sábado, 20 de dezembro de 2014

Programação de 2015 e nova identidade visual do Vila têm destaque em A Tarde


Os projetos para 2015 e os novos site e identidade visual do Teatro Vila Velha tiveram destaque no jornal A Tarde deste sábado. Veja a matéria abaixo ou clique aqui e leia a versão online.


quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Diretor português ministra curso sobre a técnica Viewpoints

Carlos Nicolau Antunes já realizou oficinas em Portugal, Londres, Tailândia, Índia e Brasil, e em janeiro apresenta o workshop "Um Ponto de Vista sobre os Viewpoints" no projeto Oficinas Vila Verão 2015


Os Viewpoints são uma técnica de improvisação que surgiu a partir da dança pós-moderna e foi incorporada também por atores e diretores teatrais, que encontraram nela a possibilidade de desenvolver a articulação e precisão dos movimentos e gerar material criativo para o palco. Entre os dias 17 e 25 de janeiro, ao sábados e domingos (das 10h às 13h30, e das 15h às 18h30), no Teatro Vila Velha, atores, dançarinos e performers terão a chance de experimentar a técnica no workshop "Um Ponto de Vista sobre os Viewpoints", ministrado pelo diretor português Carlos Nicolau Antunes. O workshop integra a programação das Oficinas Vila Verão 2015, que oferece mais de vinte cursos nas áreas de teatro, dança, música, circo e audiovisual. As inscrições já estão abertas no Teatro Vila Velha.

No curso, os participantes terão um olhar introdutório sobre osViewpoints enquanto treino de ator e como pesquisa de material de criação. Os Viewpoints são uma filosofia traduzida numa técnica de improvisação e criação que permite uma expansão da consciência da relação com o espaço e o tempo pelo performer/ator, permitindo-lhe que funcione ao mesmo tempo de forma intuitiva e espontânea mas também consciente e co-responsável pelo processo criativo a decorrer momento a momento. Criados na dança pós-moderna pela coreógrafa Mary Overlie, osViewpoints foram adaptados e desenvolvidos por Anne Bogart para o teatro, possibilitando uma exploração dos limites e fronteiras das artes cênicas contemporâneas. O workshop terá, em princípio, uma pequena apresentação pública informal no final.

As inscrições para este e outros cursos do projeto Oficinas Vila Verão podem ser feitas presencialmente, de segunda a sexta, das 14h às 19h, no Teatro Vila Velha. Aqueles que se inscreverem até 19 de dezembro ganham 10% de desconto. No dia 19/12 as inscrições são interrompidas, por conta do recesso de fim de ano, e retornam no dia 5 de janeiro, durante todo o dia, no Teatro Vila Velha.


Sobre Carlos Nicolau Antunes

Freqüentou o curso de actores da Escola Superior de Teatro e Cinema em Lisboa. Estudou na Escola Superior de Teatro e Cinema em Lisboa. Trabalhou como actor e assistente de encenação em Portugal até 2002, principalmente no Teatro da Cornucópia. Concluíu o Mestrado em Encenação na Middlesex University em Londres, onde parte dos estudos foram feitos em Moscovo e Bangkok. Seguidamente, ainda como bolsista da fundação, fez  Estudos de Qualificação Avançada na Faculdade de Encenação da Academia Russa de Artes Teatrais (GITIS).  Foi docente nas áreas de Acting, Improvisação, Corpo e Projecto na Licenciatura e Mestrado em Teatro na Universidade de Évora de 2007 a 2011. É atualmente docente na pós-graduação Desenvolvimento pelas Artes Expressivas do Instituto Superior de Psicologia Aplicada em Lisboa e na Escola Profissional de Teatro de Cascais. Como formador dirigiu workshops no Centro em Movimento - Lisboa, na Charles University em Pilsen na República Checa, no Lume – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas Teatrais da Universidade de Campinas e na Boa Companhia, Matula Teatro e “Os Geraldos” no Brasil, na Srinakarinwirot University e na Companhia Moradokmai na Tailândia, em Auroville na Índia,  em grupos portugueses de teatro universitário, nos departamentos de formação do ISPA e  da Câmara Municipal de Lisboa, no IX e X Congresso Português de Psicodrama, entre outros. Investiga na área dos processos psico-físicos do actor.

