quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Bando de Teatro Olodum no Verão 2008



Ó Paí Ó de volta no Vila Verão. Foto: Márcio Lima.


O ano de 2007 foi de extensa produção para o Bando de Teatro Olodum, companhia de teatro baiano com uma trajetória de 17 anos voltados para a criação de espetáculos com qualidade artística e compromisso social. Foram quatro espetáculos apresentados, viagens nacionais e internacionais, incursão cinematográfica, realização de mais um fórum nacional de performance, lançamento de livros e vídeo-documentários entre outras atividades artísticas e sociais que revelam a maturidade do grupo mais consolidado do cenário teatral baiano. Um extrato representativo desta extensa agenda de produções poderá ser revistos no mês de janeiro de 2008, dentro do Projeto Amostrão de Verão do Teatro Vila Velha. Serão apresentadas as peças Ó Paí ó, todas as sextas-feiras, a partir do dia 04, sempre às 20h, e o infanto-juvenil Áfricas, dias 19, 20, 26 e 27, às 16h.

Áfricas - Encantamento com a África, seus mitos, sua história e sua diversidade. Estes têm sido os sentimentos despertados, em crianças e adultos, por Áfricas, o primeiro espetáculo infantil da trajetória do grupo. A peça é dirigida por Chica Carelli, com coreografia de Zebrinha, direção musical de Jarbas Bittencourt, iluminação de Fábio Espírito Santo e Rivaldo Rio e figurinos e adereços de Zuarte Jr. O espetáculo, repleto de músicas, cores e danças, aborda o universo mágico e lúdico das lendas e contos africanos que ultrapassaram séculos e continentes através das narrativas dos griôs, ancestrais conhecedores dos saberes e da linguagem oral. O elo com o Brasil, especialmente com a Bahia, se dá através das heranças culturais africanas que marcaram a formação do povo brasileiro.

Ó Paí ó – O compromisso com as questões sociais e a qualidade artística elaborada pelo grupo em sua trajetória transformaram algumas peças em verdadeiros marcos do teatro baiano contemporâneo. Prova disso é Ó Paí ó, a radiografia do Pelourinho a partir do cotidiano dos seus moradores e das facetas que criaram para driblar os problemas. Sucesso desde a sua estréia em 1992, antecipou muito das discussões sobre as alternativas para o Centro Histórico, levou milhares de expectadores ao teatro, incluindo a classe média e artística e, finalmente, foi adaptado para outra linguagem artística: o cinema, com o seu amplo poder de abrangência de público. A estréia do filme Ó Pai ó, de Monique Gardemberg, em 2007, com a presença de Lázaro Ramos e o Bando de Teatro Olodum, despertou interesse nacional na companhia e na dramaturgia própria criada pelo grupo. Em 2008, o roteiro será adaptado para a tevê, através de um série da Rede Globo, com a presença dos atores e atrizes do Bando.

A peça, dirigida por Márcio Meirelles, com texto do próprio diretor juntamente com os atores, integra a Trilogia do Pelô, seqüência de montagens cujo tema é o Centro Histórico de Salvador. As outras duas peças da Trilogia são Essa é a nossa Praia e Bai, Bai, Pelô, todas criadas através de improvisações com o elenco e das observações no dia-a-dia do Pelourinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário