sexta-feira, 22 de dezembro de 2006

Comemoração de Natal no Vila

Fim de ano chegando e não poderia deixar de acontecer a tradicional confraternização natalina do Vila. Todos os grupos e funcionários presentes, a festa já prometia desde cedo, com o burburinho nos bastidores. A partir das 18h, o pessoal começou a chegar e se aglomerar na portaria do Passeio Público para tomar uma fresca, porque dentro do Vila já estava esquentando.

No Cabaré, as preparações para o banquete começavam sob o comando de Marísia Motta, com direito a globo de luz, iluminação especial e banda ao vivo: a Aglomerasom, grupo músical de Leno, do Bando. Enquanto as pessoas encontravam suas tribos do lado de fora, a banda passava o som, com a canja de Jarbas Bittencourt e Dailton Silva (um dos pucks de Sonho) como convidado especial.

Lá para as 20h, a Aglomerasom abriu oficialmente a comemoração de Natal. A corrente de energia no Cabaré ficou por conta da galera da Novos Novos, que logo tomou conta da pista de dança, com altas coreografias. Fábio Santana, do Bando, colocou óculos escuros e se dispôs a fazer a segurança, enquanto os fãs da banda se atiravam ao palco na tentativa de alcançar seus ídolos.

Do outro lado do palco, pequenos furtos aconteciam discretamente na mesa (mas não revelo quem foi) até que Fulco, com sua incrível naturalidade, liberou oficialmente a mesa. Depois da galera cantar junto com a Aglomerasom, a banda parou as atividades para o bingo. No palco, Marísia distribuindo os brindes, Leno anunciando os números, Fábio girando a globo e Robson como fiscal. Muita gente voltou para casa com seus mini panetones. Teve até quem não bingou bingando e quem, bingando, não bingou. Foi necessária até uma segurança extra para quem estava com o ânimo mais exaltado (leia-se Jorge Washington), afinal "gente, é só um panetone...pequeno", acalmava Leno.

O prêmio da cesta de Natal era o ponto alto da festa, "com mais de 400 itens importados" anunciava Marísia ao microfone. Bingo! Quem bingou? Saraí Santos! O número 65 foi a bola da vez para a costureira do Vila. "Foi uma emoção. Depois eu fiquei sentida porque devia ter feito um discurso agradecendo a corrente pro meu nome e eu só sambei na hora. É uma brincadeira, mas dava medo, porque, se errasse um número, era vaia pesada. Era pra ser minha mesmo, rapaz. Foi muita energia!".

Recomeçou o show da Aglomerasom, afinal, comemoração que é comemoração não tem hora para acabar. O "tiozinho" arrasou no reggae lá na frente do palco e até hoje tem gente se perguntando quem era... Outra parada. Desta vez, para a ceia de natal do Vila, com os perus da Sra Maria Rita de Oliveira, mãe de Vinício. Sem falar nas saladas, que deram um show à parte. A galera da banda encerrou a apresentação e foi comer, porque são filhos de Deus também.

A partir daí o Cabaré virou discoteca, com a seleção de músicas do DJ Alessandro "Man". Leno puxou a coreografia que, rapidamente, contagiou o Cabaré. O sucesso dance da noite ficou por conta de Renato, estagiário da Cia Novos Novos. Quem viu, viu. Quem não viu, perdeu. O garoto deu um show. Pouco tempo depois, lá para as 23h a galera foi se dispersando. Mas não tinha um negocio de escolher uma música para um grupo oferecer a outro como presente de Natal? E fotos? Ninguém tirou fotos? Pois é... a diversão foi tanta que nem deu tempo!

Um comentário:

  1. Aposto que quem escreveu isso foi Sheila! Aposto! Com os detalhes do roubo na mesa, só pode ser... rsrsrrs

    ResponderExcluir