sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Abre Caminhos


Besouro, de João Daniel Tikhomiroff, chegou. Finalmente e com muitas expectativas. Na última quarta, dia 21, aconteceu a pré-estreia do filme (veja fotos), que traz no elenco muitos talentos baianos, dentre eles alguns atores do Bando.

Os mais presentes em cena são Leno Sacramento (Chico) e Sérgio Laurentino, que faz Exu. Mas estão lá também Zebrinha (Ogum) e Rejane Maia (Nanã).

O filme estreia ao público de todo o país no próximo dia 30.

Quem reparar bem os créditos subindo no final (ao som de Nação Zumbi e Gilberto Gil) vai ver lá agradecimentos ao Bando de Teatro Olodum e ao Teatro Vila Velha.

Abaixo seguem o trailer e trechos da entrevista que Sérgio concedeu ao jornalista Paulo Mussoi para o Blog do filme.




--
por Paulo Mussoi - 19|10|2009

Sua primeira cena é assustadora. Para espectadores desacostumados às tradições e crenças da religião afro, ela soará como a entrada de um grande vilão. Mas não é nada disso. Logo fica claro que o orixá Exu é a primeira - e possivelmente a mais importante - de uma série de forças sobrenaturais que ajudarão Besouro a transformar-se num herói.


Desnecessário dizer o quão emocionante foi para este baiano de 32 anos e quase dois metros de altura viver nas telas um de seus orixás de devoção.



Como você acha que as pesssoas ligadas ao Candomblé e outras religiões afro estão aguardando a estréia de Besouro? Acha que elas vão gostar?
Sérgio Laurentino: “Aqui na Bahia todos que encontro dizem que ‘o dono’ da minha cabeça deve estar muito orgulhoso por este personagem. De fato eu, o Bando de Teatro Olodum, o Teatro Vila Velha e todos os segmentos da etnia negra esperamos por este filme. Nada mais justo que colocar os orixás como aquilo que são: deuses. E graças a eles, que estiveram tomando conta de tudo que aconteceu neste filme, Besouro será um sucesso”.

O que você espera do filme?
“Eu espero o melhor deste filme. Que ele seja sucesso de público e de crítica, e que também seja fonte de estudos para os afro-descendentes. Que ele, como Exu, comunique e preencha todas as lacunas estéticas que nós brasileiros ainda temos quando se trata deste tipo de dramaturgia”.

Já dá para sentir algum impacto de sua participação em Besouro na sua carreira?
“Sim… ontem estava fazendo um espetáculo chamado ‘Africas’, dirigido por Chica Carelli, onde eu faço um feiticeiro africano. No fim da peça, um garoto chegou para mim e disse: ‘Eu e todos na minha escola, que fica no centro de Salvador, estamos loucos para ver Besouro, só para ver você voar’”.

O que você pode dizer sobre a importância de seu personagem na trama?
“Bem… As forças da natureza têm que se comunicar com os mortais. Aí entra o Exu, que instiga a mudança de Besouro e o acompanha até a sua missão ser cumprida. Acho que vai ser impactante ver os olhos vermelhos de Exu, o seu cabelo… Na verdade, acredito que todos os orixás vão ser muito bem vistos e esperados neste filme, pois o João Daniel teve muito cuidado e carinho com estes personagens. Eu que sou da religião, fiquei admirado com esta preocupação”.

>

Como está sua carrreira pós-Besouro?
“Eu sigo atuando em teatro com o Bando de Teatro Olodum, de Salvador, e temos um novo projeto chamado ‘Respeito aos mais velhos’, que deve estrear no próximo ano. Fora do teatro estou esperando um pouco, pois prometi que só ia fazer algo em cinema ou TV depois que os meus olhos tocassem em Besouro. E está perto…”

2 comentários:

  1. Eu já estava super curioso pra assistir ao filme. Agora essa curiosidade se multiplicou! Que lindo Sérgio! Parabéns!

    Léo.

    ResponderExcluir
  2. Isabela Garrido27/10/09 20:36

    looooouca pra ver esse filme! assisti aí no Vila a peça "Besouro Cordão de Ouro" e adorei! Quando li no jornal que ia sair o filme, fiquei ansiosa pra ver! Vai ser um sucesso, tenho certeza!

    bjooooos, povo do Vila!

    ResponderExcluir