sexta-feira, 13 de abril de 2007

UMA BELA PERFORMANCE MULTIMÍDIA

Publicado hoje no Jornal A Tarde

A Companhia Viladança, grupo residente no Teatro Vila Velha, que tem se destacado na cena local e marcado presença no cenário da dança contemporânea nacional, comemora nove anos apresentando performance criada na hora , a partir de improvisações. A intenção é celebrar o processo criativo.


Aroeira - o mais recente espetáculo da companhia
Fotos: Márcio Lima

Trata-se do espetáculo Improvilação, que reúne profissionais convidados que atuam em diferentes linguagens artísticas, como música, vídeo, artes plásticas e dança. A performance será apresentada, hoje, às 20 horas, no Palco Principal do Teatro Vila Velha. A entrada é franca, de modo a ampliar a participação do público nessa festa.

A diretora do Viladança, a dançarina e coreógrafa Cristina Castro, lembra que ao longo desses nove anos a companhia tem mostrado trabalhos de qualidade, inclusive no exterior, apesar da ausência de patrocínio efetivo da iniciativa privada.

INSPIRAÇÃO – Sobre a apresentação de hoje, ela explica que o público verá uma apresentação livre de amarras temáticas ou marcações, criada e executada a partir da inspiração do momento.
“Não há preocupação com o resultado. O interessante é o processo criativo‘, pontua.Cristina explica, ainda, que o Improvilação foi um dos primeiros projetos do Viladança, acrescentando que a improvisação com interação entre linguagens é a base da sua pesquisa de criação.

Além da dança, música, vídeo e artes plásticas, a coreógrafa tem se aproximado muito da fotografia e do desenho, o que tem resultado no enriquecimento dos trabalhos do Viladança O Improvilação já teve edições em 2000 e 2001, que contaram com a presença de artistas como os atores João Miguel, Wagner Moura, Meran Vargens e Neide Moura, os músicos Ivan Huol e Rowney Scott e os coreógrafos Zebrinha e Fafá Daltro, dentre outros profissionais que atuam no cenário baiano.


Da Ponta da Língua à Ponta do Pé, em cartaz sábado e domingo - 16h

CONVIDADOS – Para a performance de hoje, além da própria Cia. Viladança, estão confirmadas as presenças, entre outras, do grupo Thris, dos músicos João Meirelles, Humberto Moneiro e Tuzé de Abreu, e dos artistas plásticos Naum Bandeira e Moacyr Gramacho. Outros interessados em participar podem se inscrever até uma hora antes da apresentação do espetáculo.

A Cia. Viladança, criada em abril de 1998, traz, no repertório, vários espetáculos multimídia, a exemplo de José Ulisses da Silva (2002), Caçadores de Cabeças (Prêmio Unesco de Fomento às Ar tes, 2003) e Aroeira – Com quantos Nós se Faz uma Árvore (com música de Milton Nascimento, 2006).

Em 2004, a companhia estreou o musical infanto-juvenil Da Ponta da Língua à Ponta do Pé, abrindo um programa de formação de platéia para crianças e adolescentes. O espetáculo recebeu por dois anos consecutivos o reconhecimento da Unesco.

Por EDUARDA UZÊDA


x.x.x

Hoje a companhia Viladança faz aniversário. Lá se vão 9 anos desde a estréia do grupo. De 1998 para cá o grupo criou nove espetáculos, se apresentou por várias cidades brasileiras e fora do país, levando o nome da Bahia e do Vila na bagagem. Que haja energia (e patrocínio!) para os anos continuarem se acumulando, inquetos, nesta história.

2 comentários:

  1. Parabéns a Cris e a todo Viladança!!! E ano que vem são 10 anos hein!!!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns a Cris e a todo Viladança!!! E ano que vem são 10 anos hein!!!

    ResponderExcluir