Serviço:

Workshop "Um Ponto de Vista sobre os Viewpoints"
Período: Sábados e domingos, de 10h às 13h30, e de 15h às 18h30
17, 18 ,24 e 25 de janeiro de 2015
Valor: R$400,00 (R$ 360 para inscrições até 19/12)
Inscrições: de segunda a sexta, das 14h às 19h, no Teatro Vila Velha, até 19 de dezembro, retornando no dia 5 de janeiro.

Oficinas Vila Verão
Grade completa de oficinas neste link: http://www.teatrovilavelha.com.br/oficinas-workshops

Cine Vila vai integrar a 9° Mostra Cinema e Direitos Humanos no Hemisfério Sul

 
O cineclube do Teatro Vila Velha foi um dos espaços de exibição selecionados para abrigar o projeto "Democratizando" da 9° Mostra Cinema e Direitos Humanos no Hemisfério Sul. Entre janeiro e março de 2015, o Cine Vila exibirá filmes e realizará discussões sobre Cinema e Direitos Humanos. Esta ação reforça a importância do Teatro Vila Velha como espaço de defesa dos direitos e da liberdade, desde a sua inauguração, em plena ditadura militar, quando abrigou encontros de artistas e estudantes e se consolidou como centro de reação ao regime.

A programação da mostra será divulgada em breve. Clique aqui e conheça os outros espaços no Brasil que também irão abrigar o projeto. 

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Jorginho de Carvalho ministra oficina de iluminação no Teatro Vila Velha


JORGINHO DE CARVALHO, considerado o maior iluminador da história do teatro brasileiro, e pioneiro da iluminação no país, vem ao Teatro Vila Velha para realizar o desenho de luz dos espetáculos Hamlet e Macbeth, que estreiam em 8 e 9 de janeiro de 2015, respectivamente. A experiência será compartilhada em uma OFICINA que acontece de 19 de dezembro até 8 de janeiro, com apenas 15 vagas e valor de R$ 250,00. Um ou dois dos participantes - escolhidos pelo iluminador - poderão fazer a operação de luz do espetáculo com remuneração para isso. Os interessados devem enviar currículo para comunicacao@teatrovilavelha.com.br, para avaliação, e vir ao Teatro Vila Velha no dia 19 de dezembro, às 14h, para a seleção dos participantes, definição conjunta dos horários de oficinas e primeiras atividades.

A partir desta atípica encenação de Hamlet e Macbeth - usando mesmo cenário e marcações com apresentações em dias alternados feitas por Marcio Meireles, para o Teatro Vila Velha, Jorginho de Carvalho imaginou a possibilidade de compartilhar com os alunos desta Oficina uma também atípica "Criação de Luz" que possa atender plenamente aos dois espetáculos, com apenas algumas particularidades que se fizerem necessárias. Os alunos acompanharão todo o processo de criação e montagem de luz.

Sobre Jorginho de Carvalho:

Fez a sua primeira iluminação em 1962, para espetáculo do Tablado, a convite de Maria Clara Machado. Nesses 52 anos de carreira, assinou a luz de mais de 500 peças, óperas e shows, de nomes como Maria Bethânia, Gal Costa e Daniela Mercury, e espetáculos como "Trate-me leão", do Asdrúbal Trouxe o Trombone, "Rasga coração", de Vianinha, "Cerimônia do adeus", de Mauro Rasi, e "Ensina-me a viver", dirigida por Domingos Oliveira, e "A gaivota", dirigida por Jorge Lavelli, com Sergio Britto, no Teatro Municipal. Jorginho ajudou a formar os principais iluminadores brasileiros, como Maneco Quinderé, Aurélio di Simoni, Luiz Paulo Nenen e Paulo César Medeiros. Iluminou todos os espetáculos da coreógrafa Débora Colker, exceto o primeiro, "Vulcão". Em 2012, teve os seus 50 anos de trajetóriaprofissional homenageados pela exposição "Iluminando o futuro", no OiFuturo Ipanema, Rio de Janeiro (Clique e leia matéria de O Globo). Graças a Jorginho, a profissão de iluminador passou a ser incluída na ficha técnica dos espetáculos.

Cronograma da primeira etapa de atividades:

19/12 (sexta-feira)
- 14h - 1º contato (Apresentação geral).
- 15:30h - Assistir a um "borrão" de HAMLET.  
- 18h - Pequeno debate com o diretor sobre o que foi assistido (para anotações). 
- 19h - Assistir a um "borrão" de MACBETH
- 21:30h outro Pequeno debate com o Diretor/acertos finais e encerramento do dia.

20/12 (sábado)
-   Manhã horário livre para organização das anotações e visita técnica ao teatro. 
-   14h - Debate - Condições Técnicas do Teatro. Planta do Espaço (inserir Cenografia). LUZ

As demais datas/horários serão acordados em conjunto com os participantes.


segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Esperando Godot em Campina Grande

Foto do ensaio por Marcio Meirelles

O espetáculo Esperando Godot apresenta-se nesta segunda-feira, às 19h30, no Teatro Municipal Severino Cabral, em Campina Grande, encerrando a quinta edição do Festival Atos. A peça é encenada por Marcio Meirelles, diretor artístico do Teatro Vila Velha, e tem no elenco o ator Tiago Querino, integrante da universidade LIVRE de teatro vila velha. A versão baiana do clássico de Beckett estreou em maio deste ano no Teatro Vila Velha, levando ao palco os experientes Celso Jr., também idealizador do projeto, e Claudio Simões, nos papéis de Vladimir e Estragon, além do ator Igor Epifânio. 

O convite para o festival, que neste ano se debruça sobre a relação entre Teatro e Novas Tecnologias, deu-se pelo componente tecnológico do espetáculo - para a sua realização, foi criado um software específico, que permitiu o contato entre os atores através de computadores e a execução da trilha sonora de forma randômica, a partir de estímulos dos próprios personagens.

Desde a sexta-feira, dentro da programação do Festival Atos, o encenador Marcio Meirelles ministra ainda uma oficina de direção, com ênfase no diálogo entre teatro e novas tecnologias, tarefa já experimentada por Meirelles em uma série de espetáculos como O Olho de Deus - O Avesso dos Retalhos, Drácula e Bença.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Hamlet e Macbeth: Dê seu palpite!

As peças de divulgação de Hamlet e Macbeth, que estreiam em janeiro de 2015 no Vila, já têm circulado pelas redes sociais e provocado diversas reações. Muitas pessoas têm nos perguntado por que a escolha destas duas imagens. Ao invés de responder, fazemos uma provocação. Por que você acha que essas imagens foram escolhidas? Deixe seu comentário nesta postagem!





Teatro Vila Velha sedia a quinta edição do Festival A Cena Tá Preta



Começa nesta sexta-feira, dia 5 de dezembro, a quinta edição do festival A Cena  Preta, projeto que tem objetivo de fortalecer, divulgar e celebrar a arte negra. O evento irá movimentar o cenário cultural da cidade com um painel composto de valiosos espetáculos da cena preta baiana: quatro peças teatrais, um show, um evento litero-musical, uma mostra de curtas, uma mostra de dança e um seminário para reflexão sobre a história e a produção da arte negra no Brasil. As atividades seguem até o próximo dia 12, no Teatro Vila Velha, com entrada gratuita. Os ingressos devem ser retirados com uma hora de antecedência, na bilheteria do teatro.

O festival  A Cena Preta é promovido pelo Bando de Teatro Olodum, Centro de Estudos Afro-Orientais (Ceao) da Ufba e pelo Teatro Vila Velha, e conta com apoio da Fundação Cultural Palmares. Confira abaixo a programação completa!


Programação da Cena  Preta – ano V
Sexta-feira , 5 de dezembro

20h- Palco Principal
Inaicyra em 3 tempos
: show com Inaicyra Falcão, Mauricio Lourenço e Daniel Vieira ( Nine): o público poderá conferir uma apresentação com arranjos que integram aancestral tradição africana e a indígena no Brasil, bem como à africana nos Estados Unidos. Inaicyra é cantora lírica, doutora em eduação e foi pesquisadora das tradições africano-brasileiras. Ganhou notoriedade na cena musical brasileira ao lançar em 2000 com o CD Okan Awa (Nosso Coração) em homenagem centenário de nascimento de sua avó, Maria Bibiana do Espírito Santo, a ialorixá Mãe Senhora, figura importante na religião de tradição Nagô/Yorubá no Brasil.
Sábado, 6 de dezembro

20h- Palco Principal
Relato de uma guerra que (não) acabou
: com atores da II Oficina de Performance Negra, o trabalho é resultado do curso de formação promovido pelo Bando este ano. O espetáculo é baseado em vivências de moradores da periferia da capital baiana durante asemana de greve das polícias da Bahia em 2001, além de situações ainda presentes no dia a dia da população. A montagem estreou em 2002, com texto de Márcio Meirelles apartir de improvisações dos atores do Bando. 

Domingo,  7 de dezembro 2014

17h-Cabaré dos Novos
Recital Fala Preta
a proposta do recital “Fala Preta” é unir poesia e música em uma ode à negritude com nomes que são ícones da cultura da Bahia. As atuações serão dirigidas pelo ator Jorge Washington, do Bando de Teatro Olodum, em uma tarde de leveza e descontração. Os artistas declamarão composiçõespróprias e também de nomes que são destaque na poesia negra, como “Coração Suburbano” do baiano Landê Onawale, e “Por ser Belo”, do paulista Akins Kinte.

19h- Palco Principal
A Cena Dança

Um olhar em chamas: produção da ​ In- Contro Cia de Dança, além de reunir grandes nomes da dança da Bahia, é uma justa homenagem ao Mestre Augusto Omolu com coreografia coletiva. Criada no ano de 2007 pelos bailarinos Dudé Conceição e Clodô Santana, a companhia tem o intuito de reunir e promover intercâmbio com os profissionais da dança criada na Bahia e tem como fundamento as danças populares, regionais, priorizando as danças de matrizes africanas e suas influências religiosas.

Ícaro: tendo como motor criador e fonte de inspiração o mito do herói grego Ícaro, usado como metáfora no imbricamento com o autorretrato do artista. A montagem propõe o desenvolvimento do mito “Ícaro” a partir do seu fim. Sugerindo a ideia de que após morrer, tendo a cera das suas asas derretidas por ter se aproximado demais do sol, sobrevive carregando em si mesmo a profunda experiência de conhecer de perto o inacessível e seu valor.

Segunda-feira,  8 de dezembro

19h- Cabaré dos Novos
Cine Vila-
Exibição de curtas-metragens de temática negra

20h- Palco Principal
Sortilégio II-Mistério negro de Zumbi redivivo
: do texto homônimo de Abdias Nascimento, ícone maior do teatro negro brasileiro, está em cartaz com ineditismo e exclusividade nacional nos palcos baianos. Este clássico foi censurado em sua época e, nunca montado até então, traz questões como deslocamentos identitários, integracionismo culturais, imaginários e comportamentos sociais que nos levam apensar a construção de um corpo brasileiro erguido através das inquietudes de um personagem atormentado pela culpa.

Terça-feira , 9 de dezembro
20h- Palco Principal
Cabaré da RRRRRaça
: sucesso de público da companhia, o espetáculo aborda arealidade do negro no Brasil em diversos âmbitos com linguagem direta e mesclando com o humor e levando o público à reflexão.  A peça viajou pelo Brasil, passou por países como Angola e Portugal. Abordando o preconceito racial de forma ousada e com intensa participação do público, o espetáculo volta em cartaz todos os anos atraindo baianos e turistas.

Seminários da Cena  Preta
coordenação : Jocélio Teles dos Santos

Quarta-feira, 10 de dezembro

19h-Palco Principal
Mesa de abertura: Um cinema de Raça com Joel Zito Araújo
Exibição do seu documentário Raça

Sexta-feira - Dia 12

 10h- Cabaré dos Novos
 Mesa 2: O negro no cinema e no teatro
Coordenação: Jefferson Bacelar (Ufba)
Palestrantes: Luis Felipe Kojima Hirano (UFG) e Tiago de Melo Gomes (UFRPE)

14h- Cabaré dos Novos
Mesa 3: A cena  Preta na Literatura Afro brasileira?
Coordenação : Florentina da Silva (Ufba)


Mais informações e inscrições:
Ceao: 3283-5502/04

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Cine Vila recebe Edgard Navarro para exibição de cinco filmes

Hoje, às 19h, o Cine Vila recebe o cineasta Edgard Navarro para a exibição de cinco filmes que marcaram a sua trajetória de 38 anos no cinema.  Os filmes ‘Alice do país das mil novilhas’ (1976), ‘O Rei do Cangaço’ (1977), ‘Exposed’ (1978), ‘Lin e Katazan’ (1979) e ‘Superoutro’ (1989) foram escolhidos para a realização pelo próprio diretor.

O assunto foi destaque no jornal A Tarde desta segunda-feira. Veja a matéria abaixo.