sexta-feira, 6 de maio de 2011

A REESTREIA DE BENÇA



(Foto: João Millet Meirelles/Divugação)

Texto retirado da coluna de Deolinda Vilhena. Veja matéria completa aqui.

Tive o prazer de estar na plateia de Bença ao lado de Josette Féral, quando de sua estreia em novembro passado. Faço parte das 2.573 pessoas que viram o espetáculo somente nessa primeira temporada.

Depois disso o espetáculo se apresentou no Rio, no Espaço Tom Jobim, e, com certeza, sairá rumo a outras capitais. Afinal, a peça comemora os 20 anos do Bando de Teatro Olodum além de marcar a volta de Márcio Meirelles ao teatro depois de quatro anos como Secretário de Cultura da Bahia.

Bença não só gerou matérias em jornais e revistas locais e nacionais, e críticas elogiosas ao trabalho do grupo e à peça, mas também recebeu quatro indicações ao Prêmio Braskem, a mais importante premiação do teatro baiano, nas categorias: Melhor Espetáculo, Melhor Diretor (Márcio Meirelles), e Categoria Especial com Jarbas Bitencourt, pela direção musical, e Zebrinha, pela coreografia, que levou o prêmio.

Segundo a produção do espetáculo apesar de ter tido em torno de 100 por cento de sua platéia ocupada, muitas pessoas ficaram sem ver o espetáculo, inclusive muitos daqueles que são detentores do conhecimento sobre os temas que são tratados na peça e que ajudaram na sua construção, como fonte de pesquisa. Para quem não sabe, Bença faz parte de um projeto maior chamado Respeito aos Mais Velhos, que ganhou, há dois anos, o edital de manutenção de grupos e companhias de teatro e dança do Programa Petrobras Cultural. As cidades de Salvador, Ilhéus, Feira de Santana, Rio de Janeiro e São Luís do Maranhão receberam workshops de memória e identidade, dança, teatro e música com foco no resgate cultural e na sabedoria popular - sempre abertos ao público. A mesma equipe que ministrava os workshops realizava as pesquisas e entrevistas mostradas em Bença, além de apresentar espetáculos do seu repertório. Já os seminários aconteceram em Salvador, com os seguintes temas: Patrimônio Imaterial, Quilombos Urbanos, História da Ocupação Territorial do Povo Negro e Registro de Memórias e Tradições.

Por isso a decisão por essa nova temporada, para a qual o Bando e a Petrobras trarão convidados dos lugares que foram visitados com o projeto. Pessoas ligadas ao culto afro de importantes instituições religiosas de São Luiz do Maranhão, Ilhéus e Feira de Santana vão conferir o fruto do trabalho que ajudaram a construir. Estão sendo convidados também pessoas do culto afro de vários terreiros de Salvador. A prefeitura de Cachoeira já garantiu a vinda da centenária Irmandade de Nossa Senhora da Boa Morte, uma das mais importantes manifestações religiosas afro-brasileira. Outras prefeituras e instituições ligadas à cultura negra e aos mais velhos podem entrar em contato com o Bando.

Pensando nestes convidados especiais da plateia, o Bando apresentará Bençamais cedo aos domingos: às 17h, facilitando o deslocamento dos mais velhos.

Uma excelente oportunidade para aqueles que perderam a temporada inicial...vale conferir, estarei por lá para rever e aplaudir Marcio e toda a turma...MERDA!

SERVIÇO BENÇA
Concepção e encenação Márcio Meirelles
Onde? Teatro Vila Velha
Elenco: Bando de Teatro Olodum
Quando? de 6 a 29 de maio
Horário? Sexta e sábado às 20h e domingos às 17h
Preço? R$40 inteira e R$20 meia todos os dias
Promoção - os 50 primeiros ingressos, de cada sessão, serão disponibilizados a R$ 15 (preço único). Até 24h antes de cada espetáculo.
Instituições e escolas - compra acima de 20 ingressos preço único R$ 15


Nenhum comentário:

Postar um comentário