terça-feira, 18 de maio de 2010

O nosso Pelô

Estamos acompanhando a conversa sobre o Pelourinho e torcemos pra que ela se reverbere. O Pelourinho é patrimônio da nossa cidade, mas o que vemos ali é apenas a casca, o conteúdo são as pessoas que dependem do comércio na região e as que moram por ali. Vale lembrar que não podemos nos restringir apenas ao Pelourinho. Temos que pensar no Centro Antigo (http://centroantigo.blogspot.com/) como um todo. A revitalização precisa ser feita no entorno.

Pois bem, Caetano publicou (http://bit.ly/9lmGxl), não sem razão, uma vontade de ter um novo pelourinho. Criticou o governo e a Secretaria de Cultura. Mas o pelourinho é nosso, da nossa cidade. É segurança, educação, turismo, cultura, direitos humanos, economia, etc. Então não podemos responsabilizar uma figura e um órgão apenas pelos acontecimentos.

O Secretario respondeu (http://tinyurl.com/26z5ppv) e a comunidade está se manifestando através dos comentários. O interessante é perceber que a maioria entende que o trabalho de base é mais importante que simplesmente um enfeite. Veja o que o Subprefeito do Pelourinho, José Augusto Leal, falou muito antes dessa conversa toda: http://alemdocarmo.com/node/24

“ ...Gastou-se muito em investimentos de infraestrutura urbana, restauro de igrejas e do patrimônio. Deve-se cuidar das pessoas, transformar o Pelourinho em algo agradável para a gente da terra. Transformá-lo em ambiente saudável, de convivência plena, para que qualquer pessoa, inclusive as que cheguem de fora, aproveite e usufrua do mesmo jeito. É preciso governança. Antes de ser patrimônio da humanidade, deve ser visto como patrimônio do povo de Salvador. Independente de partido político, é responsabilidade de todos os cidadãos.”

O que vale então, torcer contra ou ao favor? O que você acha?

Um comentário:

  1. Carol Fantinel18/5/10 12:01

    O Pelourinho foi planejado p/ os turistas que aqui chegam e por isso não vingou. Concordo com o que José A. Leal falou - o Pelourinho, antes de mais nada deve ser visto e entendido como do povo de Salvador.
    Eu me emociono demais ao passar por aquelas ruas,subir a ladeira e dar de cara com a Igreja Rosário dos Pretos, com a Casa de Jorge Amado... Mas tenho que dizer que há tempos não faço isso, por medo de andar por ali.
    O Pelourinho poderia ser o maior centro cultural da cidade, movimentando o comércio e dando vida ao local. Beleza e história para isso ele tem.Falta o quê?

    ResponderExcluir