quinta-feira, 28 de maio de 2009

Nova música de Sergipe no Vila



Escute:
www.myspace.com/patriciapolayne
www.tramavirtual.com.br/patriciapolayne


Compositora inspirada e intérprete performática e impecável, a sergipana Patrícia Polayne traz pela primeira vez à Bahia o seu show “Aparelho de Memoriar” e escolheu o Vila Velha para a estréia em terras vizinhas. No palco do Vila, Patrícia apresenta na noite desta quinta-feira, 28 de maio, canções de sua autoria com as quais percorre o país e tem lugar garantido nos grandes eventos de seu estado. Ela faz também algumas releituras de artistas que a “inspiram”, como ela mesma diz; uma lista que contém nomes como Otto e Caetano Veloso. O show começa às 20h e tem ingressos no valor de R$ 16,00 e R$ 8,00 (meia-entrada).





Com estilo bem próprio, Polayne mescla influências regionais, música popular brasileira, guitarras, violões, percussão e bases eletrônicas, tudo bem dosado para acompanhar a voz melodiosa e bem particular, cheia de suavidade e firmeza. A poesia das letras fala do cotidiano em temas concretos e líricos e desperta em cada ouvinte sensações que apelam aos sentidos físicos e à memória. No palco, o repertório é acompanhado por intervenções multimídia em vídeo e poesia. “Parti do conceito de memória para buscar uma espécie de reminiscência musical onde lembranças da infância (o lúdico, a memória afetiva) se encontra no ambiente da memória coletiva, de ancestralidade e tradição”, explica a compositora. A canção que dá título ao show traz referências do transe pulsante do samba de coco, integrado à linguagem pop – o que revela bastante dos vastos caminhos que percorre o seu trabalho.






Patrícia Polayne é vencedora de diversos prêmios em festivais de música Brasil afora. A multi-artista estudou artes cênicas e dança no Rio de Janeiro e produz trilhas sonoras para teatro e cinema, além de conhecer técnicas circenses e atuar como atriz e figurinista. A única vez que se apresentou em Salvador foi no ano de 1996, quando venceu o festival Canta Nordeste, da Rede Globo – “com torcida de muitos baianos”, diz ela, na época, em início de carreira. “Apesar de não ter voltado aqui para cantar, esse episódio criou em mim uma ligação muito forte com a Bahia”, conta. “O retorno a salvador num momento mais amadurecido como compositora e intérprete é uma oportunidade maravilhosa!”, exulta.

Apesar de ter muitas canções gravadas e circulando na internet há algum tempo, só agora Patrícia começa a grava o seu primeiro disco autoral, com previsão de lançamento para setembro. “Possível retorno à vista!”, anuncia a artista.

Patrícia Polayne - Aparelho de Memoriar
HOJE 20h



Nenhum comentário:

Postar um comentário