sexta-feira, 29 de abril de 2011

Faça parte da nossa Lista Amiga!

Concorreu na nossa promoção do twitter e ainda assim não ganhou ingressos para o concerto da Orquestra Juvenil da Bahia?! Não se preocupe! Participe da nossa Lista Amiga e pague meia entrada.

Mande seu nome completo e RG para comunicacao@teatrovilavelha.com.br e venha assistir a primeira apresentação da NEOJIBA no Vila! Receberemos emails até às 17h do dia 1° (domingo). Divulgue para os seus amigos e venha!

A Orquestra

A Sinfônica Juvenil da Bahia, criada em setembro de 2007, é a primeira orquestra formada pelo NEOJIBA. Seu Diretor Fundador e Regente Titular é o pianista e maestro Ricardo Castro que, a convite da Secretaria de Cultura do Estado, implanta desde 2007 na Bahia um sistema de orquestras juvenis e infantis inspirado no aclamado "El Sistema" da Venezuela. O concerto inaugural foi em outubro de 2007 sob a regência do maestro venezuelano Manuel López Gómez, enviado na ocasião pelo FESNOJIV (Fundación del Estado para el Sistema Nacional de Orquestas Juveniles y Infantiles de Venezuela).

01/05 | dom | 19h
R$ 10 e 5 (meia)
Palco Principal

Comemorações no Vila


Hoje temos duas comemorações: o Dia Internacional da Dança e também o 5° aniversário do Festival VIVADANÇA!

Como parte da programação desse dia especial, o Festival VIVADANÇA preparou duas sessões fechadas para alunos de escolas públicas de Salvador. Esses alunos tiveram a oportunidade de assistir ao espetáculo “Lúdico”, primeira montagem infantil da Cia. Druw de São Paulo, aqui no Vila.

O espetáculo foi especialmente escolhido para ir aos palcos hoje, no Dia Internacional da Dança. A data foi criada, em 1982, pelo Comitê Internacional da Dança da UNESCO, em comemoração ao nascimento de Jean-Georges Noverre (1727-1810), considerado o criador do balé moderno.

Um dos objetivos da comemoração é o aumento da importância da dança para o público em geral e é exatamente por isso que “Lúdico” foi apresentado nesse dia. Sua forma acessível e divertida contribui para aproximar mais pessoas ao universo da dança, incentivando especialmente as crianças a conhecer mais sobre esta arte, tendo assim um importante papel na formação de plateia.

Amanhã, dia 30/04 (sábado), a Cia. Druw apresenta novamente “Lúdico” só que dessa vez em sessão aberta ao público, às 17h, no Palco Principal do Vila.


Lúdico

A base para o desenvolvimento do espetáculo “Lúdico”, da coreógrafa Miriam Druwe, foi o livro “Do espiritual na arte”, publicado em 1912 por Wassily Kandinsky e considerado a primeira grande obra teórica sobre a pintura. Nele, o autor desenvolve uma investigação filosófica sobre as cores e as formas, às quais confere valores psicológicos e morais.

É a partir dessa ideia que serão construídos os personagens principais de Lúdico. A curva é estilosa, assanhada e sinuosa e seu temperamento e mobilidade corporal lembram uma serpente. O ponto é o início de tudo e, por isso, a tela branca foge dele, por se achar linda assim e tentar convencer a todos de que é cheia de graça, mesmo em toda a sua simplicidade. Já a reta é determinante, mandona, indica caminhos - e tem certeza de que é uma junção de pontos. O círculo preto é circunspecto, sisudo e meditativo. E o círculo vermelho, completando a trama, é trovoada e relâmpago, paixão.

A relação entre o criador e as cores e formas conduz o espetáculo, para envolver os pequenos espectadores na história que é contada. O figurino e o cenário de Marco Lima contribuem para a composição dessa atmosfera mágica, colorida e poética, proporcionando um belo passeio pelo universo da criação de uma obra de arte, numa linguagem leve e acessível aos jovens espectadores.

Jarbas e o cinema

Cena do documentário A Morte de D.J em Paris*

Baseado no conto A Morte de D.J em Paris, do mineiro Roberto Drummond, o documentário homônimo foi selecionado para o Short Film Corner, no Festival de Cannes, em maio. Dirigido pelo baiano Igor Penna, o filme é protagonizado pelo ator baiano Paulo Tiago dos Santos e pela atriz francesa Léa Schwebel, que veio a Salvador especialmente para as filmagens. O curta tem a participação do premiado ator Wilson Mello, que morreu no ano passado. A trilha sonora é do diretor musical Jarbas Bittencourt, que faz canções para o teatro baiano e compôs pela primeira vez para o cinema.

Jarbas Bittencourt é diretor musical do Bando de Teatro Olodum e um dos realizadores do Encontro de Compositores.

José Wilker recebe diretores Chica Carelli e Márcio Meirelles no programa Palco e Plateia no Canal Brasil

Wilker entrevista Chica Carelli e Marcio Meirelles no Cabaré dos Novos

No próximo episódio, dia 2 de maio (segunda-feira), José Wilker recebe os fundadores do Bando de Teatro Olodum, de Salvador, Chica Carelli e Márcio Meirelles. A companhia, formada por atores exclusivamente negros, possui grande destaque no cenário teatral baiano. Além das entrevistas, a série traz depoimentos de Lázaro Ramos (revelado pelo grupo teatral), Rejane Maya e Jarbas Bittencourt.

Dirigida por Jorge Nassaralla e Pedro Flores da Cunha, a série Palco e Plateia abre as cortinas do teatro brasileiro todas as segundas-feiras, às 21h, no Canal Brasil, para apresentar um panorama do universo das artes cênicas no país. O ator, diretor, crítico de cinema e apresentador José Wilker entrou em cena e entrevistou alguns dos maiores e mais representativos diretores do universo teatral. Wilker, que tem intimidade com o assunto – são mais de 50 peças no currículo -, contou com a participação de diversas plateias nos teatros das principais capitais onde as conversas foram filmadas. O programa mostra ainda imagens das produções teatrais e depoimentos de grandes atores e outros profissionais do meio que fizeram parte da trajetória de cada diretor entrevistado.

Com roteiro de Jorge Espírito Santo, Palco e Plateia discute o teatro brasileiro, suas diversas manifestações, suas variadas visões, linguagens, métodos de encenação e processos de criação. Com perguntas também da plateia, muitas constituídas por atores e pessoas do mundo das artes cênicas, se estabelece um diálogo, uma troca entre diretor e público, profissionais e admiradores do teatro. O programa é uma produção da Girassol Comunicações em parceria com a KN Vídeo, e conta com patrocínio da Oi e apoio cultural do Oi Futuro.

No total, são 13 episódios (30 minutos cada) que serão exibidos até 27 de junho na seguinte ordem: Aderbal Freire-Filho (4 de abril), Charles Möeller (11 de abril), Bia Lessa (18 de abril), Amir Haddad (25 de abril), Chica Carelli e Marcio Meirelles, do Bando de Teatro Olodum (2 de maio), Rodolfo Garcia Vázquez, do grupo Os Satyros (9 de maio), Eduardo Moreira, do Grupo Galpão (16 de maio), Guti Fraga, do Nós do Morro (23 de maio), Hamilton Vaz Pereira (30 de maio), Gabriel Villela (6 de junho), Miguel Fallabela (13 de junho), Bibi Ferreira (20 de junho) e Antunes Filho (27 de junho).

*Foto: Vinicio de Oliveira

Mais informações: http://ow.ly/4JDE7

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Orquestra Sinfônica Juvenil da Bahia em única apresentação no Teatro Vila Velha

Foto Tati Golsman

A Orquestra Sinfônica Juvenil da Bahia, primeira orquestra formada pelo NEOJIBA (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia), se apresenta pela primeira vez no Teatro Vila Velha. No repertório, a Suite Pássaro de Fogo, de Igor Stravinsky, e Fontes de Roma, de Ottorino Respighi, dentre outras.

O Diretor Fundador e Regente Titular da Orquestra é o pianista e maestro Ricardo Castro que, a convite da Secretaria de Cultura do Estado, implanta desde 2007 na Bahia um sistema de orquestras juvenis e infantis inspirado no aclamado "El Sistema" da Venezuela.

A Orquestra Sinfônica Juvenil da Bahia é a principal orquestra do NEOJIBA - Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia, um programa da Secretaria de Cultura do Governo da Bahia, criado em 2007 em Salavdor pelo pianista e maestro Ricardo Castro com o objetivo de promover a excelência e a integração social por meio da prática orquestras.

Inspirada no Sistema Nacional das Orquestras e Coros Juvenis e Infantis da Venezuela (FESNOJIV), o programa oferece uma rotina contínua e diária de estudos. A Juvenil da Bahia é composta por 100 integrantes de 12 a 25 anos de idade, realizou diversas apresentações no Brasil e exterior e recebe constante monitoria de regentes e solistas de renome internacional.

Em 2009, se apresentou no 40° Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, realizou sua primeira turnê nas principais capitais do Nordeste brasileiro, e em setembro participou de intercâmbio pedagógico com o El Sistema em Caracas, Venezuela. Em 2010, foi convidada como orquestra residente do V Festival de Música de Santa Catarina – FEMUSC, se apresentando também na turnê de divulgação do festival. Em julho de 2010 foi a primeira orquestra juvenil brasileira realizando concertos no Queen Elizabeth Hall de Londres e no Centro Cultural de Belém em Lisboa.

No retorno ao Brasil realizou uma turnê pelo Sudeste, incluindo apresentações na Sala São Paulo, em Belo Horizonte e encerrando com um concerto no 41° Festival Internacional de Inverno de Campos de Jordão, confirmando o sucesso do ano anterior. Em 2011 a Sinfônica Juvenil da Bahia tem, além de uma importante temporada de concertos no Teatro Castro Alves e apresentações em cidades do interior da Bahia, concertos agendados em prestigiadas salas de concerto, incluindo uma apresentação com o pianista Lang Lang no Royal Festival Hall de Londres, concertos na Konzerthalle em Berlin com Maria João Pires e no Victoria Hall de Genebra, e a esperada estreia na importante série de assinaturas do Mozarteum Brasileiro, com dois concertos na Sala São Paulo, tendo como solista o violinista Shlomo Mintz.

01/05 | dom | 19h
R$ 10 e 5 (meia)
Palco Principal

terça-feira, 26 de abril de 2011

Depoimentos do VIVADANÇA

Caros Amigos,

Meu nome é Jackson do Nascimento Rangel e sou professor do Colégio Estadual Nossa Senhora de Fátima em Periperi. Antes de tudo desejo agradecer pela oportunidade dada aos meus alunos do noturno de poderem estar visitando e assistindo a uma apresentação no VIVADANÇA Festival Internacional no último dia 18 deste mês. É importante destacar que para muitos deles foi a primeira experiência de assistir um espetáculo num teatro, ainda mais com a qualidade e a riqueza cultural que foi apresentado. Os alunos que são já adultos, testemunharam após a apresentação e no dia seguinte o quanto ficaram deslumbrados com o Teatro, bem como a estrutura do espetáculo que eles assistiram, disseram que tiveram uma noite de sonhos, alguns até se emocionando pela primeira experiência vivenciada. Fico feliz de poder proporcionar o acesso deles a um bem cultural tão importante que são as artes, sejam elas a dança, o teatro, ou a música de qualidade; pois tenho consciência que o acesso deles a esse tipo de apresentação é bastante restrito, devido ao custo financeiro, conhecimento e até mesmo interesse, já que o que predomina para a maioria é um outro tipo de cultura.
Desejo que esses momentos se repitam e que em outras oportunidades possam surgir de estarem nos convidando para compor a platéia, dando assim oportunidade para os que não foram.
Agradecido,
Jackson Rangel

segunda-feira, 25 de abril de 2011

UFBA discute memória e história do Teatro Vila Velha

Amanhã, 26 de abril, ocorrerá no Instituto de Letras da UFBA a mesa-redonda "Teatro baiano: história e memória do Teatro Vila Velha". O evento, promovido pelo TemPós (programa especial de realização de eventos acadêmicos do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFBA), iniciará às 16h e contará com a participação de Denise Pereira (História/UFBA), Márcio Meirelles (Teatro) e Rosa Borges (Letras/UFBA). A mesa-redonda será no Labimagem (Instituto de Letras da UFBA) e as inscrições podem ser solicitadas pelo e-mail temposufba@yahoo.com.br.

Mesa-redonda: "Teatro baiano: história e memória do Teatro Vila Velha".
26/04 | ter | 16h
Labimagem (Instituto de Letras da UFBA)
Inscrições: temposufba@yahoo.com.br

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Dança para todos

Foto: João Meirelles

Chego a Plataforma e me deparo com uma cena inusitada: crianças que brincavam na rua sendo convidadas a assistir um espetáculo de dança no teatro do Centro Cultural de Plataforma. Ainda um pouco envergonhadas, elas acabam aceitando o convite.

Entro logo depois delas e encontro um teatro lotado. São muitas crianças, todas de escolas da região. Eufóricas, elas conversam, riem e gritam. É engraçado ver as professoras tentado fazer com que elas se acomodem. Impossível. Muitas estão ali pela primeira vez e a curiosidade é enorme.

As luzes se apagam e mais gritos. Aos poucos, vão se calando e se acostumando com o ambiente. O espetáculo começa e os olhos brilham maravilhados com a nova experiência. As reações são as melhores possíveis!

O espetáculo apresentado é o “Da Ponta da Língua a Ponta do Pé”, primeiro espetáculo da Companhia Viladança voltado para crianças e adolescentes, e que conta a história de Zé, um garoto como outro qualquer, que faz de tudo pra conquistar Isadora, e acaba descobrindo o amor e o mundo da dança.

Didático e educativo, o espetáculo faz parte da programação do Festival VIVADANÇA, e reuniu, ontem e hoje, cerca de mil crianças em quatro apresentações (10h e 15h). Na próxima semana, será a vez do Cine-Teatro Solar Boa Vista receber, através da formação de plateia, crianças e adolescentes de outras escolas de Salvador.

VIVADANÇA no Soteropólis

A baiana Isaura Tupiniquim e o paulistano Ivaldo Bertazzo, que integram a programação do VivaDança Festival Internacional, são temas de reportagens especiais. Bailarino e coreógrafo consagrado, Bertazzo cumpre temporada em Salvador de seu mais recente espetáculo, Corpo Vivo - Carrossel das Espécies, que busca por meio da dança, música e de textos uma representação da evolução da espécie humana.

TVE | Canal 2 | Qui - 22h | dom - 18h

terça-feira, 19 de abril de 2011

Conspiração filmes abre seleção para filme ´Gonzagas´


O diretor de “2 Filhos de Francisco”, Breno Silveira, da Conspiração Filmes, procura ator ou cantor que queira atuar no seu novo filme com título provisório “GONZAGAS”. Idade entre 25 e 35 anos, moreno ou mulato que pareça com o cantor, compositor e músico Luiz Gonzaga.

Os interessados devem enviar o nome completo, data de nascimento, endereço completo com telefone e e-mail (caso possua), idade, peso, altura e duas fotos 10×15 (uma de rosto e outra de corpo inteiro) para a produtora de elenco Cibele Santa Cruz até 10 de maio de 2011. Vídeos também poderão ser enviados. O envio dos materiais pode ser feito via Internet, pelo endereço eletrônico cibele@conspira.com.br, ou pelos Correios, colocando no envelope:

Projeto “GONZAGAS”
Caixa Postal: 38024
CEP: 22.440-970
Rio de Janeiro – RJ

As filmagens de “GONZAGAS” estão previstas para o segundo semestre de 2011.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

A Outra participa do FRINGE e vira notícia


Com uma semana de atraso, mas com muitas histórias e amizades na bagagem, venho dar notícias da passagem d'A Outra Companhia pelo FRINGE 2011.

Foram oito apresentações de dois espetáculos diferentes (Mar Me Quer e Remendo Remendó) em quatro dias. Uma verdadeira maratona.

Já saímos de Salvador com uma ótima referência de Valdir Santos, jornalista e crítico de teatro, que destacou o Mar Me Quer e mais 12 espetáculos como principais pedidas do FRINGE. Veja no link o artigo publicado em seu site teatrojornal: http://teatrojornal.com.br/blog/2011/03/para-ver-no-fringe/

Quem também citou o Mar Me Quer foi Ayrton Batista Junior, correspondente do site Wapanda, que fez uma resenha do espetáculo. Leia em: http://www.wapanda.com.br/cobertura-post/4697_Mar-Me-Quer:-bonita-de-se-ver-e-ouvir

E para finalizar e ficar com água na boca, confira um trechinho de Remendo Remendó, mais nova montagem d'A Outra que estreou no festival e integra a programação do Vila no mês de junho: http://www.youtube.com/watch?v=Qxa_4ciTz1U

Gotham City na Bahia


A companhia Primeiro Ato, de Minas Gerais, se apresentou, pela segunda vez no Festival VIVADANÇA, no final de semana com o espetáculo “Isso Aqui Não é Gotham City”. Com casa cheia nos dois dias, a diretora artística Suely Machado disse estar muito feliz por participar de mais um ano do festival.

“O festival é uma realização importantíssima. Extremamente democrático, com o olhar aberto, com várias linguagens diferentes. É possível assistir espetáculos de grandes mestres e também de pesquisadores que estão começando agora”, disse. Suely também fez elogios a Cristina Castro, diretora artística e curadora geral do VIVADANÇA. “Ela tem uma enorme sensibilidade no olhar, em enxergar o festival e abri-lo para outros espaços”, afirmou.

Com recursos de teatro e mímica e inspirado no universo dos quadrinhos e dos desenhos animados, o espetáculo de dança “Isso Aqui Não é Gotham City” é um dos primeiros da companhia e tem 21 anos de criação. “A intenção é de entreter, divertir o público. A reação é sempre positiva”, conta Suely.

Também como parte da programação do VIVADANÇA, Suely ministrou a oficina “Criação do Gesto” na Escola de Dança da FUNCEB para cerca de 50 alunos. “A oficina foi ótima! Todos os bailarinos foram super abertos, tivemos uma boa receptividade”, conclui.

O Bando quer saber: que música marcou você no Pelourinho de 1991 para cá?

Esse é o tema da pesquisa musical para nova montagem do Bando de Teatro Olodum: "TRILOGIAREMIX.DOC_AQUARTAPEÇA". João Meirelles e Jarbas Bittencourt estão trabalhando nisso. Colabore com a construção dessa paisagem sonora.


Mande sua colaboração para: bando2@gmail.com

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Suely Machado ministra a oficina de Criação do Gesto

Foto: Cinara Pereira

O Vivadança continua com toda força em sua terceira semana de atividades. Hoje, 15/04, aconteceu a oficina “Criação do Gesto” com Suely Machado, do Grupo Primeiro Ato (MG), na Escola de Dança da Funceb, no Pelourinho.

A oficina contou com cerca de 50 participantes, todos bastante empolgados e entregues as dinâmicas propostas. Durante a oficina, Suely trabalhou respiração, campo de visão e sons através de exercícios de atenção e espacialidade, sempre se preocupando com a postura e movimentação dos alunos.

As técnicas de movimentação da dança contemporânea que trabalham o corpo focando o esqueleto, seu peso, sua capacidade articulatória e sua integração com os sistemas orgânicos e musculares, compõem a abordagem técnica da oficina. Além disso, o trabalho exercita a preparação cênica do bailarino através de práticas e jogos que estimulam o ritmo, a concentração, a sensibilização dos órgãos do sentido, a ocupação do espaço e a participação no coletivo.

Suely Machado: mineira, graduada em Psicologia (PUC/MG), com especialização em Coreoterapia e Psicomotricidade e com curso de extensão em Pedagogia do movimento para o ensino da dança (UFMG). Bailarina e coreógrafa formada em Dança Moderna, possui extenso currículo de cursos com expoentes da dança nacional e internacional. Dirige o Grupo de Dança Primeiro Ato e o 1º Ato Centro de Dança desde 1982. Por três anos consecutivos, desde 2008, está como conselheira do Festival de Joinville, e atualmente integra o projeto Caminho das Artes na cidade de Nova Lima que reúne artistas de grande expressão na cena cultural brasileira.

Poder e erotismo marcam a estreia do prêmio VIVADANÇA!

Foto: João Meirelles

Olhares atentos para a estreia de “Fricção”. Isaura Tupiniquim, coreográfa e dançarina do espetáculo, propõe uma reflexão sobre a guerra que a gente vive. A guerra bélica, nos lugares conhecidos, as mais distantes da nossa realidade e a guerra que a mídia nos traz, todos os dias.

Isaura traz sua formação moderna para mostrar o poder e erotismo nesta montagem. Os adereços chamam bem atenção. Nas pernas e nos braços, um couro revela rodinhas que são como extensões do corpo.

Para Isaura, ganhar o prêmio VIVADANÇA teve sabor de estreia. Ela, que vinha de uma trajetória de performances em foyers e espaços menores, apresentou-se pela primeira vez no palco, com um solo próprio, na noite de ontem.

“Fricção” é um desses espetáculos que a gente sai querendo conversar sobre o que viu. As apresentações seguem nesta sexta e sábado e voltam na última semana de abril, acompanhando o encerramento do VIVADANÇA.

Espetáculo Fricção
Teatro ICBA Goethe Institut
Dias 14, 15, 16, 28, 29 e 30 de abril, às 20h.
Gratuito


quinta-feira, 14 de abril de 2011

Reconhecimento

Foto: João Meirelles

O bailarino e coreógrafo Zebrinha recebeu ontem o Prêmio Braskem na Categoria Especial de 2010 pela coreografia do espetáculo "Bença". Nome de destaque na dança do Brasil, Zebrinha estudou e deu aulas em diversos países. Em 1993, com o espetáculo “Medeamaterial”, integra o time do Bando de Teatro do Olodum e passa a coreografar todas as montagens do grupo, com exceção de “Ópera de 3 reais”. Além de coreógrafo, também é coordenador do Bando e responsável pela direção artística do Balé Folclórico da Bahia.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Hoje é dia de festa no Vila!

Aroeira, 2006
Núcleo VilaDança

O Núcleo VilaDança e A Outra Cia. de Teatro estão fazendo aniversário!

Fundado em 1998, pela coreógrafa Cristina Castro, o Núcleo VilaDança já realizou mais de 400 apresentações no Brasil e no exterior. Com 11 espetáculos no repertório, o VilaDança é reconhecido internacionalmente e desde 2007, realiza o VIVADANÇA Festival Internacional, chegando esse ano a sua quinta edição!

Com 7 anos de vida, A Outra é o grupo residente mais recente do Vila e já conta com a montagem de 9 espetáculos no currículo. Participando de festivais por todo o país, em sua mais recente viagem, estreou o espetáculo "Remendo-Remendó" no FRINGE, a Mostra Paralela de Teatro do Festival de Curitiba, agora em abril.

Parabéns a todos os integrantes dos grupos e que tenham vida longa aqui no Vila!

Mar Me Quer, 2010
A Outra Cia. de Teatro

E o VIVADANÇA segue emocionando plateias

Foto: João Meirelles

"No dia 1° de abril, uma sexta-feira, alunos, professores e funcionários da Escola Municipal Padre José de Anchieta, incluindo a mim, assistimos a uma apresentação grandiosa desse múltiplo Antonio Nóbrega. Vimos pessoas chorando, outras emocionadas, alguns comentários de espanto, pessoas aplaudindo fora da hora. Quando terminou a apresentação, várias pessoas da escola vieram me agradecer pela oportunidade. Vi que as pessoas ficaram realmente contentes.

Sou coordenador pedagógico pela tarde e vice-diretor pela noite, e, quando cheguei à escola, as pessoas vieram me procurar para que eu as colocasse na próxima programação. Isto foi resultado da repercussão que as pessoas que foram, contaram.

Já tinha visto um programa de Antonio Nóbrega em uma tv fechada, mas não imaginava que a simbiose que ele faz com a cultura popular e a erudita fosse algo transcendental. Por isso os alunos da escola tiveram tanta empatia e entendimento. A maioria é do interior, da roça e se identificaram com tudo aquilo que foi apresentado.

Os agradecimentos deles a mim, eu os transfiro para você e sua equipe.
Parabéns e não se esqueça da gente".

João Cláudio Souza*

*Relato recebido pela produção do VIVADANÇA Festival Internacional - Ano 5 através de email.

terça-feira, 12 de abril de 2011

Staff - LA INTRUSA DANZA

Foto: João Meirelles

Repleto de metáforas e afetividade, o espetáculo Staff, da espanhola La Intrusa Danza, mostrou ao público, que lotou o Teatro Vila Velha, a intimidade da companhia. Criada para celebrar os 10 anos do grupo, a montagem trouxe ao palco um relato sobre os laços existentes entre os bailarinos, utilizando como material expressivo não apenas os gestos – nos quais o movimento de um dançarino era intrinsecamente ligado ao do outro – mas também através de vozes, música e desenho.

A trilha sonora trouxe canções populares e ruídos variados que evocavam sentimentos e sensações. E a fala dos próprios dançarinos, que brincavam com o desenvolvimento da performance, criavam um ritmo próprio para sua dança. Especializada em produções audiovisuais, La Intrusa trouxe ainda, ao vivo, projeções com desenhos feitos por Damian Muñoz, um de seus diretores, com canetas, recortes ou sobre areia, ampliados em um grande telão ao fundo do palco. Segundo a bailarina e co-diretora de La Intrusa, Virginia Garcia, Staff é "uma pequena amostra do poder que temos sobre as pessoas que nos amam".

Veja mais fotos no flickr do VIVADANÇA: http://ow.ly/4yGZN

Melhor Idade no Vila


Começou hoje no Vila a oficina de Teatro na Melhor Idade com a atriz e diretora Iara Colina. Os integrantes da oficina se reuniram no Cabaré dos Novos para uma roda de conversa e apresentações com um clima de bastante descontração.

Com duração de três meses, a oficina terá em sua fase inicial três semanas durante a qual serão selecionados - por meio de critérios de assiduidade, interesse e talento - os alunos mais aptos a integrarem o elenco da montagem. Os demais alunos continuarão participando do processo criativo, escolhendo integrarem-se, de acordo com interesse pessoal, à equipe de arte (figurino, adereços, cenário, maquiagem), à equipe de divulgação (principal meio: redes sociais, internet) ou à equipe de produção (organização). Sempre sob coordenação de profissional de cada área.

A Oficina Teatro na Melhor Idade será realizada graças ao Prêmio Inclusão Cultural da Pessoa Idosa 2010, do Ministério da Cultura. O Prêmio foi recebido por Lucinha Palmeira, diretora da Faculdade da Felicidade. Um projeto voltado para o público idoso, que culminará na apresentação de um espetáculo teatral apresentado pelos alunos no Cabaré dos Novos, no próprio teatro.

Fotos: Cinara Pereira

Impressões sobre um primeiro ensaio

Foto: Jorge Washington

Acompanhei, numa sala do Vila Velha, o primeiro ensaio de trilogiaremix.doc, espetáculo que deverá comemorar os 20 anos da Trilogia do Pelô, iniciada em 1991 com o espetáculo Essa é a nossa praia.

A proposta que Marcio fez aos atores do Bando foi retomar os personagens da Trilogia e imaginá-los 20 anos depois. Os atores começaram a circular pela sala e foram, conduzidos pelo diretor, pouco a pouco entrando em seus personagens. Em determinado momento, Marcio indicou que eles interagissem, e começou a magia.

Como espectador privilegiado, foi incrível ver aqueles personagens que eu conhecia há 20 anos (eu estava na estreia de Essa é a nossa praia) irem se delineando e voltando a existir através daqueles atores. Com Marcio conduzindo tudo de perto, ora em meio aos atores, ora junto á equipe que gravava o ensaio, fui vendo as relações que se (re) estabeleciam entre os personagens e como os atores iam tentando criar 20 anos de história para eles, como iam reagindo aos 20 anos de história criados pelos outros. Numa dinâmica em que, a cada momento, um personagem assumia um dos 4 microfones distribuídos pela sala de ensaio, depoimentos e discussões se revezavam, criando um quase espetáculo sempre acompanhado da percussão – feita pelos próprios atores – e efeitos sonoros pilotados por Jarbas e João.

Depois de um tempo com aquela interação entre os personagens, eis que assume o microfone uma moradora do Pelourinho. Uma não-atriz que estava acompanhando o ensaio e que foi responsável por um dos melhores momentos da noite. Eu, que já estava tomado pela entrega dos atores aos seus personagens e ao jogo cênico, fiquei ainda mais emocionado vendo aquela mulher dizer que via a si mesma e à sua comunidade refletidas naquelas atuações.

Neste momento, recebi um sms de um amigo, que estava numa aula de seu mestrado, me dizendo: “Aula chata”. Tive que responder: “Ensaio de arrepiar”.


É só um começo, tem muito chão pela frente, mas a magia já está lá. Magia remixada.
Eu estava na plateia na estreia de Essa é a nossa praia, bem como estive na estreia de Bye, bye, Pelô, a terceira da trilogia.

Cláudio Simões
Salvador, 11/04/2011
Foto: Ednaldo Muniz

segunda-feira, 11 de abril de 2011

VII Encontro de Economia Baiana

O VII Encontro de Economia Baiana, acontecerá nos dias 16 e 17 de setembro deste ano, e busca refletir e discutir a Economia Baiana, especialmente no que se refere ao mote do evento “Brasil e Bahia na Nova Configuração da Economia Mundial”.

O evento é realizado através do apoio do Curso de Mestrado em Economia da Universidade Federal da Bahia, da Agência de Fomento do Estado da Bahia – DESENBAHIA e da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais do Estado da Bahia – SEI.

Especificamente, o evento volta-se para:
1. estimular o debate sobre o desenvolvimento baiano;
2. envolver a comunidade acadêmica, o meio empresarial e o corpo técnico estadual nas discussões relacionadas aos rumos da economia baiana e o financiamento do seu desenvolvimento;
3. constituir-se numa oportunidade para exposição e reflexão de novas idéias.

Como ocorreu nas edições anteriores, a programação constará de artigos selecionados nas áreas de Economia Regional, Economia Baiana e Financiamento do Desenvolvimento, além de palestras de especialistas convidados. Os artigos terão que ser entregues até 16/05/10.

Os prêmios do VI Encontro de Economia Baiana serão concedidos aos três melhores artigos submetidos à Comissão Científica do Encontro de Economia Baiana, sendo um prêmio para cada área temática do evento. O valor dos prêmios do Encontro de Economia Baiana será de R$ 4.000 (quatro mil reais) para cada trabalho, independentemente do número de autores do artigo premiado.

Técnicos, pesquisadores e estudiosos da questão do desenvolvimento baiano deverão encaminhar seus trabalhos, visando contribuir para articular e aprofundar o pensamento econômico, além de propor soluções aos múltiplos desafios que estão postos.


Tamo no Vila, Velho!

Foto: Nilson Rocha

– Tão ensaiando onde?

– No Vila, Velho! Entendeu não?

– E que mal lhe pergunte, quem são vocês mesmo?

Victor Cayres e Sara Jobard, Grupo Pivot.

– Um grupo de dois?

– Não, 2+.

– Mais o que?

– Pense no grupo como se fosse um átomo que tem o núcleo fixo, mas troca elétrons com o ambiente. Dois permanecem, outros artistas vêm e vão.

– E o que é mesmo que vocês estão ensaiando agora?

– Véu Carmim, um espetáculo que se propõe a ser dança, teatro e jogo.

– Tudo ao mesmo tempo? Fiquei curioso!

– Então apareça! Estaremos em cartaz no Cabaré dos Novos, às quartas-feiras de junho e de julho.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Armando observa os alunos da oficina

A oficina Capoeira Contato começou hoje no Vila e segue até domingo, sempre das 14h às 18hrs. Michelle Brown e Armando Pekeno (Cie. Ladainha) exploram, através da capoeira e da improvisação, os princípios da liberdade e da utilização do espaço do outro.

Além da oficina, na próxima semana, eles ainda se apresentam nos dias 16 e 17/04, no Teatro Molière, Aliança Francesa, como parte da programação do VIVADANÇA Festival Internacional Ano 5.

SOLOS A ESTRANHA FRUTA E A LUZ, O ESPAÇO DA ALMA
Onde: Teatro Molière, Aliança Francesa
Quando: 16 de Abril, às 19h
Preço: Gratuito

RB&QDP* ROBE BONBON ET QUEUE DE PIE
Onde: Teatro Molière, Aliança Francesa
Quando: 17 de Abril, às 19h
Preço: Gratuito













Armando e Michelle em ação


*Fotos: Cinara Pereira

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Flamenco!














foto: Erica Ribeiro

Já está instituido: Abril é o mês da dança no Vila. Para movimentar ainda mais o teatro, demos início à oficina de Dança Flamenca, em parceria com o Instituto Cervantes.
Laura Pacheco está ensinando as primeiras lições para a nova turma.
A oficina terá duração de 3 meses. Ainda dá tempo de chegar!

quarta-feira, 6 de abril de 2011

O Teatro e as novas tecnologias


No próximo dia 09/04 (sáb), Béatrice Picon-Vallin, escritora, pesquisadora e uma das grandes pensadoras do teatro moderno, ministrará uma palestra sobre as “Artes do espetáculo e novas tecnologias” no Cabaré dos Novos, Teatro Vila Velha, às 16h, com entrada franca.

Na ocasião, Béatrice discutirá a utilização de novas tecnologias na cena teatral, desde as primeiras décadas do século XX até a contemporaneidade, compreendendo estas inovações em face tanto da personalidade do artista, quanto do contexto político, social e pessoal no qual ele vive (ou viveu); além do próprio contexto técnico das invenções tecnológicas, que modificam o ambiente da vida e da criação artística.

As novas tecnologias serão também abordadas no âmbito das alterações efetivadas nos processos de criação, e nas modificações propostas ao público, na medida em permitem aos espectadores ver de outro modo, com pontos de vistas diferentes. A investigação da relação entre teatro e tecnologia, desde as primeiras décadas do século XX até os nossos dias, pode ampliar a compreensão da cena moderna, tanto no que se refere aos intentos dos artistas, quanto acerca das alterações no efeito estético proposto ao espectador moderno.

A utilização das inovações tecnológicas na cena teatral - especialmente o recurso do vídeo - abre possibilidades de levar para o palco cenas impossíveis de serem mostradas em outros tempos. Além do que, as tecnologias digitais transformam os processos de criação, pois a criação coletiva é profundamente modificada pela possibilidade de gravar o trabalho dos atores. Assim, a disciplina investigará as alterações trazidas pela tecnologia em cena sob variados aspectos, e como as novas tecnologias influenciam decisivamente os rumos da cena teatral.

Sobre Béatrice Picon-Vallin

Diretora de pesquisas no CNRS (Centre National de la Recherche Scientifique), durante anos foi professora de história do teatro no Conservatório Nacional Superior de Arte Dramática de Paris, e é diretora das coleções Arts du spectacle (CNRS), Théâtre XX siècle (L'Age d'Homme, Lausanne) e Mettre en scène (Actes Sud-Papiers, Arles). Grande especialista em teatro europeu do século XX, suas pesquisas incluem a história do teatro russo, a encenação, o trabalho do ator, compreendendo ainda as relações entre a cena e as imagens (cinema, vídeo, novas tecnologias), a pedagogia do trabalho da cena e a relação com as neurociências. Mundialmente reconhecida como uma das grandes pensadoras do teatro moderno. Em recente artigo no Estado de S. Paulo, Boris Schnaiderman fala de Béatrice como "um dos grandes nomes do estudo e discussão das realizações do teatro russo no século 20, embora sua atuação não se restrinja a elas".

O evento é direcionado à classe artística e está aberto a todos interessados. A participação está sujeita à capacidade do espaço.

Realização: Teatro Vila Velha e Consulado Geral da França.

Palestra “O teatro e as novas tecnologias”
Sábado, 09 de abril, 16hs
Entrada Gratuita
Cabaré dos Novos
3083-4600

terça-feira, 5 de abril de 2011

Luis Arrieta autografa biografia hoje no Vila


Após grande procura, o público poderá conferir uma nova sessão de autógrafos do coreógrafo Luis Arrieta, que estará hoje, a partir das 18h, no Cabaré dos Novos. O lançamento do livro aconteceu no último dia 03/04 (dom), depois da mesa redonda Encontro com os Mestres e faz parte da programação do Festival VIVADANÇA.

Sobre a obra*

“A vida, como a dança, é movimento, mudança. A cada instante estamos num lugar diferente. Portanto, temos um ponto de vista mudado a cada instante. Vemos a vida de maneira diversa a cada instante, porque a evolução nos coloca num lugar diferente. Modifica-nos o olhar. Os fatos são os mesmos. Somos nós que os percebemos de ângulos diferentes. Nas palavras de Borges, independentemente de como os fatos realmente foram, o importante é como nós os enxergamos e os lembramos. E existe um realmente imutável?”

Este é um texto de Luis Arrieta, que apresenta sua biografia, recolhida pelo crítico e jornalista Roberto Pereira, falecido antes de vê-la publicada. É uma homenagem a duas grandes figuras, o talentoso escritor e o consagrado coreógrafo e bailarino. Nascido em Buenos Aires, Arrieta veio para o Brasil há mais de 30 anos para integrar o célebre Ballet Stagium. Depois teve passagens memoráveis pelo Balé da Cidade de São Paulo (no qual coreografou, dentre outros, Umbral, La Valse, Magnificat, No Portão, Warm-up, A Espera, Pavane, Les Noces, Ausência) e outras companhias como Balé Teatro Castro Alves, de Salvador; além de trabalhos especialmente criados para bailarinos e bailarinas famosos, como Ana Botafogo, Ivonice Satie, Ruth Rachou e o próprio Arrieta.



Sessão de autógrafo - Luis Arrieta
05/04 | ter | 18h
Cabaré dos Novos

segunda-feira, 4 de abril de 2011

A Outra Cia. participa do Festival de Teatro de Curitiba

Cena de "Mar Me Quer"


A Outra Companhia de Teatro, grupo residente do Vila, viajou hoje para Curitiba para participar da Mostra Paralela do Festival de Curitiba (FRINGE 2011). Na próxima terça-feira (05/04), o grupo se apresenta com dois espetáculos: às 17 horas, nas Ruínas de São Francisco, estréia “Remendo-Remendó”; e às 21 horas, estréia no Teatro Cleón Jacques a montagem “Mar Me Quer”, baseado na obra do moçambicano Mia Couto.

O grupo, que tem sete anos de atividades e quase dez espetáculos montados, participa do festival com um espetáculo de rua que estréia nacionalmente no evento. “Remendo-Remendó” é um passeio sobre a cultura popular nordestina, permeado de muita música e de manifestações como a burrinha e o bumba-meu-boi, e que se passa numa cidade fictícia onde o prefeito resolve organizar um concurso de contadores de histórias.

Já a segunda montagem é “Mar Me Quer”, baseado na obra do moçambicano Mia Couto. Com passagens pelo II Festival de Teatro do Subúrbio (Salvador – BA) e XIII Festival Recife do Teatro Nacional, em 2010, o espetáculo vem agradando o público e a crítica. Com uma montagem dinâmica e intimista atravessada por cirandas, o espetáculo narra a saga de Zeca Perpétuo, um pescador que para salvar sua vida tem que se apaixonar verdadeiramente por Luarmina. “Mar Me Quer” estréia às 21 horas no Teatro Cleón Jacques.

Ambos os espetáculos têm a direção de Luiz Antônio Jr.. Bacharel em Interpretação pela Universidade Federal da Bahia, o jovem diretor vem apostando na construção dos dois espetáculos com um cenário móvel e na musicalidade como fio condutor das narrativas.

Integram os elencos dos dois espetáculos Eddy Veríssimo, Luiz Buranga, Manuela Santiago e Roquildes Junior, além de Israel Barreto que participa como ator apenas de “Remendo-Remendó”.

SERVIÇO:
O QUE? Espetáculo Teatral “Remendo-Remendó”, com A Outra Companhia de Teatro.
QUANDO? 05 de abril, às 17 horas; 06 de abril, às 12 horas; 07 de abril, às 18:30 horas; 08 de abril, às 14 horas.
ONDE? Ruínas de São Francisco
QUANTO? Gratuito
MAIORES INFORMAÇÕES: (71) 8849-9308 – Luiz Antônio Jr. / (71) 8811-4081 – Roquildes Junior / (71) 3083-4617 / aoutra@teatrovilavelha.com.br

SERVIÇO:
O QUE? Espetáculo Teatral “Mar Me Quer”, com A Outra Companhia de Teatro.
QUANDO? 05 de abril, às 21 horas; 06 de abril, às 17 horas; 07 de abril, às 14 horas; 08 de abril, às 21 horas.
ONDE? Teatro Cléon Jaques
QUANTO? R$ 30,00 (inteira)
MAIORES INFORMAÇÕES: (71) 8849-9308 – Luiz Antônio Jr. / (71) 8811-4081 – Roquildes Junior / (71) 3083-4617 / aoutra@teatrovilavelha.com.br

Oficina de Luis Arrieta no Vila


Acontece agora pela manhã a Oficina de Composição coreográfica com Luis Arrieta na sala João Augusto do Teatro Vila Velha, como parte da programação do VIVADANÇA.

Arrieta ministra um encontro teórico-prático de iniciação à composição coreográfica, com observação e estudo dos elementos básicos que fazem parte dessa arte.

Durante a oficina, Arrieta distribuiu a Oração da Dança de Santo Agostinho. Confiram abaixo:

"Louvada seja a dança
porque ela liberta o homem
do peso das coisas materiais,
e une os solitários
para formar sociedade.

Louvada seja a dança,
que tudo exige e fortalece,
saúde, mente serena
e uma alma encantada.

A dança significa transformar
o espaço, o tempo e a pessoa,
que sempre corre perigo
de se desfazer e ser ou somente cérebro,
ou só vontade ou só sentimento.

A dança porém exige
o ser humano inteiro
ancorado no seu centro,
e que não conhece
a obsessão da vontade de dominar
gente ou coisas, e que não sente
a demonia de estar perdido
no seu próprio ser.

A dança exige o homem livre e aberto
vibrando na harmonia de todas as forças.

Ò homem, ò mulher, aprenda a dançar
senão os anjos do céu
não saberão o que fazer contigo."

Fotos: Cinara Pereira

O pássaro do Molière


Um tango soou, a cortina se abriu e um pássaro alçou vôo pelo Teatro Molière. Fazia parte do espetáculo? Com certeza! O pássaro Luis Arrieta iniciou sua jornada migratória e presenteou o público com sua mais madura dança.

“Tango aDeus” apresenta, no release, a seguinte descrição: “Arrieta procura revelar em seu solo o tango não apenas como a tradicional dança portenha, mas como linguagem intrínseca à alma da sua Buenos Aires e do sentir profundo do homem urbano.”

Diante da leitura prévia, o público cria expectativas conduzidas pelas palavras do programa mas, no decorrer do espetáculo, o artista nos surpreende em sua viagem que, recheada de imagens, metáforas e relações possíveis com a trajetória criativa passada e presente, nos joga a um lugar de estar junto dele, de seguir juntando os pedaços da vida e os rearranjar.

O palco não tem limite, é corda-bamba, é milonga, é sonho, é infinito, é passagem... os longilíneos braços tornam-se asas e ele voa. Bons ventos sopram neste Abril de VivaDança. Obrigada Arrieta!!!

Gilsamara Moura

*Gilsamara Moura assistiu ao espetáculo "Tango a Deus" no sábado (02/04), no Teatro Molière, e entregou este texto a Luis Arrieta no domingo (03/04).

Muro do Vila com arte nova!











Desenho de Lila Cruz


Integrantes do atelier coletivo Visio., Aline Cruz, Bigod, Iel Estácio, Júlio Costa, Luiz Pablo, May A.K.A. Happy Downlady, Naara Nascimento, Rebeca Matta e Sista K, são os responsáveis pela cara nova do muro do Vila.

A intervenção aconteceu no sábado e é uma iniciativa do VIVADANÇA Festival Internacional.

Venham conferir!


sexta-feira, 1 de abril de 2011

Começa hoje o VIVADANÇA


Começa hoje o quinto VIVADANÇA Festival Internacional - Ano 5 com o espetáculo "Naturalmente, teoria e jogo de uma dança brasileira" do coreógrafo pernambucano Antonio Nóbrega (foto). O espetáculo, que fala das raízes da dança e da música brasileira e foi eleito o melhor da década de 2000 pela Revista Bravo!, vai ser apresentado hoje, às 20h, no palco principal do Teatro Castro Alves.

O Festival

Com uma programação que inclui espetáculos, encontros de intercâmbio cultural, exibição de filmes, mesas redondas, mostras, exposições, shows e oficinas, o VIVADANÇA se propõe a festejar essa arte e a trazer cada vez mais diversidade ao público soteropolitano.

Esse ano, além do Vila, teremos outros sete espaços culturais da cidade. O Teatro Castro Alves, Teatro Molière (Aliança Francesa), Teatro do ICBA, Cine-Teatro Solar Boa Vista, Teatro Martin Gonçalves, Teatro do Irdeb e o Centro Cultural Plataforma abrem as portas para mais de 30 apresentações.
O Festival conta com aristas e companhias de diversas partes do mundo, como Espanha, Colômbia, França, Israel, Estados Unidos, e Alemanha, além de companhias brasileiras. Os eventos terão início no dia 1º do mês e se estendem até o dia 30, todos com entrada franca, com destaque para o Dia Internacional da Dança, comemorado em 29 de abril. Participem!

Confiram toda a programação do Festival no site: