segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Projeto Outros Sambas Diversos recebe Grupo Pirombeira, Bonde da Sonora e Jorge Batatinha


Nesta terça-feira, dia 26, 20h, o grupo Outros Diversos realiza o último show da temporada Outros Sambas Diversos, que ocupou o Cabaré dos Novos durante o mês de agosto. Para fechar com chave de ouro, o projeto musical recebe o grupo Pirombeira, o Bonde da Sonora, além do músico Jorge Batatinha.

Comandado pelo grupo de compositores e multi-instrumentistas Gabriel Batatinha, Jadsa Castro, Shalom Adonai, Laco Pereira, Artur Soares, Felipe Magalhães, o projeto apresenta canções autorais e releituras de grandes compositores baianos, como Dorival Caymmi, Riachão, Caetano Veloso, Gilberto Gil, além dos Novos Baianos e de Os Tincoãs. Faz ainda uma homenagem especial ao sambista Batatinha, de quem Gabriel Batatinha, um dos integrantes, é neto.

O projeto leva o espírito das rodas de samba para dentro do teatro, num show que utiliza todos os recursos cênicos de palco, luz e cenografia. O grupo realiza experimentos sonoros, sempre tendo como ponto de partida o samba. No show, elementos do rock, pop, jazz e frevo se fundem ao ritmo do samba, dando origem a Outros Sambas Diversos.


Últimas apresentações de Jango: Uma Tragedya

Jango: Uma Tragedya. Foto: Marcio Meirelles.

Neste fim de semana, estão as últimas chances para assistir ao espetáculo Jango: Uma Tragedya. A montagem escolhida para celebrar os 50 anos do Teatro Vila Velha, com texto de Glauber Rocha e encenação de Marcio Meirelles, realiza as últimas apresentações entre quinta-feira e domingo, de 28 a 31 de agosto. Assim como as últimas produções do Teatro Vila Velha, o espetáculo não volta a cartaz. A partir de setembro, o Vila já estreia novos trabalhos. Portanto, é agora ou nunca!

Jango: Uma Tragedya
28 a 31 de agosto | qui a sáb: 20h | dom: 19h
R$ 30 e 15 (sex a dom) | R$ 10 (quinta/preço promocional)





LIVRE realiza primeiro dia de seleção para Oficina

Nesta segunda-feira, a universidade LIVRE de teatro vila velha realizou o primeiro dia de seleção para a sua Oficina. Durante três meses, os participantes selecionados terão contato com as diversas linguagens artísticas com que a LIVRE trabalha, além de conhecimentos nas áreas técnicas de iluminação, sonorização e audiovisual. 

A seleção acontece até a quarta-feira em oficinas com o encenador Marcio Meirelles, diretor artístico do Teatro Vila Velha e fundador da LIVRE.

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Roda de diálogo discute políticas públicas para a Cultura-brasileira no Vila

Nesta segunda-feira, 18h, a Fundação Cultural Palmares realiza no Teatro Vila Velha uma roda de diálogo sobre o Plano Setorial Nacional de Políticas Públicas para a Cultura Afro-brasileira. 

O encontro contará com a participação de gestores, artistas e ativistas negros que têm como objetivo consolidar uma política de cultura ampla, transversal e que atenda as demandas da diversidade cultural negra local. A roda de diálogo é uma das ações promovidas pelo Conselho Nacional de Cultura, a Fundação Cultural Palmares (FCP/MinC) junto às as representações de cultura de cada localidade para que o Plano seja discutido.

Durante o encontro, participantes da Oficina de Perfomance Negra, projeto de formação de novos atores realizado pelo Bando de Teatro Olodum, farão uma performance inspirada em textos do autor Hamilton Borges. 

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Bando apresenta Cabaré da RRRRRaça em São Paulo, com participação de Érico Brás

Em setembro, o Bando de Teatro Olodum embarca para São Paulo para se apresentar no Festival de Teatro Brasileiro, dentro do projeto Cena Baiana. O grupo apresenta o clássico Cabaré da RRRRRaça, nos dias 6 e 7 de setembro, no Teatro João Caetano, com a participação especial do ator Érico Brás. O assunto foi destaque na Coluna Vip, do jornal Correio desta sexta-feira.



Jango: Uma Tragedya é capa da Ilustrada, Folha de S. Paulo


O espetáculo Jango: Uma Tragedya, que comemora os 50 anos do Teatro Vila Velha, foi capa da Ilustrada, da Folha de S. Paulo. Nesta quarta-feira, caderno virou "Ylustrada", em referência a ortografia utilizada por Glauber Rocha na década de 70. Jango é a única peça de teatro escrita pelo cineasta. A montagem do diretor Marcio Meirelles é a segunda em 37 anos. 

Clique aqui para ler na íntegra o texto publicado no jornal Folha de S. Paulo.

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Parabéns, Tiago!



Hoje é aniversário do ator Tiago Querino, integrante da universidade LIVRE de teatro vila velha. Querino integra a LIVRE desde a fundação, e vem se destacando pelo seu trabalho junto ao grupo e ao próprio teatro. Nesse ano ele já integrou o elenco dos espetáculos Por Que Hécuba, Esperando Godot, JANGO - Uma Tragedya (que está em cartaz na sala principal Teatro Vila Velha de quinta a domingo), entre outros. Parabéns, Tiago!

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Espetáculo Jango: Uma Tragedya no Programa Soterópolis


Nesta quinta-feira, às 22h, o Programa Soterópolis, da TVE, exibe reportagem sobre Jango: Uma Tragedya, espetáculo que celebra os 50 anos do Teatro Vila Velha.

Único texto para teatro escrito por Glauber Rocha, a peça narra o presidente João Goulart durante o exílio, após ser deposto pelo Golpe Militar, em 1964. Com direção de Marcio Meirelles, o musical tem trilha sonora e direção musical do Tropical Selvagem (Ronei Jorge e João Meirelles) e coreografia de Cristina Castro.

Jango: Uma Tragedya permanece em cartaz até 31 de agosto, sempre de quinta a sábado, às 20h, e aos domingos, às 19h. Os ingressos custam R$ 30 e 15, de sexta a domingo e, às quintas-feiras, têm preço promocional de R$ 10.


Noite de homenagens a Batatinha emociona o Teatro Vila Velha


Na última terça-feira, o Teatro Vila Velha teve casa cheia para homenagear um dos maiores sambistas do país. O show Batatinha 90 reuniu família, amigos e grandes artistas para celebrar o dia em que o músico completaria 90 anos de idade se estivesse vivo. A homenagem marcou também a estreia do projeto musical Outros Sambas Diversos, que passa a acontecer durante todas as terças-feiras do mês de agosto, às 20h, no Cabaré dos Novos do Teatro Vila Velha.

"Isso aqui está exatamente do jeito que Batatinha iria gostar", comentou no início do show Jorge Batatinha, filho do compositor e um dos anfitriões da noite. No palco, estavam ainda Galo, filho, e Gabriel Batatinha, neto do sambista, com o grupo Outros Diversos, do qual faz parte. 

Ao longo do show, subiram ao palco artistas como Margareth Menezes, Dão, Firmino de Itapuã e o Grupo Botequim. Jota Veloso e Paquito cantaram juntos a música "Ironia" e relembraram como foi gravado o disco Diplomacia, de Batatinha, produzido por eles, e que reuniu artistas como Caetano Veloso, Gilberto Gil e Maria Bethânia. Em seguida, Juliana Ribeiro cantou "Direito de Sambar" e convidou ao palco a grande sambista Claudete Macêdo, parceira de Batatinha, que encantou a plateia e foi aplaudida de pé.

A noite não parecia um espetáculo, mas um grande encontro de amigos, daqueles que ninguém quer que acabe. Tanto que o show começou 20h e acaba quase as 23h. De lá, a família convidou o público para a Casa de Batatinha, no Lago dos Aflitos, onde a festa continuou.

Veja abaixo algumas fotos, feitas por Ananda Ikishima, do Labfoto.







Teatro Vila Velha abriga Manifesto da Árvore


O Manifesto da Árvore lança nesta sexta-feira, 8 de agosto, das 10h às 18h, no Teatro Vila Velha, o seminário Por Uma Nova Cultura da Árvore. Idealizado pela artista franco-gabonense Myriam Mihindou, que apresentará uma performance no local, o projeto tem o objetivo de ajudar as pessoas a reencontrar o contato com natureza. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas no Escritório da Academia da Árvore, que fica na Feira de Arte Livre, na Feira de São Joaquim. Galpão Água de Meninos, Box 64.

Myriam desenvolve um trabalho com algumas culturas do Invisível e seus rituais (especialmente dos bwittino Gabão), e realiza performances de dimensão profilática. Ela foi incumbida de conceber um projeto específico para o lançamento do Manifesto da Árvore, acompanhando de perto as sessões de Despertar à Arvore, conduzidas pelo curandeiro francês Pierre Capelle.

O Manifesto da Árvore é uma proposta especialmente concebida para a 3ª Bienal da Bahia pela Academia da Árvore, o primeiro departamento do Museu do Invisível criado por Pascal Pique, com o lançamento do livro Sociomytho-logies de l’arbre (Sociomito-logias da árvore) de Pierre Capelle e Michel Boccara, final de 2013 no Palais de Tokyo em Paris, França.

A Academia da Árvore é decididamente voltada a artistas contemporâneos, sensíveis às diversas dimensões perceptivas e visionárias que podem entrar em jogo ao contato com as árvores, e que eles traduzem em suas obras.

Programação:

08/08 | sex | 10h às 18h
Cabaré dos Novos | Teatro Vila Velha
Entrada Gratuita

sábado, 2 de agosto de 2014

Tributo a Batatinha marca a estreia do projeto outros SAMBAS diversos

Em 5 de agosto, dia em que o sambista completaria 90 anos, o grupo realiza o show Batatinha 90, com participações de Margareth Menezes, Juliana Ribeiro, Roberto Mendes, Cacau do Pandeiro, entre outros artistas


Grupo Outros Diversos passa a animar as terças-feiras no Vila

Em agosto, o projeto musical outros SAMBAS diversos passa a movimentar as noites de terça-feira no Teatro Vila Velha. Comandado pelo grupo de compositores e multi-instrumentistas Outros Diversos (Alex Mariachi, Gabriel Batatinha, Jadsa Castro, Shalom Adonai, Laco Pereira, Artur Soares, Felipe Magalhães) o projeto apresenta canções autorais, releituras de grandes compositores baianos, além de experimentos sonoros, sempre tendo como ponto de partida o samba. A temporada de shows acontece de 5 a 26 de agosto, sempre as terças-feiras, 20h, no Teatro Vila velha.

O sambista Batatinha é homenageado no dia em que completaria 90 anos


A primeira das apresentações, no dia 5 de agosto, coincide com a data de aniversário de 90 anos do sambista Batatinha. O grupo, que tem em Batatinha uma grande referência musical, além de vínculos afetivos - Gabriel Batatinha, um dos membros, é neto do artista - , não poderia deixar de realizar a homenagem. A abertura da temporada de shows, portanto, transformou-se num grande tributo a um dos maiores compositores baianos. Junto com Jorge Batatinha e Galo, filhos de Batatinha, o grupo recebe artistas como Margareth Menezes, Juliana Ribeiro, Roberto Mendes, Walmir Lima, Didi Gomes, Elisa Goritzki, Cacau do Pandeiro e Felipe Guedes, para fazer releituras do imortal Batatinha.

"É um momento especial em todos os sentidos. Por serem 90 anos de Batatinha e, ao mesmo tempo, por a gente estar comemorando os 50 anos do Teatro Vila Velha. O Vila Velha foi o primeiro e o último teatro em que meu avô cantou", lembra Gabriel Batatinha.

No show, intitulado Batatinha 90, além de releituras de grandes clássicos, vão ser apresentadas duas canções inéditas do sambista. "A obra de Batatinha ainda não é conhecida completamente. Então muitas coisas que Batatinha fez ainda não foram gravadas. No show, vamos apresentar as inéditas 'Samba e suingue' e 'Olha aí o que é que há', com arranjos de Gabriel", conta o músico Jorge Batatinha, um dos anfitriões da noite de homenagens.

outros SAMBAS diversos
Inauguração | Tributo a Batatinha: 05/08 | terça | 20h | sala principal

Temporada de shows: 12/08 a 26/08 | terças | 20h | cabaré dos novos
Ingressos: R$ 30 e 15

Teatro Vila Velha completa 50 anos com a estreia de Jango

Há exatamente 50 anos, a Companhia Teatro dos Novos, grupo de estudantes dissidentes da Escola de Teatro, inaugurava, depois de muito trabalho, leilões e livros de ouro, o Teatro Vila Velha. Em 31 de julho de 1964, exatos quatro meses após o Golpe Militar, Salvador ganhava um espaço de liberdade e subversão. Cinco décadas depois, o Vila mantem-se como um lugar de debate político, de defesa da libertade e luta a favor dos direitos da população. 


Toda essa história está sendo celebrada com o espetáculo Jango: Uma Tragedya, texto de Glauber Rocha, encenado por Marcio Meirelles, com atores do Vila. Em cartaz durante todo o mês de agosto, a peça teve dois dias de estreia especiais, com a presença de amigos do Teatro Vila Velha.




"A criação do Teatro Vila Velha foi um ato de coragem", ressaltou o secretário de cultura, Albino Rubim, durante o discurso em que parabenizou o Vila pelo cinquentenário, no dia 31 de julho. Em seguida, a atriz Sonia Robatto, uma das fundadoras do teatro, saudou os presentes e lembrou o momento em que subia pela primeira vez naquele palco, ao lado do ator Mario Gadelha, também presente na plateia.


O diretor artístico do Teatro Vila Velha, Marcio Meirelles, agradeceu aos amigos do Vila, empresas parceiras do teatro, e aos patrocinadores - a Petrobras e a secretaria de cultura, através Programa de Apoio a Ações Continuadas de Instituições Culturais - que ajudam a manter o teatro, mas lembrou a importância do público para a existência do Teatro Vila Velha. "O Vila só têm 65% das depesas cobertas pelos patrocinadores. Esse outro valor depende da troca simbólica com o público. Por isso insistimos na campanha de 'De graça não tem graça', pedimos que não aceitem ingressos gratuitos, cortesias. O teatro precisa do investimento do público", enfatizou.

Depois de assistir ao espetáculo Jango: Uma Tragedya, o público foi convidado ao Cabaré dos Novos, para celebrar os 50 anos do Teatro Vila Velha. Que venham mais e mais 50. Evoé!



Tributo a Batatinha inaugura projeto musical Outros Sambas Diversos no Teatro Vila Velha

Em 5 de agosto, dia em que o sambista completaria 90 anos, o grupo realiza o show Batatinha 90, com participações de Margareth Menezes, Juliana Ribeiro, Roberto Mendes, Cacau do Pandeiro, entre outros artistas


Grupo Outros Diversos passa a animar as terças-feiras no Vila

Em agosto, o projeto musical outros SAMBAS diversos passa a movimentar as noites de terça-feira no Teatro Vila Velha. Comandado pelo grupo de compositores e multi-instrumentistas Outros Diversos (Alex Mariachi, Gabriel Batatinha, Jadsa Castro, Shalom Adonai, Laco Pereira, Artur Soares, Felipe Magalhães) o projeto apresenta canções autorais, releituras de grandes compositores baianos, além de experimentos sonoros, sempre tendo como ponto de partida o samba. A temporada de shows acontece de 5 a 26 de agosto, sempre as terças-feiras, 20h, no Teatro Vila velha.

O sambista Batatinha é homenageado no dia em que completaria 90 anos


A primeira das apresentações, no dia 5 de agosto, coincide com a data de aniversário de 90 anos do sambista Batatinha. O grupo, que tem em Batatinha uma grande referência musical, além de vínculos afetivos - Gabriel Batatinha, um dos membros, é neto do artista - , não poderia deixar de realizar a homenagem. A abertura da temporada de shows, portanto, transformou-se num grande tributo a um dos maiores compositores baianos. Junto com Jorge Batatinha e Galo, filhos de Batatinha, o grupo recebe artistas como Margareth Menezes, Juliana Ribeiro, Roberto Mendes, Walmir Lima, Didi Gomes, Elisa Goritzki, Cacau do Pandeiro e Felipe Guedes, para fazer releituras do imortal Batatinha.

"É um momento especial em todos os sentidos. Por serem 90 anos de Batatinha e, ao mesmo tempo, por a gente estar comemorando os 50 anos do Teatro Vila Velha. O Vila Velha foi o primeiro e o último teatro em que meu avô cantou", lembra Gabriel Batatinha.

No show, intitulado Batatinha 90, além de releituras de grandes clássicos, vão ser apresentadas duas canções inéditas do sambista. "A obra de Batatinha ainda não é conhecida completamente. Então muitas coisas que Batatinha fez ainda não foram gravadas. No show, vamos apresentar as inéditas 'Samba e suingue' e 'Olha aí o que é que há', com arranjos de Gabriel", conta o músico Jorge Batatinha, um dos anfitriões da noite de homenagens.

outros SAMBAS diversos
Inauguração | Tributo a Batatinha: 05/08 | terça | 20h | sala principal

Temporada de shows: 12/08 a 26/08 | terças | 20h | cabaré dos novos
Ingressos: R$ 30 e 15