sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

“Quanto vale a arte?”

- esta é a provocação que o Vila e o Gamboanova fazem neste mês de março - o Mês do Teatro.

O ingresso do teatro é caro? é barato? é justo, mas o povo não pode pagar?

No Gamboa e no Vila, Pague Quanto Quiser!


Você já parou para pensar na quantidade de custos que estão envolvidos nas produções dos espetáculos? Já considerou o emprego de técnicos, artistas, aluguel de espaços, confecção de cenários e figurinos e outras tantas despesas?

Por mais incrível que pareça, é comum ouvir reclamações aos valores dos ingressos de teatro, considerados caros, muitas vezes. Há também os infindáveis clamores por cortesias/ convites, além de quase todo mundo apresentar carterinha de estudante e pagar meia-entrada. No fim das contas, sobreviver somente da arrecadação das bilheterias é, normalmente, um problema.

Tá na hora de pensar nisso pra valer. Durante todo o mês de março, o Vila e o Gamboa dão liberdade ao público de escolher quanto quer pagar para assistir a alguns dos espetáculos em suas programações. Ao mesmo tempo em que atrai pela possibilidade dos baixos preços, a campanha PQQ (Pague Quanto Quiser) chama a atenção para o custo real das montagens frente aos valores que normalmente são praticados nos ingressos.

A ação começa hoje à noite, com a primeira apresentação de Canteiros de Rosa, do Vilavox, às 20h.

Você pode pagar desde apenas alguns centavos até quanto achar que deve - sem limite máximo de valor; o importante é que pague e perceba que o espetáculo – em toda e qualquer circunstância – tem um custo e este não deve ser ignorado.

A grade completa das duas casas, assim como os dias da campanha PQQ podem ser conferidas nos sites www.teatrovilavelha.com.br e www.teatrogamboanova.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário