quarta-feira, 4 de maio de 2011

Nós do Vila


Nome: Valdelina Graças dos Santos
Idade: 53 anos

Funcionária do Vila há 15 anos, Valdelina Graças dos Santos, mais conhecida como Dona Val, inaugura nossa série de perfis que farão parte das quartas aqui no Blog do Vila. O objetivo dessa série é fazer com que vocês, leitores, conheçam um pouco das pessoas que fazem parte da história viva do Teatro Vila Velha.

Dona Val é moradora do bairro de São Caetano e todas as manhãs enfrenta o trânsito caótico de Salvador pra chegar até aqui. “Minha filha, eu pego ‘buzu’! Venho no ônibus São Caetano/Engenho Velho da Federação que é um terror, sempre lotado”, comenta. Trabalhando na limpeza, Dona Val também auxilia na recepção do Teatro atendendo ao telefone e dando informações sobre a programação. Ela conta que chegou ao Vila através da atriz Tereza Araújo, que hoje mora fora do país. "Eu trabalhava na casa dela e também em outras casas. Ela soube dessa vaga e me trouxe pro Vila", conta.

Com relação à música, Dona Val gosta de MPB. Djavan, Roberto Carlos, Gal Costa, Maria Bethania e Ney Mato Grosso são alguns exemplos. “O único artista que todo dia eu digo que eu só vou assistir no dia que eu puder pagar um ingresso pra ficar cara a cara é Roberto Carlos. O resto eu posso assistir de qualquer fila, lá de longe, ver só o vulto no telão. Agora Roberto não. Ele é o número 1!”, conclui.

No Vila, Dona Val já encontrou alguns desses artistas. “Aqui no Vila já vi Gal, Bethania, Caetano e outros”. Para ela, apenas olhar já está de bom tamanho. “Eu não sou de chegar perto. Eu olho e pronto. Nunca tirei foto com esse pessoal”, afirma. De todos os espetáculos já encenados no Vila, Dona Val elege um como o preferido. “Pra mim o número 1, desde que eu estou aqui é “Esse Tal de Dom Quixote”. De vez em quando eu ainda falo com Marcio: se puder voltar..., mas é complicado. Eu acho que tinha quase 100 pessoas no elenco. Foi o espetáculo que inaugurou o palco principal e eu assisti e chorei em todas as apresentações. É muito bonito”, conta emocionada.

Nascida em Jequié, veio pra Salvador em 1969. Dona Val é solteira, tem quatro filhos, quatro netos e adora assistir novelas. Atualmente mora apenas com um filho e não tem animal de estimação. Ela diz não ter “paciência para bichos” e adora comer peixe “do jeito que ele vier: de ensopado, moqueca, frito”. Seu maior sonho é terminar a construção da casa própria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário