quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

o homem que virou suco

Deraldo, poeta popular nordestino, chega a São Paulo e tenta sobreviver de sua poesia. Confundido com o operário de uma multinacional que mata o patrão, ele é perseguido pela polícia. Sua vida, sua identidade, sua mínima condição de cidadão estão arruinados. A liberdade, ainda que precária, dá lugar a violência e humilhação.

Deraldo luta para reconquistar sua dignidade e poder ser quem de fato é.


HOJE - 18h
no Passeio Público
(Campo Grande)
de graça.
*antes tem 13 de dezembro,
de Daniel Fróes

Nenhum comentário:

Postar um comentário