Atividades Formativas e de Intercâmbio

Workshop “Camadas de significado na dramaturgia do movimento”
21 de junho (sábado) – das 9 às 12 horas, na Sala Principal do Teatro Vila Velha


Workshop sobre o processo criativo do espetáculo de dança contemporânea “Cidade em Plano” da Anti Status Quo Cia de Dança, ministrado pela diretora e coreógrafa Luciana Lara. O workshop, dirigido a bailarinos, coreógrafos, performers, pesquisadores, professores e estudantes de dança e artes cênicas, é composto de estratégias e metodologias desenvolvidas durante o processo de criação da dramaturgia e da pesquisa de movimento que compõem o espetáculo. Serão realizados exercícios de percepção para a criação de movimentos baseados em propostas de improvisação com o foco em construção de estados corporais através de camadas de estímulos sensórios, estados de emoção, análise e crítica do tema e reflexão sobre a relação do corpo com a cidade.

Duração: 3 horas

Ministrante: Luciana Lara – Diretora e coreógrafa da Anti Status Quo Companhia de Dança sediada em Brasília (DF). Mestre em Artes, linha de pesquisa: Processos Composicionais para a Cena. Formada em Educação Artística com habilitação em Artes Cênicas pela Fundação Brasileira de Teatro - Faculdade de Artes Dulcina de Moraes. Especialização em Coreografia e Coreologia no Laban Centre em Londres- Inglaterra (2006-2008). Atua também como professora de corpo, movimento e dança contemporânea ( Universidade de Brasília -UnB, Faculdade de Artes Dulcina de Moraes e Centro de Dança do DF)

Mais informações: (71) 9168 6806 / (71) 9186 5251 / Inscrições gratuitas através do e-mail cidadeemplanossa@gmail.com


Debate: “Diálogos com a plateia – por de trás dos bastidores”
21 de junho (sábado) – após a apresentação do espetáculo – no Teatro Vila Velha

“Diálogos com a plateia – por de trás dos bastidores” é um programa de arte-educação e de formação de plateia desenvolvido pela Anti Status Quo Companhia de Dança desde 2003, que consiste na realização de um debate de 40 minutos de duração entre público e integrantes do elenco da Companhia após as sessões de apresentações de seus espetáculos.

O debate, realizado logo após as apresentações, proporcionará a interação direta entre o público que acabou de assistir o espetáculo e os artistas envolvidos na sua criação e apresentação. Mediado pela própria coreógrafa, diretora da Anti Status Quo Cia de Dança e arte-educadora Luciana Lara, o debate é planejado para ser conduzido de maneira informal no intuito de criar uma atmosfera que possibilite que o público se sinta à vontade e estimulado a participar. Não se trata de apenas um bate papo, pois possui uma metodologia que visa desenvolver a apreciação crítica e a fruição do espectador.


Lançamento do Livro “Arqueologia de um Processo Criativo – Um Livro Coreográfico”, de autoria da diretora e coreógrafa da Companhia Luciana Lara
21 de junho – às 17 h – na Sala Principal do Teatro Vila Velha

O livro é uma reflexão poética, crítica e visual do processo criativo do espetáculo Cidade em Plano. Palavras e imagens foram coreografadas para fazer dançar o pensamento do leitor, estimulando a imaginação no ato de acompanhar um raciocínio de criação. A publicação inclui um DVD com o registro do espetáculo.

Evento aberto ao público inclui a apresentação do livro de Luciana Lara e a realização de uma mesa redonda sobre o tema “Processos Criativos em Dança” composta pelas artistas da dança da Bahia Lia Robatto e Cristina Castro. O livro será o ponto de partida para um diálogo sobre modos de criação em dança, com intercâmbio de ideias sobre imaginários, poéticas, referenciais, metodologias, estratégias de composição, noções de estética e visões de mundo e de arte.O público poderá participar com perguntas e considerações. Um vídeo será gravado e disponibilizado gratuitamente na internet no site da Companhia.

Duração: aproximadamente 45 minutos.


SERVIÇO

Espetáculo: Cidade em Plano (Anti Status Quo Companhia de Dança de Brasília - DF)
Onde: Teatro Vila Velha (Avenida Sete de Setembro - Passeio Público)
Quando: 20, 21 e 22 de Junho
Horário: 20h (sexta e sábado) e 19h (domingo)
Duração: 75 minutos
Classificação etária: 18 anos
Ingressos: R$ 10,00 (meia) e R$ 5.00 (inteira)

Nenhum comentário:

Postar um comentário