quarta-feira, 31 de janeiro de 2007

Ternura de Verão

Gustavo Libório, o nosso coordenador administrativo, arrumou uma assistente muito especial nos intervalos das Oficinas Vila Verão. Todas as tardes, a atriz - e oficineira - Zeca de Abreu invade a sala da ADM trazendo música, agitação e frescor para o rotineiramente tranquilo ambiente dos números do Vila. Completamente desconcertado com as aparições frenéticas, Gustavo não tem outra coisa a fazer, a não ser se render aos deboches da Zequinha...



Em breve ela irá se candidatar a uma vaga como estagiária da ADM.
Parece que o posto já está garantido.


Fotos: Juliana Protásio

O Vila não pára, não pára, não pára

Dia 2 de fevereiro é dia de Iemanjá e festa no Rio Vermelho. Quem não for curtir a folia ou quem só for acompanhar o cortejo, pode passar no Vila à noite. A comédia Divorciadas, Evangélicas e Vegetarianas, da Cia Teatro dos Novos, continua em cartaz na sexta-feira, às 20h, com as atrizes Vivianne Laert (Carmem), Iara Colina (Glória) e Luciana Comin (Beatriz). A peça retrata as desventuras de três mulheres em crise com seu próprio destino, fazendo ácidos comentários sobre as relações de casal e as saídas que cada uma procura para a sua solidão.

E falando em festa, já deu para perceber que Salvador entrou de vez no clima de Carnaval. Ainda assim, semana que vem tem espetáculo aqui no Teatro. Aliás, tem programação na segunda, terça, quarta, quinta, sexta, sábado e domingo! É a maratona de encerramento do Amostrão. O Vila aproveita o embalo que antecede a folia e esquenta o palco. Mesmo com os tapumes ao redor e dentro do Passeio Público e a armação dos camarotes, enquanto tivermos programação, você ainda pode entrar no Vila. O Passeio continua aberto, inclusive, com o acesso ao estacionamento para quem vem de carro assistir às peças. Para ver a programação acesse o site www.teatrovilavelha.com.br




Antes do Carnaval, depois da praia, vá ao Vila, Velho

terça-feira, 30 de janeiro de 2007

A Outra vai de Contêiner para Curitiba

Em 2006, A OUTRA COMPANHIA DE TEATRO, um de nossos residentes, propôs e concretizou um grande desafio: montar o seu terceiro espetáculo, O CONTÊINER, baseado no texto inédito do autor angolano José Mena Abrantes, misturando em cena Teatro, Música, Dança e Vídeo.


A Outra Companhia leva O Contêiner ao FTC

Agora, a Companhia acaba de ser selecionada e recebeu o convite para participar da Mostra Oficial do FESTIVAL DE TEATRO DE CURITIBA, edição 2007, que acontece no final de março. O grupo levará o espetáculo ao sul do Brasil, onde fará três apresentações nos dias 29, 30 e 31 e participará de atividades de intercâmbio com diversos grupos artísticos do país.

O FTC acontece desde 1992, e somente em 2006, com 15 anos de história, entre os dias 16 e 26 de março, apresentou 233 espetáculos que ocuparam 58 espaços na cidade. Teatros, ruas praças, estacionamentos, clubes, boates e até mesmo um ônibus receberam as quase 1000 apresentações. Em onze dias se fez uma das maiores edições do Festival. Foram 214 companhias participantes, vindas de 13 estados do país e também de Portugal.



O FTC é uma vitrine democrática da produção teatral do Brasil. Além das variadas opções teatrais, o evento mantém aberto o espaço para realização de Eventos Paralelos e Eventos Especiais: Noites de autógrafos, lançamentos de livros, exposições variadas, oficinas, cursos, Mostra Metropolitana de Teatro e, também, não dá para deixar de lembrar do circuito de festas e dos espetáculos gratuitos.

quinta-feira, 25 de janeiro de 2007

No palco e na oficina

As Oficinas Vila Verão deste ano foram uma loucura especial. Temos ao todo 313 alunos inscritos, um crescimento de quase 50% em relação ao ano anterior. Com o grande volume de público para os cursos de teatro, aumentamos também número de turmas dentro das nossas possibilidades e o resultado é que temos 205 pessoas, entre adultos e crianças, trabalhando suas potencialidades cênicas. É um número recorde para nós! Para vocês terem uma idéia, é praticamente a mesma quantidade de alunos que tivemos distribuídos entre os 14 cursos oferecidos no ano passado. Como diria Chica Carelli, é "expressionante"!

Dos nossos professores de teatro, os trabalhos de três deles podem ser conferidos também no palco do Amostrão Vila Verão. Vinício de Oliveira Oliveira dirige A Sacanagem da Outra, em cartaz às quintas-feiras. Débora Landim, que enfrenta o desafio de coordenar 70 (!!!) crianças, é a diretora da Cia Novos Novos, que apresenta a peça Diferentes Iguais nas tardes de domingos. Já Iara Colina, pode ser vista em cena, na pele da espevitada Glória(foto), que entra na onda macrobiótica na comédia Divorciadas, evangélicas e vegetarianas, a atração das nossas noites de sexta-feira.


Divorciadas, evangélicas e vegetarianas - sextas, 20h
foto: Márcio Lima

Pois é... tem gente se desdobrando por aqui! Venha refrescar sua cabeça no Amostrão e confira o trabalho dessas figuras que estão ralando para fazer você relaxar e curtir o verão do Vila, velho.

Balanço do Vila 2006

Chega a hora de prestarmos contas publicamente. O que fizemos, quando fizemos, quanto recebemos e quanto gastamos para fazer. Em 2006, os artistas do Vila enfrentaram os dragões. Fechamos o ano com a certeza de que 2007 pode - e vai! - ser ainda melhor.

Clique no link abaixo e confira o relatório que o Vila enviou para alguns dos principais órgãos de imprensa da cidade. Acreditamos que é de interesse público o que acontece por aqui, uma vez que recebemos recursos de instituições governamentais para tocar este barco adiante.

Clique: 2006 no Vila (formato pdf)

segunda-feira, 22 de janeiro de 2007

BANDO CANCELA APRESENTAÇÕES DAS 16H

Informamos que a produção do Bando de Teatro Olodum cancelou as apresentações da peça Sonho de uma noite de verão que vinham acontecendo aos sábados, às 16h. As apresentações das 19h seguem normalmente até fevereiro.

Eletrocooperativa - Processo Seletivo 2007

O Instituto Eletrocooperativa informa que estão abertas as inscrições para os Cursos de Teoria Musical e de Produção Musical com ênfase em softwares de edição. Os cursos são gratuitos e destinam-se preferencialmente a jovens carentes que atendam aos seguintes pré-requisitos:

- faixa etária de 16 a 25 anos
- noções básicas de Informática
- estar desempregado
- 2º grau completo (ou em conclusão)
- disponibilidade para as aulas (2 vezes por semana)

No processo de seleção os candidatos serão avaliados através de entrevistas, também serão realizados testes práticos e teóricos de aptidão musical e noções de informática em caráter eliminatório e classificatório. Este ano são apenas 20 vagas.

Os interessados devem se inscrever através do telefone 3321-7051 até o dia 22 de janeiro, 17hrs. A seleção será realizada no dia 23 de janeiro (terça-feira) na sede da instituição, Rua João de Deus, nº34 - Pelourinho (enfrente ao Ipac)

Mais informações no site: http://www.eletrocooperativa.art.br/

Ou através do e-mail: jaqueline@eletrocooperativa.org

sexta-feira, 19 de janeiro de 2007

Caetano Veloso entra no clima de verão do Vila


Foto: Alexandre Marinho

No último final de semana, a segunda sessão de Sonho de uma noite de verão trouxe ao Bando uma emoção a mais para entrar em cena. Junto ao público que enchia a sala, quem esteve na platéia para ver o que o grupo realizou a partir do clássico de Shakespeare foi o cantor e compositor Caetano Veloso. Além de dar muitas risadas com as artes do Bando, completamente à vontade, Caetano ainda trocou uma idéia com o elenco após a apresentação. A simpatia do cantor, encantou o elenco, cujo desempenho vem sendo elogiado pelo público em geral e chamou a atenção do célebre visitante.

quinta-feira, 18 de janeiro de 2007

Entre nessa Sacanagem


Foto: João Meirelles

Neste verão, A Outra Companhia de Teatro se jogou completamente na Sacanagem. Repare só a história que eles resolveram colocar em cena: o sujeito vai para a festa de Santo Antônio e quando volta pra casa, cadê? O pinto sumiu! Desesperados, ele e a esposa taradona vão atrás da ajuda de médico, polícia, mãe-de-santo e até mesmo de um vendedor muito peculiar... Até se verem metidos numa encrenca daquelas! Se você gostou e quer entrar na sacanagem também apareça: quintas-feiras, 20h.

saudades do Vila

Meus caros,

Quando terá uma apresentação aqui em Fortaleza? Era frequentador assido do Vila, quando me mudei, por causa do trabalho, senti uma falta enorme. Não canso de falar de Cabaré da Raça, Ó paí ó, Sonho de uma noite de verão e tantos outros espetáculos do Vila e especialmente do Bando.

Espero por vcs..

Grande abraço e lembranças a Val e Jarbas.

Cruiff Emerson Pinto da Silva

segunda-feira, 15 de janeiro de 2007

Quase Incompleto




A música no Amostrão Vila Verão está em boas mãos. O cantor e violonista Gabriel Póvoas apresenta seu show Quase Incompleto todas as terças-feiras. No repertório, músicas como "Michelle" (Lennon/MCcartney), "Luz do Sol" (Caetano Veloso), "Dono dos Teus Olhos" (Humberto Teixeira) e "Inútil Passagem" (Tom Jobim e Aloysio Oliveira), ganham novos arranjos criados por Gabriel e com a participação da flautista Doris Barbosa. Das 16 músicas selecionadas para o show, quatro delas são composições próprias e estão no CD Incompleto, que ele lançará em 2007. Se você não pôde vir na semana passada, venha amanhã! Se acontecer algum imprevisto, tudo bem. Gabriel Póvoas estará no palco do Cabaré dos Novos, às 20h30, até o fim de janeiro (dia 30).

Depois da praia, vá ao Vila, velho!

quarta-feira, 10 de janeiro de 2007

Teatro para iniciantes

Com uma grande demanda de aulas de teatro para iniciantes, o Teatro Vila Velha abriu mais uma turma nas Oficinas Vila Verão. Até a próxima terça-feira (16/01), estão abertas as inscrições para o curso que será ministrado pela atriz Zeca Abreu. Atendendo aos pedidos do público, as aulas terão um horário alternativo: terças e quintas, das 19h às 22h e aos sábados, das 10h às 13h. As inscrições podem ser feitas no Teatro Vila Velha, das 9h às 17h.

Mais informações: 3336-1384.

Saiu a lista de indicados do Braskem

E Vila marca presença na maioria das categorias. Confira!

ESPETÁCULO ADULTO

Sonho de uma noite de verão
Navalha na carne
Mestre Haroldo... e os meninos
Barrela

DIREÇÃO
Márcio Meirelles (Sonho de uma noite de verão)
Juliana Ferrari (Navalha na carne)
Jacyan Castilho (Canteiros de Rosa)
Joice Aglae (Fato(s) do Brasil)



ESPETÁCULO INFANTO-JUVENIL

Ora bolas!
Diferentes, iguais

TEXTO
A comida de N'Zinga (Marcos Dias e Aninha Franco)
Ora bolas! (Luciana Comin)
Pague pra ver (João Sanches e Leonardo Araújo)
Pra não esquecer de mim (Luciana Comin)

ATRIZ
Vitória Bispo (A casa dos espectros)
Isabela Silveira (Estilhaços)
Gabriela Sanddyego (Navalha na carne)
Fernanda Paquelet (Orinoco)


ATRIZ COADJUVANTE
Jussara Mathias (A casa dos espectros)
Frieda Gutmann (Irmã Dulce)
Virgínia Marinho (Pague pra ver)
Fernanda Beling (Estilhaços)

ATOR
Jhoilson Oliveira (Navalha na carne)
Igor Epifânio (Pague pra ver)
Maurício Assunção (Casa de ferro)
Gideon Rosa (Mestre Haroldo... e os meninos)

ATOR COADJUVANTE
Bira Freitas (A árvore dos mamulengos)
Cláudio Mendes (Navalha na carne)
Leno Sacramento (Sonho de uma noite de verão)
Evérton Paim (Barrela)



CATEGORIA ESPECIAL
Miguel Carvalho - Figurino (A comida de N'Zinga)
Joice Aglae - Figurino (Fato(s) do Brasil)
Ibraim Nascimento, Juliana Ferrari, Luís Parras - Cenário (Navalha na carne)
Jarbas Bittencourt - Concepção musical (Canteiros de Rosa)



Detalhe importante: você pode conferir agora os espetáculos Diferentes Iguais e Sonho de uma noite de verão! Eles estão entre as atrações do final de semana nosso Amostrão Vila Verão.

Forme sua opinião. Vá ao Vila, velho!

terça-feira, 9 de janeiro de 2007

Ó Paí ó

Uma das primeiras peças do Bando de Teatro Olodum, Ó Paí ó voltou a ganhar evidência quando a cineasta Monique Gardemberg se interessou em transpor para o cinema a história dos moradores do Pelourinho contada pelo grupo. Com previsão de ser lançado ainda no primeiro semestre deste ano, o filme trouxe também o interesse do núcleo de minisséries da Rede Globo. Resultado: em 2007, Ó Paí ó também vai cair na telinha.


Recordações - O Bando na primeira montagem de Ó paí ó

Se na sua memória o começo da década de 90, quando a peça estreou, é uma coisa muito distante, o Amostrão Vila Verão traz a oportunidade perfeita para você assistir ao vivo antes de chegar nas telas!

Nas quartas-feiras de janeiro e fevereiro (menos no Carnaval, velho!), Ó Paí ó em cartaz no Vila! 20h.

segunda-feira, 8 de janeiro de 2007

Oficinas do Vila pegando fogo

Começaram hoje as aulas das Oficinas Vila Verão 2007. Logo pela manhã, o Teatro Vila Velha recebeu os alunos das primeiras turmas - de canto e do workshop de música cênica - e a tarde seguiu com mais aulas - dança do ventre e teatro. No geral, o número de inscritos já passa de 200 e as pessoas continuam chegando.

Como sempre, os orientadores que terão mais trabalho são os de teatro, com turmas que bateram o teto máximo do número de alunos, deixando ainda tantos outros de fora. No caso da oficina para crianças, a demanda foi tão grande este ano, que foi aberta mais uma turma, cujas inscrições seguem até a manhã desta terça-feira, quando começam as aulas.

A empolgação passeia por todas as turmas, com gente inspirada pelo calor do verão e pelo clima de renovação trazido pela chegada de janeiro.

A temperatura está alta - e subindo cada vez mais!

sexta-feira, 5 de janeiro de 2007

Cultura para o povo da Bahia

publicado hoje no jornal A Tarde
Foto: Fernando Vivas


REPÓRTER: CECI ALVES

A manhã de ontem na Rocinha, no Pelourinho - atual Comunidade Vila Esperança -, foi mesmo atípica: primeiro, caiu uma chuva forte que amoleceu a lama dos barrancos que dão acesso às casas no local.

Depois, essa lama foi pisada e revirada pela classe artística e cultural baiana, que compareceu em peso para o anúncio/posse do staff que trabalhará com Marcio Meirelles na linha de frente da Secretaria da Cultura estadual.

Nunca a Rocinha viu movimentação igual - um bando de engravatados, câmeras e máquinas fotográficas e até a primeira-dama do Estado, Fátima Mendonça, tomaram de assalto o bucólico local. E o estranhamento foi geral: dos moradores, que riam discretamente dos escorregões que as "otoridades" tomavam no barro fresco; das pessoas que nunca haviam ido ali e faziam cara de paisagem, tentando se misturar aos locais; e daqueles que se questionavam por que aquele anúncio estava sendo feito ali, no desconforto dos pés sujos de lama sob o sol do meio-dia.
Para responder a essa pergunta, Marcio - esse, sim, parecia um morador local no meio da Rocinha e daquele barro todo - tinha a resposta na ponta da língua : "Essa comunidade, aqui, é autoridade para nós, que será ouvida como as outras autoridades presentes", disse ele, no seu discurso de abertura, dando a tônica do futuro de sua atuação como secretário.

