terça-feira, 21 de julho de 2009

depoimentos


Só tenho a dizer-lhes que fico super-emocionada com os 45 anos do Vila! O Vila Velha fez parte da minha educação, entrou na minha formação de sensibilidade; eu simplesmente "não saía de lá", vi todos os shows antológicos, o 1º de Bethânia, o 1º de "Gracinha", "Eles não usam Black-Tie", todos os de Cordel, a beleza de Othon Bastos etc. etc. E tinha os Concertos - o Vila era casa de música erudita! Só tinha ele, a Reitoria e o Museu de Arte Sacra. Até cantei ali (e tenho retrato!) com o Coral dos, então, "Seminários de Música", em 1966, regido pelo lendário Rinaldo Rossi.


Consuelo Mascarenhas

----

Salve o VELHO VILA, onde tudo começou pra mim. Sou filho de Monte Santo - Bahia. Em 1971, cheguei por aqui e minha primeira apresentação foi no MEIA NOITE SE IMPROVISA do Vila. Depois, ja em 72, tive o prazer de fazer a musica para a abertura da peça "QUINCAS BERRO D'ÁGUA", com direção de João Augusto e grande elenco (me parece que eram 60 atores). Foi assim que tive pela primeira vez uma musica minha e do Patinhas (João Santana) apresentada para um grande publico. E pude também conhecer Jorge Amado, pois as primeiras leituras da peça foram feitas em sua casa, lá no Rio Vermelho. Muitos anos depois, fiz um show histórico com Carlinhos Brown, Tuzé Abreu, Armandinho e Naná Vasconcelos, que começou às 16 horas e só foi parar depois de meia noite, o que a gente chamou de "Show Sem Script para o VELHO VILA VELHA". Vocês podem ver o vídeo desse momento antológico no YOUTUBE, clicando aqui.

Abs. Gereba
www.myspace.com/gereba
www.paulus.com.br/site/sertao

Nenhum comentário:

Postar um comentário