quinta-feira, 23 de novembro de 2006

Última leitura e um humanista enforcado





Sob o impacto da morte de Vlado (Vladimir Herzog) escrevi Ponto de Partida. Intuía ser aquele momento decisivo para a derrocada do regime militar. Impedidos de escrever sobre a realidade presente, classifiquei a peça como "fábula", na acepção de narração de coisas imaginárias, ficção. Tencionava abrir meu espírito e coração escrevendo sobre os anos de chumbo em que vivíamos, assolados pelo medo, acordando sobressaltados, mas também sobre coisas belas, os atos de solidariedade, a generosidade na luta. De Vlado nasceu Birdo. Birdo, pássaro em esperanto, liberdade, ternura, consciência, sabedoria e amor. De Clarice Herzog, mulher de Vlado, nasceu Maíra, amada de Birdo, encontrado em uma triste manhã, enforcado em meio à praça.


Gianfrancesco Guarnieri

Nesta sexta-feira, a Cia Teatro dos Novos fecha com chave de ouro sua homenagem a Gianfrancesco Guarnieri, com a leitura do texto Ponto de Partida, sob a direção de Edwald Hackler.

Mais do que um ciclo de leituras dramáticas, o Vilalê Guarnieri é uma atividade de intercâmbio e exercício dos Novos, que se debruçaram sobre a obra do dramaturgo e passaram pelas mãos de diretores experientes, de estilos de trabalho completamente diferentes entre si. Com este Vilalê, a Companhia abriu as portas do Vila ao olhar de outros artistas, numa iniciativa que é importante do ponto de vista do crescimento artístico do grupo e, ao mesmo tempo, de reflexão sobre a realidade e o teatro brasileiros.

Faça parte deste belo momento proporcionado pelos Novos:
Sexta-feira (24/11), às 20h no Teatro Vila Velha. Ingressos a preço promocional: r$ 3.

Um comentário: