quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Lázaro Ramos no programa Altas Horas

No último sábado, dia 23/10, o apresentador Serginho Groisman, do programa Altas Horas (TV Globo) recebeu uma plateia de crianças para o Altas Horas em homenagem ao Dia das Crianças. Quem participou do programa foi o ator Lázaro Ramos, que está lançando seu livro infantil chamado A Velha Sentada. A obra conta a história de uma menina muito desanimada. Quando uma vizinha a vê, diz parecer ter uma velha sentada na cabeça da menina, que resolve entrar na própria cabeça em busca desta velha. “Essa história é uma grande viagem minha”, respondeu Lázaro ao falar da criação do livro.

O lançamento do livro acontecerá no próximo dia 14/11, às 15h, aqui no Vila, dentro do festival A Cena Tá Preta. Confira o vídeo de Lázaro no programa:

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Bença! na Revista Muito


Confira no blog da Revista Muito (publicação do Grupo A Tarde) uma chamada para a estreia de Bença!, espetáculo do Bando de Teatro Olodum que vai estrear no Vila agora em novembro, dentro da programação do festival A Cena Tá Preta! .

Organizado pelo Bando de Teatro Olodum, em parceria com o Coletivo de Produtores Culturais do Subúrbio, A Cena Tá Preta! busca dar mais visibilidade à Cultura Afro, em comemoração ao mês da consciência negra. O Festival começa no dia 4 de novembro e se estende por todo mês. As atividades terão preços populares e acontecerão em diversos horários. O festival foi contemplado no Prêmio Funarte Festivais de Artes Cênicas 2010 e no edital Novembro Negro da Secretaria de Promoção da Igualdade – SEPROMI.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Terceira edição do FIAC Bahia movimenta o Vila!


O Festival Internacional de Artes Cênicas da Bahia - FIAC Bahia traz nesta terceira edição cerca 20 espetáculos, entre internacionais, nacionais e locais, num total de seis países. O evento, consolidado na agenda cultural da cidade e com destaque no programa de festivais internacionais do gênero no país, tem proporcionado o acesso ao panorama contemporâneo das artes cênicas, colocando a Bahia no circuito mundial das produções de excelência no segmento, para um público amplo e diversificado. O Teatro Vila Velha abriga alguns espetáculos do FIAC. Confira os espetáculos que estão em cartaz!


.:: Corte Seco ::.
Cia Vértice de Teatro / Rio de Janeiro (RJ)

Várias estruturas de dramaturgia aparentes são questionadas em Corte Seco, espetáculo em que as interrupções da vida se relacionam com os cortes da narrativa tradicional. No palco, os atores constroem um mosaico de situações onde os limites entre o real a o ficcional nem sempre são claros. A diretora está no palco com os operadores de som e luz e todos revelam a construção da cena enquanto elas acontecem. O espetáculo faz parte de uma trilogia – iniciada com o monólogo Conjugado e que prossegue com A Falta que Nos Move – e recria a cada apresentação um novo espetáculo.

Palco Principal
Dias: 23, 24 e 25 de outubro | sábado, domingo e segunda-feira | 21h
Ingressos: R$ 10 e 5


.:: Mi vida después ::.
Teatro / Argentina


Em Mi vida después, seis atores nascidos no início das décadas de 1970 e 1980 reconstroem a juventude de seus pais a partir de fotos, cartas, fitas, roupas usadas, relatos e memórias apagadas. Um deles reconstitui versões da morte de seu pai, um revolucionário guerrilheiro do Exército Popular, enquanto outro tenta entender o que seu pai fez como oficial de inteligência. Um terceiro veste a batina de seu pai para representar a vida no seminário e outro volta a ouvir as fitas que seu pai, jornalista automotivo e ativista na Juventude Peronista, deixou. Um dos atores revive a vida de seu pai como funcionário de um banco que sofreu intervenção pelos militares e outro, por fim reúne as circunstâncias em que seus pais foram exilados da Argentina. O espetáculo se passa no limite entre realidade e ficção, promovendo o encontro entre duas gerações, o remake como uma forma de reviver o passado e mudar o futuro, a história recente da Argentina e a trajetória particular de cada ator.

Palco Principal
Dias: 28, 29 e 30 de outubro | quinta, sexta e sábado | 21h (quinta) e 19h (sexta e sábado)
Ingressos: R$ 10 e 5


.:: É só uma formalidade ::.
Teatro / Belo Horizonte (MG)


Ao receber a notícia da morte do pai, um homem é obrigado a retornar ao seu passado e enfrentar suas próprias frustrações ao mesmo tempo em que decide se viaja ou não. Enquanto isso, um casal acaba de se mudar e entre caixas, cheiros e um pedido de divórcio velado, a mulher espera que o marido se lembre de mais um aniversário de casamento. As duas situações revelam o vazio e as fragilidades que há por trás dos rituais do mundo civilizado. É Só uma Formalidade foi livremente inspirado em Sólo los Giles Mueren de Amor, do argentino Cesar Brie, e criado coletivamente pela companhia Quatroloscinco – Teatro do Comum.

Cabaré dos Novos
Dias 27 e 28 de outubro | quarta e quinta | 20h (quarta) e 18h (quinta)
Ingressos: R$ 10 e 5

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Investimento em Cultura em 2011

Matéria divulgada no A Tarde On Line apresenta intenções do Ministro da Cultura em investir mais em cultura em 2011 para “que se possa tirar a cultura da insignificância e colocá-la como um vetor fundamental do desenvolvimento brasileiro”, como ele afirmou. Confira abaixo!


Juca Ferreira quer dobrar Fundo Nacional de Cultura para R$ 600 milhões em 2011

Ao assinar nesta quarta-feira, 20, uma portaria que cria o Plano de Trabalho do Fundo Nacional de Cultura, com dotação orçamentária de R$ 300 milhões para serem aplicados até o final deste ano, o ministro da Cultura, Juca Ferreira, disse que espera dobrar esses recursos. Segundo o ministro, essa verba não poderá ser contingenciada, “mesmo que o governo esteja precisando do dinheiro para pagar dívidas”, o que faz parte do processo de valorização e fortalecimento da dimensão cultural dentro do governo.

O ministro disse que sua expectativa para o ano que vem é que o fundo chegue a R$ 600 milhões. Segundo Ferreira, isso será decisivo “para que se possa tirar a cultura da insignificância e colocá-la como um vetor fundamental do desenvolvimento brasileiro”. De acordo com Ferreira, no passado, a cultura não era importante para o governo brasileiro. Dessa forma, o ministério fazia poucas ações com significado importante, mas sem abrangência, sem atingir patamares e escala para ter importância nas decisões governamentais.

O ministro destacou o aumento dos investimentos na área cultural nos últimos anos. Em 2002, o ministério dispunha de apenas R$ 277 milhões das receitas federais (0,27%) e hoje conta com R$ 2,3 bilhões (1,2%). O orçamento da Cultura em 2011, de acordo com o secretário executivo do ministério, Alfredo Manevy, que apresentou os números, ainda não foi concluído, mas “será maior do que o de 2010”

Segundo Manevy, a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2011 “fortalece o Ministério da Cultura, ao vetar o famoso contingenciamento de recursos, que é o desaparecimento de uma verba pública prevista no orçamento pelas incertezas da economia. Agora, a blindagem da LDO garante que o que está no orçamento será cumprido”.

Os R$ 300 milhões que comporão o Fundo Nacional de Cultura serão divididos em oito fundos setoriais e o que receberá mais recursos será o de Circo, Dança e Teatro, com R$ 66,88 milhões. Os demais são os seguintes: Ações Transversais e Equalização de Políticas Culturais, R$ 64,6 milhões; Patrimônio e Memória, R$ 33,39 milhões; Artes Visuais, R$ 31,5 milhões; Audiovisual e do Livro, Leitura, Literatura e Língua Portuguesa, R$ 30 milhões; e Acesso e Diversidade, R$ 13,9 milhões.

Os primeiros 15 editais para distribuição de parte dos recursos serão publicados na próxima edição do Diário Oficial da União e somam R$ 87 milhões. As verbas serão distribuídas por meio de prêmios para as diversas modalidades contempladas pelos fundos, como o de Produção Artística, que vai investir R$ 10,8 milhões em projetos nas cinco regiões do país. A meta é democratizar e viabilizar o acesso à montagem de circo, dança e teatro e possibilitar a circulação de espetáculos em excursões de caráter regional, nacional e internacional.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

15 anos da Fundação Cidade Mãe

-Prefeito João Henrique abraça alunos da FCM após apresentação-

A tarde no Vila foi bastante animada. A Fundação Cidade Mãe escolheu esta casa para comemorar os seus 15 anos de existência. Os alunos da Fundação se apresentaram na Sala Principal do Teatro e foram prestigiados por um público de mais de 300 pessoas.

Projeto “Outras Áfricas” apresenta Mostras Teatrais no Vila


Dandara , 9 anos, estudante Escola Mãe Hilda ( Ilê Aiyê)/ foto Tiago Lima

O Bando de Teatro Olodum apresentou no Teatro Vila Velha, nesta segunda, dia 18, as mostras teatrais das oficinas realizadas, através do projeto “Outras Áfricas” em parceria com 7 escolas públicas (municipais e estaduais) e instituições sócio-culturais de Salvador. O público, mais de 160 estudantes de várias idades demonstrou através de cenas lúdicas o reconhecimento da importância da cultura de matriz africana fomentado durante o convívio de um mês com o Bando. A terceira etapa de “Outras Áfricas” foi finalizada com um caruru oferecido em comemoração aos vinte anos da significativa trajetória do Bando.

Por algumas horas as mostras apresentadas fizeram com que o público, formado por familiares, parentes, professores e estudantes, pudesse imaginar-se no “Continente Negro” e perceber o outro lado, que também é rico em cultura. Mais de 60 idiomas e habitada por reis e rainhas, a “Mãe África” tem contribuições significativas em diversas áreas da Ciência, exemplo: O Código de Hamurabi, um dos mais antigos conjuntos de leis; as pirâmides do Egito, uma das maiores contribuições para a arquitetura mundial e o alfabeto dos Fenícios que deu origem a linguagem escrita.

Conscientização, o orgulho de ser negro e a valorização de suas raízes africanas foi o que mais aflorou nas apresentações. Frases como: VOCÊ É AFRO – DESCENDENTE? SOU! ou, MEU TA TATARAVÔ VEIO DA ÁFRICA! ou então, O NEGRO É LINDO!, abrilhantaram o espetáculo e demonstraram como são importantes projetos sociais desta natureza.

A Secretária de Promoção da Igualdade do Estado da Bahia (SEPROMI) – Luiza Barros parabenizou as Escolas que fizeram parte do projeto e o Bando. Enfatizou que ações como esta servem de exemplo para o Estado na busca de políticas públicas eficazes na aplicação da Lei 10.639. “Trabalho super bonito! O Bando deu uma demonstração de qualidade e de como o Estado deve trabalhar esses conteúdos dentro de escolas públicas”, ressaltou a secretária Luiza Barros.

Os atores e atrizes do Bando deram um breve depoimento antes de cada apresentação relatando as experiências, o envolvimento com os estudantes. A atriz Auristela Sá ao finalizar a apresentação da turma do Colégio Estadual Costa e Silva resumiu, “foi realmente uma grande troca de aprendizado, entre Nós e Eles.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Luiz pelo Nordeste

foto: Cacau Stúdio

Desde o último dia 06 de outubro, Luiz Antônio Jr - integrante d'A Outra Companhia de Teatro, está circulando por cidades do Nordeste com seu solo "Véu - uma poética do só", que discute a violência contra a mulher, trazendo à cena uma colcha de retalhos feita por dados estatísticos, depoimentos e confissões de diferentes figuras envolvidas coma temática, histórias e casos verídicos e até mesmo conhecidos nacionalmente, músicas e fragmentos de textos poéticos.

O projeto que foi contemplado com o Prêmio BNB de Cultura 2010, propõe a circulação do espetáculo e de duas oficinas artísticas (teatro e criação de bonecas), além da realização de uma pesquisa de rua com mulheres, por 09 cidades do interior da região Nordeste. Até agora, já foram visitadas as cidades de Picos (PI), Crato (CE) e Mossoró (RN).

Na primeira cidade, as atividades aconteceram na 9º Gerência Regional de Ensino, com o apoio do Grupo Cultural Adimó, parceiro d'A Outra Companhia desde 2008, quando o grupo esteve em Picos realizando a turnê dos espetáculos "Arlequim servidor de dois patrões" e "Debaixo d'água em cima d'areia" através do projeto Reduzindo Distâncias. Com a realização de Véu, a parceria entre os grupos avança, lançando até sementes para novos projetos artísticos que aproximem ainda mais o trabalho dos dois grupos.

No Crato, o projeto teve o apoio do SESC, onde aconteceram as atividades. Lá, conheci grupos e artistas fantásticos. Me deparei com uma região onde a cultura pulsa e muito. O Cariri é um lugar onde as pessoas precisam ir. A Fundação Casa Grande que desenvolve um trabalho incrível em Nova Olinda, o BNB e o SESC em Juazeiro do Norte, a URCA em Barbalha... uma região muito viva culturalmente!

Entretanto, percebi que nessa região o machismo é muito forte. Conversando com as mulheres nas ruas, percebi o quanto elas se sentem sozinha e como é geral o pensamento da não denúncia por medo do agressor. Muitas afirmam que não denunciaram uma agressão com medo de que o homem depois de solto voltasse e lhes fizesse algo ainda pior. Muitas dizem que deixariam com Deus - "ele sabe o que tá acontecendo aqui". Isso porque são muitos os casos de violência contra a mulher seguidos por morte. Mesmo com a presença de uma Delegacia de Defesa da Mulher instalada na cidade, as mulheres daquela região se apegam na fé e se mantém nos véus do silêncio. Diferente do que ocorre em Picos, onde também existe uma unidade da delegacia da mulher - lá é alto o índice de violência doméstica e infantil, em especial, mas as mulheres se mostram muito mais valentes e dispostas a denunciar, acreditam na Lei Maria da Penha e se olham, se ajudam.

Em Mossoró, as atividades aconteceram na I Feira Estadual de Economia Feminista e Solidária, uma ação do Grupo Mulheres em Ação, que reuniu mulheres de diferente cidades do oeste potiguar, realizando palestras, oficinas, apresentações artísticas e uma grande feira onde cada uma delas expôs e vendeu seus produtos. Aqui, pude perceber que as mulheres são muito articuladas e que batalham por mais espaço na sociedade patriarcal brasileira. Com elas aprendi muito e percebi outras articulações para futuros desdobramentos do projeto Véu. Conheci ainda, nesta cidade bela do Rio Grande do Norte, o Grupo Escarcéu de Teatro que há mais de 20 anos desenvolvem trabalhos artísticos por lá, e os Coletores de Sonhos, encontros felizes que espero dêem frutos lá na frente!

Voltando a Salvador, hoje, ainda faltam percorrer as cidades de Arari (MA), Lagarto (SE), Arapiraca (AL), Campina Grande (PB), Tuparetama (PE) e Ilhéus (BA).

Mostra final do projeto Outras Áfricas

O Vila hoje amanheceu animado!



Alunos de seis escolas municipais de Salvador que participaram do projeto Outras Áfricas, do Bando de Teatro Olodum, estiveram aqui no Vila para apresentar as suas produções em uma mostra final do projeto. Desde cedo os alunos se preparavam, ensaiavam e se organizavam para a mostra, sob o olhar atendo da diretora Chica Carelli.



O Outras Áfricas é realizado pelo Bando em parceria com o Fundo Nacional de Cultura com o objetivo de valorizar a herança africana e reconhecer a importância da cultura afro-brasileira para a identidade nacional.




Confira mais fotos do Outras Áfricas no álbum do Facebook: http://on.fb.me/9iyHss

Dança em Quadrinhos no encerramento do Vilerê 2010



Salina tem o poder de controlar o oceano e Flamejante, o fogo. Amperina controla os raios e Okan é o caçador da turma. Já Crono tem nas mãos a capacidade de controlar o tempo e Nectarina sabe como confundir e persuadir seus adversários.

Inspirados na mitologia africana, estes são os protagonistas de Dança em Quadrinhos, espetáculo que encerrou ontem o Festival Vilerê, uma programação voltada para crianças e jovens durante o mês de outubro. Dirigido por Leandro de Oliveira e com trilha sonora de Camilo Fróes e Ronei Jorge, a peça conta com Deise Gabriele, Deko Alves, Jorge Cipriano, Lucas Valentim, Lucimar Cerqueira e Mariana Gottschalk mesclando a dança e o teatro e as aproximando das histórias em quadrinhos.

Muitas crianças e adultos vieram conferir o espetáculo, que encheu o Palco Principal do Vila. Para Marisia Motta e Débora Landim, organizadoras do festival Vilerê, a edição de 2010 consagrou o sucesso da programação, com bons espetáculos e voltado para a temática infanto-juvenil.

ANO QUE VEM TEM MAIS VILERÊ!

sábado, 16 de outubro de 2010

Você daria um beijo em Matilde?

29 personagens. E eu pensei: onde caberia isso tudo? Aí, começa o espetáculo.

"Depois de Matilde, o beijo nunca mais será o mesmo".

Apagam as luzes e, de repente, você está no mundo de uma repórter, que conta a história da misteriosa "cambiadora de cuerpos". O que a diferencia dos outros personagens? Os sapatos. Na maioria das vezes, apenas a troca de sapatos indica que o personagem antigo se fora, e que agora temos alguém novo para conhecer. Bem, acho mesmo que o que diferencia um personagem do outro é, na verdade, o talento absurdo das atrizes Elaine Cardim e Tatiana de Lima para a mutação.

"Adalberto, agora, era mulher"

Tudo começa com o pobre Adalberto, que viu uma moça "toda prosa" pro lado dele e experimentou "dar uns pegas" na rapariga. Não deu outra, trocaram de corpos. E foi a confusão de Adalberto que deu início à busca pela paraguaia, numa correria que levou a polícia até mesmo a impedir a entrada de qualquer turista latino no país. O negócio foi sério.

"Eu quero meu corpo de volta!"
"Feche seu corpo: Matilde chegou"

Mas o que tinha levado aquela moça a sair viajando e trocando de corpos por aí? Tantas as vítimas...muitas as perguntas...

"Deve ter um sentimento de amor por trás de seus atos criminosos".

A repórter inventa de escrever, para o jornal "mequetrefe" onde trabalha, um texto onde revela para Matilde que quer ser sua amiga. E se lança numa aventura com a trocadora de corpos...uma aventura que só quem for assistir ao espetáculo saberá se tem fim.

"La vida és bela, pero no mucho..."

Matilde - La Cambiadora de Cuerpos fica em cartaz até amanhã (domingo) no Vila. Vá assistir e cuidado! Quem sabe não é você a próxima vítima da moça paraguaia...

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Diário de Viagem de Vinicio em Londres: "SAGE GATESHEAD - Primeira experiencia paradoxal, maravilhosa".


O Sage Gateshead é um centro musical construído para interagir com os moradores. São oferecidos cursos e projetos diretamente com comunidades da cidade de Newcastle. O Sage é um mega centro acolhedor, agregador e difusor da música local e mundial, pop ou tradicional, para a região de Newcastle e é administrado a partir de um pensamento parecido com os Pontos de Cultura aqui do Brasil.

A nossa primeira atividade foi encontrar com James McVeigh, diretor do Arts Council England North East. Recebemos as boas vindas e através dele nos foi apresentado um panorama da produção cultural inglesa. Na conversa com James, ele falou sobre artistas financiamentos, forma de distribuição e incentivo, mas o que mais me marcou foi a prioridade de investimentos do governo em manter e incentivar produções de “excelência”. Esse pensamento demonstra como o governo inglês percebe a cultura e como o Brasil a partir das propostas do Ministério da Cultura, de algumas Secretarias dos estados, dos Pontos de Cultura, de organizações como a Redemoinho, está à frente da pratica do reconhecimento da cultura como de fato comportamento e expressão social.

Pelo que estamos percebendo os ingleses estão com uma problemática parecida com a nossa: a necessidade das atividades culturais estarem mais diretamente envolvidas com a população. A cultura aqui é vista como produção artística e não é desenvolvida como meio de expressão, dessa forma existem centenas de grupos e companhias de teatro, dança, música, museus que são mantidas pelo governo e que de fato não dialogam com a sociedade existem para serem “contemplados”.

Na segunda-feira, tivemos um jantar com Katherine Zerserson, diretora de ensino e Anthony Sargent, diretor geral do Sage Gateshead, onde conversamos sobre projeto, pensamentos e perspectivas. Antes do jantar, participei de uma aula com uma turma de imigrantes, ideia que promove a relação entre refugiados e imigrantes que moram em Newcastle através da música e teatro. Nessa atividade “extra”, percebi que, de fato, o Sage é um mega centro criador que promove o intercâmbio de ideias e a troca de pensamentos e conhecimentos. No jantar, Katherine emitiu a seguinte opinião: “Desde a década de 60 a Inglaterra vive numa cultura confusa girando em torno de se mesma”. Katherine disse também que quando esteve no Brasil viu produções maravilhosas nascidas das iniciativas, ideias e projetos com foco na necessidade de mudança social. Um exemplo dado por ela foi o Grupo Pim, que visitou durante sua estadia no Brasil. Respondi que percebia que a cultura na Inglaterra estava pautada sobre sua produção artística e não no desenvolvimento da expressão social e em alto e bom tom ela se defendeu: “eu não, eu sou Brasil! O Sage é diferente”. Concordei imediatamente. O Sage nasceu de uma necessidade local de desenvolvimento cujo o governo havia tentado construindo prédios e não teve êxito. Então ele surgiu com a proposta de interagir com a comunidade através de workshops e atividades.

Algumas instituições e grupos ingleses estão começando a fazer isso agora o que nós aqui no Brasil já fazemos há tempos, mas o nosso movimento é o contrário. Fazemos a partir de uma necessidade de mudança sociocultural e econômica para possibilitar, a partir de novas referências, as mudanças de perspectiva de vida para a maior parte da população brasileira. Os ingleses estão precisando dessa interação, desse diálogo, para que a arte possa desenvolver. Brinquei com Katherine: “Vocês tem que deixar os imigrantes entrarem” porque eles é que serão capazes de questionar a estrutura da sociedade inglesa e fazê-la sair da inércia.

Katherine, vamos colaborar desenvolvendo propostas de interação internacional!

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Em novembro, no Teatro Vila Velha

Baile Esquema Novo: animação e discotecagem de música brasileira até o amanhecer


O Baile Esquema Novo, a sua discoteca de música brasileira retorna após descanso primaveril. Inclusive, para o Baile, já é verão. De volta ao Teatro Vila Velha, a festa apresenta o melhor da musica brasileira com samba, rock, samba-rock, batucada e Los Hermanos, com os incansáveis camilofróes e el Cabong recebendo a estreia como DJ de um dos convidados mais especiais que o Baile já teve: o maestro Letieres Leite da Orkestra Rumpilezz.

No próximo sábado (16/10), a partir das 23h. E a festa acontecerá recheada de promoções, venda antecipada (Na Urbanorama e com os produtores) e venda de camisetas e música de qualidade até de manhã. A recomendação é que você exagere na diversão e extravaze na pista de dança.

O Baile, que agora é co-produzido pela Isé Música Criativa, aceita, nesta edição, cartões de crédito e débito.

Mais informações: Camilo Fróes: Tel.: 71 9942-2202

Palco Principal
Dias 16 de outubro | sábado | 23h
Ingressos: R$ 15

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Programação para o dia das crianças


Amanhã o Vilerê - mês da criança no Vila - traz uma programação especial para o dia das crianças. Tudo pela manhã, de 10 às 12 hs.

-Resultado das atividades de teatro com crianças e adolescentes desenvolvidos pelo projeto, tendo como principio a literatura infanto - juvenil;
- Diálogo com as dramaturgas Thaís Alves e Maria Souza sobre as leituras musicalisadas dos contos desenvolvidos pelas mesmas;
- Apresentação do projeto "Filho de Peixe Peixinho é " performance desenvolvida com atores e seus filhos.

Tragam suas crianças para o Vilerê!

Cartola por Pedro Morais

No dia 11/10/1908 nascia Angenor de Oliveira, mais conhecido como Cartola. Cartola não foi apenas um grande compositor, ou um dos maiores sambistas brasileiros, como também um imenso intérprete da própria obra. Ao cantar suas próprias composições conseguiu imprimir a marca de um narrador da vida cotidiana dos morros cariocas.

Na próxima quinta, 14/11, Pedro Morais apresentará o show "As Rosas Não Falam". O projeto, que começou em 2008, celebra os 100 anos de Cartola.



Acessem o nosso site para saber mais: www.teatrovilavelha.com.br

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Pra ficar na história

A I Mostra Audiovisual dos Pontos de Cultura da Bahia reuniu produtores, pesquisadores, representantes do governo, alunos e diretores de Pontos de Cultura. O objetivo da mostra foi cumprido: Exibir as produções audiovisuais dos Pontos de Cultura da Bahia e debater sobre o tema.

Mais uma vez o Teatro Vila Velha se coloca como um grande agitador cultural e mobilizador. Parabéns a Maíse pela iniciativa e a toda equipe da produção da I Mostra. Que venham as próximas!

Mais fotos em: http://migre.me/1wkPP

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Para discussão: Artistas falam sobre a importância da política de editais

Discutindo a cultura:
Desde o início das seleções públicas, em 2007, o Governo do Estado da Bahia já lançou 94 editais de apoio às linguagens artísticas, tendo recebido 5.018 inscrições de projetos de todo o estado e apoiado 1.163 iniciativas com aproximadamente R$ 70 milhões comprometidos para o pagamento desses projetos. Nesta matéria da Secretaria de Cultura do estado, confira o que os artistas falam sobre os editais e seus mecanismos. Confira!

Feriadão é no Teatro Vila Velha!

Feriado chegando e você não tem nada programado para os próximos dias? Então venha para o Vila! O Teatro Vila Velha oferece opção para todos os gostos e idades como o Vilerê, programação voltada para o público infanto-juvenil; apresentação do espetáculo teatral Matilde – La Cambiadora de Cuerpos e a Roda de Samba do Brasil Pandeiro, que acontece às terças-feiras. Confira abaixo!

VILERÊ

Donos da Terra – Grupo Pim

As crianças de Fazenda Coutos III que encantam e integram o Grupo PIM apresentam “Donos da Terra”. É um verdadeiro passeio pelas culturas do Nordeste a bordo de uma embarcação imaginária. As crianças se revezam nos tambores, nas coreografias e no texto, que é repleto de autores como Castro Alves, João Cabral de Mello Neto e Clarice Lispector, sem falar na prosa de João Ubaldo Ribeiro. Na encenação desfilam figuras comuns ao imaginário nordestino, como rezadeiras, padres e sertanejos. A seleção inclui músicas de Gilberto Gil, Gal Costa e Milton Nascimento e Martinho da Vila, entre outros artistas. O PIM ganhou o Prêmio Braskem de Teatro 2010 na categoria “Melhor Espetáculo Infanto-juvenil”, e João Gonzaga, como “Melhor Direção”. O prêmio é entregue aos destaques do teatro na Bahia.

Palco Principal
9 e 10 de outubro | sábado e domingo | 16h
Ingresso: R$ 16 e 8 ou troque um brinquedo novo por um ingresso.


Oficinas Artísticas

Oficinas gratuitas que objetivam a introdução ao mundo do fazer e da apreciação artística, tendo como foco principal o estímulo à imaginação. Em cada oficina proposta serão oferecidas 20 vagas. Mais informações sobre oficinas: pelo telefone 3083-4616 (a partir das 14h) ou pelo e-mail comunicacao@teatrovilavelha.com.br

• Teatro Encena - Dias 09 e 10 de outubro, das 10 às 12 horas. Sala de Ensaio 2 do Teatro Vila Velha.


Falavilinha

Palestra com a atriz e escritora de livros infanto-juvenis Sonia Robatto, direcionada a educadores, leitores infantis e adultos, artistas, escritores e profissionais que desenvolvam trabalhos relacionados às crianças e aos adolescentes.

Cabaré dos Novos
12 de outubro | terça-feira | 10h
Ingresso: Grátis



MÚSICA

Roda de Samba do Brasil Pandeiro

Os amantes do samba ganharam um novo ponto de encontro. Desde agosto, os músicos João Jonga de Lima (violão, escaleta e voz) e Dú Marques (violão de oito cordas, cavaquinho e voz) dão início à Roda de Samba do Brasil Pandeiro no Cabaré dos Novos do Teatro Vila Velha.

No repertório, grandes clássicos do samba baiano e brasileiro, além de composições autorais. A idéia é movimentar e esquentar a cena do samba da Bahia com a presença na roda, a cada semana, de grandes sambistas e músicos convidados. Na edição de terça-feira (12/10), os convidados são a cantora Juliana Ribeiro e o cantor Pedro Morais.

"Brasil Pandeiro" é também o nome do programa que João Jonga de Lima conduz ao meio dia de domingo na Rádio Educadora, 107,5 FM.

Cabaré dos Novos
Dias 12 e 19 de outubro | terça | 20h
Couvert: R$ 10

TEATRO

Matilde – La cambiadora de cuerpos

Dirigido por Hebe Alves e co-direção de Fábio Espírito Santo, Matilde – La Cambiadora de Cuerpos traz para a cena, de forma crítica e bem humorada, personagens inspirados em âncoras de TVs, repórteres, apresentadores dos programas de auditório e personagens públicos. As atrizes, Elaine Cardim e Tatiana de Lima, se revezam no papel de 29 personagens e a encenação reúne linguagem audiovisual e teatralidade, através de projeções de vídeo que interagem durante todo o espetáculo.

Palco Principal
Dias 8, 9 e 10 de outubro | sexta, sábado e domingo | 20h
Ingressos: Sex: R$ 10 e 5 | Sáb e Dom: R$ 20 e 10.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Vinício de Oliveira em Londres para o Pontos de Contato: Intercâmbio Cultural Brasil/ Reino Unido

Vinicio de Oliveira Oliveira, coordenador geral do Teatro Vila Velha, está indo para o Reino Unido para participar de um programa de intercâmbio chamado Pontos de Contato: Intercâmbio Cultural Brasil/ Reino Unido. O programa permite a visita recíproca entre representantes de organizações artísticas, da política cultural e financiadores entre os dois paises. Essa iniciativa está focada nos Pontos de Cultura do Brasil e em organizações artísticas com experiências em projetos artíticos engajados socialmente no Reino Unido. O Teatro Vila Velha é um Ponto de Cultura, seguindo os parâmetros estabelecidos pelo Ministério da Cultura - MinC.

O programa tem como objetivos principais: criar redes de contato culturais criativas entre o Brasil e Reino Unido, aumentar a capacidades das organizações artísticas e dos próprios artistas em desenvolver praticas artisticas socialmente engajadas nos dois países e ampliar a compreensão sobre os meios pelos quais representates da politica cultural e financiadores podem desenvolver suas praticas culturais no campo das artes socialmente engajadas. O Pontos de Contato: Intercâmbio Cultural Brasil/ Reino Unido foi dividido em duas etapas: na primeira, realizada em março e abril deste ano, 25 britânicos vieram para o Brasil e visitaram intituições culturais e pontos de cultura. "A segunda etapa é esta que estamos participando. Somos 26 brasileiros que farão intercâmbio no Reino Unido até dia 20 de outubro conhecendo intituições culturais. Estou indo especificamente para conhecer alguns espaços como o Royal Shakespeare Company, entre outros", conta Vinício.

O Pontos de Contato: Intercâmbio Cultural Brasil/ Reino Unido é uma parceria entre a Secretaria de Cidadania Cultural do Ministério da Cultura (SCC/MinC), a People’s Palace Project (Queen Mary, Universidade de Londres) e o Departamento para Cultura, Mídia e Esporte da Grã-Bretanha. Saiba mais aqui.

BOA VIAGEM, VINICIO!

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Cultura nordestina em Donos da Terra, do Grupo Pim

É assim em Donos da Terra, espetáculo de teatro do Grupo Pim, será apresentado aqui no Vila no próximo fim de semana.

As crianças de Fazenda Coutos III que encantam e integram o Grupo PIM apresentam o espetáculo Donos da Terra, que é um verdadeiro passeio pelas culturas do Nordeste a bordo de uma embarcação imaginária. As crianças se revezam nos tambores, nas coreografias e no texto, que é repleto de autores como Castro Alves, João Cabral de Mello Neto e Clarice Lispector, sem falar na prosa de João Ubaldo Ribeiro. Na encenação desfilam figuras comuns ao imaginário nordestino, como rezadeiras, padres e sertanejos. A seleção inclui músicas de Gilberto Gil, Gal Costa e Milton Nascimento e Martinho da Vila, entre outros artistas.

A direção e coreografia do espetáculo musical são do Coordenador Artístico João Gonzaga, professor da Escola São Miguel há 12 anos e a Supervisão Artística de Elísio Lopes Jr . “Quando se pensou em criar o PIM a ideia era formar uma banda percussiva, porém o mesmo foi ampliado para criação de espetáculos de cultura popular. Além da percussão, as crianças têm aulas de canto, conhecimento de palco, teoria e prática de teclado e violão. E, recentemente, passaram também a receber aulas de flauta”, destaca Gonzaga.


O PIM ganhou o Prêmio Braskem de Teatro 2010 na categoria “Melhor Espetáculo Infanto-juvenil”, e João Gonzaga, como “Melhor Direção”. O prêmio é entregue aos destaques do teatro na Bahia. Quer saber mais informações: Ferreira: Tel.: 71 3242-5222 / 9971-9383

Palco Principal
9 e 10 de outubro | sábado e domingo | 16h
Ingresso: R$ 16 e 8 ou troque um brinquedo novo por um ingresso.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

O Vila amanheceu triste hoje: Haydil Linhares faleceu

A atriz e dramaturga Haydil Linhares faleceu na manhã de ontem (03/10), vítima de falência múltipla dos órgãos. Aos 75 anos (destes, 46 de palco), a atriz fez parte da geração de atores que conviveu com a discriminação da profissão, resistindo aos preconceitos e ganhando destaque nos palcos graças ao seu talento e teatralidade. Como atriz, trabalhou com grandes diretores baianos e tem grande importância na história do Teatro Vila Velha: Stopen Stopen!, seu primeiro espetáculo, foi dirigido por João Augusto e montado pela Companhia Teatro dos Novos, grupo que fundou o Vila em 1964.

Haydil também fez trabalhos orientados por Deolindo Checcucci, Márcio Meirelles, Edwald Hackler, entre outros e participou de diversas peças, filmes e novelas da Globo. Como dramaturga, escreveu, algumas peças como Função de um Casamento, Ida e Volta e O Pique dos Índios ou a Espingarda de Caramuru, esta última, adaptada pela A Outra Companhia de Teatro, aqui do Vila, em 2008.

Segundo Vinício de Oliveira, coordenador geral do Teatro Vila Velha, o registro do espetáculo era uma vontade de contribuir para divulgar os artistas como Haydil que trabalharam e construíram o cenário artístico cultural da Bahia. "Foi o teatro que deu o primeiro passo para a construção dos nossos discursos e nossa formação. E juntamente com nomes como o de Haydil Linhares, muitos outros que ajudaram a construir o nosso cenário e que ainda hoje se mantêm trabalhando, formando e influenciando profissionais. O teatro baiano está de luto em reconhecimento ao talento, à qualidade de interpretação e teatralidade de Haydil. Esperamos que ela continue a ser conhecida como referêncial e experiências concretas de exemplo para as gerações futuras", afirma.

O jornalista baiano Marcus Uzel a classifica como a primeira dama do teatro de cordel, porque atravessou quatro décadas interpretando com alegria personagens expressivos, em sua maioria marcados pela comicidade e com um forte vínculo com a cultura popular. É com essa alegria que sempre lembraremos de Haydil Linhares.


Outro espetáculo que contou com apoio de textos de Haydil foi Oxente, Cordel de Novo?, do Bando de Teatro Olodum, em 2003. Dirigido por Márcio Meirelles, o espetáculo homenageia os artistas que o diretor admirou nas montagens originais de João Augusto, em dez peças de cordel divididas em três programas distintos com textos de diversos autores. A participação da veterana interpréte se deu com o texto Função de um Casamento.

O sepultamento de Haydil Linhares aconteceu hoje (04/10) pela manhã no cemitério Jardim da Saudade.

Mostra discute produção audiovisual da Bahia



Os interessados em saber mais sobre a produção audiovisual na Bahia devem se inscrever até o dia 04/10 na I Mostra Audiovisual dos Pontos de Cultura da Bahia. As inscrições são gratuitas e a mostra acontece nos dias 06 e 07/10 no Teatro Vila Velha. A Mostra é uma realização do Ponto de Cultura do Teatro Vila Velha e tem o objetivo de discutir a produção audiovisual na Bahia, ao promover a troca de informações e experiências, identificando dificuldades e demandas no que diz respeito à produção, à exibição e distribuição.

Até o último dia 18/09, produtores de vídeos que criaram seus vídeos ou filmes durante processos de oficinas realizadas em Pontos de Cultura se inscreveram na mostra para apresentá-los e serem debatidos em mesas redondas, que contarão com a participação de acadêmicos, cineastas e produtores. A mostra é resultante das Oficinas Audiovisuais do Ponto de Cultura Teatro Vila Velha, que foram realizadas entre maio e agosto, e deram a 50 jovens e adultos noções de linguagens, técnicas, produção, pós-produção, finalização e edição audiovisual.

PROGRAMAÇÃO

A abertura da I Mostra de Audiovisual dos Pontos de Cultura da Bahia, no dia 6, começará às 19h com a presença de Márcio Meirelles, Secretário de Cultura do Estado; TT Catalão, Secretário de Cidadania Cultural do Ministério da Cultura – MinC; e Maise Xavier, curadora da Mostra. Eles participarão da mesa redonda que abordará o tema “A importância dos Pontos de Cultura, no incentivo às produções audiovisuais. Desafios e perspectivas”. Logo após terá uma mostra de vídeos produzidos nos Pontos de Cultura.

No segundo dia, 07/10, as atividades começarão às 9h também com a exibição de vídeos. Logo após a exibição, às 10h30, haverá uma mesa-redonda referente ao “Panorama do Audiovisual dos Pontos de Cultura”, com a presença da jornalista e pesquisadora da linguagem audiovisual Carine Araújo; Pauline Leite, representante do G26 Pontos de Cultura; Luiz Cachoeira, coordenador do Ponto de Cultura Cineclube Rede Terreiro Cultural/CEPAS; José Roberto Severino (Prof. Dr. em História Social, FACOM/UFBA) e a coordenação da pesquisadora Sophia Rocha.
À tarde, à partir das 15h, outra mesa redonda discutirá “Mecanismos de Fomento e Associativismo”, com Pola Ribeiro, diretor do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia – IRDEB; Solange Lima representante da Associação Baiana de Cinema e Vídeo; Reinofy Duarte, produtor cinematográfico.

I Mostra de Audiovisual dos Pontos de Cultura da Bahia
6 e 7 de Outubro de 2010

PRIMEIRO DIA - 06/10/2010

• Mesa de Abertura - 19h às 20h30
Márcio Meirelles (Secretário da Cultura do Estado da Bahia)
TT Catalão (Secretário de Cidadania Cultural – MinC)
Coordenação: Maise Xavier (Curadoria da Mostra)


• Exibição dos Vídeos – 20h / 21h
20h| Nana Neném (Kabum! Novos Produtores, Salvador, MiniDV, 3min.)
20h10| Mussurunga Batalhas e Vitórias (Marcelo Pinheiro, Salvador, doc., DV, 18 min.)
20h30| Brincando na Aldeia (Instituto Marlin Azul, Vitória, animação, 5min.)


SEGUNDO DIA - 07/10/2010

• Exibição dos Vídeos – 9h às 10h30
9h| Indígenas Digitais (Sebastin Gerlic, Esperança da Terra| Mais Índios, Ilhéus, doc., Full HD/MiniDV, 26min)
9h30| Nego D’água (Saullo Farias, Grãos de luz e Griô, Lenções, doc - ficção, DV 7min.)
9h45| Memória Viva Canabrava (Taninha Mendes, CAC Salvatore Ladu, Salvador, doc., DV, 22min.)
10h20| A Horta do Zulmira (Kabum! Novos Produtores, Salvador, doc., MiniDV, 6min)

• I Mesa: Panorama do Audiovisual dos Pontos de Cultura - 10h30 às 12h30
Carine Araújo (Jornalista e Pesquisadora)
Pauline Leite (Representante do G26 Pontos de Cultura)
Luiz Cachoeira (Coord. do Ponto de Cultura Cineclube Rede Terreiro Cultural/CEPAS)
José Roberto Severino (Prof. Dr. em História Social, FACOM /UFBA)
Coordenação: Sophia Rocha (Pesquisadora)

• Exibição dos Vídeos - 14h às 15h
14h| Mito do Diamante (Lílian Pacheco, Grãos de luz e Griô, Lenções, doc - ficção, 7min.)
14h10| O Segredo do Livro (Kabum! Novos Produtores, Salvador, MiniDV, 5min.)
14h20| Samba dos Engenhos (Camila Dutervil, Espaço Cultural Pierre Verger, Salvador, doc. DV, 14min.)
14h40| Brincando na Aldeia (reapresentação)

• II Mesa: Mecanismos de Fomento e Associativismo - 15h às 17h
Pola Ribeiro (Diretor do IRDEB)
Representante da ABCV-Associação Baiana de Cinema e Vídeo
Solange Lima – Produtora Executiva da ABD Nacional
Reinofy Duarte(produtor audiovisual)

• Lançamento dos vídeos produzidos nas oficinas audiovisuais do Ponto de Cultura Teatro Vila Velha – 19h
19h| Louco Consciente (criação coletiva, DVCAM, 14min.)
19h20| Alta Pressão(criação coletiva, MiniDV, 14min.)
19h40| Passeio Noturno(criação coletiva, DVCAM, 15min.)
20h15| A feira(criação coletiva, DVCAM, 15min.)

• Encerramento - 20h30

Inscrições para I Mostra Audiovisual dos Pontos de Cultura da Bahia
Quando: até 04/10 | segunda-feira.
Quanto: Grátis
Site: www.teatrovilavelha.com.br/mostra

I Mostra Audiovisual dos Pontos de Cultura da Bahia
Dias: 6 e 7 de outubro | quarta e quinta
Quanto: Grátis
Realização: Ponto de Cultura do Teatro Vila Velha
Site: www.teatrovilavelha.com.br/mostra

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Áfricas, do Bando de Teatro Olodum, é a próxima atração do Domingo no TCA



No próximo dia 17/10, o Bando de Teatro Olodum vai apresentar o espetáculo Áfricas no Teatro Castro Alves, dentro da programação do projeto Domingo no TCA. Buscando sempre destacar a produção cultural baiana, o projeto acontece uma vez por mês nas manhãs de domingo, ao valor simbólico de R$ 1 e 0,50. Os ingressos baratos do projeto têm dado oportunidade para que uma parcela do público baiano que nunca havia pisado antes na Sala Principal do Teatro Castro Alves conheça pela primeira vez o complexo e desfrute de espetáculos de qualidade.

Áfricas é o espetáculo com temática infanto-juvenil do Bando de Teatro Olodum e traz à cena o continente africano, através da sua história, povo, mitos e religiosidade. A peça aborda o universo mítico africano em uma tentativa de suprir a escassez de referênciais africanos no imaginário infantil. Assim, desfilam no palco personagens que revelam o modo de ser do povo africano, as formas de se relacionar com a natureza e com o sagrado e os traços que unem o Brasil, em especial a Bahia, ao continente negro.

"Áfricas é o nosso xodó, nosso espetáculo caçula, que estreou em 2007. Com ele já nos apresentamos no Espírito Santo, em São Paulo, no Rio de Janeiro e sempre apresentar na nossa terra é muito bom. Este ano pudemos apresentar para escolas dentro do projeto Outras Áfricas e com o Domingo no TCA vamos para um palco maior, em um espaço que cabem 1600 pessoas, com tudo maior e ainda dentro da comemoração dos nossos 20 anos de atividade. É uma oportunidade muito legal de apresentarmos mais esse continente que está tão introjetado em nós", conta a atriz do Bando Auristela Sá.

Dirigido por Chica Carelli, fundadora do Bando de Teatro Olodum, Áfricas possui, além dos atores, um time de profissionais carimbados, como o coreógrafo Zebrinha, o diretor musical Jarbas Bittencourt, que criou músicas especiais para o espetáculo, os iluminadores Rivaldo Rio e Fábio Espírito Santo e Zuarte Júnior, responsável pelo figurino e adereços, com muitas cores e elementos do cotidiano africano.

Outubro no Vila

Outubro é mês de celebrar as crianças e a infância - não apenas a idade cronológica, mas o espírito infantil. Por isso, o Vila traz uma programação com muita música, teatro, vídeo e oficinas. Tudo pra você se divertir, sem restrições.

O Festival Vilerê traz três espetáculos especiais: Uni Duni Tê, Donos da Terra e Dança em Quadrinhos, oficinas para crianças e exposição feita pelos alunos da Cidade Mãe. O Vila abriga também o Festival Internacional de Artes Cênicas – FIAC/ano 3, que acontece no fim do mês com anseio de colocar a Bahia no circuito das artes cênicas internacionais.

Outubro ainda guarda a I Mostra Audiovisual dos Pontos de Cultura da Bahia, uma realização que dará visibilidade à produção audiovisual dos Pontos de Cultura do estado; uma apresentação do Quinteto Persch (RS), que está em turnê no Nordeste; mais um Baile Esquema Novo no Palco Principal e o início de muitas oficinas artísticas. Quantas coisas! Venha fazer parte disso! Và ao Vila, Velho!

Venha fazer parte disso! Vá ao Vila, Velho!