"FUNCIONÁRIO PÚBLICO" - "Vamos, a partir de ações como estas, entender o governo não como o outro lado, mas como a extensão da sociedade", disse Meirelles, em entrevista exclusiva que concedeu ao jornal A TARDE, antes da apresentação da sua equipe, que chamou de "time dos sonhos".

"Eu me entendo como funcionário público, me entendo, agora, como empregado do Estado", afirmou."Estou aqui para servir ao Estado, organizando a área de cultura, fomentando, propondo e criando políticas públicas, criando uma legislação para a atividade", resumiu, no ar condicionado da sala de reuniões da administração do Teatro Castro Alves, horas antes de, com seu belo paletó de risca de giz, suar como um cuscuz debaixo do sol inclemente da Rocinha.

Prosseguindo na explicação da escolha pelaRocinha, ele disse: "Eu achei emblemática. Pensei em vários lugares. Mas o Pelourinho é emblemático e esse governo entende que a questão do Pelourinho (reforma e utilização do espaço) é uma questão de cultura, não é só uma questão de obra, de construção.E, também, lembrei de que, quando estava filmando Ó Paí Ó [filme baseado em um texto dele], tinha uma cena em que garotos fogem da polícia e entram num beco. Então, Monique [Gardenberg] quis fazer eles entrando num beco que dá na Rocinha. E uma moradora, Dona Nilzete, foi saber do que se tratava e, quando soube que era isso a cena, não deixou entrar, nem filmar. Falou que estava cansada de mostrarem a comunidade dela como uma comunidade de marginais".

PELÔ - Ele seguiu: "Eu a achei absolutamente correta e pensei: agora, que sou secretário, e posso um pouquinho mais do que um diretor de um grupo de teatro, devo levar o olhar da cidade, o olhar do governo sobre essa coisa invisível, no centro da cidade. Então, foi simbólico nesse sentido".

Ainda na entrevista, Marcio se debruçou sobre questões cruciais, como a conclusão da sétima etapa da reforma do Pelourinho, muito anunciada mas nunca concluída. Ele garantiu que, nesta gestão, ela sai. E que, agora, isso será da jurisdição do Ipac. "Esse assunto está na Conder".

"Mas a idéia, agora, é que a liderança desse processo passe para o Ipac. A Conder vai continuar, provavelmente, executando as obras, mas a responsabilidade da liderança passa para a Cultura, porque é uma questão cultural", garantiu.

POLÍTICAS CULTURAIS - E o ex-gestor do Teatro Vila Velha - Marcio se desligou da Ong que dirige o espaço ?, pretende priorizar mesmo as políticas públicas, com uma forte interlocução com a sociedade.

Um dos exemplos é a implantação de um modelo de gestão para espaços públicos parecido com o do TVV. "A idéia é fazer editais de ocupação dos outros teatros menores, como o Espaço Xis, o Solar Boa Vista, para que grupos ou associações de grupos possam apresentar programas de ocupação desses teatros e façam uma política própria, que possa reproduzir a política do Estado na programação desses espaços", observou Meirelles.

Outro assunto abordado por ele na entrevista exclusiva foi a manutenção de projetos que se sustentaram na gestão anterior, como o FazCultura. "Ele vai ser estudado. O problema do FazCultura não é ele, que é um mecanismo de patrocínio em que, de alguma forma, o Estado, tem interferência prévia, aprovando projetos que podem receber essa verba que é pública. Ele tem muitas vantagens, e você vê o benefício que criou no pensamento sobre políticas públicas". Para ele, o questionamento já é indicador de interlocução com a sociedade.

OUTRAS POLÍTICAS - Marc io Meirelles lembrou, ainda, que faz parte de sua política cultural a instituição do Fundo de Cultura, "outra linha de financiamento que é o direto, em que o governo capta o recurso da empresa privada, e, através de uma escolha de edital, escolhe que projetos vão ser beneficiados".

Para o secretário, o que falta é "uma terceira perna, que é o financiamento direto". "Precisamos criar um microcrédito pra cultura, criar outras coisas de que as empresas da indústria cultural possam se beneficiar." O secretário chamou a atenção para a nova visão que a cultura passa a ter no Estado ? e avisa que a escolha de seu staff se baseou nesse olhar. "Foi uma coisa muito discutida entre mim e o governador e a equipe do governo. Não houve consulta pública, mas teve muitas indicações partidárias. Tudo isso foi analisado com o pensamento e o foco na funcionalidade, na construção de um time que trabalhe e que jogue em uníssono".

"Estou muito feliz", exulta. "Foi uma composição, e acho que é um time muito bom... É um time de sonhos, porque são pessoas comprometidas com cada área em que elas vão estar. E todos têm um perfil de pessoas que agregam, que conseguem trazer para junto outras pessoas, ações e atividades".

"A produção cultural tem que visar a auto-sustentabilidade", comentou. "Isso tem que ser um pensamento de toda a produção cultural. Então, o pensamento da economia da cultura é um dos tripés da nova secretaria. A idéia é culturalizar mais a administração pública nesse sentido".

Com base nesse raciocínio, Marcio destrinchou a escolha da equipe. "Começando pela Fundação Cultural do Estado, o novo perfil da fundação é de formulador de políticas públicas para as linguagens, mais especificamente", contou.

"Então, na verdade, a Funceb vira mais uma fundação das artes, no sentido que vai cuidar não da cultura como um todo, mas das linguagens". Nessa linha, a Secult vai criar várias diretorias para cada linguagem, "como a de dança, que é Lúcia Matos; de teatro, de música, artes plásticas. Estamos pensando numa diretoria especial, que cuide do acompanhamento das políticas de ocupação dos equipamentos, um programa de circo e de ópera".

Choro e suor

E, na Rocinha, Marcio não só suou como chorou, emocionado, ao ver o ator Jorge Washington, do Bando de Teatro Olodum, sua verdadeira casa, na solenidade. A voz embargou e ele confessou: "Saudades do Bando!".

Mas isso foi no final, quando fez, um a um, todos os membros de sua sonhada equipe , e mais outras autoridades presentes, comporem a mesa, que ficava em cima de um barranco, à sombra de vários pés de bananeira.

Para os mais inteirados na área, nenhuma novidade - só um ou outro nome que não havia ainda sido confirmado. Fofoca, mesmo, só a que o próprio Marcio suscitou, ao anunciar que o ator Caco Monteiro também comporia a sua pasta, mas sem dizer que cargo ocuparia.

"Ele é uma coisa híbrida, vai assumir um órgão que ainda está na Bahiatursa, mas que vai vir para a Secult e vai ser anunciado depois", despistou Marcio, sem querer passar por cima da autoridade do secretário de Turismo, Domingos Leonelli, pois ele sempre se preocupa em seguir à risca os ritos do cargo público que ora ocupa.

Mas, não adiantou o mistério: o próprio ator revelou, sem maiores subterfúgios, que iria dirigir o Bureau do Audiovisual.

OS NOMES - Assim, debaixo de um sol escaldante e depois do palavrório que Marcio impingiu aos presentes (o secretário parecia mais estar em cima de um palco, ou dirigindo uma peça) foram empossados: a nova diretora da Diretoria de Artes Visuais e Multimeios - que sai do organograma da Fundação Cultural e vai para o Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia (Irdeb) -, a cineasta e jornalista Sofia Federico; o novo diretor geral do Irdeb, o cineasta Pola Ribeiro - que foi alvo de boataria de que renunciaria ao cargo por ter recebido verba federal para a realização de seu último filme, O Jardim das Folhas Sagradas -; o diretor do Teatro Castro Alves, o cenógrafo Moacyr Gramacho; e o diretor artístico da Orquestra Sinfônica da Bahia, o pianista Ricardo Castro.

Também foram anunciados o diretor da TV Educativa da Bahia, o documentarista Josias Pires; o novo diretor do Ipac, Frederico Mendonça; o diretor da Fundação Pedro Calmon, Ubiratan Castro; a diretora da Fundação Cultural do Estado, a acadêmica Gisele Nussbaumer - ao se referir a ela, o secretário alfinetou ex-dirigentes de cultura da Secretaria de Cultura e Turismo, sem citar nomes, mas afirmando: "A Fundação Cultural só teve uma gestora até hoje, de triste memória" -; o superintendente de Cultura e Desenvolvimento Econômico Paulo Henrique Almeida; e a diretora do projeto Pelourinho Dia e Noite, a jornalista Ivana Souto; e outros nomes, de assessores especiais, como Hilda Machado, além de Ângela Andrade, para a Superintendência de Fomento à Formação e Integração.

Representando a Prefeitura, estava o presidente da Fundação Gregório de Mattos, Paulo Lima; e, da classe artística, nomes como a dramaturga Aninha Franco; o cantor Gerônimo; o cineasta Roque Araújo, entre outros (Ceci Alves).

quinta-feira, 4 de janeiro de 2007

Toda diferença é igual

Foto: Márcio Lima


Pessoas passam a analisar o ser que caiu das alturas depois da grande explosão. Ele, encolhido entre suas asas, apenas olha, machucado, mas sereno. Colocam o ser em uma jaula e voltam à vida normal. Outras pessoas que acompanharam a queda vêm ver de perto o visitante, mas ele pouco se mexe. Atiram comida para ele, cutucam seu corpo com galhos. Mas o Homem de Asas Bem Grandes fica o tempo todo quieto

Trecho do espetáculo Diferentes Iguais, que entra em temporada no Amostrão Vila Verão.

Domingos, 16h.
Venha!

Meirelles anuncia sua equipe

Nesta quinta, às 11h, o Secretário de Cultura, Márcio Meirelles, fará a apresentação de sua equipe e da nova proposta para a cultura na Bahia. O anúncio acontece em cerimônia pública realizada na comunidade da Rocinha, no Pelourinho, com as presenças da presidente das Voluntárias Sociais, Fátima Mendonça, e dos Secretários de Estado Adeum Hilário Sauer (Educação), Jorge Solla (Saúde), Juliano Matos (Meio Ambiente e Recursos Hídricos), Manoel Vitório (Administração) e Rui Costa (Relações Institucionais). O evento conta com o apoio do Conselho Cultural dos Moradores da Comunidade Vila Esperança.

quarta-feira, 3 de janeiro de 2007

Quem abre é o BANDO

Nesta sexta-feira retomamos as atividades aqui no Vila - rá! dizendo assim, até parece que estivemos parados no bastidores...

O que importa é: o Bando está de volta com sua alegria, irreverência, musicalidade e ginga. E é assim que a força negra abre o Amostrão Vila Verão 2007, trazendo Sonho de uma noite de Verão e Cabaré da RRRRRaça no primeiro final de semana do ano.

Agora, pedimos ao fotógrafo Márcio Lima para falar um pouco sobre o Sonho:






E em Cabaré, Márcio, o que foi que só você viu?








Agradecemos os depoimentos de Márcio e lembramos a você, espectador ou espectadora:

Sonho de uma noite de verão
sexta - 20h
sábado - 16h e 19h

Cabaré da RRRRRaça
domingo - 19h

Amostrão Vila Verão - noites com o Sol.
Programação completa - www.teatrovilavelha.com.br/amostrao

terça-feira, 2 de janeiro de 2007

Trailer de teatro

Assista aos trechos dos espetáculos do Amostrão Vila Verão e outros vídeos do Vila no Youtube. Já temos 11 vídeos online, de espetáculos que estiveram ou que em breve voltarão a estar em cartaz. Ponha o palco em seu computador! Acesse www.youtube.com/vilavelha

Erê

Na raspa de tacho de 2006, uma notícia trouxe grande alegria para o Povo do Vila: a família está aumentando. Depois da lua-de-mel na Alemanha (leia-se a curta temporada de Sonho de uma noite de verão), Cell e Clésia estão grávidos. Ainda sem saber se é um ou uma a mais na casa, já têm a certeza de que muita coisa vai mudar em 2007. O banco de apostas está aberto: vai dar menino ou menina?


Parabéns, queridos!