sábado, 31 de janeiro de 2009

10º Festival de Cenas Curtas

Estão abertas as inscrições para o 10º Festival de Cenas Curtas, promovido pelo Grupo Galpão, de Minas Gerais. A inscrição é feita gratuitamente para atores de todo o Brasil através do site www.galpaocinehorto.com.br. O prazo vai até o dia 27 de fevereiro.

Informações completas sobre este e outros projetos estão disponíveis no site e pelo telefone (31) 3481-5580.

SE JOGA, BAIANADA!

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Batuque dentro e fora da cozinha

O Show de Jarbas Bittencourt - Cozinhando o Som - é uma experiência sensorial singular:



Enquanto Jarbas "cozinha o som" com seu violão no palco, a cozinha funciona a todo gás e o público interage. Convidada pelo músico, a chef e proprietária do restaurante Mocambinho, Ilsa Barbosa, preparou com a ajuda do público o famoso Caldo de Sururu que é especialidades do seu restaurante.



Quando Jarbas começou a primeira música, Candaces – de sua autoria – a alquimia dos ingredientes já rolava na cozinha do Cabaré enquanto o público cortava os temperos e cantava junto. As canções se sucediam e pintaram composições mais recentes como “A mulher mais bonita do planeta” e “Cotidiano n° 3”.



Na metade do Show, o aroma incrível do Caldo da tomava conta do Cabaré e já se fundia às canções “O mundo é Meu” e “Colar do Oriente”.



Mas a experiência se completou mesmo quando, no finalzinho da apresentação, enquanto Jarbas cantava “Quando a Vida Vem” (última música da noite), o caldo de sururu original do Mocambinho foi servido para deleite e delírio completo do público. Valeu, Ilsa!




Gostou?!

Este sábado é a última chance para experimentar o caldo musical de Jarbas na programação do Vila Verão.

VENHA! Você vai gostar.

Jarbas Bittencourt - Cozinhando o Som - ÚLTIMA CHANCE!
NESTE SÁBADO, 31/01
18h - Cabaré dos Novos (aqui mesmo, no Vila)
R$ 16/ 8

em primeira mão


CONFIRMADA!

A Feijoada Vila Verão 45º está confirmadíssima para o dia 15 de fevereiro.

É domingo, vai fazer sol, o feijão é do bão,
a galera é massa e a música...

...a música, companheiro... vai ter Ilê Ayê!
e muito mais!

A próxima quarta-feira, dia 04/02, é o dia do anúncio oficial.
Até lá, a gente pode ir brincando com as informações pra lhe deixar com ainda mais água na boca...

Dia 15 vem aí...



trilha para a espera:
"Mulher
Você vai gostar
Tô levando uns amigos pra conversar
Eles vão com uma fome que nem me contem
Eles vão com uma sede de anteontem
Salta cerveja estupidamente gelada prum batalhão
E vamos botar água no feijão..."
(Feijoada Completa - Chico Buarque)

quantas vezes?

Cabaré da RRRaça é o espetáculo mais visto da trajetória do Bando de Teatro Olodum.

"É isso mesmo?!", perguntei só pra confirmar o que já me parecia bem claro.

"Com certeza!" - foi o que me disse Fábio Santana, integrante do grupo, com uma convicção que me fez pensar que a diferença é para o segundo lugar é enorme.

Era de esperar. Sempre que ouço alguém falar que assistiu ao espetáculo, quase necessariamente diz a quantidade de vezes. E com frequência o número é alto, tipo 7, 8 vezes...


antes era assim...

Hoje mesmo é dia. O Bando tá fazendo temporada de Cabaré até o carnaval, toda sexta-feira, 20h - logo depois do show de Pedro Morais - As rosas não falam, em homenagem ao sambista Cartola. Isso quer dizer que você ainda tem 3 chances de aumentar o seu saldo ou de descobrir porque o público é tão apaixonado pela peça.

Aconselho a chegar cedo. Porque lota. Lota mesmo!


Afinal, quantas vezes você já viu Cabaré da RRRAça? O que achou? Comente aí.

Bruno Machado
NUCOM
*foto de Márcio Lima

Último fim de semana de HABITAT

Último fim de semana para assistir ao espetáculo:
HABITAT - Lat 13º S Long 38º 31' 12'' O

Realizado pela Companhia Viladança, que encerra temporada de sucesso no Teatro Vila Velha.
A montagem fica em cartaz apenas sábado (dia 31/01) e domingo (dia 01/02), às 20h.
Ingressos R$ 5 e 10.




HABITAT, com coreografia e direção de Cristina Castro, marca os 10 anos do grupo baiano premiado internacionalmente.
O espetáculo de dança contemporânea toma Salvador como tema, e, a partir de sua riqueza de sons e imagens, discute seu dia-a-dia, sua gente, seu comportamento e outros elementos que identificam a capital baiana. As imagens e sons captados nas ruas também entram como elementos do próprio espetáculo. A trilha sonora incorpora ruídos colhidos em ônibus, porto marítimo, praias, feiras, etc. São sons de ondas do mar, motor de barco, vozes da multidão, barulhos do trânsito, que se misturam a piano, percussão, clarineta e programação eletrônica. Já as imagens registradas pela cidade são projetadas no palco e se unem ao cenário que se inspirou no excesso de informação visual que toma as ruas de Salvador, seja em outdoors, em cartazes, placas, propagandas coladas em postes, avisos.




Paralelamente ao espetáculo, acontece uma mostra no foyer, reunindo obras em diversas técnicas, que exploram o mesmo tema – a cidade – e foram desenvolvidas especialmente para o projeto.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

diferentes?


Como acabar com a intolerância e a injustiça...?


Entre equilibristas, palhaços e atiradores de facas, temas como racismo, guerra, ditadura, imperialismo e xenofobia são discutidos no circo de Diferentes Iguais.


Hoje à noite - 18h!


Para todas as idades!

*toda quinta até o carnaval

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

o que você sabe sobre "ó paí, ó"?




Era início da década de 90 quando o Bando de Teatro Olodum, dando os primeiros passos no cenário teatral baiano, ensaiava suas peças na antiga Faculdade de Medicina do Terreiro de Jesus, no Centro Antigo. O convívio diário com os moradores do Maciel Pelourinho e a participação nas movimentadas Terças de Benção já haviam inspirado o elenco do Bando na montagem de estréia da companhia, a peça Essa é Nossa Praia, de 1991. A boa aceitação do público e a conexão direta entre a realidade daquela comunidade com os questionamentos que o Bando queria levar ao palco fizeram com que o grupo voltasse a tematizar o Centro Histórico e os problemas enfrentados pelos moradores. Daí nasceu Ó paí, ó! que estreou em 1992, causando forte impacto na cidade.

“Ao montarmos a peça em 1992, parece que estávamos prevendo uma série de situações no Centro Histórico que atingiria diretamente os moradores, como a expulsão de suas casas, as dificuldade de acesso ao local, as violentas abordagens policiais, entre outros questionamentos feitos durante todo o processo de reforma que prosseguiu após a estréia da peça”, conta Val Soriano, integrante do grupo desde a sua formação.

O ator Jorge Washington, também fundador do Bando, começou a trabalhar no Pelourinho desde os 14 anos de idade e lembra a atmosfera da época: “a aglutinação da negrada despertou o movimento negro para a importância do local como palco de protestos e reivindicações sociais contra o preconceito racial, a violência contra os negros, entre outros problemas causados pelo racismo. Aí passaram a organizar grandes manifestações no Centro Histórico, com a presença dos blocos afros e uma negrada de vários pontos da cidade”.

Sobre a reforma que começou a ser feita bem naquele período, Jorge Lamenta que ela tenha tirado do Pelourinho esse clima político e de encontro democrático. “Colocaram uma roupa que não combinou com o corpo... ficou estranho”.


Ó paí, ó! é onde a galera coloca a boca no trombone.


.toda quarta e quinta, às 20h, até 12 de fevereiro.




Who's bad?!


*adaptado do release da peça
*fotos de João Meirelles

sacanagem...

Você já deve ter ouvido falar na história do cara que vai a uma festa e volta sem pênis...





HOJE TEM!


18h

R$ 10,00 e 5,00

mímica e teatro físico

olha a dica:


De 03 a 06 de fevereiro serão realizadas as oficinas gratuitas de mímica e teatro físico do projeto Mimus Mundi - patrocinado pelo Calendário de Apoio a Projetos da Funceb e com apoio do Curso de Artes Cênicas da Faculdade Social da Bahia. O projeto oferece espaço para divulgação e experimentação de técnicas teatrais com base na corporalidade e é aberto a todos os interessados.

Serão realizadas as seguintes oficinas:
- Mímica corporal dramática (George Mascarenhas e Deborah Moreira)
- A voz do corpo em cena (Juliana Rangel e Hector Briones)
- Ritmo e Musicalidade do Ator (Jacyan Castilho)
- Dramaturgia do corpo e suas escritas físicas na cena (Jorge Alencar).

As aulas serão realizadas no prédio central da Faculdade Social da Bahia (Ondina), das 8:30 às 12:30.

Os interessados podem se inscrever em até 03 oficinas e devem enviar currículo resumido para o email oficinasmimus@gmail.com até o dia 02 de fevereiro.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

inimitável





"Inimitável" foi como o compositor Álvaro Lemos acabou de se referir a Manuela Rodrigues - que faz show neste momento aqui no Vila. Convidado pela cantora para dividir os vocais de uma música feita em parceria com ele, foi assim que Álvaro definiu Manuela ao final da canção.

Eu gostei do termo.

Sem ouvir talvez seja difícil imaginar a que ele se refere, ou - talvez mais que isso - fique parecendo que é rasgação de seda entre amigos, cumplicidade artística etc.

A questão é que eu estou escutando Manuela desde o meio da tarde (já são 19h e continuo ouvindo - agora na apresentação), quando ela começou a passar o som e fiquei intrigado com sua voz. Diferente, eu pensei, mas não fiquei contente com a definição; até que ouvi Álvaro, categórico: "inimitável". Timbre muito próprio - não lembra a voz de ninguém - com muito brilho, natural, afinação invejável, técnica impecável... além de boa figura no palco! Belas composições, ótima banda... me amarrei.

Vou aguardar o disco, que foi aliás motivo da apresentação: o show é uma prévia do seu segundo CD, que tem lançamento previsto para março e é dirigido e produzido pela cantora juntamente com o músico Tadeu Mascarenhas.

Confira você mesmo:




Samuel Celestino x A Tarde

Segue colagem do Blog "Bahia de Fato".
Texto escrito por Oldack Miranda ontem, sobre acontecimentos do fim de semana na mídia baiana.

Se puder dar um pulinho lá no blog dele depois, vale a pena. Indico sobretudo aos que creem na suposta "crise da cultura".


Bruno Machado
Núcleo de Comunicação


Samuel Celestino versus noticiário de A Tarde


Entre a opinião pessoal do comentarista político Samuel Celestino, do jornal A Tarde, e o noticiário do jornal A Tarde, fico com o noticiário. De um lado, Samuel Celestino desanca o secretário de Cultura da Bahia, Márcio Meirelles, de outro, a reportagem do jornal A Tarde nos revela uma Secretaria da Cultura vitoriosa e dinâmica, uma revolução. Quem estará com a verdade? A opinião de um ou a reportagem de muitos?

O erro de avaliação de Samuel Celestino é julgar o conjunto da administração por uma única parte. A partir de uma suposta "agonia" do Balé do TCA, ele conclui arbitrariamente que a secretaria da Cultura vem sendo "mal gerida". E isso nas colunas de sábado (24/01/09) e de domingo (25/01/09).

E por que afirmo que fico com a reportagem do jornal A Tarde (26/01/09)? Porque, simplesmente, é mais objetiva e verdadeira, sem pecar por avaliação subjetiva e unilateral.

Leiam o Caderno Especial "Cultura em Movimento" do jornal A Tarde (domingo, 18/01/09). É um excelente caderno assinado por Patrícia Borba e Aleile Moura, com projeto gráfico de Edu Argolo. O Caderno Especial não somente explica o momento do Balé do TCA, como aborda os novos projetos e a ampliação dos recursos para a dança na Bahia. A Secretaria da Cultura promove a reestruturação da Escola de Dança da Fundação Cultural e também do velho e desgastado Balé do TCA. Nestes dois anos, cresceu o número de alunos da Escola de Dança e o Balé do TCA voltou-se para a formação de novos públicos. Acho que Samuel Celestino não leu o Caderno Especial do jornal A Tarde.

Não dá para aceitar uma opinião tão unilateral. A Secretaria da Cultura fez o Museu de Arte Moderna renascer das cinzas. Transformou o MAM, sob direção de Solange Farkas, num verdadeiro centro multicultural, com protagonismo no circuito de artes do país. Eu levo sempre meu neto, João Pedro, ao Projeto "Pinte no MAM" e sempre assisto as deliciosas "Jam Sessions" a R$ 2 (dois reais) a entrada.

E o Salão da Bahia? Transformou-se numa vitrine de artistas visuais baianos com destaque para o 15º Salão. E os salões regionais? Romperam o viciado cenário de artes visuais da Bahia e ganharam o interior do Estado.

Só com base numa suposta decadência do Balé do TCA, acho errada a conclusão do jornalista Samuel Celestino. Basta conversar com os produtores independentes de audiovisual para se notar a diferença, com a atuação do IRDEB, com os Editais do Fundo de Cultura. As premiações estão aí para provar o que digo.

Recomendo a Samuel Celestino ler o Caderno Especial de A Tarde. Tenho certeza de que ele vai mudar de opinião. Ele sempre foi um cara honesto. Basta ler o balanço do que foram estes dois anos de fortalecimento da música independente, a começar pelo orçamento. A nova política cultural da Bahia possibilitou apoio a novos nomes da música. E o projeto Neojibá de orquestras sinfônicas para crianças e jovens da periferia? E a maravilhosas apresentações da Orquestra Sinfônica no TCA?

A propósito, recomendo ao Samuel Celestino, que respeito muito, mas, com o qual não sou obrigado a concordar, a leitura da reportagem do jornal A Tarde sobre as novas propostas de trabalho do Teatro Castro Alves, incluindo o fortalecimento dos corpos estáveis do Complexo Teatro Castro Alves: o Balé do TCA e a Orquestra Sinfônica.

Ao contrário do que afirma Samuel Celestino, a cultura na Bahia nunca foi tão bem administrada como agora. O problema é que tem muito interesse particular contrariado.


# posted by Oldack Miranda @ 2:59 PM - 26/01/09
- http://bahiadefato.blogspot.com/

Para a dança não tem idade!!!

O espetáculo HABITAT do Viladança recebeu no dia 18 de janeiro 50 integrantes do Programa Maior Idade.




Nossa política de formação de platéia, financiada pela Secretaria Especial de Direitos Humanos, vem ao longo de toda temporada de HABITAT trazendo grupos de diversos seguimentos da sociedade, assim como: Fundação Pequeno Príncipe (crianças e jovens com sequelas de queimaduras); Programa EJA ( Programa Educação de Jovens e Adultos ); CMA HIP HOP; ONG KABUM (formação de jovens carentes); Escola Stª Ângela das Mercês e CESBA (Centro de Surdos da Bahia). Ainda são esperados para a última semana a Cidade do Saber e Solar Boa Vista.




A Cia Viladança acredita na reunião de esforços para dar acesso à cultura e levar pessoas dos mais diversos seguimentos da sociedade para o teatro e para o mundo da dança.

Casa Aberta


Criado para dar oportunidade e visibilidade a novas pesquisas coreográficas, o projeto Casa Aberta estreou em 2008 com a participação de 40 profissionais e sucesso absoluto de público.
Um ano depois, sob a coordenação do ator Ricardo Fagundes, o projeto já se configura como mais um espaço para a dança da Bahia, onde dançarinos e coreógrafos de diferentes vertentes, desde profissionais, estudantes e grupos de rua, apresentam seus trabalhos na programação especial MÊS DA DANÇA NO VILA, em abril.

Premiado pelo Edital BNB de Cultura – Edição 2009, o Casa Aberta anuncia boas novas como a extensão para 3 dias de programação - dias 07, 14 e 21 de abril, e a possibilidade de mais trabalhos serem apresentados, somando ao todo 15 coreografias para a edição 2009.

As inscrições para a seleção já se encontram abertas.

Poderão se inscrever solos, duos, trios ou trabalhos de grupos de qualquer estilo de dança, como dança contemporânea, dança-teatro, hip hop, clássico, capoeira, performances, entre outras, com até quinze minutos de duração e concepções de luz e cenário adaptáveis.

Os interessados devem enviar suas propostas ao TEATRO VILA VELHA, aos cuidados de Ricardo Fagundes / Cia Viladança, contendo release, ficha técnica, rider técnico, fotos e DVD.
O resultado será divulgado na primeira quinzena do mês de MARÇO, pela internet, no endereço www.teatrovilavelha.com.br/blog.

- Casa Aberta

O projeto Casa Aberta é uma das ações do Núcleo de Dança do Teatro Vila Velha/Viladança e integra o MÊS DA DANÇA NO VILA, programação que acontece há dois anos no Teatro Vila Velha, combinando espetáculos locais, nacionais e internacionais, mesas-redondas, oficinas e vídeos, para celebrar e difundir a dança em suas variadas vertentes. A comemoração do MÊS DA DANÇA NO VILA insere Salvador na agenda de eventos que, ao redor do mundo, se voltam para o Dia Internacional da Dança, 29 de Abril, instituído pela UNESCO com objetivo de promover a linguagem da dança.

O Casa Aberta consiste na realização de uma mostra diversa da dança, reunindo criações de intérpretes e coreógrafos baianos. O projeto promove um novo espaço para a investigação e experimentação estética, apresentando a cada noite, 04 trabalhos no palco principal e 01 performance nos outros espaços do teatro: Cabaré dos Novos, Foyer ou área externa.
O projeto disponibiliza, aos artistas participantes da programação, a divulgação, pauta do teatro, equipe e infra-estrutura técnica necessária a realização dos trabalhos, sendo a bilheteria do dia dividida entre os participantes.


Mais informações : Ricardo Fagundes - Coodenador do Casa Aberta

ricardofagundes@hotmail.com

Última chamada!

Ainda não enviou a marca comemorativa dos 45 anos do Vila? Então corra! O prazo é até sexta-feira (30/01). As marcas estão chegando...

Envie logo a sua e concorra a entrada gratuita com acompanhante durante todo o ano. E também poderá receber uma cópia de cada criação com a aplicação da marca.

Mande a sua marca para comunicacao@teatrovilavelha.com.br e boa sorte! O resultado do concurso sairá até o dia 05 de fevereiro.

Mais informações e briefing no site do TVV e pelo telefone (71)3083-4610/4612

sábado, 24 de janeiro de 2009

Acabou-se o que era doce!!!

A procura foi grande e rapidamente as 30 vagas para a Oficina de Teatro d'A Outra Companhia que integra o projeto Conexão Shakespeare-Nordeste acabaram. Esta oficina acontecerá entre os dias 04 e 13 de fevereiro no passeio público do Teatro Vila Velha, e infelizmente não tem mais vagas.

Hoje, sábado, acabou também a primeira etapa do intercâmbio realizado entre A Outra e os Clowns. O trabalho foi super bacana, a dinâmica aconteceu, crescemos muito nesses nove dias de trabalho com Fernando Yamamoto (diretor do Clowns de Shakespeare) e estamos anciosos pela próxima etapa que acontece em março. Muito em breve divulgaremos a programação das outras oficinas que integram o projeto e do seminário sobre Shakespeare que acontecerá aqui no Vila.

Pra todos já irem se programando no dia 19 de março acontece a leitura do texto Trabalhos de amor perdidos. A direção é de Fernando e o elenco será composto pel'A Outra e pelos Clowns. Vai ser muito bom!

E se você ficou curioso para entender o projeto e para saber curiosidades dessa primeira etapa é só conferir o blog do Conexão Shakespeare-Nordeste:
http://www.conexao-nordeste.blogspot.com/

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

revolução


Tudo remexido aqui no Vila com a Bienal:

O Cabaré dos Novos foi transformado no Café Literário Machado de Assis, onde acontecem debates de literatura e cinema, lançamento de livros, recitais de poesia e mostra de filmes nacionais.

No foyer, um centro digital foi montado, com computadores e telão, para aulas de edição de vídeo. Os corredores que levam ao palco e ao Cabaré receberam as telas da exposição “O que é o Teatro?”, uma parceria com o Ministério da Cultura de Portugal, articulada pelo diretor teatral baiano Maurício Pedrosa e agregada à grade da Bienal.

A Sala principal é o lugar da Mostra Estudantil de Artes Cênicas com apresentações de diferentes lugares do Brasil, como o Núcleo de Investigação Teatral de Montes Claros (Minas Gerais) e o Coletivo de Atores Negros (da Bahia).

E até domingo tem muito mais.

É assim que a gente gosta!


E veja aqui:
















gostou?!

apareça
!

E o dia 14, D. Isabel?

foto de divulgação extraída do overmundo




Lá do alto, um homem branco come frango e bebe vinho...

O que aconteceu com os negros no dia seguinte à abolição da escravidão inspirou a montagem do espetáculo Dia 14, dirigido por Ângelo Flávio, do CAN (Coletivo de Atores Negros). Nele, personagens retratam as desigualdades sociais no Brasil e a trajetória do negro, desde 1888 até os dias atuais.

Essa peça faz parte da programação da Bienal da UNE no TVV e, em virtude dela, não teremos hoje a apresentação de Cabaré da RRRRRaça, que volta no dia 30/01.

Dia 14
Hoje – 20h
Sala Principal
Entrada franca

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

"Meu rei, nunca mais"

Carta Capital - 16/01/2009 /16h45


Ana Paula Sousa


Na abertura do 15º Salão de Arte do Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA), em dezembro, moradores da comunidade do Unhão, recanto carente da Baía de Todos-os-Santos, circulavam com copos e sorrisos pelo casarão do século XVII que durante anos esteve para eles fechado. “Antes, só de olhar, já vinha polícia dizer pra gente circular”, conta Francinaldo Ribeiro. A abertura do MAM para os vizinhos antes barrados, por mais que soe a detalhe, tem um importante valor simbólico. Parece que a Bahia, após anos de carlismo, começa a ver, também na cultura, as oligarquias se encolherem.


O Salão de Arte do MAM-BA, um dos mais prestigiados do País, sempre foi, localmente, um evento para chiques e famosos. Conta-se, inclusive, que a socialite carioca Narcisa Tamborindeguy, num dos coquetéis de abertura, foi passear numa passarela de madeira, desequilibrou-se e, simplesmente, caiu no mar. Folclores à parte, é fato que o museu, idealizado pela arquiteta Lina Bo Bardi, na década de 1960, foi, ano após ano, afastando-se de seu sentido original.


Basta dizer que boa parte dos visitantes do Solar do Unhão, restaurado para abrigar o MAM, ia até lá para conhecer o restaurante. Muitas vezes, os turistas saíam sem nem sequer saber da existência do museu. Ao assumir a direção do espaço, em 2007, Solange Farkas decidiu não renovar a licença do restaurante, que, entre outras coisas, enchia de gordura o lugar onde ficava guardado o acervo. “Mas essa era só a cereja do bolo num cenário caótico. Quando entrei na reserva técnica, tive vontade de desistir”, diz Solange, produtora cultural nascida na Bahia, mas radicada em São Paulo, criadora do VideoBrasil.


O retorno de Solange Farkas à Bahia é semelhante ao de outros baianos ligados à cultura que, durante a dinastia ACM, simplesmente desistiram da terra natal. Ao assumir a Secretaria de Cultura do governo Jaques Wagner, o diretor teatral Márcio Meirelles decidiu levar de volta, para postos importantes, duas dessas figuras: Solange e o pianista Ricardo Castro, à frente da orquestra do Estado e de um projeto de integração social por meio da música, o Neojibá.


Solange conhecia o secretário dos tempos de juventude. Quando menina, chegou a fazer teatro com ele. “Minha vida estava toda em São Paulo, mas acho que qualquer baiano, quando o ACM perdeu, ficou olhando pra cá com vontade de fazer alguma coisa. Quando Márcio me chamou, como eu poderia dizer não? Era também o resgate da força que a Bahia teve um dia na cultura.”


*Confira a íntegra dessa reportagem na edição impressa

OFICINA! OFICINA!

Se ligue!

Mais 2 oficinas, pra quem tá no embalo do Vila Verão 45º:

- OFICINA DE INICIAÇÃO TEATRAL, com A Outra Companhia de Teatro.
de 04 a 13 de fevereiro
(segundas, quartas e sextas) - das 14h às 16h
GRATUITA!
As inscrições podem ser feitas através do e-mail aoutra@teatrovilavelha.com.br com o envio de nome completo, RG, data de nascimento, endereço e telefones de contato.


- INTRODUÇÃO AO TEATRO DIALÉTICO
promovida pela Companhia do Latão em parceria com o Grupo Vilavox
Introdução aos princípios do teatro dialético do ponto de vista da experiência da Companhia do Latão. Prática de atuação com base na interação entre improvisações realistas e a narrativa. Exercício sobre modificação do ponto de vista numa cena.
dias 26 e 27 de janeiro (segunda e terça)
das 09h às 12h
R$ 50,00
Inscrições com o grupo Vilavox pelo telefone 3083-4616 (à tarde).

O que é o Teatro?

Até o dia 15 de fevereiro o Vila é um dos portos onde atraca a exposição O que é o Teatro?. Mandada d'além mar pelo Ministério da Cultura de Portugal, foi o diretor teatral e artista plástico Maurício Pedrosa o responsável por fazê-la ancorar nesta baía, neste Teatro-de-todos-os-Santos, a partir de contatos que estabeleceu quando andava por lá.

A mostra traz painéis que respondem à pergunta-título através de textos e imagens sobre a história do Teatro - 2.500 anos, desde a Grécia até a atualidade.

Parte da programação da VI Bienal Cultural da UNE, a exposição acontece simultaneamente no Vila, TCA e Teatro Martim Gonçalves (Escola de Teatro da Ufba).

Venha ver!

- de 22 de janeiro a 15 de fevereiro
- das 14h até 1 hora antes do final do último espetáculo do dia
ENTRADA FRANCA

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

A Bienal da UNE começa hoje!

O Vila tá lotado de sotaques diferentes. Muitos cabelos compridos, barbas por fazer, saias indianas, colares de sementes e bolsas a tiracolo. E muito mais do que isso, é claro!

No Passeio Público mesmo, a organização do evento montou uma estrutura bem mais interessante que a do carnaval que acontece ali. Que sirva de inspiração, não só para o carnaval, mas para os produtores de plantão, em busca de espaços alternativos pela cidade. Tá lindo mesmo!

E por falar em carnaval, olha só o que eu recortei do fórum de nossa comunidade no orkut - tópico criado por Lucas Jerzy:

Bienal da UNE antecipa Carnaval de Salvador!
A abertura será hoje, e consistirá no seguinte:

- às 19h, frevar com o Trio Elétrico de Armandinho, Dodô & Osmar, na guitarrinha bahiana, saindo da frente do Teatro Castro Alves e subindo até a Rua Chile;
.
- às 22h, show, de graça, do Cordel do Fogo Encantado, no Terreiro de Jesus - Pelourinho.
.
Lembrando que, antes do Cordel, na Praça Teresa Batista, tem como sempre a genial e imperdível Orkestra Rumpilezz.

QUEM PERDER É MULHER-DO-PADRE!

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Bienal da UNE


começa amanhã a Bienal da UNE!

confira!
(clique aqui)


Extra! Extra!



Como todos sabem, em virtude da Bienal da Une que acontece esta semana aqui em Salvador, e como o Vila é um ponto de realização das atividades, amanhã, terça-feira não haverá apresentação de Arlequim - servidor de dois patrões.
Mas, pra ninguém ficar com saudades das trapalhadas e confusões de Arlequim Bardalo, hoje, as 19 horas, A Outra Companhia de Teatro faz uma apresentação extra do espetáculo na praça do Campo Grande.
Esta sessão extra está ligada ao projeto Conexão Shakespeare-Nordeste, proposto pelo Grupo de Teatro Clowns de Shakespeare (RN). Trata-se de um intercâmbio entre o grupo potiguar e o Ponto de Cultura do Teatro Vila Velha via A Outra Companhia que está trabalhando, intercambiando, trocando informações durante toda esta semana com os Clowns e esta apresentação faz parte deste processo.
Se você que saber mais sobre o Conexão Shakespeare-Nordeste acesse o blog: http://www.conexao-nordeste.blogspot.com/.
E não perca hoje, as 19 horas, na praça do Campo Grande Arlequim-servidor de dois patrões.

CONCURSO DE LOGOMARCA 45anos

Tivemos problemas com o nosso servidor para atualização do site e, por conta disso, o briefing do concurso para criação da marca comemorativa dos 45 anos do Vila não está disponível lá, como foi divulgado na imprensa.

O problema será solucionado a qualquer momento, mas, por garantia, segue abaixo o referido resumo.


BRIEFING
Nossa marca original é usada há 45 anos, sem alterações. Ela é formada por um sol estilizado junto com o nome do Teatro. O Sol da marca original parece muito com um sol de Tarot. Ninguém sabe o porquê da escolha deste sol, especificamente. Hoje em dia ele está indiscutivelmente associado ao Vila e, assim, a única regra para a criação da marca é que tenha referência ao Sol, - além dos 45 anos. E fazemos questão repetir sempre o nosso "slogan/convite" principal: VÁ AO VILA, VELHO!

O TEATRO
O Vila Velha é um Teatro privado, gerido por uma ONG chamada Sol Movimento da Cena. Foi fundado em 1964 com muita luta de um grupo de artistas que se reuniram a fim de realizar a arte do Teatro de forma autêntica, com características próprias da Cultura baiana. Eles se batizaram de Companhia Teatro dos Novos e existem até hoje como um de nosso grupos residentes.

Além de alugar o espaço, o Vila produz seus próprios espetáculos - seguindo o espírito original de sua fundação - e abriga 6 grupos de artes cênicas trabalhando constantemente aqui dentro: Companhia Teatro dos Novos, Bando de Teatro Olodum, Companhia Viladança, Companhia Novos Novos, Grupo Vilavox e A Outra Companhia de Teatro. Estamos abertos também para artes plásticas, cinema, literatura e quaisquer experimentações que caibam em um palco; e ainda funcionamos como uma escola formadora de técnicos e artistas, oferecendo oficinas regularmente.

Em 1998 o Vila foi reformado - o que fez com que seu palco se tornasse o mais versátil e moderno da Bahia, talvez do Nordeste. O novo projeto permite que o palco e a platéia sejam rearrumados de muitas maneiras diferentes e, com isso, dá pra fazer de tudo. “O Vila é o Teatro onde é possível”.

_________


Se você não está sabendo do que se trata, se ligue:

TVV promove concurso de logomarca

Para comemorar seus 45 anos de existência, o Teatro Vila Velha realiza concurso para escolha de uma logomarca especial que destaque o aniversário. O desenho eleito será associado a nossa programação durante todo o ano de 2009 (a partir de março) e aparecerá em todas as nossas peças e criações gráficas. O ganhador do concurso recebe, em contrapartida, passe livre para todas as apresentações que aconteçam na casa até o final do ano, com direito a acompanhante. Se tiver interesse, ele ainda recebe uma cópia de cada uma das criações com a aplicação da arte. Não há restrições de nenhum tipo para participação no concurso. O prazo para entrega do material em formato digital de alta qualidade é o dia 31 de janeiro, através do email comunicacao@teatrovilavelha.com.br. O resultado sai até o dia 5 de fevereiro. Mais informações e briefing em www.teatrovilavelha.com.br ou pelos telefones (71) 3083-4610/ 4612.


Concurso: Marca dos 45 anos
Entrega de material até 31 de janeiro
Resultado até 5 de fevereiro
Mais informações: www.teatrovilavelha.com.br
(71) 3083-4610/ 4612

sábado, 17 de janeiro de 2009

Cartão postal de Salvador


Quem for assistir ao espetáculo HABITAT - Lat 13º S Long 38º 31' 12'' O, da companhia Viladança, sábado, no Teatro Vila Velha, poderá enviar gratuitamente um cartão-postal do grupo para qualquer ponto do país. A ação, que fez sucesso durante a temporada de estréia da montagem, em dezembro, volta agora por apenas mais um dia, graças a uma parceria com os Correio, que patrocina o espetáculo e aplaudiu a idéia, que ajuda a resgatar a prática junto à população. Uma caixa dos Correios e uma atriz e funcionária da empresa estarão no foyer do teatro. O cartão-postal serve ainda como pré-convite, para quem recebê-lo, e mostra uma interferência digital sobre uma das mais conhecidas paisagens de Salvador.

A capital baiana é o tema do espetáculo HABITAT que prossegue em temporada até 1º de fevereiro. A mais recente montagem da companhia Viladança comemora os 10 anos de trajetória do grupo baiano premiado internacionalmente. O espetáculo de dança contemporânea parte da riqueza de sons e imagens da cidade, discutindo suas paisagens, arquitetura, comportamento e dia-a-dia.



Vale a pena conferir!

Espetáculo: HABITAT - Lat 13º S Long 38º 31' 12'' O
Local: Teatro Vila Velha
Datas: 17, 18 e 31 de janeiro e 1º de fevereiro de 2009
Horário: 20h
Ingressos: R$10 (inteira) e R$5 (meia)







Cia. Viladança

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Cartão Postal de Salvador

Quem for assistir ao espetáculo HABITAT - Lat 13º S Long 38º 31' 12'' O, da companhia Viladança, sábado, no Teatro Vila Velha, poderá enviar gratuitamente um cartão-postal do grupo para qualquer ponto do país. A ação, que fez sucesso durante a temporada de estréia da montagem, em dezembro, volta agora por apenas mais um dia, graças a uma parceria com os Correio, que patrocina o espetáculo e aplaudiu a idéia, que ajuda a resgatar a prática junto à população. Uma caixa dos Correios e uma atriz e funcionária da empresa estarão no foyer do teatro.


O cartão-postal serve ainda como pré-convite, para quem recebê-lo, e mostra uma interferência digital sobre uma das mais conhecidas paisagens de Salvador. A capital baiana é o tema do espetáculo HABITAT que prossegue em temporada até 1º de fevereiro. A mais recente montagem da companhia Viladança comemora os 10 anos de trajetória do grupo baiano premiado internacionalmente. O espetáculo de dança contemporânea parte da riqueza de sons e imagens da cidade, discutindo suas paisagens, arquitetura, comportamento e dia-a-dia.

Vale a pena conferir!

Espetáculo: HABITAT - Lat 13º S Long 38º 31' 12'' O
Local: Teatro Vila Velha
Datas: 17, 18 e 31 de janeiro e 1º de fevereiro de 2009
Horário: 20h
Ingressos: R$10 (inteira) e R$5 (meia)

Conexão Shakespeare-Nordeste






Esse mês, no Vila, em meio a eventos e à programação do Vila Verão 45º, começa em 16 de janeiro o Conexão Shakespeare-Nordeste.

Proposto pelo Grupo Clowns de Shakespeare (RN), o projeto é um intercâmbio entre a companhia potiguar e o Ponto de Cultura Teatro Vila Velha e prevê uma série de atividades realizadas aqui no Teatro nos meses de janeiro, fevereiro e março, todas tendo como objetivo formação, troca de experiências e interação entre artistas.

Na programação, intercâmbio, oficinas gratuitas, debates sobre montagens de obras shakesperianas feitas pelos Clowns e por artistas baianos, e a leitura de um texto de Shakespeare realizada em conjunto pelo grupo e A Outra Companhia de Teatro. Fernando Yamamoto - diretor dos Clowns de Shakespeare - chega essa semana e já começa os trabalhos de preparação para leitura com A Outra.

Em contrapartida, A Outra, como representante do Ponto de Cultura Teatro Vila Velha, oferecerá uma oficina gratuita de iniciação teatral , de curta duração, entre os dias 04 e 13 de fevereiro. As aulas acontecem das 14 às 16 horas, às segundas, quartas e sextas.

Inscrições já podem ser feitas através do e-mail aoutra@teatrovilavelha.com.br com o envio de nome completo, RG, data de nascimento, endereço e telefones de contato.

Até março serão realizadas outras três oficinas ministradas pelos Clowns, além de encontros e debates sobre artes cênicas.

Conecte-se! Shakespeare-Nordeste!

ó paí, ó...

vale a pena ver de novo...





Começa hoje e só pára quando chegar o carnaval!
TODA QUARTA E QUINTA*
20 HORAS
.aqui no Vila.

* nesta quinta, excepcionalmente, não haverá apresentação, em virtude da Lavagem do Bonfim.

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Pré

Uma semana antes de seu show aqui no Vila, Manuela Rodrigues inicia uma oficina de canto no Teatro Gamboa Nova - nosso vizinho e irmão mais novo. O curso se chama Campo Vocal Consciente e começa na próxima terça, dia 20. Uma ótima chance para quem perdeu as incrições da oficina de Canto com Marcelo Jardim, pelo Vila Verão 45º.

Na terça-feira, dia 27, é quando Manuela canta aqui, em nosso Cabaré. O show se chama "Pré" e traz uma prévia do disco que Manuela lança ainda este ano.

Quer saber mais sobre a oficina? www.teatrogamboanova.com.br

Quer saber mais sobre o show? www.teatrovilavelha.com.br

HOJE!


Era uma vez, uma moça que recebia visitas de um príncipe encantado em forma de papagaio. Certo dia, essas visitas são descobertas e colocam uma armadilha na janela por onde entrava o príncipe/papagaio. Ao tentar entrar para visitar a amada, ele se fere gravemente e foge para o seu reino. A moça então sai em peregrinação em busca desse reino e da cura do seu amado. Essa paixão entre a moça e o príncipe/papagaio é contada por três narradores, cada um com a sua versão. Então são três histórias?! Venha e confira!




Cabaré - 18h
ENTRADA FRANCA
com a ilustre presença do compositor da trilha sonora: Chico César.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Amanhã é a vez d'A Outra


Amanhã estréia no Vila Verão Arlequim - servidor de dois patrões.
Este ano A Outra Companhia completa cinco anos de Arlequim e cinco anos de atividades. O mais jovem grupo residente do Vila, ao longo dessa meia década produziu seis espetáculos, viajou pelo nordeste e parte do sudeste, participou de festival, realizou intecâmbios, debates e seminário, produziu uma mostra de cinema, ministrou oficinas, enfim, aprendeu, se desenvolveu e também contribuiu para a cena teatral local.
Este ano não vai ser diferente. Ministraremos mais oficinas, montaremos mais espetáculos, voltaremos a cartaz com espetáculos de repertório, viajaremos e faremos mais intercâmbio. O primeiro do ano vai começa ainda em janeiro. No início da próxima semana começa o intercâmbio Conexão Shakespeare-Nordeste.
Proposto pelo Grupo de Teatro Clowns de Shakespeare (RN), o intercâmbio prevê uma interação dos nossos amigos potiguares com o Ponto de Cultura Teatro Vila Velha. O projeto prevê ainda a realização de oficinas gratuitas, um seminário sobre Shakespeare e uma leitura dramática feita por eles e pel'A Outra.
Muito em breve serão divulgadas as datas das oficinas. Fiquem ligados!
E não percam a temporada de verão de Arlequim, todas as terças, às 20 horas, no Teatro Vila Velha.

A Vila no Vila

Vila do Choro durante o Vila Verão 45º. Toda segunda!

Hoje tem, venha!

O grupo Novato convida Ivã Sacramento, Carlinhos do bandolim e Eduardo da flauta para fazer aquela roda de choro, alegre e descontraída, com todo mundo participando.

Pode cantar junto, dançar e tocar também.



olha os Novatos aí...

Vila do Choro
Elisa Goritzki - flauta
Dudu Reis - cavaquinho
Victor Sales - violão 7 cordas
Edson Santos - violão 7 cordas
Cacau - pandeiro

Hoje - 18h
Cabaré - R$ 10/5

último minuto

Você não se inscreveu para as Oficinas de Verão, não foi?

Não precisa chorar... O Vila vai dar o prazo limite (aí é limite MÁXIMO mesmo) de até meia hora antes de começar a oficina desejada para os interessados se inscreverem...

Mas, aviso aos postulantes: são bem poucas as vagas restantes, então é bom CORRER!

Oficina de Teatro para iniciantes, por exemplo, tivemos de abrir uma turma extra, com Vinicio, d'A Outra:

EXTRA! - Teatro para iniciantes com Vinicio de Oliveira Oliveira
De 13 de Janeiro a 8 de fevereiro 2009
Orientador: Vinicio de Oliveira Oliveira
Sala João Augusto
Dias: Terças e sextas
Horário: 9h às 12h
Valor: R$ 150, 00
Faixa etária: a partir de 14 anos
Vagas: 25


Outros dias e horários você confere em: www.teatrovilavelha.com.br

Oficinas técnicas no TCA

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Queeente!

