quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Toque...


Thiago Menegaz, integrante do Núcleo de Produção Viladança, pesquisa planejamento estratégico e suas relações com a cultura e veio dar este "Toque" ao Blog do Vila. Segue abaixo o fragmento inicial do texto com link para a continuar a leitura. APROVEITE!

Valeu, Thiago!

ONDE A CULTURA (ARTE) TOCA O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

A interseção da arte com o planejamento estratégico se estabelece no momento em que ambos são entendidos como um sistema aberto. Evidente que a arte – aqui toco o sentido mais amplo da palavra arte, mas poderia dizer dança por ser objeto da arte que conheço a mais de 21 anos – somente pode ser percebida como um sistema aberto, haja vista que se trata de uma livre forma de expressão que lida com o que a ciência tem como perturbador para o dualismo sujeito versus objeto: prazer, paixão, emoção, retórica, estilo, biografia etc. O Planejamento Estratégico trata do processo planejado, gerenciado, executado e acompanhado sob a liderança da alta direção, envolvendo e comprometendo os curadores, responsáveis e colaboradores da empresa de cultura ou o artista independente na percepção de oportunidades e ameaças no ambiente externo.

Nem sempre as produtoras de cultura (empresas) ou artista independente conseguem perceber a arte e o planejamento estratégico como um sistema aberto. Esta desatenção ocorre porque o senso comum afirma que não há ligação entre a arte e as ferramentas administrativas contemporâneas. Esta construção de um juízo de valor pode ter seus fundamentos nas formas como o planejamento estratégico é apresentado. A fim de ilustrar, mesmo que superficialmente, a incompatibilidade corrente que o lugar comum aponta entre a arte e o planejamento estratégico, apresenta-se três formas de planejar que são fortemente utilizadas nos dias de hoje.

(...)
para continuar a leitura clique aqui.

Feijoada Completa

Coisas novas!

Esta semana, A Outra Companhia encerra a sua participação no Vila Verão 2010, com a apresentação amanhã, quinta-feira, d'A Sacanagem d'A Outra, às 20 horas, no Cabaré dos Novos. Para quem não viu, ainda tem uma oportunidade amanhã! Galera, as apresentações têm lotado, então é bom chegar cedo.
Encerrando a temporada d'A Sacanagem, A Outra põe força total no seu novo projeto. Mar me quer é o nome da nossa nova montagem que foi contemplada com Prêmio Funarte Myriam Muniz de Teatro e tem estréia prevista para agosto de 2010. Nos embrenhamos mais uma vez na cena lusófona e agora montaremos esta obra do moçambicano Mia Couto.
Mas para conferir nossa nova aventura não é necessário esperar até agosto. Na última sexta-feira demos início a Mar me quer - Instalação Urbana, trata-se de uma série de micro-apresentações do nosso processo criativo em diversos locais da cidade como o Passeio Público (essa foi na última sexta), Estação da Calçada, Solar Boa Vista, Palacete das Artes e no MAM que será a nossa próxima expedição. Esta atividade integra o projeto A Outra Companhia 2008 que tem o apoio financeiro do Fundo de Cultura do Estado da Bahia.
Então, sábado, dia 30 de janeiro, a partir das 18 horas, na JAM do MAM, tem A Outra Companhia mostrando um pedaçinho do nosso Mar Me Quer. Estão todos convidados!
E para saber as novidades e curiosidades do nosso processo, acesse: http://www.projetomarmequer.blosgpot.com/

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Feijoada Vila Verão

Última semana de Áfricas e Cabaré da RRRRRaça


Última semana de Áfricas e Cabaré da RRRRRaça no Teatro Vila Velha



Cabaré da RRRRRaça recebe como convidado o cantor Lazzo Matumbi





Esta é a última semana para o público baiano poder conferir os espetáculos Áfricas e Cabaré da RRRRRaça do Bando de Teatro Olodum no Teatro Vila Velha. Primeiro espetáculo infanto-juvenil do Bando, repleto de músicas ao vivo e dança, Áfricas fala sobre os contos e lendas do continente africano. As últimas apresentações dessa temporada acontecerão neste sábado (23) e domingo (24), às 16 horas. Já o Cabaré da RRRRRaça, grande sucesso da companhia baiana, recebe nesta sexta-feira, 22, às 20 horas como convidado especial o cantor Lazzo Matumbi. Visto por mais de 37 mil pessoas ao longo de seus 11 anos em cartaz, o Cabaré é uma revista musical que aborda questões atuais como presença do negro na mídia, identidade racial, religião, abolição da escravatura – 13 de maio, cotas nas universidades, mito do negro como objeto sexual e situações de discriminação no dia-a-dia, entre outras. O Bando de Teatro Olodum é patrocinado pela Petrobras por meio da Lei de Incentivo a Cultura do Governo Federal.