O VilaVerão 45º começa queeente!!!

Hoje à noite, duas super atrações abrem a temporada de calor-produção-agitação-e-arte no Vila:

- às 18h, tem Pedro Morais (ator/cantor) interpretando à baiana sucessos do sambista carioca Cartola e mostrando o lado dramático de suas composições;

- às 20h, na Sala Principal, o Bando de Teatro Olodum traz a premiadíssima, reconhecidíssima e aplaudidíssima montagem Cabaré da RRRRRaça - sucesso que enche a casa e dá vontade de ver de novo. Chegou a hora!


As rosas não falam
Pedro Morais
Hoje – 18h
Cabaré - R$ 16/8




Cabaré da RRRaça
Bando de Teatro Olodum
Hoje - 20h
Sala Principal - R$ 20/10



quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Habitat no Iguatemi?!

Quem for no Iguatemi esses dias acaba encontrando...



Um cartaz enorme e bonitão de Habitat! Bem no metro quadrado mais movimentado do shopping, anuncia-se o novo espetáculo da Companhia Viladança, em cartaz no Teatro Vila Velha aos sábados e domingos desse verão, às 20h.

Quem vem, confere ainda a exposição HABITAT, com imagens e esculturas, que como o espetáculo, lançam olhares sobre a cidade de Salvador. Vem ver.

"Só até amanhã!"

Podia ser o post do "Saldão de Natal" do Vila, mas é a...

ÚLTIMA CHAMADA!

...para as inscrições nas Oficinas de Verão 2009 - que vão até amanhã!

"Se adiante!"

Dê uma olhada na grade de oficinas pelo nosso site (www.teatrovilavelha.com.br), baixe a ficha de inscrição, preencha e traga aqui no foyer do teatro para efetivar sua matrícula no curso desejado.

Tem pra tudo que é gosto: canto, percussão, dança contemporânea, dança afro, teatro de máscaras, para crianças, edição de vídeo... e por aí vai...

E quando eu digo pra se adiantar, não é pressão à toa, não: as vagas para as oficinas de teatro dadas por Chica Carelli, Hebe Alves e Iara Colina - já se esgotaram, c'est finit, acabou, game over.

Mas, pra você não chorar, abrimos uma turma extra de "Teatro para Iniciantes", com Vinicio de Oliveira Oliveira, d'A Outra Companhia de Teatro.


ÚLTIMA CHANCE MESMO!
VENHA!

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

CONCURSO CULTURAL MARCA DOS 45 ANOS


Olá amigos,

Em 2009, o Teatro Vila Velha faz 45 anos, e quer uma marca especial para os seus 45 anos.

Eu fiz uma, o pessoal aqui curtiu. Mas querem opções.

Não temos dinheiro.

Institucionalmente, a marca permanecerá a mesma. Esta é uma marca que estará associada à programação de 2009. Uma marca da programação do Vila em 2009. Vai aparecer em praticamente todas as nossas peças, no site, etc.

Aquele que tiver a marca escolhida, entrará de graça para toda e qualquer atração do Teatro Vila Velha no ano de 2009 com direito a um acompanhante. É o que temos a oferecer.

Aos que não moram ou não vêem a Salvador em 2009, a gente envia por correio uma cópia de todas as muitas peças que sairão com a marca - se houver interesse. Alardearemos o crédito da nova marca que é tão legal. Afinal, vamos aprovar uma marca legal. 

Além de pobres, somos apressados.

O prazo para entrega desta marca é 31 de janeiro. Ela será utilizada após a programação de verão. De março em diante, até dezembro de 2009.

----------------BRIEFING

Sintam-se livres pra propôr todo tipo de maluquice.

O Sol da marca original parece muito com um sol de Tarot. Ninguém sabe o porquê da escolha deste sol, especificamente. A única regra é que tem que ter referência ao Sol e aos 45 anos. De alguma forma. Sem Sol, não é Vila. Numa explicação beeem resumida, "Vila Velha", quer dizer "Salvador". Teatro Vila Velha é como se fosse "o Teatro da Cidade". E é mesmo, o teatro mais antigo da cidade.

O Vila Velha é um Teatro que produz espetáculos, além de alugar o espaço - o que é raro. Como se fôssemos o Cinemark e a Paramount Pictures ao mesmo tempo. Tem 6 grupos de artes cênicas trabalhando constantemente aqui dentro. Quem ganha melhor, ainda não ganha assim, muuuito dinheiro. Logo, está ligado sempre a muito, muito trabalho e vontade de fazer o que faz. Estamos abertos também para artes plásticas, cinema, literatura, etc. O espaço é também uma escola formadora de técnicos e artistas. Ou seja: é um TEATRO no sentido mais extenso da palavra. Forma técnicos, artistas, produz espetáculos, aluga pauta, etc. Diferente do que as vezes se pensa, não somos um teatro do Estado. Nem nunca fomos. Este espaço permanecer aberto por 45 anos é fruto de muito trabalho e dedição. E pode ser que feche, se por ventura, os patrocinadores deixarem de nos considerar um bom negócio. O Vila foi reformado em 1998, o que fez do palco do Vila o mais versátil e moderno da Bahia. Talvez do Nordeste. O palco e a platéia podem ser dispostos de umas 80 formas diferentes, daí dá pra fazer de tudo.

Sempre contamos com a ajuda de gente legal e desprendida, assim, como você.

Sintam-se à vontade repassar para outros desenhadores que tenham fetiche por trabalho solidário. 

Abraço,

Camilo Fróes

Ô, meu senhor do Bonfim


Como a gente não quer concorrer com Santo, não vai ter Ó paí, ó nem Diferentes Iguais no dia 15 de janeiro. Que esse é o dia da lavagem do Bonfim e o povo fica doido pra curtir a festança...

Vão, meus fio... Mas depois continua tudo igualzinho como tá na agenda!