Espetáculos

Cabaré da RRRRRaça

Data: dia 22 de janeiro, às 20 horas

Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia-entrada)



Áfricas

Data: dias 23 e 24, às 16 horas

Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia-entrada)

Viladança promove oficinas para crianças

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Expo Vila D'água


Está aberta a visitações a Mostra de Fotos e Poemas Vila D'água!

A exposição é um retorno ao Concurso de Fotografia e Poesia realizado pelo projeto com o tema "ÁGUA – RECURSO DURÁVEL".

A mostra é composta por uma seleção de algumas obras inscritas mas que não foram inseridas na coleção de cartões-postais.

O Projeto Vila D’água faz parte de um convênio entre a Secretaria do Meio Ambiente do Estado da Bahia e o Teatro Vila Velha e tem como objetivo promover a valorização e a preservação dos recursos ambientais, através de ações educativas e artísticas.

Visitação das 14h às 18h - de segunda a sexta - e durante os espetáculos no fim de semana (o foyer abre duas horas antes).

ENTRADA FRANCA!

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Bravo Vila!


A edição de janeiro da revista Bravo! traz uma matéria, assinada por Joceval Santana, sobre o Teatro Vila Velha. Na matéria, Joceval traça uma linha histórica do surgimento, ascensão, decadência e revitalização do teatro. Numa comemoração dos 45 anos de resistência do Vila, o leitor tem a oportunidade de reviver a atmosfera da época do surgimento da casa, com entrevistas de Sônia Robatto e Maria Bethânia. O texto reforça a idéia de que o Teatro surgiu amparado por uma atitude descentralizadora promovida pela Sociedade Teatro dos Novos, grupo que fundou a casa no ano de 1964. Graças ao espírito contestador do grupo de estudantes, o Teatro Vila Velha ficou conhecido como espaço da contracultura, da livre expressão e da democracia cultural. Ao tratar da revitalização do Teatro, ocorrida no ano de 1998, a reportagem exalta a articulação entre artistas, governo e empresas para trazer de volta um lugar que foi “Forjado no ofício de fazer arte”.


Milla Oliveira
Núcleo de Comunicação
[71] 3083-4610/ 4622
comunicacao@teatrovilavelha.com.br

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Verão 2010 com Bando de Teatro Olodum


A Petrobras apresenta mais uma temporada do Bando de Teatro Olodum no Teatro Vila Velha com os espetáculos Cabaré da RRRRRaça e Áfricas

O mágico verão de Salvador é tempo de curtir o sol de 30 graus, relaxar na praia, dançar nos ensaios pré-carnavalescos e também de ir ao teatro ver uma boa peça. Uma das opções dos palcos baianos nesta temporada, o Bando de Teatro Olodum inicia 2010 com ritmo intenso e participa, durante o mês de janeiro, do Amostrão do Vila Velha com dois espetáculos: Cabaré da RRRRRaça e Áfricas. O primeiro será apresentado em três sextas-feiras, dias 08, 15 e 22, sempre às 20 horas. O convidado da reestréia de Cabaré será Alexandre Guedes, da banda Motumbá, dia 08. Já o público interessado em mergulhar nos contos e lendas do continente africano poderá ver o espetáculo infanto-juvenil Áfricas nos finais de semana, dias 09 e 10, 16 e 17, além de 23 e 24, sempre às 16 horas. Paralelamente às apresentações, o Bando inicia o processo de criação do seu novo espetáculo “Respeito aos mais velhos” que também faz parte do projeto Manutenção do Bando patrocinado pela Petrobras por meio da Lei de Incentivo a Cultura do Governo Federal.

“Minhas Contas”
Já na reestreia de Áfricas, dia 09, haverá ainda o lançamento do livro “Minhas contas”, finalista do prêmio Jabuti 2009 na categoria Melhor Livro Infantil, com a presença do autor, o paulistano Luiz Antonio. Publicado pela editora Cosac Naify, o livro infantil conta a história de uma amizade abalada pelo preconceito. Pedro e Nei são "dois furacõezinhos" inseparáveis. Mas a mãe de Pedro o proíbe de brincar com o amigo por causa dos fios de contas que ele usa. Com isso, Luiz tematiza, em seu primeiro livro infantil, a tolerância religiosa. As cores e os objetos do candomblé foram o ponto de partida para Daniel Kondo conceber as ilustrações, que demonstram as características de importantes orixás. As dezoito divindades que participam da história aparecem ao final em pequenas ilustrações e textos explicativos.

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Canto In Verso



Olá!
Amanhã começa a temporada do trio Canto in Verso no Cabaré dos Novos, aqui no Vila Velha.
E hoje, logo mais, às 19h, começa o ensaio do MicroTrio!